Especialistas elogiam iniciativa de lanchonete do Bom Jardim que viralizou com vídeo no Facebook

PROPAGANDA

Especialistas elogiam iniciativa de lanchonete do Bom Jardim que viralizou com vídeo no Facebook

A lanchonete Bib’s Burguer conseguiu triplicar o número de pedidos desde que lançou uma propaganda de baixo custo

Por Lyvia Rocha em Comportamento

22 de agosto de 2017 às 06:30

Há 3 meses
O vídeo utiliza o humor como principal ferramenta (FOTO: Reprodução/Facebook)

O vídeo utiliza o humor como principal ferramenta (FOTO: Reprodução/Facebook)

O sucesso nas redes sociais com vídeos irreverentes e de baixos recursos é grande. Um dos últimos vídeos que vem conquistando uma legião de seguidores e visualizações é sobre o Bib’s Burguer, do Bairro Bom Jardim, em Fortaleza. O vídeo feito para divulgar a lanchonete, produzido com moradores da região, já tem mais de 100 mil visualizações.

Em busca de tornar a lanchonete conhecida, os proprietários resolveram investir em propaganda na internet, e o resultado foi um sucesso instantâneo nas redes sociais. O vídeo lançado no Facebook é motivo de muitas risadas – e, sim, curiosidade sobre o estabelecimento.

O publicitário Pádua Sampaio, sócio-proprietário da Delantero Comunicação, reconhece que esses vídeos fazem sucesso imediato. “Ele não passou nos canais tradicionais e construiu tudo na internet. O baixo custo e irreverência incorporaram um gosto duvidoso, mas a internet dá essa possibilidade. Quando cai no gosto popular, esses vídeos que viralizam garantem uma relevância muito grande”.

O professor Publicidade e Propaganda da Universidade Federal do Ceará (UFC) Chico Neto comenta que a máxima “uma ideia na cabeça e uma câmera na mão” faz muito sentido por exemplo nesses casos de pequenos negócios que resolvem investir em divulgação.

“O termo faz muito sentido nesses tempos, quando temos smartphones com capacidade de filmar em boa definição e aplicativos para edição de imagens grátis e fáceis de utilizar. Além disso, temos as redes sociais e dispositivos prontos para publicar e transferir vídeos com agilidade. A linguagem audiovisual, antes cara e complexa, hoje é acessível”, indica.

Porém, ambos alertam que, para se ter uma marca mais forte e também com propósito comercial, esse método pode não ser o mais eficiente. Como reforço de marca, outro métodos de comerciais mais aprofundados na identidade podem ser mais indicados, sinaliza Pádua.

“Apesar de interesse, isso não implica que se está construindo uma marca. Do mesmo jeito que ela vem, ela vai. A marca dessa lanchonete conseguiu alguma relevância. A irreverência é bacana, mas é algo instantâneo, não é um trabalho de construção de marca. Não está bem alicerçado, a empresa tem um pico de alcance, mas também terá uma queda elevada”, acredita o profissional.

Para Chico Neto, a técnica faz toda a diferença para um trabalho mais contínuo e comercial. “É perigoso quando confundimos a finalidade autoral e experimental com o propósito comercial. Nessas horas, o apuro técnico e as habilidades específicas fazem a diferença. Mas sempre há espaço para exceções obterem sucesso – é bom que se chame atenção o caráter excepcional do sucesso”, destaca o professor.

“Neste caso, o ideal é apelar a três atributos preciosos: humor, autenticidade e apelo empático ao repertório de signos do público”, finaliza.

Publicidade

Dê sua opinião

PROPAGANDA

Especialistas elogiam iniciativa de lanchonete do Bom Jardim que viralizou com vídeo no Facebook

A lanchonete Bib’s Burguer conseguiu triplicar o número de pedidos desde que lançou uma propaganda de baixo custo

Por Lyvia Rocha em Comportamento

22 de agosto de 2017 às 06:30

Há 3 meses
O vídeo utiliza o humor como principal ferramenta (FOTO: Reprodução/Facebook)

O vídeo utiliza o humor como principal ferramenta (FOTO: Reprodução/Facebook)

O sucesso nas redes sociais com vídeos irreverentes e de baixos recursos é grande. Um dos últimos vídeos que vem conquistando uma legião de seguidores e visualizações é sobre o Bib’s Burguer, do Bairro Bom Jardim, em Fortaleza. O vídeo feito para divulgar a lanchonete, produzido com moradores da região, já tem mais de 100 mil visualizações.

Em busca de tornar a lanchonete conhecida, os proprietários resolveram investir em propaganda na internet, e o resultado foi um sucesso instantâneo nas redes sociais. O vídeo lançado no Facebook é motivo de muitas risadas – e, sim, curiosidade sobre o estabelecimento.

O publicitário Pádua Sampaio, sócio-proprietário da Delantero Comunicação, reconhece que esses vídeos fazem sucesso imediato. “Ele não passou nos canais tradicionais e construiu tudo na internet. O baixo custo e irreverência incorporaram um gosto duvidoso, mas a internet dá essa possibilidade. Quando cai no gosto popular, esses vídeos que viralizam garantem uma relevância muito grande”.

O professor Publicidade e Propaganda da Universidade Federal do Ceará (UFC) Chico Neto comenta que a máxima “uma ideia na cabeça e uma câmera na mão” faz muito sentido por exemplo nesses casos de pequenos negócios que resolvem investir em divulgação.

“O termo faz muito sentido nesses tempos, quando temos smartphones com capacidade de filmar em boa definição e aplicativos para edição de imagens grátis e fáceis de utilizar. Além disso, temos as redes sociais e dispositivos prontos para publicar e transferir vídeos com agilidade. A linguagem audiovisual, antes cara e complexa, hoje é acessível”, indica.

Porém, ambos alertam que, para se ter uma marca mais forte e também com propósito comercial, esse método pode não ser o mais eficiente. Como reforço de marca, outro métodos de comerciais mais aprofundados na identidade podem ser mais indicados, sinaliza Pádua.

“Apesar de interesse, isso não implica que se está construindo uma marca. Do mesmo jeito que ela vem, ela vai. A marca dessa lanchonete conseguiu alguma relevância. A irreverência é bacana, mas é algo instantâneo, não é um trabalho de construção de marca. Não está bem alicerçado, a empresa tem um pico de alcance, mas também terá uma queda elevada”, acredita o profissional.

Para Chico Neto, a técnica faz toda a diferença para um trabalho mais contínuo e comercial. “É perigoso quando confundimos a finalidade autoral e experimental com o propósito comercial. Nessas horas, o apuro técnico e as habilidades específicas fazem a diferença. Mas sempre há espaço para exceções obterem sucesso – é bom que se chame atenção o caráter excepcional do sucesso”, destaca o professor.

“Neste caso, o ideal é apelar a três atributos preciosos: humor, autenticidade e apelo empático ao repertório de signos do público”, finaliza.