Superbanda conquista fãs em Fortaleza com mistura de rock, forró, axé, pagode e reggae

QUERIDINHOS DO PRÉ-CARNAVAL

Superbanda conquista fãs em Fortaleza com mistura de rock, forró, axé, pagode e reggae

A Superbanda, criada há três anos por seis amigos de Fortaleza, virou sucesso com seu estilo “Me liga music”

Por Gabriel Borges em Carnaval

30 de Janeiro de 2018 às 06:45

Há 10 meses

Grupo nasceu em 2015 (FOTO: Dário Matos)

Sabe quando toca aquela música que é impossível não ligar ou mandar uma mensagem pra alguém? Essa é proposta musical da Superbanda, de Fortaleza. Uma banda com influências musicais que vão desde o rock do grupo americano Kiss até o axé do baiano Bell Marques.

A mistura de ritmos nasceu em 2015. Seis amigos montaram uma banda que, a princípio, teria apenas quatro meses de duração. Hoje, com quase três anos de estrada, o estilo “Me liga music” vai se consolidando e conquistando públicos inimagináveis no começo do projeto.

“Nós nascemos em um meio mais alternativo. Já vínhamos de outros projetos musicais, todos éramos de bandas de rock autoral. Em agosto de 2015, nossos amigos que são donos do projeto ‘Quartinho’ falaram que queriam uma banda para tocar no evento que eles estavam organizando. O plano seria tocar em quatro festas com temas diferentes”, conta Marcelo Góis, um dos vocalistas.

O estilo foi ganhando força no mercado regional, com a mistura de rock, forró, axé, pagode, reggae e outras vertentes musicais. O estilo “Me liga music” surgiu. “É sempre meio difícil de definir o que somos, mas de um tempo pra cá, falamos que nosso estilo é esse. Tocamos aquela música que contagia e que faz você querer dividir aquele momento com alguém”, relata o músico.

Com a popularização da banda, o grupo passou a ser convidado para tocar em outros eventos. Em 2016, surge um novo projeto. “No final de janeiro, entramos em contato com o pessoal do Mambembe para fazermos uma festa nossa. A ‘Requebrassim’ já nasceu com uma pegada mais carnavalesca”. Hoje a festa acontece a cada dois meses, no Ritmo Urbano.

Marcelo Góis (voz), Pedro “BigBigLove” Fialho (voz), Pedro Farias (baixo), Erich Soares (guitarra), Yuri Lobato (guitarra) e Lucas Ramalho (Bateria) sonham em alçar voos ainda mais altos. Boa parte do grupo precisa conciliar a vida de músico com outras funções.

“O Pedro (vocalista) é o único que se dedica a carreira de músico em tempo integral. Eu sou psicólogo e diretor da UPA da Jurema. Erich está fazendo mestrado em Ciências Sociais, já o Yuri trabalha em um setor de comunicação do Governo do Estado. Lucas trabalha no marketing do São Luiz e Pedro (baixista) é psicólogo e professor de yoga”, conta.

Apesar da correria do dia a dia, Marcelo destaca que o grupo se esforça para manter uma rotina de ensaios. “Ensaiamos pelo menos uma vez na semana, quando possível até duas. Para nós, esse momento é muito importante”, sinaliza.

 

No início de 2017, a Superbanda viveu um dos momentos mais importantes do grupo. “No começo do ano, a gente já tava conseguindo um certo reconhecimento, então surgiu um convite do RioMar para tocarmos no Pré-Carnaval. A energia do público foi algo incrível, subimos no palco com 700 seguidores no Instagram, quando terminou o show já tínhamos mil”, revela.

Com o passar das semanas, o número de seguidores foi crescendo proporcionalmente ao número de shows. “Começamos a tocar no RioMar, no Colosso e tocamos também no Café La Music. A gente nem imaginava que poderia atingir esse público”, conta Marcelo. Em janeiro de 2018, o grupo contou com uma média de quatro apresentações por fim de semana.

Questionado sobre o futuro, Marcelo conta que sonha em levar a pluralidade da Superbanda para outros lugares do país. “Queremos muito levar o nosso show para outros estados, seja no Nordeste ou fora dele. Queremos manter a qualidade do nosso repertório e crescer ainda mais nossa harmonia com o público, levando nossa proposta cada vez mais longe”.

