refinaria Archives - Página 2 de 3 - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

refinaria

Confira quais deputados do Ceará pediram a CPI da Petrobras (e os que não pediram)

Por Wanfil em Política

09 de Fevereiro de 2015

O deputado federal cearense Tiririca, (PR-SP) apoiou a CPI, ao contrário da maior parte da bancada do Ceará. Quem é o abestado?

O deputado federal Tiririca, cearense eleito por São Paulo, apoiou a CPI da Petrobras, ao contrário da maior parte da bancada do Ceará. Quem é o abestado?

A Câmara dos Deputados do Congresso Nacional aprovou na semana passada a criação da CPI da Petrobras, com 182 assinaturas, nove a mais do que o mínimo necessário.

Da bancada federal do Ceará, composta por 22 parlamentares, apenas seis assinaram o requerimento que pedia a investigação.

Seguem abaixo, em ordem alfabética, os nomes dos representantes cearenses que se posicionaram a favor da CPI. Em seguida, estão os que oficialmente não se manifestaram a respeito do caso.

A FAVOR DA CPI
1. André Figueiredo – PDT
2. Danilo Forte – PMDB
3. Genecias Noronha – SD
4. Moses Rodrigues – PPS
5. Raimundo Gomes de Matos – PSDB
6. Moroni Torgan – DEM

A assinatura do deputado federal Vítor Valim, do PMDB, consta na lista, mas não foi reconhecida pela Mesa Diretora da Câmara.

NÃO PEDIRAM CPI
1. Adail Carneiro – PHS
2. Aníbal Gomes – PMDB
3. Antonio Balhmann – PROS
4. Arnon Bezerra – PTB
5. Cabo Sabino – PR
6. Chico Lopes – PCdoB
7. Domingos Neto – PROS
8. Gorete Pereira – PR
9. José Airton Cirilo – PT
10. José Guimarães – PT
11. Leônidas Cristino – PROS
12. Luizianne Lins – PT
13. José Maria Macedo – PSL
14. Odorico Monteiro – PT
15. Ronaldo Martins – PRB

Omissão ou conivência
A maioria dos parlamentares da bancada federal do Ceará na Câmara não quer a CPI, não obstante as graves denúncias e revelações diárias sobre um colossal esquema de corrupção na estatal. Quaisquer que sejam os motivos que venham a alegar, tenham agido por omissão ou conivência, não importa, o fato é que o grupo baixou a cabeça em favor dos corruptos que acabaram por inviabilizar a refinaria prometida aos cearenses.

Por isso, quando você ler, ouvir ou assistir por aí que a bancada federal do Ceará está disposta a reagir e a cobrar satisfações pelo golpe da refinaria, saiba que, com exceção dos seis deputados que assinaram a CPI, a conversa não passa de demagogia.

Confira a seguir a lista completa que consta no requerimento aprovado.

Lista de deputados da CPI da Petrobras

Publicidade

Anderson Silva e o doping eleitoral no Ceará

Por Wanfil em Ceará

05 de Fevereiro de 2015

Flagrada no exame de antidoping eleitoral, a promessa de refinaria para o Ceará derreteu e todos agora fingem estar surpresos.

Flagrada no exame de antidoping eleitoral, a promessa da Refinaria Premium II derreteu. Todos agora fingem estar surpresos com a fraude.

Anderson Silva foi pego no antidoping. Os organizadores da sua luta mais recente já sabiam pelo menos desde o início de janeiro que Silva não passaria no exame e mesmo assim mantiveram o evento. Poderiam ter evitado a farsa, mas isso significaria abrir mão de contratos de transmissão e da venda de ingressos. Agora todos fingem estar surpresos.

O Ceará não terá uma refinaria da Petrobras. Os governistas já sabiam pelo menos desde o início do ano passado (com a operação Lava Jato) que a Petrobras não tinha mais condições econômicas e morais para o empreendimento e mesmo assim mantiveram o discurso eleitoral. Poderiam ter evitado a farsa, mas isso significaria por em risco a eleição. Agora todos fingem estar surpresos.

Atenuantes e agravantes
Em defesa de Anderson Silva diga-se que não há, até onde sei, precedentes. Já no caso da refinaria, essa foi a quarta eleição em que ela foi usada como propaganda, sem que nunca um tijolo tivesse sido assentado. O torcedor de Silva pode ficar decepcionado com o ídolo, já os eleitores governistas no Ceará só podem ficar decepcionados consigo mesmos.

