Confira mitos e verdades sobre as certificações de proficiência em inglês

IDIOMAS

Confira mitos e verdades sobre as certificações de proficiência em inglês

Os exames e certificações de proficiência em inglês são cada vez mais necessários para o sucesso no futuro

Por Tribuna do Ceará em Carreira

8 de Abril de 2018 às 07:00

Há 5 meses
Nome inglês em referência a mitos e verdades sobre teste de proficiência

Exames e certificações de proficiência em inglês é importante para o sucesso profissional (FOTO: Freepick)

A língua inglesa se mantém por décadas como o idioma mundial. Com isso, os exames e certificações de proficiência em inglês são cada vez mais necessários para o sucesso no futuro.

As opções para obter os certificado são muitas, assim como as dúvidas, por isso, Samuel Gama, coordenador pedagógico do Centro Britânico Idiomas – que é o Centro Preparatório e Aplicador de Exames Internacionais de inglês em São Paulo, esclarece alguns mitos e verdades sobre os exames de proficiência em inglês.

Confira os mitos e verdades:

1. As provas são muito difíceis

Mito. Mas atenção! É importante que o candidato faça uma escolha compatível com o seu nível de conhecimento no idioma e se familiarize com a prova eleita, seja em relação ao tempo disponível para cada habilidade, seja com o estilo de teste da prova. Existem exames para crianças e adolescentes, como o Cambridge English Young Learners; O Key, voltado para iniciantes; o Preliminary, para intermediário; o First, para pós intermediários e o Advanced, para quem tem um nível avançado no idioma. Além do mais, existem cursos que preparam o candidato apenas para isso. O candidato que se prepara e domina certo nível de inglês, certamente, terá sucesso na prova.

2. Os exames não precisam ser refeitos

Verdade. Alguns podem até se assustar com essa afirmação, mas é verdade. Algumas certificações, de fato, precisam ser refeitas de tempos em tempos, tais como TOEFL, TOEIC, etc. Já as certificações de Cambridge Assessment English, não.

Enquanto, por exemplo, o certificado Cambridge Advanced comprova o nível avançado de habilidades no idioma inglês do candidato, existem também certificados de metodologia voltados para professores de inglês, como o TKT que comprova o conhecimento de técnicas e abordagens metodológicas em um padrão internacional de ensino.

Inclusive, é uma das mais reconhecidas qualificações da área de ensino do idioma inglês sendo pré-requisito para processos seletivos para trabalho em escolas de idiomas. Essa certificação possui módulos independentes que podem ser prestados separadamente, com um certificado para cada um. Isso permite ao candidato escolher.

Ambas são investimentos únicos e vitalícios e, assim como as demais, são reconhecidas em todo o mundo. Outra vantagem é que, com elas, ainda é possível garantir e comprovar o nível de inglês com uma chancela internacional e seguindo o quadro comum europeu de nível no idioma.

3. Qualquer um pode obter as certificações

Verdade. Porém, apesar de o candidato não precisar ter um certificado de ensino superior, ele precisa demonstrar domínio do idioma porque ela o habilitará em quatro modalidades: comunicação oral, compreensão oral, escrita e leitura.

4. Eu não preciso do certificado para nada

Mito. Apesar de recessão econômica, o Brasil recebe milhares de estrangeiros todos os dias e é filial de inúmeras multinacionais. Com a massificação do idioma, a certificação passou a ser um critério de certificação de qualidade de um determinado profissional. Isso, porque, essas certificações são internacionais e comprovam o domínio do idioma. Além do mais, elas habilitam qual quer pessoa, seja ela formada em ensino superior ou não, a lecionar em escolas de idiomas. Ou seja, é um investimento que traz retorno financeiro, sobretudo.

5. É preciso dominar o inglês britânico e o americano

Mito. Cada língua possui particularidades do idioma em relação a algumas gírias, sotaque e pronúncia, isso não é diferente no inglês. No entanto, no caso dos exames de proficiência, o candidato precisa dominar os padrões internacionais. Afinal, a gramática, por exemplo, é comum a todos. Ou seja, o que o candidato precisa mesmo é segurança no conhecimento técnico da interpretação de texto, na aplicação do inglês e na expressão oral.

