Empreendedores apostam em comida saudável e comemoram sucesso nos negócios

NEGÓCIO RENTÁVEL

Empreendedores apostam em comida saudável e comemoram sucesso nos negócios

A busca por uma vida saudável ou “fit” levou empreendedores a investir em refeições ou doces para um público exigente. O resultado deu certo!

Por Daniel Rocha em Bem-Estar

20 de dezembro de 2017 às 07:00

Há 4 meses

Em poucos meses, a FitLife conseguiu arrecadar uma renda suficiente para arcar suas despesas (FOTO: Reprodução/Instagram)

Da busca por uma vida saudável e alternativas alimentares, nasceu um negócio rentável. Foi assim que pequenos empresários estão se destacando com seus bolos, brownies, salgados entre outros alimentos adequados para pessoas “fit”. Ao contrário de outros segmentos, esse mercado tem ido contra a crise, com crescimento de mais de 100%.

O negócio do casal Higor Moreira e Stefanie Ferreira é um exemplo. Os dois decidiram abrir uma cozinha saudável depois de ter adotado uma vida “fit”. E deu certo. Ao completar um ano de funcionamento, a Haltere-se Cozinha Saudável apresentou um crescimento de 360%. A ideia de montar a própria empresa surgiu quando a biotecnóloga Stefanie Ferreira resolveu fazer ovos de páscoa de colher.

“Eu sempre gostei de cozinhar. Quando chegou a Páscoa, decidi fazer ovos de colher com ingredientes mais saudáveis para a gente. Postamos no nosso Instagram e várias pessoas comentaram, perguntando se a gente fazia para vender”, explicou Stefanie Ferreira.

De tanto insistirem, aceitaram a proposta dos amigos. Fizeram ovos de colher com cobertura de Whey Protein, leite desnatado e chocolate amargo com 60% de cacau. Cada produto custava R$ 25 a R$ 60. Por fim, conseguiram faturar cerca de R$ 2 mil. “Foi aí que tudo começou. Pensamos na logo, no que iríamos fazer entre outras coisas”, diz Stefanie.

Com a experiência dos ovos de Páscoa, juntos pensaram em fornecer refeições saudáveis, tortas, salgados e doces adequadas para intolerantes e para os que buscam uma vida “fit”. Atualmente, a Haltere-se Cozinha Saudável atende toda Fortaleza, fornecendo refeições diárias conforme a necessidade de cada cliente. “Começou a aparecer todo tipo de cliente com diversas intolerâncias. Até que surgiram os alérgicos ao glúten que apresentam graus diferentes de alergia”, conta Higor.

Atualmente, a Cozinha atende cerca de 300 clientes por mês. Segundo o casal, a necessidade de locais que forneçam alimentos saudáveis é grande. Há determinadas épocas do ano em que Higor e Stefanie atendem pessoas de outros estados que estão a trabalho em Fortaleza, mas que não desejam perder o foco.“Tem gente do Rio de Janeiro e vou passar uma semana em Fortaleza. Vi o Instagram de vocês e não quero deixar a minha dieta”, contou.

A história dos proprietários da Haltere-se Cozinha Saudável é similar ao da Fit Life que surgiu no último mês de maio. O professor universitário de Educação Física Davi Rocha e a triatleta Aline Titara perceberam que há um público com grande potencial de consumo em produtos menos calóricos e saudáveis. Desde a inauguração até o mês de setembro deste ano, o casal aumentou o seu faturamento em 400%.

Stefanie e Higor oferece refeições personalizada para quem é alérgico ou deseja ter uma alimentação saudável (FOTO: Daniel Rocha)

A Fit Life surgiu por uma necessidade de Aline de reeducar sua alimentação por conta do triatlon no início deste ano. Sua nutricionista recomendou que ela se organizasse e buscasse preparar suas refeições.

“Eu não sabia cozinhar nada e tudo que fazia dava errado. Mas, quando eu compreendi a importância dessa necessidade e pus em prática, comecei a me encantar pela cozinha”, declarou.

Segundo Davi, o que atrapalhava a dieta do casal eram os doces, principalmente para Aline, que necessitava de um hábito alimentar mais rigoroso por conta de suas práticas esportivas. Por esse motivo que a triatleta começou a explorar possibilidades de criar doces saudáveis. Surgiu o carro-chefe do negócio: o brownie funcional. “Conseguimos atingir uma textura de um brownie que você come e não percebe que possui ingredientes fits”, explica.

Todos os testes e seus respectivos resultados eram compartilhados pelo Instagram e surgiram os pedidos de encomendas. Diante da oportunidade, aceitaram a proposta e deu certo. A princípio, iniciaram com biscoitos e cookies. Hoje, já contam com um cardápio bastante variado.

“Hoje, vendemos brownie, barquinhas de tâmara, que é mais voltado para o lado vegano, trufas lowcarbs, brigadeiro vegano. De salgados, estamos iniciando. Mas já estamos vendendo coxinhas lowcarbs. Por enquanto, o nosso forte mesmo é o doce”,detalhou.

