É fã de coxinha? Para não sair da dieta, aposte em opções fit disponíveis no mercado
VERSÃO AMIGA DA DIETA

É fã de coxinha? Para não sair da dieta, aposte em opções fit disponíveis no mercado

Chef cearense dá dicas para uma coxinha mais saudável, sem que ela perca o sabor e a crocância

Por Tribuna Bandnews FM em Gastronomia

14 de fevereiro de 2017 às 06:45

Há 2 meses

(FOTO: Reprodução/Instagram/ <a href="https://www.instagram.com/lechefcoxinha/" target="_blank">Le Chef Coxinha</a>)

A paixão nacional, o quitute mais amado do Brasil, a melhor iguaria dos bares, botecos e padarias da cidade. A coxinha muitas vezes precisar ser abolida da dieta por causa dos teores de lactose, gordura, carboidratos, frituras. É por isso que o mercado tenta dar nova cara ao petisco tipicamente brasileiro.

A chef da Sucré e colunista da BandNews FM, Lia Quinderé, por exemplo, criadora de uma coxinha crocante, com massa de macaxeira, resolveu fazer algumas substituições para tornar o salgadinho mais saudável. A reportagem é da Tribuna BandNews FM.

“Eu vi que para que eu transformasse em uma coxinha fit, faltava muito pouco, bastava que eu tirasse um pouco da farinha de trigo ou toda a farinha de trigo, substituiria por farinha de arroz e eu transformasse a manteiga que eu usava na massa em um manteiga sem lactose”, explica Lia.

Mas não bastava mudar os ingredientes da coxinha, era preciso preservar uma das características mais marcantes: a crocância.

“Não funcionou no forno, mas eu consegui fazer ela frita no azeite a 120º antes de saturar, é uma gordura do bem. A nossa coxinha fit é uma massa de macaxeira, ela tem farinha de arroz, o frango é todo cozido com temperos naturais, eu uso açafrão também, e ela tem uma farinha de arroz por fora”.

Mas e quando o problema é alergia ou intolerância aos elementos da receita da coxinha? A coxinha da Sucré pode não ser uma opção, já que a cozinha não é feita especialmente para os alérgicos. Mesmo assim, quem não pode comer alimentos com glúten ou lactose já pode encontrar no mercado algumas opções de coxinha.

A proprietária da loja Levíssima, Sarah Melo, diz que entre os 1.800 produtos da loja, o mais procurado mesmo é ela, a coxinha.

“Eu tenho em torno de 5 opções de coxinha. Todas elas não perdem o sabor, não perdem a textura da coxinha, têm batata doce low carb, têm coxinha livre de gordura, têm outra totalmente integral, têm até a low carb protéica”. E para ficar ainda mais light, nada de encher a panela de óleo. Todos os salgados eu prefiro assar em forno ou em Air Fryer”.

Claro, mesmo sendo mais leve, a coxinha deve fazer parte de um cardápio variado, com legumes, verduras, frutas e proteínas. Mas só de saber que ela não é mais tão proibida assim, já dá aquela água na boca.

Saiba mais na reportagem de Ariane Cajazeiras para a Tribuna BandNews FM: 

Publicidade

Dê sua opinião

VERSÃO AMIGA DA DIETA

É fã de coxinha? Para não sair da dieta, aposte em opções fit disponíveis no mercado

Chef cearense dá dicas para uma coxinha mais saudável, sem que ela perca o sabor e a crocância

Por Tribuna Bandnews FM em Gastronomia

14 de fevereiro de 2017 às 06:45

Há 2 meses

(FOTO: Reprodução/Instagram/ <a href="https://www.instagram.com/lechefcoxinha/" target="_blank">Le Chef Coxinha</a>)

A paixão nacional, o quitute mais amado do Brasil, a melhor iguaria dos bares, botecos e padarias da cidade. A coxinha muitas vezes precisar ser abolida da dieta por causa dos teores de lactose, gordura, carboidratos, frituras. É por isso que o mercado tenta dar nova cara ao petisco tipicamente brasileiro.

A chef da Sucré e colunista da BandNews FM, Lia Quinderé, por exemplo, criadora de uma coxinha crocante, com massa de macaxeira, resolveu fazer algumas substituições para tornar o salgadinho mais saudável. A reportagem é da Tribuna BandNews FM.

“Eu vi que para que eu transformasse em uma coxinha fit, faltava muito pouco, bastava que eu tirasse um pouco da farinha de trigo ou toda a farinha de trigo, substituiria por farinha de arroz e eu transformasse a manteiga que eu usava na massa em um manteiga sem lactose”, explica Lia.

Mas não bastava mudar os ingredientes da coxinha, era preciso preservar uma das características mais marcantes: a crocância.

“Não funcionou no forno, mas eu consegui fazer ela frita no azeite a 120º antes de saturar, é uma gordura do bem. A nossa coxinha fit é uma massa de macaxeira, ela tem farinha de arroz, o frango é todo cozido com temperos naturais, eu uso açafrão também, e ela tem uma farinha de arroz por fora”.

Mas e quando o problema é alergia ou intolerância aos elementos da receita da coxinha? A coxinha da Sucré pode não ser uma opção, já que a cozinha não é feita especialmente para os alérgicos. Mesmo assim, quem não pode comer alimentos com glúten ou lactose já pode encontrar no mercado algumas opções de coxinha.

A proprietária da loja Levíssima, Sarah Melo, diz que entre os 1.800 produtos da loja, o mais procurado mesmo é ela, a coxinha.

“Eu tenho em torno de 5 opções de coxinha. Todas elas não perdem o sabor, não perdem a textura da coxinha, têm batata doce low carb, têm coxinha livre de gordura, têm outra totalmente integral, têm até a low carb protéica”. E para ficar ainda mais light, nada de encher a panela de óleo. Todos os salgados eu prefiro assar em forno ou em Air Fryer”.

Claro, mesmo sendo mais leve, a coxinha deve fazer parte de um cardápio variado, com legumes, verduras, frutas e proteínas. Mas só de saber que ela não é mais tão proibida assim, já dá aquela água na boca.

Saiba mais na reportagem de Ariane Cajazeiras para a Tribuna BandNews FM: