Cearense fã nº 1 de Gal Costa guarda até taça com água que a cantora bebeu em show
ADMIRAÇÃO

Cearense fã nº 1 de Gal Costa guarda até taça com água que a cantora bebeu em show

Franklin Tavares, de 50 anos, conta que, para ficar plenamente realizado, só falta guardar um fio de cabelo da cantora

Por Ana Clara Jovino em Comportamento

8 de janeiro de 2017 às 07:15

Há 3 meses

Franklin diz que já foi a mais de 20 shows de Gal Costa (FOTO: Arquivo Pessoal)

Quando se é fã de alguém, não existem limites do que fazer para ser reconhecido pela pessoa admirada. É assim que o cearense Franklin Tavares, fã da cantora Gal Costa, pensa. Ele acompanha a cantora há anos e já conseguiu chegar perto e ser reconhecido por ela diversas vezes.

Tudo começou quando Franklin, aos 7 anos, ouviu pela primeira vez uma música da cantora, no rádio. Ele garante que já ficou encantado e foi naquele momento que já se tornou fã de Gal Costa.

O tempo foi passando e Franklin foi pesquisando e admirando cada vez mais a cantora. Hoje, com 50 anos, ele conta que Gal Costa é uma parte importante de sua vida. Inclusive, possui um grande acervo de itens relacionados a artista, como CDs, LPs e revistas, que foi comprando, ganhando e juntando ao longo de sua vida.

Além disso, o fã tem também vários objetos com alguma marca que a cantora deixou, como uma taça com a água que ela tomou em um show e uma colher que usou para misturar açúcar no café.

Apesar de já ter tido diversos momentos ao lado da cantora, Franklin afirma que ainda falta uma coisa para ele se sentir completamente realizado como fã, que é ter um fio de cabelo dela, para colocar em um quadro.

O cearense conta que foi em todos os shows que a baiana fez na capital cearense e quando ela está na cidade, esquece de tudo para se dedicar a ela, inclusive da família e amigos.

“Eu já deixei de ir ao enterro de um amigo porque Gal estava na cidade. Não é desmerecendo, mas quando ela vem para cá, eu esqueço de tudo, é um momento só meu, vou no aeroporto, no hotel e no show, tudo para ficar um momento perto dela”, justifica.

Mas Franklin assegura que o contato dele com Gal é muito respeitoso e já ultrapassou o limite de uma relação de fã e ídolo. “Eu sou fã, mas não sou tiete, a respeito muito e ela me apresenta para as pessoas como um amigo dela, pois já nos encontramos muitas vezes e ela já me conhece”, garante.

Publicidade

Dê sua opinião

ADMIRAÇÃO

Cearense fã nº 1 de Gal Costa guarda até taça com água que a cantora bebeu em show

Franklin Tavares, de 50 anos, conta que, para ficar plenamente realizado, só falta guardar um fio de cabelo da cantora

Por Ana Clara Jovino em Comportamento

8 de janeiro de 2017 às 07:15

Há 3 meses

Franklin diz que já foi a mais de 20 shows de Gal Costa (FOTO: Arquivo Pessoal)

Quando se é fã de alguém, não existem limites do que fazer para ser reconhecido pela pessoa admirada. É assim que o cearense Franklin Tavares, fã da cantora Gal Costa, pensa. Ele acompanha a cantora há anos e já conseguiu chegar perto e ser reconhecido por ela diversas vezes.

Tudo começou quando Franklin, aos 7 anos, ouviu pela primeira vez uma música da cantora, no rádio. Ele garante que já ficou encantado e foi naquele momento que já se tornou fã de Gal Costa.

O tempo foi passando e Franklin foi pesquisando e admirando cada vez mais a cantora. Hoje, com 50 anos, ele conta que Gal Costa é uma parte importante de sua vida. Inclusive, possui um grande acervo de itens relacionados a artista, como CDs, LPs e revistas, que foi comprando, ganhando e juntando ao longo de sua vida.

Além disso, o fã tem também vários objetos com alguma marca que a cantora deixou, como uma taça com a água que ela tomou em um show e uma colher que usou para misturar açúcar no café.

Apesar de já ter tido diversos momentos ao lado da cantora, Franklin afirma que ainda falta uma coisa para ele se sentir completamente realizado como fã, que é ter um fio de cabelo dela, para colocar em um quadro.

O cearense conta que foi em todos os shows que a baiana fez na capital cearense e quando ela está na cidade, esquece de tudo para se dedicar a ela, inclusive da família e amigos.

“Eu já deixei de ir ao enterro de um amigo porque Gal estava na cidade. Não é desmerecendo, mas quando ela vem para cá, eu esqueço de tudo, é um momento só meu, vou no aeroporto, no hotel e no show, tudo para ficar um momento perto dela”, justifica.

Mas Franklin assegura que o contato dele com Gal é muito respeitoso e já ultrapassou o limite de uma relação de fã e ídolo. “Eu sou fã, mas não sou tiete, a respeito muito e ela me apresenta para as pessoas como um amigo dela, pois já nos encontramos muitas vezes e ela já me conhece”, garante.