Cearense transforma cartas de amor em música e lança trabalho

SINGLE

Cearense transforma cartas de amor em música e lança trabalho independente

Influenciado pelo gospel e blues americanos, o cearense tem repertório para pelo menos três álbuns com composições próprias

Por Tribuna do Ceará em Música

2 de julho de 2018 às 07:00

Há 3 meses
Todas as cartas musicadas pelo farmacêutico até agora são de autoria dele (FOTO: Victor Gifoni)

Todas as cartas musicadas pelo farmacêutico até agora são de autoria dele (FOTO: Victor Gifoni)

Há 11 anos, Athila transforma cartas de amor em música. Mas só agora o cearense decidiu abri-las para o mundo todo. Com a ajuda de amigos, escolheu uma para ser o primeiro trabalho da carreira. Uma trajetória oficialmente iniciada no dia 13 de junho, com o lançamento do single “O que você vai me dizer?”.

Disponível nas principais plataformas de streaming (Spotify, Deezer, Apple Music, Amazon Music, Sound Cloud e ONERPM.), a canção é uma baladinha de arranjo simples, refrão chiclete e interpretação suave de um autodidata que começou a cantar cedo: aos cinco anos, por influência da família materna cheia de musicistas.

“Eu sempre gostei muito de escrever. Escrevia poemas. Até que um dia vi que dava pra transformar em música. Faço isso desde os 14 anos. Acho que foi quando comecei a descobrir o amor. Esse single de estreia é uma das letras mais íntimas que tenho. Mostrar isso logo de cara é um desafio”, resume Athila.

Influenciado pelo gospel e blues americanos – notadamente por artistas como Norah Jones, Frank Ocean, Whitney Houston, Ron Kenoly e Joel Chernof -, o cearense tem repertório para, pelo menos, três álbuns com composições próprias. E promete para ainda este ano outros dois lançamentos.

Uma dessas músicas é completamente desconhecida de quem já acompanha o trabalho dele nas redes sociais. Athila mantém um canal no Youtube há quatro anos. É onde publica vídeos de trabalhos autorais e covers de sucessos de nomes como Adele, Christina Aguilera, Cazuza e Marisa Monte.

Passei um período da minha vida sem cantar, mas percebi que não tenho como viver sem música. Sou farmacêutico e gosto muito da minha profissão, da importância dela. Mas meu amor é realmente tocar e cantar. E tenho recebido tantas mensagens lindas por conta desse primeiro trabalho! A resposta das pessoas tem sido incrível. Tem sido uma procura muito maior do que a que eu esperava. Muita gente me procura para falar da letra”, acrescenta. 

“O que você vai me dizer?” fala principalmente de saudade e foi gravada num estúdio em Fortaleza. “Você percebe sutilmente que a música pode ser sobre um amor entre dois homens. Mas eu quis deixar o mais sem gênero possível, porque o amor não segue essa regra. Gênero foi uma coisa que a gente criou. O amor é maior do que isso. E é isso que tem feito muita gente se identificar com a música”, frisa Athila.

Todas as cartas musicadas pelo farmacêutico até agora são de autoria dele. “Quase todas as cartas eu escrevi à mão. Aí, as melodias vêm de uma vez e eu gravo no celular. As letras falam de amor, de relacionamentos… Mas nem sempre é sobre mim. Às vezes, eu me aproprio de algumas histórias que ouço. E eu gosto de melodias cruas, uma coisa mais limpa mesmo. Mas estou pronto pra encarar novos timbres e sonoridades. Já tenho conversado isso com meus parceiros. O público pode esperar muita coisa”, finaliza o cantor.

Biografia

Athila Wesley Lima Lacerda tem 25 anos e nasceu em Fortaleza. É farmacêutico por formação e tem a música como paixão. Aprendeu a tocar violão sozinho e teve aulas de piano no Conservatório de Música Alberto Nepomuceno, uma das mais tradicionais escolas do ramo no Ceará. Já morou em São Paulo e nos Estados Unidos, onde aprofundou os conhecimentos em música.

