“Pra Você”: cartas sobre sentimentos diversos são espalhadas em Fortaleza

Filha de mãe carioca e pai capixaba, a jornalista reside há nove anos na capital cearense e declara que apesar de ser carioca, tem uma relação afetiva com Fortaleza muito forte

Isabela Bosi já espalhou mais de 70 cartas por Fortaleza (Foto: Arquivo Pessoal)

Isabela Bosi já espalhou mais de 70 cartas por Fortaleza (Foto: Arquivo Pessoal)

Existe amor em Fortaleza e em forma de cartas espalhadas pelas ruas, nos bancos das praças, nos pontos turísticos e até em Fuscas descascados.

As correspondências são da jornalista Isabela Bosi e destinadas “Pra você” – nome do projeto da carioca radicada em Fortaleza – que resolveu surpreender os moradores e visitantes da “terra da luz” com textos que falam sobre “qualquer coisa que mexa comigo”, diz ela.

“A maioria é sobre o que eu sinto ou vivo, mas tem outras que são sobre coisas que eu vejo, imagino. Tem cartas de três laudas e outras de três linhas. Não existe um padrão”, explica.

> LEIA MAIS

A ideia surgiu há dois anos, mas somente entrou em ação em outubro de 2013, quando Isabela se sentiu preparada para tirar a “poeira” de cerca de 200 textos que ela escreve desde pequena – destes mais de 70 já foram distribuídos pela cidade. “Tenho cadernos e mais cadernos com textos que eu nunca mostrei pra ninguém, além de pastas no desktop e e-mails que eu mando para eu mesma. Não considerava a possibilidade de mostrá-los, tinha muita vergonha e medo também de me expor. Mas, de um tempo pra cá, comecei a sentir um incômodo de ter tantos textos engavetados, empoeirados no meu computador. Comecei a sentir uma necessidade de me livrar deles. Pensei em queimá-los, mas não consegui”, revela.

Um caso de amor com Fortaleza

Filha de mãe carioca e pai capixaba, a jornalista reside há nove anos na capital cearense e declara que apesar de ser carioca, tem uma relação afetiva com Fortaleza muito forte. E foi essa ligação que fez os sentimentos e o dom da jovem de 23 anos, aflorar.

“De certa forma, eles (os textos) são um pedaço de mim. No meio desse processo, veio a ideia de soltá-los pela cidade em formato de cartas. Uma vontade de me entregar à cidade por meio dessas cartinhas. É uma forma diferente de me relacionar com espaços públicos (ou não)”.

Com o risco de ver toda uma obra indo para o lixo, os fãs dos textos de Isabela podem ter pistas de possíveis lugares onde possam encontrar as cartas, através da página no Facebook administrada por ela – lá a escritora documenta tudo, com fotos, endereços e trechos das cartas. “O texto completo, só a pessoa que a encontra pode ler”, faz mistério.

Fique atento porque em algum ponto turístico ou espaço comum pode ter uma carta te esperando. Isabela deixa bem claro que as cartas escritas por ela não tem um destinatário específico. “Qualquer pessoa que topar com uma dessas cartinhas pela rua, pode pegar pra si. No envelope, tem escrito “pra você” e o “você” pode ser qualquer um“.

Confira galeria

Exposição

Uma instalação com o acervo de Isabela está em exposição no Mambembe – Comida e Outras Artes (rua dos Tabajaras 368). Quem quiser, pode pegar o texto e colocar outra coisa dentro do envelope – outro texto, uma foto, um desenho. É uma forma de também se expor e de interagir com a autora.

Isabela também expandiu o seu trabalho para o vídeo e criou um curta-metragem sobre o projeto, que foi selecionado para passar na Mostra de Filmes Carta, no Rio de Janeiro, em novembro deste ano. Assista aqui.

Dê sua Opinião