Wesley Batista Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

Wesley Batista

Abre o olho Arialdo, fica ligado Balhmann

Por Wanfil em Corrupção, Sem categoria

24 de Maio de 2017

Arialdo e Balhmann: únicos responsáveis por arrecadar junto a JBS, segundo Cid

O escritor Mário Quintana dizia que “as reticências são os três primeiros passos do pensamento que continua por conta própria”.

Na coletiva em que buscou rebater a delação de Wesley Batista, o ex-governador Cid Gomes falou sobre o dinheiro recebido da JBS para a campanha de 2014, enfatizando os nomes dos atuais secretários estaduais do Turismo, Arialdo pinho, e de Assuntos Internacionais, Antonio Balhmann. Ênfase carregada de reticências nas entrelinhas.

Confira esses três momentos (grifos meus):

1 – Os responsáveis

“Realmente o Balhmann e o Arialdo, licenciado do cargo, e mais algumas outras pessoas, cumpriram a tarefa de buscar financiamento para a campanha, coisa que é legal.”

2 – Cid não autorizou

“Em nenhum momento, em tempo algum, em nenhuma campanha, eu sugeri, eu permiti que alguém fizesse vínculo de doações para campanha a qualquer tipo de benefício por parte do estado. Quero afirmar isso categoricamente: nem eu, nem ninguém com minha autorização ou conhecimento, e com a minha recomendação explícita, de que não vinculasse, não fizesse qualquer tipo de vinculação a qualquer doação que possa ter sido feita em alguma campanha.”

3 – Wesley não fala de Cid

“Repito, se for ler o depoimento, ele [Wesley] não fala de mim não, depois ele fala, atribui ao Balhmann e ao Arialdo, que não são ocupantes de cargos públicos, o Balhmann deputado, isso não é impedimento, o Arialdo licenciado da secretaria, cumpriam uma missão, legal, de procurar financiamento legítimo para uma campanha eleitoral.”

Resumindo: Cid nega; Cid não tinha responsabilidade pelos pedidos de doações; Cid acredita que seus aliados agiram corretamente; Cid não autorizou ninguém a vender facilidades no governo para conseguir dinheiro. Por essa versão, a JBS doou nada menos que R$ 20 milhões para seu candidato em 2014 em troca de nada, apenas atendendo aos pedidos de inocentes arrecadadores.

Para bom entendedor, meia palavra basta. As reticências na fala de Cid deixam o caminho aberto para responsabilizar apenas seus emissários, caso as coisas se compliquem. Abre o olho Arialdo, fica ligado Balhmann.

Publicidade

Delação JBS 4 – A coletiva de Cid

Por Wanfil em Corrupção

22 de Maio de 2017

O ex-governador Cid Gomes (PDT) concedeu entrevista nesta segunda-feira, na Assembleia Legislativa, para rebater a delação de Wesley batista, dono da JBS. O empresário relatou a suposta liberação de R$110 milhões de créditos de ICMS em troca do repasse de R$ 20 milhões para a campanha de Camilo Santana (PT).

Cid admitiu os encontros com os irmãos Joesley e Wesley Batista, o pagamento dos créditos para a empresa e as doações para a campanha, mas repudiou com indignação qualquer relação entre esses fatos. Os Batista afirmam que a doação foi propina para a liberação dos créditos.  Na coletiva, o ex-governador estava acompanhado dos aliados de sempre, que também receberam doações da JBS, a garantir a idoneidade do líder.

Voltando ao que interessa, se é assim, por que então os delatores inventariam tudo isso? Segundo Cid, para ter material com que negociar acordos com os investigadores. É estranho, pois a JBS já acusou nomes bem maiores, como o presidente Michel Temer (PMDB), o senador Aécio Neves e os ex-presidentes Lula e Dilma, do PT, entre outros mais. Nomes que bastariam para garantir a delação premiada.

Assim como Cid, todos os outros negam as acusações (mais ou menos nos mesmos termos) e se dizem vítimas de conspiração. Somente as investigações poderão dizer quem realmente é culpado ou inocente nessa história. Como ninguém pode negar o relacionamento e as doações milionárias que receberam, até lá, todos são suspeitos, não importam o que digam agora. Os justos, caso existam, pagam pelos pecadores.

leia tudo sobre

Publicidade

Delação JBS 3 – As informações de Camilo

Por Wanfil em Corrupção

22 de Maio de 2017

A respeito das delações premiadas feitas pelos donos e executivos da J&F Investimentos, dona do frigorífico JBS, que relatam supostas doações ilegais para as eleições no Ceará em 2014, o governador Camilo Santana disse:

“Sobre as doações realizadas na campanha eleitoral, as informações que tenho são de que foram feitas de forma absolutamente correta e dentro da lei”.

Ou seja, na prática Camilo informa que não cuidava diretamente da captação dos recursos para a campanha, afinal, tudo o que sabe é por informações que recebeu. Talvez quem tenha repassado essas informações possa colaborar para esclarecer eventuais dúvidas.

Leia mais sobre as delações da JBS nos links abaixo:
Delação JBS 2 – Nota de Eunício nega acusação. De novo…
Delação JBS 1 – Nota de Cid Não responde ao que realmente interessa
Na mesma delação em que acusa Temer, JBS diz que propina abasteceu projeto de Cid no Ceará
JBS está entre os maiores doadores de campanha também no Ceará

Publicidade

Delação JBS 3 – As informações de Camilo

Por Wanfil em Corrupção

22 de Maio de 2017

A respeito das delações premiadas feitas pelos donos e executivos da J&F Investimentos, dona do frigorífico JBS, que relatam supostas doações ilegais para as eleições no Ceará em 2014, o governador Camilo Santana disse:

“Sobre as doações realizadas na campanha eleitoral, as informações que tenho são de que foram feitas de forma absolutamente correta e dentro da lei”.

Ou seja, na prática Camilo informa que não cuidava diretamente da captação dos recursos para a campanha, afinal, tudo o que sabe é por informações que recebeu. Talvez quem tenha repassado essas informações possa colaborar para esclarecer eventuais dúvidas.

Leia mais sobre as delações da JBS nos links abaixo:
Delação JBS 2 – Nota de Eunício nega acusação. De novo…
Delação JBS 1 – Nota de Cid Não responde ao que realmente interessa
Na mesma delação em que acusa Temer, JBS diz que propina abasteceu projeto de Cid no Ceará
JBS está entre os maiores doadores de campanha também no Ceará