Página de humor une cenas do cotidiano cearense com filmes famosos do cinema

CRÍTICA SOCIAL

Página de humor une cenas do cotidiano cearense com filmes famosos do cinema

Na página Roliúde Cearense, o artista Guabiras faz montagens misturando filmes com a realidade do povo local

Por Crisneive Silveira em Cinema

7 de Março de 2018 às 07:15

Há 7 meses
Guardiões da Cachaça

“Guardiões da Cachaça”, tradicional bebida do Ceará, faz alusão ao filme Guardiões da Galáxia. (FOTO: Reprodução Facebook Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

Bem-Vindo à Roliúde Cearense! É com o rosto enigmático de Yoda, do Star Wars, ostentando um chapéu de cangaceiro, e Hollywood escrito no bom cearensês, que a página do cartunista Guabiras recebe o público para falar de cinema de um jeito massa demais. No Facebook, uma mistura de montagens com filmes, piadas, sátira, crítica social e cotidiano do povo com muita criatividade e bom humor. Além de distribuir risada, o intuito é também espalhar a cultura da terrinha.

“Deixa eu só pegar papel e caneta aqui. É rapidinho”, disse Carlos Henrique Santos, o Guabiras, pouco antes de começar a entrevista. O espírito de cartunista não descansa, as ideias não param. E a inquietude do desenhista foi a porta para que ele se desdobrasse como um artista da imagem.

Guabiras também faz fanzine, tirinhas e montagens. Foi através do fanzine, a maior paixão, que nasceu a ideia da página de filmes. No conteúdo das revistas, muito do Ceará. Foi na contra-capa que ele passou a adotar o uso dos filmes.

“Eu sempre usava as contracapas dos fanzines pra colocar um filme. E isso foi me dando mais ideias. O primeiro que coloquei foi do Godzilla, o Calangão. Coincidiu que um dia um monte de site jogou um bocado. E jogou sem texto. Todo mundo estava compartilhando e isso dava a mesma ideia do que fazia com a contra-capa do fanzine. Um dia criei a página… Foram uns 40 a 100 de uma vez. A gente não tem noção de como as pessoas se apegam e gostam de coisas da terra. Não tem coisa melhor de postar lá e ver como fica”, relembrou Guabiras.

E nada mais cearense que um autor com nome artístico vindo diretamente do vocabulário popular. Guabiras é “derivado” de guabiru, a tal da ratazana. E veio ainda na época de colégio, quando começou a desenhar.

Guabiras

Guabiras é cartunista, mas tem paixão pelo fanzine e por artes visuais. (FOTO: Arquivo Pessoal)

“Eu desenhava rápido e no rascunho. Quando estudava no colégio da periferia, riscava as capas dos cadernos. Os meninos começaram a me chamar de Guabiru. Teve uma professora que chamou numa reunião de pais. A professora entrava na porta da frente e eu saía pela de trás. Aí, com pais e alunos no meio do salão, uma pegou e apontou pra mim: esse daqui, parece um guabiru. Só vejo o rabo. Um monte de mãe rindo, aí pegou. Quando me dei conta, tava assinando Guabiras”, relembrou aos risos.

A página Bem Vindo à Roliúde Cearense tem 3.423 curtidas. Ops! 3.424, acabei de curtir também. São mais de 150 postagens que divertem quem decide parar um pouco e se deleitar com bom humor e referência a filmes clássicos, de infância, indicados ao Oscar… A ideia é unir a realidade do meio em que vive e adaptar aos cartazes de cinema.

