Quadrilha de São João de Fortaleza proíbe participação de mulheres

CLUBE DO BOLINHA

Quadrilha de São João de Fortaleza proíbe participação de mulheres

O papel das mulheres fica por conta dos homens que se caracterizam assim, na festa de São João e Carnaval

Por Ana Clara Jovino em Comportamento

21 de junho de 2016 às 07:00

Há 3 anos
O grupo de amigos dele já é acostumado a se vestir de mulher para se divertir e no São João não seria diferente (FOTO: Arquivo pessoal)

O grupo de amigos dele já é acostumado a se vestir de mulher para se divertir e no São João não seria diferente (FOTO: Arquivo pessoal)

Quem é mulher fica de fora da quadrilha do arraiá do engenheiro civil Dante de Queiroz. O grupo de amigos dele já é acostumado a se vestir de mulher para se divertir. E, no São João, não seria diferente. Eles garantiram a alegria de todos na festa que aconteceu na casa do engenheiro, em Messejana, no último dia 11.

Tudo começou no Carnaval, com o bloco que Dante e sua esposa, a empresária Jéssica Oliveira, organizam, chamado “Nem que eu me lasque”. Ela explica que, em todos os dias do Carnaval, eles descem até a praia e quem for gostando vai se juntando ao grupo, que não é restrito aos amigos.

Além do bloco, eles fazem o concurso Night Gay, que quem ganha é o homem que se vestiu melhor de mulher. “Já é tradição todo Carnaval o grupo ir para a nossa casa de praia em Majorlândia (em Aracati) e todos os homens se vestem de mulher e fazem a festa”, disse Jéssica.

Segundo Jéssica, quem gosta de organizar a quadrilha é Dante. “Meu marido que gosta de juntar o pessoal pra eles se caracterizarem, e se tiver precisando de algo, ele compra”. A quadrilha conta com os personagens típicos das quadrilhas, como os noivos, o padre, o delegado, o sacristão e personagens inventados por eles também, para ficar mais engraçado, como a “bicha amante”.

A quadrilha conta com cerca de 15 homens é uma grande atração da festa do casal. E todo mundo acha muito engraçado. Jéssica diz que é um momento de alegria em que a família e os amigos se encontram. Por ser um momento especial, eles pretendem fazer mais vezes, neste ano e nos anos seguintes também.

Publicidade

Dê sua opinião

CLUBE DO BOLINHA

Quadrilha de São João de Fortaleza proíbe participação de mulheres

O papel das mulheres fica por conta dos homens que se caracterizam assim, na festa de São João e Carnaval

Por Ana Clara Jovino em Comportamento

21 de junho de 2016 às 07:00

Há 3 anos
O grupo de amigos dele já é acostumado a se vestir de mulher para se divertir e no São João não seria diferente (FOTO: Arquivo pessoal)

O grupo de amigos dele já é acostumado a se vestir de mulher para se divertir e no São João não seria diferente (FOTO: Arquivo pessoal)

Quem é mulher fica de fora da quadrilha do arraiá do engenheiro civil Dante de Queiroz. O grupo de amigos dele já é acostumado a se vestir de mulher para se divertir. E, no São João, não seria diferente. Eles garantiram a alegria de todos na festa que aconteceu na casa do engenheiro, em Messejana, no último dia 11.

Tudo começou no Carnaval, com o bloco que Dante e sua esposa, a empresária Jéssica Oliveira, organizam, chamado “Nem que eu me lasque”. Ela explica que, em todos os dias do Carnaval, eles descem até a praia e quem for gostando vai se juntando ao grupo, que não é restrito aos amigos.

Além do bloco, eles fazem o concurso Night Gay, que quem ganha é o homem que se vestiu melhor de mulher. “Já é tradição todo Carnaval o grupo ir para a nossa casa de praia em Majorlândia (em Aracati) e todos os homens se vestem de mulher e fazem a festa”, disse Jéssica.

Segundo Jéssica, quem gosta de organizar a quadrilha é Dante. “Meu marido que gosta de juntar o pessoal pra eles se caracterizarem, e se tiver precisando de algo, ele compra”. A quadrilha conta com os personagens típicos das quadrilhas, como os noivos, o padre, o delegado, o sacristão e personagens inventados por eles também, para ficar mais engraçado, como a “bicha amante”.

A quadrilha conta com cerca de 15 homens é uma grande atração da festa do casal. E todo mundo acha muito engraçado. Jéssica diz que é um momento de alegria em que a família e os amigos se encontram. Por ser um momento especial, eles pretendem fazer mais vezes, neste ano e nos anos seguintes também.