Publicidade

Dê sua opinião

IDIOMAS

Confira mitos e verdades sobre as certificações de proficiência em inglês

Os exames e certificações de proficiência em inglês são cada vez mais necessários para o sucesso no futuro

Por Tribuna do Ceará em Carreira

8 de Abril de 2018 às 07:00

Há 5 meses
Nome inglês em referência a mitos e verdades sobre teste de proficiência

Exames e certificações de proficiência em inglês é importante para o sucesso profissional (FOTO: Freepick)

A língua inglesa se mantém por décadas como o idioma mundial. Com isso, os exames e certificações de proficiência em inglês são cada vez mais necessários para o sucesso no futuro.

As opções para obter os certificado são muitas, assim como as dúvidas, por isso, Samuel Gama, coordenador pedagógico do Centro Britânico Idiomas – que é o Centro Preparatório e Aplicador de Exames Internacionais de inglês em São Paulo, esclarece alguns mitos e verdades sobre os exames de proficiência em inglês.

Confira os mitos e verdades:

1. As provas são muito difíceis

Mito. Mas atenção! É importante que o candidato faça uma escolha compatível com o seu nível de conhecimento no idioma e se familiarize com a prova eleita, seja em relação ao tempo disponível para cada habilidade, seja com o estilo de teste da prova. Existem exames para crianças e adolescentes, como o Cambridge English Young Learners; O Key, voltado para iniciantes; o Preliminary, para intermediário; o First, para pós intermediários e o Advanced, para quem tem um nível avançado no idioma. Além do mais, existem cursos que preparam o candidato apenas para isso. O candidato que se prepara e domina certo nível de inglês, certamente, terá sucesso na prova.

2. Os exames não precisam ser refeitos

Verdade. Alguns podem até se assustar com essa afirmação, mas é verdade. Algumas certificações, de fato, precisam ser refeitas de tempos em tempos, tais como TOEFL, TOEIC, etc. Já as certificações de Cambridge Assessment English, não.

Enquanto, por exemplo, o certificado Cambridge Advanced comprova o nível avançado de habilidades no idioma inglês do candidato, existem também certificados de metodologia voltados para professores de inglês, como o TKT que comprova o conhecimento de técnicas e abordagens metodológicas em um padrão internacional de ensino.

Inclusive, é uma das mais reconhecidas qualificações da área de ensino do idioma inglês sendo pré-requisito para processos seletivos para trabalho em escolas de idiomas. Essa certificação possui módulos independentes que podem ser prestados separadamente, com um certificado para cada um. Isso permite ao candidato escolher.

Ambas são investimentos únicos e vitalícios e, assim como as demais, são reconhecidas em todo o mundo. Outra vantagem é que, com elas, ainda é possível garantir e comprovar o nível de inglês com uma chancela internacional e seguindo o quadro comum europeu de nível no idioma.

3. Qualquer um pode obter as certificações

Verdade. Porém, apesar de o candidato não precisar ter um certificado de ensino superior, ele precisa demonstrar domínio do idioma porque ela o habilitará em quatro modalidades: comunicação oral, compreensão oral, escrita e leitura.

4. Eu não preciso do certificado para nada

Mito. Apesar de recessão econômica, o Brasil recebe milhares de estrangeiros todos os dias e é filial de inúmeras multinacionais. Com a massificação do idioma, a certificação passou a ser um critério de certificação de qualidade de um determinado profissional. Isso, porque, essas certificações são internacionais e comprovam o domínio do idioma. Além do mais, elas habilitam qual quer pessoa, seja ela formada em ensino superior ou não, a lecionar em escolas de idiomas. Ou seja, é um investimento que traz retorno financeiro, sobretudo.

5. É preciso dominar o inglês britânico e o americano

Mito. Cada língua possui particularidades do idioma em relação a algumas gírias, sotaque e pronúncia, isso não é diferente no inglês. No entanto, no caso dos exames de proficiência, o candidato precisa dominar os padrões internacionais. Afinal, a gramática, por exemplo, é comum a todos. Ou seja, o que o candidato precisa mesmo é segurança no conhecimento técnico da interpretação de texto, na aplicação do inglês e na expressão oral.