5 dicas para o Microempreendedor Individual se adaptar ao mundo digital

SE LIGA!

5 dicas para o microempreendedor individual se adaptar ao mundo digital

Aceitar o pagamento com cartão aumenta o faturamento do negócio e traz ainda diversas outras vantagens como fugir da inadimplência

Por jangadeiro em Carreira

4 de junho de 2018 às 07:15

Há 2 meses
São várias dicas para deixar o trabalho mais tecnológico (FOTO: Divulgação)

São várias dicas para deixar o trabalho mais tecnológico (FOTO: Divulgação)

De acordo com levantamento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) divulgado em maio, 50% dos microempreendedores individuais brasileiros preferem registrar os seus gastos com papel e caneta.

O comportamento de metade dos mil empreendedores autônomos ouvidos pela entidade – com faturamento anual de até R$ 81 mil –, contrapõe-se a um mundo cada vez mais tecnológico e conectado.

Daniel Bergman, CEO da iZettle Brasil, empresa que oferece máquinas de cartão e um aplicativo de gestão focados em pequenos negócios, afirma que os avanços tecnológicos dos últimos anos permitem que os microempreendedores profissionalizem e melhorem a sua gestão.

O líder das operações brasileiras da empresa fundada na Suécia dá cinco dicas de como aderir à digitalização.

1) Entre de cabeça no mundo digital:

Muitos empreendedores têm receio de usar novas tecnologias por parecerem difíceis ou estarem acostumados a anotar tudo na mão. O estudo do Sebrae aponta que apenas 21% dos MEIs no Brasil tem preferência por fazer a gestão financeira do negócio digitalmente.

“Esse percentual é maior entre os jovens de até 24 anos. Mas nunca é tarde para aprender”, aconselha Bergman. Tecnologias como aplicativos para celulares são cada vez mais intuitivas e é possível dominá-las sozinho ou seguir as instruções. Vale sempre também pedir ajuda para quem as conhece.

2) Corra atrás de cursos gratuitos:

Existe também a chance de aprender gratuitamente a usar essas ferramentas. “Há hoje uma infinidade de cursos para empreendedores que ensinam a administrar o negócio e que abordam ferramentas digitais como as planilhas no computador”, afirma.

De acordo com o estudo, 77% dos MEIs brasileiros nunca fizeram um curso ou treinamento em finanças. “O Sebrae, por exemplo, oferece mais de 80 cursos gratuitos a distância. A internet também é amiga do empreendedor ao possibilitar tirar dúvidas sobre as ferramentas”, diz Bergman.

3) Aproveite a popularização dos cartões:

Segundo o estudo do Sebrae, 44% dos microempreendedores brasileiros aceitam o pagamento com o cartão de débito e crédito. O especialista afirma que a popularização das máquinas de cartão nos últimos anos tem feito com que as empresas ofereçam tecnologias pensando nesse público.

“Aceitar o pagamento com cartão aumenta o faturamento do negócio e traz ainda diversas outras vantagens como fugir da inadimplência. Para enfrentar o aumento da concorrência, as empresas têm oferecido tecnologias junto às maquinas que permitem controlar o estoque, organizar os produtos e acompanhar as vendas digitalmente, por exemplo”, afirma.

4) A administração do capital de giro é fundamental:

O risco de fechamento do negócio, caso não haja atenção com as reservas necessárias para mantê-lo funcionando, é uma preocupação que os empreendedores precisam ter. “O planejamento financeiro fica com mais risco de falhas no papel e caneta. A tecnologia também permite a antecipação do valor das vendas por empresas diretamente em contas virtuais ou na conta bancária”, orienta.

De acordo com o estudo do Sebrae, 48% dos MEIs ouvidos não fazem a previsão dos seus gastos e 60% guardam diariamente os comprovantes físicos do que compram.

5) A tecnologia vai além da gestão financeira:

Por último, há hoje diversas tecnologias que auxiliam o negócio para além do planejamento financeiro. “As redes sociais são tecnologias que já fazem parte do nosso dia a dia e que ajudam a alcançar novos clientes”, afirma Bergman.

É fundamental criar hoje uma página no Facebook e um perfil no Instagram para o negócio. Os e-mails ainda são importantes para enviar alertas de promoções, principalmente quando se tem os contatos dos clientes organizados em uma planilha ou aplicativo.