Com menos de um ano de funcionamento, a empresa Fit Life já gera recursos para custear todas as despesas. E a demanda está crescendo. Davi e Aline estão recebendo pedidos de outros estados. Para atender esse público, lançaram um site que oferta todos os produtos.

Tão diferentes e tão próximos

Quem frequenta uma das praças de alimentação do shopping Iguatemi, na cidade de Fortaleza, já deve ter notado a presença de restaurantes saudáveis em meio aos famosos fast-food. No último mês de agosto, por exemplo, foi inaugurado a rede de restaurantes Orgânico de Alimentos Saudáveis ao lado de uma loja do McDonald’s.

A rede de restaurantes Orgânicos Alimentos Saudáveis chegou em Fortaleza no último mês de agosto e já tem dois restaurantes e um mercado na cidade (FOTO: Divulgação)

De acordo com um dos sócios da empresa que tem sede em Salvador (BA), Fábio Murta, a ideia de abrir em Fortaleza uma loja surgiu a partir de convites feitas por dois shoppings da cidade.

Ao inaugurar a primeira unidade, Murta ressalta que, a princípio, a empresa esperava faturar R$ 1,1 milhão durante um período de pelo menos dois anos. Mas, a expectativa mudou. “Pelo ritmo que estamos vendo, vamos conseguir atingir esse valor em seis meses”, diz otimista.

Diferente das outras lojas da praça de alimentação, o Orgânico dá ao cliente a oportunidade de consumir refeições saudáveis. Algo que não era possível cinco anos atrás.

Entretanto, devido a problemas de fornecimento, a loja de Fábio ainda não dispõe de produtos orgânicos. “Eu não ofereço 100% orgânicos porque não há fornecedor em Fortaleza porque, para oferecer alimentos orgânicos, é necessário ser credenciado e certificado. O custo para isso é muito elevado”, explica a dificuldade.

Em poucos meses, Fábio tem percebido que há um público forte na capital cearense. Segundo ele, os clientes chegam e elogiam a proposta do Orgânico. “As pessoas sentem falta de chegar ao shopping e poder comer algo mais leve”, aponta.

A recepção foi tão positiva que, neste mês de dezembro, Fábio já conta com dois restaurantes, um no shopping Iguatemi e outro no RioMar Fortaleza, e uma loja destinada para a venda de produtos saudáveis: Mercado Orgânico.

Publicidade

Dê sua opinião

NEGÓCIO RENTÁVEL

Empreendedores apostam em comida saudável e comemoram sucesso nos negócios

A busca por uma vida saudável ou “fit” levou empreendedores a investir em refeições ou doces para um público exigente. O resultado deu certo!

Por Daniel Rocha em Bem-Estar

20 de dezembro de 2017 às 07:00

Há 4 meses

Em poucos meses, a FitLife conseguiu arrecadar uma renda suficiente para arcar suas despesas (FOTO: Reprodução/Instagram)

Da busca por uma vida saudável e alternativas alimentares, nasceu um negócio rentável. Foi assim que pequenos empresários estão se destacando com seus bolos, brownies, salgados entre outros alimentos adequados para pessoas “fit”. Ao contrário de outros segmentos, esse mercado tem ido contra a crise, com crescimento de mais de 100%.

O negócio do casal Higor Moreira e Stefanie Ferreira é um exemplo. Os dois decidiram abrir uma cozinha saudável depois de ter adotado uma vida “fit”. E deu certo. Ao completar um ano de funcionamento, a Haltere-se Cozinha Saudável apresentou um crescimento de 360%. A ideia de montar a própria empresa surgiu quando a biotecnóloga Stefanie Ferreira resolveu fazer ovos de páscoa de colher.

“Eu sempre gostei de cozinhar. Quando chegou a Páscoa, decidi fazer ovos de colher com ingredientes mais saudáveis para a gente. Postamos no nosso Instagram e várias pessoas comentaram, perguntando se a gente fazia para vender”, explicou Stefanie Ferreira.

De tanto insistirem, aceitaram a proposta dos amigos. Fizeram ovos de colher com cobertura de Whey Protein, leite desnatado e chocolate amargo com 60% de cacau. Cada produto custava R$ 25 a R$ 60. Por fim, conseguiram faturar cerca de R$ 2 mil. “Foi aí que tudo começou. Pensamos na logo, no que iríamos fazer entre outras coisas”, diz Stefanie.

Com a experiência dos ovos de Páscoa, juntos pensaram em fornecer refeições saudáveis, tortas, salgados e doces adequadas para intolerantes e para os que buscam uma vida “fit”. Atualmente, a Haltere-se Cozinha Saudável atende toda Fortaleza, fornecendo refeições diárias conforme a necessidade de cada cliente. “Começou a aparecer todo tipo de cliente com diversas intolerâncias. Até que surgiram os alérgicos ao glúten que apresentam graus diferentes de alergia”, conta Higor.