Anabolizante eleitoral
Como é um astro do “esporte”, muitos trabalham para fazer de Anderson Silva uma vítima do acaso: especialistas, médicos e analistas esportivos são chamados para atestar que coisas assim podem acontecer “sem querer”, que “os testes não são confiáveis” e por aí vai.

No caso da refinaria, está em curso uma operação para inocentar os políticos envolvidos no estelionato eleitoral. Seus cúmplices saem anunciando que a Petrobras age por conta própria, sem prestar contas a ninguém, insinuando que Lula e Dilma, assim como Cid e Camilo, foram enganados, coitados. De restos que a única culpada seria a empresa, essa sim é vítima de políticos!  A Petrobras teria, por esse entendimento, tirado proveito da ingenuidade de dois presidentes da  República e de dois governadores do Ceará.

O fato é que Silva não pode lutar sob efeito de anabolizantes. E como profissional, deveria que observar com rigor sua dieta, caso o contato com a substância não tenha decorrido de dolo. A Petrobras não veio ao Ceará pedir votos, prometendo em troca uma refinaria. Quem fez isso foram Lula, Dilma, Cid, Camilo e seus aliados, que usaram a promessa como anabolizante eleitoral e que agora deveriam pedir desculpas públicas à população.

Publicidade

Golpe da refinaria: enquanto políticos enrolam, o MP age

Por Wanfil em Ceará

03 de Fevereiro de 2015

Base aliada no Ceará espera pela refinaria prometida por Lula e Dilma.

Base aliada no Ceará espera sentada pela refinaria prometida por Lula e Dilma.

O Ministério Público do Ceará enviou ofício à secretaria estadual da Infraestrutura, para saber se existe um contrato entre o Estado e a Petrobras para a construção da refinaria prometida por Lula e Dilma em campanhas eleitorais.

Se contrato houver, foi unilateralmente rompido pela estatal. Nesse caso o MP acionaria a Justiça para cobrar o ressarcimento dos 650 milhões de reais investidos em obras de para receber o empreendimento que não virá. Agora, se não existir contrato entre as partes,  aí a coisa muda de figura, pois seria, segundo o MP, caso de improbidade administrativa do governo estadual, que gastou por conta sem exigir garantias.

Olha aí a diferença entre dizer que está indignado e tomar providências concretas. Políticos da base aliada no Ceará falam em indignação, em mobilização, em fazer cobranças, essas coisas. Falam com altivez dentro de casa, longe da presidente, mas não tomam atitudes que correspondam a disposição de reagir. E palavras desprovidas de ações geram desconfiança. O MP fez o que deveriam ter feito as bancadas federal, estadual e o governo do Estado: buscar, no mínimo, reparação judicial.

Se nada fazem além de murmurar e choramingar, das duas uma: ou o contrato não existe mesmo – e aí a responsabilidade pelo prejuízo é de quem autorizou a despesa –, ou os aliados de Dilma colocam os interesses do governo federal e de seus partidos acima dos interesses do Ceará e seu povo. A essa altura, ninguém duvida de mais nada.

Publicidade

Golpe da refinaria gera reação pífia dos representantes do Ceará. Que papelão!

Por Wanfil em Política

30 de Janeiro de 2015

A repercussão no Ceará ao golpe eleitoreiro aplicado por Lula e Dilma, que se valeram da Petrobras para ludibriar os incautos, infelizmente foi decepcionante.

O governo do Estado divulgou nota informando que o governador Camilo Santana, que também é do PT, ficou surpreso e indignado com a decisão – atentem para o alvo – da Petrobras. Vale lembrar que os cearenses não votaram para eleger presidentes da Petrobras, mas para eleger quem os nomeasses, devidamente informados do compromisso assumido por Lula e Dilma, supostamente com base em informações técnicas. Deu no que deu. A dupla obteve votações recordes e a refinaria não veio. Nem virá, diga-se. Mais adiante explico melhor os motivos (e seus números).

Na mesma linha, o deputado Zezinho Albuquerque, do partido de aluguel Pros, presidente da Assembleia Legislativa, muito polidamente classificou a farsa de “descortesia”. Será que Graça Foster não sabe que o parlamento cearense promoveu um concurso de redação para estudantes sobre a importância do empreendimento? Parece que não.

