"Humor é o maior expoente cultural do Ceará", exalta o presidente da associação de humoristas
LEI CHICO ANYSIO

“Humor é o maior expoente cultural do Ceará”, exalta o presidente da associação de humoristas

Humoristas cearenses comemoram a lei sancionada pelo governador Camilo Santana que define o humor como Patrimônio Cultural do Ceará

Por Lucas Barbosa em Cultura

17 de maio de 2017 às 06:45

Há 3 meses

Cerimônia no Palácio da Abolição contou com a presença de dezenas de humoristas (FOTO: Divulgação/Governo do Estado)

Ceará, Terra do Humor” agora consta no Livro de Registro das Formas de Expressão, que reúne bens culturais imateriais do Estado. Assim, o humor tipicamente cearense torna-se Patrimônio Cultural do Ceará.

A sanção veio na última segunda-feira (15), feita pelo governador do Estado Camilo Santana (PT), em cerimônia no Palácio da Abolição, que contou com a presença de dezenas de humoristas.

A Lei Chico Anysio, como foi batizado o projeto de lei nº 220/15, permite a elaboração de uma política cultural “mais eficaz” por parte da Secretaria da Cultura, garante o titular da pasta, Fabiano dos Santos Piúba.

O Humor Cearense já estava no Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC), que faz parte do Programa Nacional do Patrimônio Imaterial (PNPI). A Lei Chico Anysio, agora, fortalece dentro do Estado “nossas raízes e nossas características, divulgando e promovendo essa forma de expressão”, defendia na justificativa do projeto de lei o autor da proposta, o deputado estadual Bruno Pedrosa (PSC).

Lailton Rocha, o Lailtinho Brega, que esteve presente ao evento, qualifica a iniciativa como “sensacional”, já que “reconhece de direito o que já existia de fato”. “O humor não é feito só por humoristas, é você, sua tia, seu primo, o cara simples de uma topique, é a molecagem cearense, é o espírito de receber bem, de ser gente boa, de transformar a vida difícil em comédia”, afirma.

Lailtinho, que também é presidente da Associação Cearense de Humor, também comemora a lei por vê-la como um reconhecimento da categoria, que há bem pouco tempo era vista preconceituosamente por setores da sociedade e pelo Estado — o que resultava em dificuldades de contemplação em editais públicos, exemplifica.

Ele também destaca a importância dos humoristas para a divulgação do Estado. “Hoje, todo mundo sabe o que é Sobral City, conhece Maranguape, tudo por causa de Renato Aragão, de Chico Anysio. O Tirulipa quando está em um programa nacional ele representa todo um Estado. O maior expoente cultural do Estado hoje é o humor”, diz ele, que se apresenta há 30 anos como Lailtinho Brega.

A solenidade de segunda-feira ainda serviu para o Governo anunciar a criação do programa Humor nos Bairros, que tem como intuito “levar essa expressão cultural a todas as regiões de Fortaleza e também a outros municípios”, como afirmou Camilo Santana.

Publicidade

Dê sua opinião

LEI CHICO ANYSIO

“Humor é o maior expoente cultural do Ceará”, exalta o presidente da associação de humoristas

Humoristas cearenses comemoram a lei sancionada pelo governador Camilo Santana que define o humor como Patrimônio Cultural do Ceará

Por Lucas Barbosa em Cultura

17 de maio de 2017 às 06:45

Há 3 meses

Cerimônia no Palácio da Abolição contou com a presença de dezenas de humoristas (FOTO: Divulgação/Governo do Estado)

Ceará, Terra do Humor” agora consta no Livro de Registro das Formas de Expressão, que reúne bens culturais imateriais do Estado. Assim, o humor tipicamente cearense torna-se Patrimônio Cultural do Ceará.

A sanção veio na última segunda-feira (15), feita pelo governador do Estado Camilo Santana (PT), em cerimônia no Palácio da Abolição, que contou com a presença de dezenas de humoristas.

A Lei Chico Anysio, como foi batizado o projeto de lei nº 220/15, permite a elaboração de uma política cultural “mais eficaz” por parte da Secretaria da Cultura, garante o titular da pasta, Fabiano dos Santos Piúba.

O Humor Cearense já estava no Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC), que faz parte do Programa Nacional do Patrimônio Imaterial (PNPI). A Lei Chico Anysio, agora, fortalece dentro do Estado “nossas raízes e nossas características, divulgando e promovendo essa forma de expressão”, defendia na justificativa do projeto de lei o autor da proposta, o deputado estadual Bruno Pedrosa (PSC).

Lailton Rocha, o Lailtinho Brega, que esteve presente ao evento, qualifica a iniciativa como “sensacional”, já que “reconhece de direito o que já existia de fato”. “O humor não é feito só por humoristas, é você, sua tia, seu primo, o cara simples de uma topique, é a molecagem cearense, é o espírito de receber bem, de ser gente boa, de transformar a vida difícil em comédia”, afirma.

Lailtinho, que também é presidente da Associação Cearense de Humor, também comemora a lei por vê-la como um reconhecimento da categoria, que há bem pouco tempo era vista preconceituosamente por setores da sociedade e pelo Estado — o que resultava em dificuldades de contemplação em editais públicos, exemplifica.

Ele também destaca a importância dos humoristas para a divulgação do Estado. “Hoje, todo mundo sabe o que é Sobral City, conhece Maranguape, tudo por causa de Renato Aragão, de Chico Anysio. O Tirulipa quando está em um programa nacional ele representa todo um Estado. O maior expoente cultural do Estado hoje é o humor”, diz ele, que se apresenta há 30 anos como Lailtinho Brega.

A solenidade de segunda-feira ainda serviu para o Governo anunciar a criação do programa Humor nos Bairros, que tem como intuito “levar essa expressão cultural a todas as regiões de Fortaleza e também a outros municípios”, como afirmou Camilo Santana.