Além do Yoda, logo na capa da página, há também a pedra da Galinha Choca, em Quixadá, referência forte ao sertão cearense. Ao fundo, a cor quente também remete ao Nordeste. E, claro, sem esquecer da placa “Bem vindo à Roliúde Cearense”, marca forte do letreiro hollywoodiano americano. Outra alusão a Star Wars é a estrela da morte, explicou Guabiras. Ele diz que “tem gente que acha que é a melhor coisa da página”

“O retorno é muito massa. A pessoa diz que morreu de rir, que tá se acabando de rir. Isso é legal porque tô mexendo com o sentimento da pessoa. Com certeza, ela teve o dia diferente. É a melhor coisa que tem, não tem dinheiro que pague. Isso melhora o humor da gente. Faço mesmo para as pessoas e para espalhar a cultura nordestina e cearense”, revela o artista que tem diversas outras páginas, como a dos Vingadores de Messejana.

filme carros amc

A arte é do filme carros, mas faz críticas a AMC, órgão de fiscalização do trânsito de Fortaleza. (FOTO: Reprodução Página Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

Assim como não desliga a mente para ideias, Guabiras também não desliga o bom humor. Isso, claro, muito refletido na página, na vida e em todo o seu trabalho. Durante a entrevista, feita por telefone, o riso foi o ingrediente base para falar um pouco do amor que ele tem pela cultura cearense e por criar novas possibilidades com imagens em suas mais variadas vertentes. Sem deixar, claro, o aspecto crítico das produções.

“A cultura cearense é toda a vida social, é tudo que envolve o Ceará. É a violência, desastre natural, humor, é tanto que vários nomes de filmes… Brinquedo Assassino – Bregueço Assassino, deixei mais cearense. Mas o título é uma coisa a parte. Principalmente aquele, o do filme Carros, ou filmes de carros, do filme que são velozes, agressivos, são todos carros da AMC, crítica social, e compara com o personagem do filme. Então, meio que bate a vida real com a ficção. Como o Poderoso Chefinho, aqueles filhinhos de papai que tem nos shoppings, essa nova geração aí…”, disse o artista nascido e criado no Parque Manibura, em Fortaleza.

Guabiras, ou Carlos Henrique, quer deixar registros do trabalho dele por todos os lados. No Blog do Guabiras, dá pra ver um pouco disso. Talento plural, o principal é a imagem, mas o cearense quer divulgar a cultura local e servir de inspiração para as futuras gerações. Para isso, busca apoio para a publicação de seus trabalhos em livro.

“Eu me foco no desenho em si, que é a profissão em geral, mas sai tira, charge, cartum, vira desenho, montagem, meme… Quero só deixar registros. Não tem aquele ditado de fazer um filho, plantar uma árvore e escrever um livro? Hoje em dia não é preciso. Meu negócio é deixar registro. Quero que você procure, ache e guarde pra você. Quero sempre chegar nas pessoas. Outro objetivo são livros nas editoras. O Roliúde já merecia um livro. Falta patrocínio. A intenção é engrandecer a cultura cearense e mostrar que a gente existe, tem capacidade de ter um monte de coisa, a nossa culinária, nosso artesanato, praia, mas também inteligência e criatividade”, concluiu Guabiras, que não para de invencionice pra fazer o povo rir.

1/7

A saúde também é criticada nas montagens. “O Ômi da UPA” estampa uma das artes. Mara Hope é um barco que naufragou há mais de 30 anos na orla de Fortaleza. (FOTO: Reprodução Página Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

2/7

Mara Hope é um barco que naufragou há mais de 30 anos na orla de Fortaleza. (FOTO: Reprodução Página Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

3/7

A ressaca do mar registrada no início de março também não passou despercebida pelo artista. (FOTO: Reprodução Página Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

4/7

Um dos filmes que concorreu ao Oscar, Touro Ferdinando também foi lembrado. Mara Houpe é um barco que naufragou há mais de 30 anos na orla de Fortaleza. (FOTO: Reprodução Página Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

5/7

A arte é do filme carros, mas faz críticas a AMC, órgão de fiscalização do trânsito de Fortaleza. (FOTO: Reprodução Página Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

6/7

“Guardiões da Cachaça” faz alusão ao filme Guardiões da Galáxia. (FOTO: Reprodução Facebook Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

7/7

Montagem com o clássico Jogos Mortais fazendo referência a “lenda” de que não se pode comer manga com leite. (FOTO: Reprodução Facebook Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