Pois bem, com a má repercussão do calote (sim, pois promessa é dívida), as autoridades locais ficam politicamente fragilizadas, afinal, a parceria com o governo federal era alardeada como condição fundamental para o desenvolvimento do Ceará, ressaltando sempre que a refinaria dobraria o PIB do Estado. Desse modo, Camilo e Zezinho anunciaram a reação.

Ficamos sabendo, ainda pela nota, que o governador ligou o chefe da Casa Civil da Presidência da República, o petista Aloízio Mercadante, para pedir uma audiência com Dilma. Na hora de pedir voto, ela soube vir aqui sem a necessidade de intermediários, mas na hora de dar explicações, tem que marcar hora com o secretário da chefe. Quem sabe ela faça o favor de receber Camilo, não é? Já Zezinho avisou que continuará cobrando a refinaria, como se isso fizesse alguma diferença para o Palácio do Planalto. A falta de senso aí beira a uma psicopatia. Parece delírio esquizofrênico.

Essas lamúrias, beicinhos e queixumes não têm efeito prático algum nesse caso, porque não dão nome aos bois, nem indicam atitudes concretas. Além do mais, o silêncio do agora ministro Cid Gomes, principal avalista da promessa não cumprida e líder de Camilo e Zezinho, é sinal de que o remédio para a base é mesmo se conformar e pronto. Sabe como é: aliados bem comportados não devem constranger Dilma e Lula. Portanto, qualquer aceno de que datas podem ser revistas mais adiante para a retomada da refinaria não passará de mentira grande. Volto agora à explicação sobre os motivos pelos quais a refinaria não virá pelas mãos dessa turma: o balanço não auditado da Petrobras, divulgado com dois meses de atraso, mostra que a dívida bruta da estatal em 2014 é de 331,704 bilhões de reais, um aumento de 157% em relação a 2011. Assim, Petrobras tem a maior dívida corporativa do mundo.

De resto, o momento de cobrar a refinaria já passou: era antes da eleição. Agora não adianta chorar o petróleo que não vem. A saída seria falar a verdade, que a refinaria não vem porque nas gestões Dilma e Lula a ineficiência e a corrupção descapitalizaram a Petrobras, em benefício da patota governista e de algumas empreiteiras. Mas isso a maior parte das nossas autoridades não pode falar, por motivos óbvios. Isso não impediria, no entanto, que a bancada cearenses, sob o comando do Palácio da Abolição, mostrassem disposição para romper com o governo nas votações de interesse do governo federal. Se aliados, são tratados assim, quem lhes pode cobrar obediência? Vale lembrar que o Ceará, um Estado pobre, gastou 657 milhões de reais por causa da refinaria de mentira. Portanto, motivos para brigar não faltam, o que falta é independência, coragem e indignação de verdade.

PS. Já que a Assembleia Legislativa se empenhou tanto em lutar pela refinaria, embora nada pudesse fazer, talvez possa pelo menos tornar “personas non gratas” no Ceará os senhores Sérgio Gabriele e Lula, e as senhoras Graça Foster e Dilma Rousseff. Hummm… Deixa pra lá né?

Publicidade

Agora é oficial: refinaria no Ceará não passou de tapeação

Por Wanfil em Ceará

28 de Janeiro de 2015

A Petrobras desistiu de construir uma refinaria no Ceará. A decisão foi anunciada junto com o balanço da companhia, enrolada em problemas financeiros, criminais e políticos.

Agora é oficial: os cearenses foram tapeados. Pelo menos, a maioria dos cearenses, especialmente os aliados de espírito subalterno, alegres animadores de discursos da presidente Dilma e do ex-presidente Lula, principais beneficiários da promessa não cumprida. Além de aplausos da claque, ambos obtiveram votações recordes no Estado, anunciando um futuro que nunca chegou.

Na verdade, para os mais desconfiados, ou prudentes, a refinaria nunca chegou nem perto de se materializar, pois o início da obra sempre foi adiado, ano após ano, com a adição de novas exigências, todas atendidas sem maiores questionamentos, embora custassem tempo e dinheiro. O governo do Ceará gastou R$ 657 milhões do nosso dinheiro em obras de infraestrutura que agora ficarão a contemplar o vazio. Não foram poucas as vezes que denunciei aqui e na rádio Tribuna Band News FM (101.7) os factoides criados para dar a impressão de que as coisas estavam acontecendo, quando na saia do lugar.