Atualmente, a Cozinha atende cerca de 300 clientes por mês. Segundo o casal, a necessidade de locais que forneçam alimentos saudáveis é grande. Há determinadas épocas do ano em que Higor e Stefanie atendem pessoas de outros estados que estão a trabalho em Fortaleza, mas que não desejam perder o foco.“Tem gente do Rio de Janeiro e vou passar uma semana em Fortaleza. Vi o Instagram de vocês e não quero deixar a minha dieta”, contou.

A história dos proprietários da Haltere-se Cozinha Saudável é similar ao da Fit Life que surgiu no último mês de maio. O professor universitário de Educação Física Davi Rocha e a triatleta Aline Titara perceberam que há um público com grande potencial de consumo em produtos menos calóricos e saudáveis. Desde a inauguração até o mês de setembro deste ano, o casal aumentou o seu faturamento em 400%.

Stefanie e Higor oferece refeições personalizada para quem é alérgico ou deseja ter uma alimentação saudável (FOTO: Daniel Rocha)

A Fit Life surgiu por uma necessidade de Aline de reeducar sua alimentação por conta do triatlon no início deste ano. Sua nutricionista recomendou que ela se organizasse e buscasse preparar suas refeições.

“Eu não sabia cozinhar nada e tudo que fazia dava errado. Mas, quando eu compreendi a importância dessa necessidade e pus em prática, comecei a me encantar pela cozinha”, declarou.

Segundo Davi, o que atrapalhava a dieta do casal eram os doces, principalmente para Aline, que necessitava de um hábito alimentar mais rigoroso por conta de suas práticas esportivas. Por esse motivo que a triatleta começou a explorar possibilidades de criar doces saudáveis. Surgiu o carro-chefe do negócio: o brownie funcional. “Conseguimos atingir uma textura de um brownie que você come e não percebe que possui ingredientes fits”, explica.

Todos os testes e seus respectivos resultados eram compartilhados pelo Instagram e surgiram os pedidos de encomendas. Diante da oportunidade, aceitaram a proposta e deu certo. A princípio, iniciaram com biscoitos e cookies. Hoje, já contam com um cardápio bastante variado.

“Hoje, vendemos brownie, barquinhas de tâmara, que é mais voltado para o lado vegano, trufas lowcarbs, brigadeiro vegano. De salgados, estamos iniciando. Mas já estamos vendendo coxinhas lowcarbs. Por enquanto, o nosso forte mesmo é o doce”,detalhou.

Com menos de um ano de funcionamento, a empresa Fit Life já gera recursos para custear todas as despesas. E a demanda está crescendo. Davi e Aline estão recebendo pedidos de outros estados. Para atender esse público, lançaram um site que oferta todos os produtos.

Tão diferentes e tão próximos

Quem frequenta uma das praças de alimentação do shopping Iguatemi, na cidade de Fortaleza, já deve ter notado a presença de restaurantes saudáveis em meio aos famosos fast-food. No último mês de agosto, por exemplo, foi inaugurado a rede de restaurantes Orgânico de Alimentos Saudáveis ao lado de uma loja do McDonald’s.

A rede de restaurantes Orgânicos Alimentos Saudáveis chegou em Fortaleza no último mês de agosto e já tem dois restaurantes e um mercado na cidade (FOTO: Divulgação)

De acordo com um dos sócios da empresa que tem sede em Salvador (BA), Fábio Murta, a ideia de abrir em Fortaleza uma loja surgiu a partir de convites feitas por dois shoppings da cidade.

Ao inaugurar a primeira unidade, Murta ressalta que, a princípio, a empresa esperava faturar R$ 1,1 milhão durante um período de pelo menos dois anos. Mas, a expectativa mudou. “Pelo ritmo que estamos vendo, vamos conseguir atingir esse valor em seis meses”, diz otimista.

Diferente das outras lojas da praça de alimentação, o Orgânico dá ao cliente a oportunidade de consumir refeições saudáveis. Algo que não era possível cinco anos atrás.

Entretanto, devido a problemas de fornecimento, a loja de Fábio ainda não dispõe de produtos orgânicos. “Eu não ofereço 100% orgânicos porque não há fornecedor em Fortaleza porque, para oferecer alimentos orgânicos, é necessário ser credenciado e certificado. O custo para isso é muito elevado”, explica a dificuldade.

Em poucos meses, Fábio tem percebido que há um público forte na capital cearense. Segundo ele, os clientes chegam e elogiam a proposta do Orgânico. “As pessoas sentem falta de chegar ao shopping e poder comer algo mais leve”, aponta.

A recepção foi tão positiva que, neste mês de dezembro, Fábio já conta com dois restaurantes, um no shopping Iguatemi e outro no RioMar Fortaleza, e uma loja destinada para a venda de produtos saudáveis: Mercado Orgânico.