Publicidade

Dê sua opinião

SINGLE

Cearense transforma cartas de amor em música e lança trabalho independente

Influenciado pelo gospel e blues americanos, o cearense tem repertório para pelo menos três álbuns com composições próprias

Por Tribuna do Ceará em Música

2 de julho de 2018 às 07:00

Há 3 meses
Todas as cartas musicadas pelo farmacêutico até agora são de autoria dele (FOTO: Victor Gifoni)

Todas as cartas musicadas pelo farmacêutico até agora são de autoria dele (FOTO: Victor Gifoni)

Há 11 anos, Athila transforma cartas de amor em música. Mas só agora o cearense decidiu abri-las para o mundo todo. Com a ajuda de amigos, escolheu uma para ser o primeiro trabalho da carreira. Uma trajetória oficialmente iniciada no dia 13 de junho, com o lançamento do single “O que você vai me dizer?”.

Disponível nas principais plataformas de streaming (Spotify, Deezer, Apple Music, Amazon Music, Sound Cloud e ONERPM.), a canção é uma baladinha de arranjo simples, refrão chiclete e interpretação suave de um autodidata que começou a cantar cedo: aos cinco anos, por influência da família materna cheia de musicistas.

“Eu sempre gostei muito de escrever. Escrevia poemas. Até que um dia vi que dava pra transformar em música. Faço isso desde os 14 anos. Acho que foi quando comecei a descobrir o amor. Esse single de estreia é uma das letras mais íntimas que tenho. Mostrar isso logo de cara é um desafio”, resume Athila.

Influenciado pelo gospel e blues americanos – notadamente por artistas como Norah Jones, Frank Ocean, Whitney Houston, Ron Kenoly e Joel Chernof -, o cearense tem repertório para, pelo menos, três álbuns com composições próprias. E promete para ainda este ano outros dois lançamentos.

Uma dessas músicas é completamente desconhecida de quem já acompanha o trabalho dele nas redes sociais. Athila mantém um canal no Youtube há quatro anos. É onde publica vídeos de trabalhos autorais e covers de sucessos de nomes como Adele, Christina Aguilera, Cazuza e Marisa Monte.

Passei um período da minha vida sem cantar, mas percebi que não tenho como viver sem música. Sou farmacêutico e gosto muito da minha profissão, da importância dela. Mas meu amor é realmente tocar e cantar. E tenho recebido tantas mensagens lindas por conta desse primeiro trabalho! A resposta das pessoas tem sido incrível. Tem sido uma procura muito maior do que a que eu esperava. Muita gente me procura para falar da letra”, acrescenta. 

“O que você vai me dizer?” fala principalmente de saudade e foi gravada num estúdio em Fortaleza. “Você percebe sutilmente que a música pode ser sobre um amor entre dois homens. Mas eu quis deixar o mais sem gênero possível, porque o amor não segue essa regra. Gênero foi uma coisa que a gente criou. O amor é maior do que isso. E é isso que tem feito muita gente se identificar com a música”, frisa Athila.

Todas as cartas musicadas pelo farmacêutico até agora são de autoria dele. “Quase todas as cartas eu escrevi à mão. Aí, as melodias vêm de uma vez e eu gravo no celular. As letras falam de amor, de relacionamentos… Mas nem sempre é sobre mim. Às vezes, eu me aproprio de algumas histórias que ouço. E eu gosto de melodias cruas, uma coisa mais limpa mesmo. Mas estou pronto pra encarar novos timbres e sonoridades. Já tenho conversado isso com meus parceiros. O público pode esperar muita coisa”, finaliza o cantor.

Biografia

Athila Wesley Lima Lacerda tem 25 anos e nasceu em Fortaleza. É farmacêutico por formação e tem a música como paixão. Aprendeu a tocar violão sozinho e teve aulas de piano no Conservatório de Música Alberto Nepomuceno, uma das mais tradicionais escolas do ramo no Ceará. Já morou em São Paulo e nos Estados Unidos, onde aprofundou os conhecimentos em música.