Agora é oficial: os aliados de Dilma e Lula no Ceará não têm prestígio algum. Tudo atrasa emperrado pela combinação de corrupção, burocracia e falta de pressão política. (“Este é o país do descontínuo, onde nada congemina”, lamenta o poeta Affonso Romano). Para dar a impressão de que tinham algum peso, encamparam ainda, via Assembleia Legislativa, uma campanha “cobrando” a refinaria. O resultado é esse que vemos anunciado.

Agora é oficial: no lugar de uma refinaria de US$ 11 bilhões – “uma das maiores do mundo”, com 90 mil empregos e produção de “300 mil barris por dia”, teremos mesmo é aumento no preço dos combustíveis para cobrir o rombo do “Petrolão”.

Aos sócios locais da falsa promessa, restam duas opções, se não quiserem oficializar a conivência com o embuste: ou pedem desculpas ao povo pela má liderança ou denunciam a presidente e seu partido, o PT, por mais um estelionato eleitoral. Não souberam se vangloriar da obra que não virá? Pois então. Silêncios  ou conversinhas esfarrapadas serão apenas atestados de culpa.

Publicidade

Camilo quer apoio de Dilma para a refinaria. Só lembrando: não é favor, é dívida de campanha

Por Wanfil em Política

04 de novembro de 2014

Sobre o encontro entre o governador eleito do Ceará, Camilo Santana, com a presidente Dilma Rousseff, assessoria de comunicação do ex-candidato informa que ele “reforçou o pedido pela instalação da Refinaria [da Petrobras] no Estado”. Em seguida, conforme o release, Camilo falou sobre o empreendimento:

“O governador Cid Gomes já deixou todas as bases prontas para a instalação da Refinaria no Ceará. Com o apoio da presidenta Dilma, vou trabalhar para que o empreendimento se torne realidade e ajude a desenvolver ainda mais o Estado.”

É compreensível o cuidado do novo governador ao abordar a presidente. Mas aqui vai o alerta amigo do Wanfil: polidez demais não deu resultado nos últimos 12 anos. Aliás, quanto mais votos, mais palmas, mais salamaleques e bajulação, mais descaso em troca. O futuro ex-senador Inácio Arruda (PCdoB) não me deixa mentir. Durante todo esse tempo criaram empecilhos e desculpas, fizeram chacota (Sérgio Gabrielli, então presidente da Petrobras, comparou o projeto com uma gravidez para brincar com a “pressa” dos cearenses), transferiram responsabilidades (a culpa seria os entraves burocráticos ambientais no Estado para a liberação do terreno).

É claro que Camilo ainda não assumiu o governo e que tratar do assunto já nesse primeiro encontro é uma forma de lembrar pessoalmente o que foi prometido. Faz muito bem. Ocorre que, sem querer parecer muito pessimista, se a obra não veio no tempo das vacas gordas, agora é que vai ser difícil, com a Petrobras enrolada em problemas financeiros e escândalos de corrupção. Até o momento, ninguém veio a público desmentir a notícia da Reuters sobre o adiamento, mais um!, da obra.

De qualquer modo, é importante mostrar que o Ceará não espera um favor, uma caridade, mas a contrapartida de uma promessa que, se não for cumprida dessa vez, ficará lembrado como o maior estelionato eleitoral de nossa História.

Publicidade

Senador Pimentel, a pergunta é: o senhor repassou ou não as perguntas da CPI da Petrobras?

Por Wanfil em Política

05 de agosto de 2014

O mais novo escândalo envolvendo a Petrobras tem entre seus protagonistas o senador José Pimentel (PT-CE). Segundo a revista Veja, o parlamentar teria vazado perguntas que seriam feitas a dirigentes da empresa na CPI que investiga suspeita de irregularidades na compra de uma refinaria nos Estados Unidos e na construção de outra em Pernambuco. Mais especificamente, Pimentel, que é relator da CPI e líder do governo no Senado, teria repassado o material a Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras, o mesmo que enrolou os cearenses por anos como fiador da refinaria no Ceará prometida por Lula e Dilma, obra que nunca saiu do papel.

Nota evasiva
O caso é grave, pois seria sabotagem contra o Congresso e, por conseguinte, contra a própria democracia. Em nota, Pimentel disse que “o relator não se reuniu e nem orientou o depoimento dos investigados” e que protocolou requerimentos para que as denúncias sejam apuradas.