Publicidade

Dê sua opinião

CRÍTICA SOCIAL

Página de humor une cenas do cotidiano cearense com filmes famosos do cinema

Na página Roliúde Cearense, o artista Guabiras faz montagens misturando filmes com a realidade do povo local

Por Crisneive Silveira em Cinema

7 de Março de 2018 às 07:15

Há 7 meses
Guardiões da Cachaça

“Guardiões da Cachaça”, tradicional bebida do Ceará, faz alusão ao filme Guardiões da Galáxia. (FOTO: Reprodução Facebook Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

Bem-Vindo à Roliúde Cearense! É com o rosto enigmático de Yoda, do Star Wars, ostentando um chapéu de cangaceiro, e Hollywood escrito no bom cearensês, que a página do cartunista Guabiras recebe o público para falar de cinema de um jeito massa demais. No Facebook, uma mistura de montagens com filmes, piadas, sátira, crítica social e cotidiano do povo com muita criatividade e bom humor. Além de distribuir risada, o intuito é também espalhar a cultura da terrinha.

“Deixa eu só pegar papel e caneta aqui. É rapidinho”, disse Carlos Henrique Santos, o Guabiras, pouco antes de começar a entrevista. O espírito de cartunista não descansa, as ideias não param. E a inquietude do desenhista foi a porta para que ele se desdobrasse como um artista da imagem.

Guabiras também faz fanzine, tirinhas e montagens. Foi através do fanzine, a maior paixão, que nasceu a ideia da página de filmes. No conteúdo das revistas, muito do Ceará. Foi na contra-capa que ele passou a adotar o uso dos filmes.

“Eu sempre usava as contracapas dos fanzines pra colocar um filme. E isso foi me dando mais ideias. O primeiro que coloquei foi do Godzilla, o Calangão. Coincidiu que um dia um monte de site jogou um bocado. E jogou sem texto. Todo mundo estava compartilhando e isso dava a mesma ideia do que fazia com a contra-capa do fanzine. Um dia criei a página… Foram uns 40 a 100 de uma vez. A gente não tem noção de como as pessoas se apegam e gostam de coisas da terra. Não tem coisa melhor de postar lá e ver como fica”, relembrou Guabiras.

E nada mais cearense que um autor com nome artístico vindo diretamente do vocabulário popular. Guabiras é “derivado” de guabiru, a tal da ratazana. E veio ainda na época de colégio, quando começou a desenhar.

Guabiras

Guabiras é cartunista, mas tem paixão pelo fanzine e por artes visuais. (FOTO: Arquivo Pessoal)

“Eu desenhava rápido e no rascunho. Quando estudava no colégio da periferia, riscava as capas dos cadernos. Os meninos começaram a me chamar de Guabiru. Teve uma professora que chamou numa reunião de pais. A professora entrava na porta da frente e eu saía pela de trás. Aí, com pais e alunos no meio do salão, uma pegou e apontou pra mim: esse daqui, parece um guabiru. Só vejo o rabo. Um monte de mãe rindo, aí pegou. Quando me dei conta, tava assinando Guabiras”, relembrou aos risos.

A página Bem Vindo à Roliúde Cearense tem 3.423 curtidas. Ops! 3.424, acabei de curtir também. São mais de 150 postagens que divertem quem decide parar um pouco e se deleitar com bom humor e referência a filmes clássicos, de infância, indicados ao Oscar… A ideia é unir a realidade do meio em que vive e adaptar aos cartazes de cinema.