Serviço:

Superbanda
Facebook | Instagram

Publicidade

Dê sua opinião

QUERIDINHOS DO PRÉ-CARNAVAL

Superbanda conquista fãs em Fortaleza com mistura de rock, forró, axé, pagode e reggae

A Superbanda, criada há três anos por seis amigos de Fortaleza, virou sucesso com seu estilo “Me liga music”

Por Gabriel Borges em Carnaval

30 de Janeiro de 2018 às 06:45

Há 10 meses

Grupo nasceu em 2015 (FOTO: Dário Matos)

Sabe quando toca aquela música que é impossível não ligar ou mandar uma mensagem pra alguém? Essa é proposta musical da Superbanda, de Fortaleza. Uma banda com influências musicais que vão desde o rock do grupo americano Kiss até o axé do baiano Bell Marques.

A mistura de ritmos nasceu em 2015. Seis amigos montaram uma banda que, a princípio, teria apenas quatro meses de duração. Hoje, com quase três anos de estrada, o estilo “Me liga music” vai se consolidando e conquistando públicos inimagináveis no começo do projeto.

“Nós nascemos em um meio mais alternativo. Já vínhamos de outros projetos musicais, todos éramos de bandas de rock autoral. Em agosto de 2015, nossos amigos que são donos do projeto ‘Quartinho’ falaram que queriam uma banda para tocar no evento que eles estavam organizando. O plano seria tocar em quatro festas com temas diferentes”, conta Marcelo Góis, um dos vocalistas.

O estilo foi ganhando força no mercado regional, com a mistura de rock, forró, axé, pagode, reggae e outras vertentes musicais. O estilo “Me liga music” surgiu. “É sempre meio difícil de definir o que somos, mas de um tempo pra cá, falamos que nosso estilo é esse. Tocamos aquela música que contagia e que faz você querer dividir aquele momento com alguém”, relata o músico.

Com a popularização da banda, o grupo passou a ser convidado para tocar em outros eventos. Em 2016, surge um novo projeto. “No final de janeiro, entramos em contato com o pessoal do Mambembe para fazermos uma festa nossa. A ‘Requebrassim’ já nasceu com uma pegada mais carnavalesca”. Hoje a festa acontece a cada dois meses, no Ritmo Urbano.

Marcelo Góis (voz), Pedro “BigBigLove” Fialho (voz), Pedro Farias (baixo), Erich Soares (guitarra), Yuri Lobato (guitarra) e Lucas Ramalho (Bateria) sonham em alçar voos ainda mais altos. Boa parte do grupo precisa conciliar a vida de músico com outras funções.

“O Pedro (vocalista) é o único que se dedica a carreira de músico em tempo integral. Eu sou psicólogo e diretor da UPA da Jurema. Erich está fazendo mestrado em Ciências Sociais, já o Yuri trabalha em um setor de comunicação do Governo do Estado. Lucas trabalha no marketing do São Luiz e Pedro (baixista) é psicólogo e professor de yoga”, conta.

Apesar da correria do dia a dia, Marcelo destaca que o grupo se esforça para manter uma rotina de ensaios. “Ensaiamos pelo menos uma vez na semana, quando possível até duas. Para nós, esse momento é muito importante”, sinaliza.

 

No início de 2017, a Superbanda viveu um dos momentos mais importantes do grupo. “No começo do ano, a gente já tava conseguindo um certo reconhecimento, então surgiu um convite do RioMar para tocarmos no Pré-Carnaval. A energia do público foi algo incrível, subimos no palco com 700 seguidores no Instagram, quando terminou o show já tínhamos mil”, revela.

Com o passar das semanas, o número de seguidores foi crescendo proporcionalmente ao número de shows. “Começamos a tocar no RioMar, no Colosso e tocamos também no Café La Music. A gente nem imaginava que poderia atingir esse público”, conta Marcelo. Em janeiro de 2018, o grupo contou com uma média de quatro apresentações por fim de semana.

Questionado sobre o futuro, Marcelo conta que sonha em levar a pluralidade da Superbanda para outros lugares do país. “Queremos muito levar o nosso show para outros estados, seja no Nordeste ou fora dele. Queremos manter a qualidade do nosso repertório e crescer ainda mais nossa harmonia com o público, levando nossa proposta cada vez mais longe”.

Serviço:

Superbanda
Facebook | Instagram