Publicidade

Dê sua opinião

SE LIGA!

5 dicas para o microempreendedor individual se adaptar ao mundo digital

Aceitar o pagamento com cartão aumenta o faturamento do negócio e traz ainda diversas outras vantagens como fugir da inadimplência

Por jangadeiro em Carreira

4 de junho de 2018 às 07:15

Há 2 meses
São várias dicas para deixar o trabalho mais tecnológico (FOTO: Divulgação)

São várias dicas para deixar o trabalho mais tecnológico (FOTO: Divulgação)

De acordo com levantamento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) divulgado em maio, 50% dos microempreendedores individuais brasileiros preferem registrar os seus gastos com papel e caneta.

O comportamento de metade dos mil empreendedores autônomos ouvidos pela entidade – com faturamento anual de até R$ 81 mil –, contrapõe-se a um mundo cada vez mais tecnológico e conectado.

Daniel Bergman, CEO da iZettle Brasil, empresa que oferece máquinas de cartão e um aplicativo de gestão focados em pequenos negócios, afirma que os avanços tecnológicos dos últimos anos permitem que os microempreendedores profissionalizem e melhorem a sua gestão.

O líder das operações brasileiras da empresa fundada na Suécia dá cinco dicas de como aderir à digitalização.

1) Entre de cabeça no mundo digital:

Muitos empreendedores têm receio de usar novas tecnologias por parecerem difíceis ou estarem acostumados a anotar tudo na mão. O estudo do Sebrae aponta que apenas 21% dos MEIs no Brasil tem preferência por fazer a gestão financeira do negócio digitalmente.

“Esse percentual é maior entre os jovens de até 24 anos. Mas nunca é tarde para aprender”, aconselha Bergman. Tecnologias como aplicativos para celulares são cada vez mais intuitivas e é possível dominá-las sozinho ou seguir as instruções. Vale sempre também pedir ajuda para quem as conhece.

2) Corra atrás de cursos gratuitos:

Existe também a chance de aprender gratuitamente a usar essas ferramentas. “Há hoje uma infinidade de cursos para empreendedores que ensinam a administrar o negócio e que abordam ferramentas digitais como as planilhas no computador”, afirma.

De acordo com o estudo, 77% dos MEIs brasileiros nunca fizeram um curso ou treinamento em finanças. “O Sebrae, por exemplo, oferece mais de 80 cursos gratuitos a distância. A internet também é amiga do empreendedor ao possibilitar tirar dúvidas sobre as ferramentas”, diz Bergman.

3) Aproveite a popularização dos cartões:

Segundo o estudo do Sebrae, 44% dos microempreendedores brasileiros aceitam o pagamento com o cartão de débito e crédito. O especialista afirma que a popularização das máquinas de cartão nos últimos anos tem feito com que as empresas ofereçam tecnologias pensando nesse público.

“Aceitar o pagamento com cartão aumenta o faturamento do negócio e traz ainda diversas outras vantagens como fugir da inadimplência. Para enfrentar o aumento da concorrência, as empresas têm oferecido tecnologias junto às maquinas que permitem controlar o estoque, organizar os produtos e acompanhar as vendas digitalmente, por exemplo”, afirma.

4) A administração do capital de giro é fundamental:

O risco de fechamento do negócio, caso não haja atenção com as reservas necessárias para mantê-lo funcionando, é uma preocupação que os empreendedores precisam ter. “O planejamento financeiro fica com mais risco de falhas no papel e caneta. A tecnologia também permite a antecipação do valor das vendas por empresas diretamente em contas virtuais ou na conta bancária”, orienta.

De acordo com o estudo do Sebrae, 48% dos MEIs ouvidos não fazem a previsão dos seus gastos e 60% guardam diariamente os comprovantes físicos do que compram.

5) A tecnologia vai além da gestão financeira:

Por último, há hoje diversas tecnologias que auxiliam o negócio para além do planejamento financeiro. “As redes sociais são tecnologias que já fazem parte do nosso dia a dia e que ajudam a alcançar novos clientes”, afirma Bergman.

É fundamental criar hoje uma página no Facebook e um perfil no Instagram para o negócio. Os e-mails ainda são importantes para enviar alertas de promoções, principalmente quando se tem os contatos dos clientes organizados em uma planilha ou aplicativo.