Além do Yoda, logo na capa da página, há também a pedra da Galinha Choca, em Quixadá, referência forte ao sertão cearense. Ao fundo, a cor quente também remete ao Nordeste. E, claro, sem esquecer da placa “Bem vindo à Roliúde Cearense”, marca forte do letreiro hollywoodiano americano. Outra alusão a Star Wars é a estrela da morte, explicou Guabiras. Ele diz que “tem gente que acha que é a melhor coisa da página”

“O retorno é muito massa. A pessoa diz que morreu de rir, que tá se acabando de rir. Isso é legal porque tô mexendo com o sentimento da pessoa. Com certeza, ela teve o dia diferente. É a melhor coisa que tem, não tem dinheiro que pague. Isso melhora o humor da gente. Faço mesmo para as pessoas e para espalhar a cultura nordestina e cearense”, revela o artista que tem diversas outras páginas, como a dos Vingadores de Messejana.

filme carros amc

A arte é do filme carros, mas faz críticas a AMC, órgão de fiscalização do trânsito de Fortaleza. (FOTO: Reprodução Página Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

Assim como não desliga a mente para ideias, Guabiras também não desliga o bom humor. Isso, claro, muito refletido na página, na vida e em todo o seu trabalho. Durante a entrevista, feita por telefone, o riso foi o ingrediente base para falar um pouco do amor que ele tem pela cultura cearense e por criar novas possibilidades com imagens em suas mais variadas vertentes. Sem deixar, claro, o aspecto crítico das produções.

“A cultura cearense é toda a vida social, é tudo que envolve o Ceará. É a violência, desastre natural, humor, é tanto que vários nomes de filmes… Brinquedo Assassino – Bregueço Assassino, deixei mais cearense. Mas o título é uma coisa a parte. Principalmente aquele, o do filme Carros, ou filmes de carros, do filme que são velozes, agressivos, são todos carros da AMC, crítica social, e compara com o personagem do filme. Então, meio que bate a vida real com a ficção. Como o Poderoso Chefinho, aqueles filhinhos de papai que tem nos shoppings, essa nova geração aí…”, disse o artista nascido e criado no Parque Manibura, em Fortaleza.

Guabiras, ou Carlos Henrique, quer deixar registros do trabalho dele por todos os lados. No Blog do Guabiras, dá pra ver um pouco disso. Talento plural, o principal é a imagem, mas o cearense quer divulgar a cultura local e servir de inspiração para as futuras gerações. Para isso, busca apoio para a publicação de seus trabalhos em livro.

“Eu me foco no desenho em si, que é a profissão em geral, mas sai tira, charge, cartum, vira desenho, montagem, meme… Quero só deixar registros. Não tem aquele ditado de fazer um filho, plantar uma árvore e escrever um livro? Hoje em dia não é preciso. Meu negócio é deixar registro. Quero que você procure, ache e guarde pra você. Quero sempre chegar nas pessoas. Outro objetivo são livros nas editoras. O Roliúde já merecia um livro. Falta patrocínio. A intenção é engrandecer a cultura cearense e mostrar que a gente existe, tem capacidade de ter um monte de coisa, a nossa culinária, nosso artesanato, praia, mas também inteligência e criatividade”, concluiu Guabiras, que não para de invencionice pra fazer o povo rir.

1/7

A saúde também é criticada nas montagens. “O Ômi da UPA” estampa uma das artes. Mara Hope é um barco que naufragou há mais de 30 anos na orla de Fortaleza. (FOTO: Reprodução Página Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

2/7

Mara Hope é um barco que naufragou há mais de 30 anos na orla de Fortaleza. (FOTO: Reprodução Página Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

3/7

A ressaca do mar registrada no início de março também não passou despercebida pelo artista. (FOTO: Reprodução Página Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

4/7

Um dos filmes que concorreu ao Oscar, Touro Ferdinando também foi lembrado. Mara Houpe é um barco que naufragou há mais de 30 anos na orla de Fortaleza. (FOTO: Reprodução Página Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

5/7

A arte é do filme carros, mas faz críticas a AMC, órgão de fiscalização do trânsito de Fortaleza. (FOTO: Reprodução Página Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

6/7

“Guardiões da Cachaça” faz alusão ao filme Guardiões da Galáxia. (FOTO: Reprodução Facebook Bem-Vindo à Roliúde Cearense)

7/7

Montagem com o clássico Jogos Mortais fazendo referência a “lenda” de que não se pode comer manga com leite. (FOTO: Reprodução Facebook Bem-Vindo à Roliúde Cearense)