Webprograma desbrava os bairros de Fortaleza de forma bem-humorada


Webprograma desbrava os bairros de Fortaleza de forma bem-humorada

Já dizia Gláuber Rocha, “uma câmera na mão e uma ideia na cabeça”. Parece até coisa de programa de viagem. E podemos dizer que é. Mas tudo acontece nos bairros de Fortaleza

Por Marcella Ruchet em Comportamento

9 de maio de 2014 às 16:30

Há 5 anos

Colocar a mochila nas costas, a câmera na mão e partir em busca de informações com os moradores locais. Parece cena de viagem, mas, na verdade, é o projeto Mochileiros do Bairro, que começou em meados do mês de abril e tem como propósito desbravar os bairros de Fortaleza.

Moisés (de azul) e Igor,a caminho de mais um bairro (FOTO: Arquivo pessoal)

Moisés (de azul) e Igor,a caminho de mais um bairro (FOTO: Arquivo pessoal)

O primeiro vídeo já foi lançado, e foi gravado no bairro Maraponga, na zona sul da capital. Moisés Loureiro fica na frente das câmeras, enquanto Igor Barbosa grava e edita os vídeos. E Moisés, que é ator e comediante, explica que a ideia do projeto não veio dele. “Um pessoal entrou em contato comigo, disse que eu me encaixa no perfil e eu topei na hora”, relembra. Segundo ele o grande lance do Mochileiros do Bairro é mostrar as coisas boas de cada local. “Violência a gente já vê demais, queremos mostrar os outros lados.”

>LEIA MAIS:

Ele conta também que a proposta é que o passeio seja bem a cara de uma viagem mesmo: chegar no bairro, conversar com os locais, ver o que tem de bom pra fazer de dia e de noite, onde comer, o que conhecer. E, as vezes, são necessários até quatro dias em cada bairro. A dupla costuma gravar vídeos separados por categoria, como lazer e qualidade de vida e a previsão é lançar vídeos semanalmente na página do Facebook e no canal do Youtube.

Experiência

E o jovem comemora a oportunidade de desbravar a cidade. “A oportunidade é massa. Fortaleza grande e é muito bom poder conhecer e saber o que está acontecendo. Sem contar que os vídeos vão ser legais de assistir. Está sendo divertido”, finaliza. E afinal Gláuber Rocha – precursor do “Cinema Novo” no Brasil dos anos 60/70 –  estava certo ao afirmar que tudo que um realizador precisa é de “uma câmera na mão e uma ideia na cabeça”.

Confira o primeiro vídeo:

[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/15024980″]

Publicidade

Dê sua opinião

Webprograma desbrava os bairros de Fortaleza de forma bem-humorada

Já dizia Gláuber Rocha, “uma câmera na mão e uma ideia na cabeça”. Parece até coisa de programa de viagem. E podemos dizer que é. Mas tudo acontece nos bairros de Fortaleza

Por Marcella Ruchet em Comportamento

9 de maio de 2014 às 16:30

Há 5 anos

Colocar a mochila nas costas, a câmera na mão e partir em busca de informações com os moradores locais. Parece cena de viagem, mas, na verdade, é o projeto Mochileiros do Bairro, que começou em meados do mês de abril e tem como propósito desbravar os bairros de Fortaleza.

Moisés (de azul) e Igor,a caminho de mais um bairro (FOTO: Arquivo pessoal)

Moisés (de azul) e Igor,a caminho de mais um bairro (FOTO: Arquivo pessoal)

O primeiro vídeo já foi lançado, e foi gravado no bairro Maraponga, na zona sul da capital. Moisés Loureiro fica na frente das câmeras, enquanto Igor Barbosa grava e edita os vídeos. E Moisés, que é ator e comediante, explica que a ideia do projeto não veio dele. “Um pessoal entrou em contato comigo, disse que eu me encaixa no perfil e eu topei na hora”, relembra. Segundo ele o grande lance do Mochileiros do Bairro é mostrar as coisas boas de cada local. “Violência a gente já vê demais, queremos mostrar os outros lados.”

>LEIA MAIS:

Ele conta também que a proposta é que o passeio seja bem a cara de uma viagem mesmo: chegar no bairro, conversar com os locais, ver o que tem de bom pra fazer de dia e de noite, onde comer, o que conhecer. E, as vezes, são necessários até quatro dias em cada bairro. A dupla costuma gravar vídeos separados por categoria, como lazer e qualidade de vida e a previsão é lançar vídeos semanalmente na página do Facebook e no canal do Youtube.

Experiência

E o jovem comemora a oportunidade de desbravar a cidade. “A oportunidade é massa. Fortaleza grande e é muito bom poder conhecer e saber o que está acontecendo. Sem contar que os vídeos vão ser legais de assistir. Está sendo divertido”, finaliza. E afinal Gláuber Rocha – precursor do “Cinema Novo” no Brasil dos anos 60/70 –  estava certo ao afirmar que tudo que um realizador precisa é de “uma câmera na mão e uma ideia na cabeça”.

Confira o primeiro vídeo:

[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/15024980″]