A nota é sóbria, porém, evasiva. O senador nega ter feito aquilo o que não lhe atribuem autoria e nada diz sobre a verdadeira acusação. Ninguém disse que Pimentel orientou os investigados. Isso teria sido feito pela própria Petrobras. A revista diz que Pimentel foi um dos responsáveis por entregar as questões a Gabrielli, que depois as enviou para os investigados, para enfim serem orientados nas respostas. A questão central é: afinal, entregou ou não? Isso a nota não esclarece.

Pouca convicção?
Talvez não haja convicção nesse sentido, se é que vocês me entendem. Certa feita José Genoíno, então presidente nacional do PT, negou ter assinado uns documentos referente a empréstimos, para ser desmascarado logo na edição da semana seguinte, pela mesma revista. Acabou na Papuda.

Pimentel, é bom frisar, é inocente até prova em contrário. Mas como relator, a suspeita pesa sobre seu papel na CPI. E a Petrobras continua seu calvário de ingerências políticas na sua administração. Lamentável.

Publicidade

Notas quase carnavalescas

Por Wanfil em Ceará

28 de Fevereiro de 2014

PIADA DE SALÃO

Delúbio Soares assim profetizou, em 2005: “No futuro, o mensalão vai virar piada de salão”. O que ninguém imaginava era que o salão da piada seria o Supremo Tribunal Federal, palco da manobra jurídica que reduziu as penas de José Dirceu, o próprio Delúbio, José Genoíno e João Paulo Cunha. O porta-bandeira-vermelha no desfile do bloco do jeitinho foi o ministro Luís Roberto Barroso, que chegou para completar a “maioria de circunstância”, expressão utilizada por Joaquim Barbosa para denominar a frente partidária instalada no STF.

CACHAÇA NÃO É ÁGUA

No Ceará, em meio à seca, pegou muito mal a intenção de algumas prefeituras de municípios em situação de emergência, de gastar dinheiro público com festas de Carnaval. Diante da má repercussão e da fiscalização do Tribunal de Contas dos Municípios e do Ministério Público estadual, muitas dessas festas, tradicionais fontes de contratos superfaturados, foram canceladas. Mas outras serão feitas na marra. É que para muitos espertalhões, a gastança com a folia servirá para alimentar, lá adiante, outra festa: a das eleições.

ASA DE ÁGUIA

Um grupo de vereadores da região do Cariri esteve reunido com membros da agremiação unidos da Assembleia Legislativa, para pedir ajuda na reforma de um aeroporto na região. O deputado Zezinho Albuquerque (Pros), presidente da Casa, explicou que apesar de não ter a caneta, irá pleitear junto com o governador Cid Gomes, uma audiência com o ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, responsável, vejam só, pelo atraso nos aeroportos para a Copa. Pode ser que não resolva o problema, mas o desfile está garantido.

ETERNOS CONFETES

A Petrobras, na semana que antecedeu o Carnaval, para a alegria da base aliada no Ceará, anunciou nova data para o início das obras da refinaria prometida por Lula e Dilma. Será em… 2018! Esse é o bloco dos aliados, que só desfila em carnavais de ano eleitoral.

Publicidade

Olha a refinaria do Ceará! Onde? Ali, naquele factoide de ano eleitoral!

Por Wanfil em Ceará

27 de Janeiro de 2014

Há pouco mais de três anos, no final de dezembro de 2010, o ex-presidente Lula veio ao Ceará lançar a pedra fundamental de uma refinaria da Petrobras. Os mais entusiasmados viram no episódio a materialização de um sonho antigo que virou promessa de destaque na campanha nas eleições do próprio Lula e de Dilma Rousseff. Na ocasião, não faltaram pompas e circunstâncias, palanques e aplausos, além das matérias de sempre, dando conta dos bilhões que seriam investidos na construção de uma das maiores siderúrgicas do mundo.

Enquanto esse porvir radiante não chega, nada, nadinha mesmo que se pareça com uma refinaria, aconteceu. Certo mesmo, somente a reedição sistemática da mesma promessa em períodos eleitorais.

Agora… não vai!

Agora o governo do Estado anunciou que a Petrobras deu entrada no pedido de Licença de Instalação para o empreendimento junto à Secretaria do Meio Ambiente. Fica a impressão, portanto, de que agora finalmente a coisa vai, ou como diz o governo estadual, “mais um passo foi dado”. E tome de novo a conversa de que serão tantos bilhões, milhares de empregos, um novo amanhecer…

No mundo real, é o seguinte: o governo federal não consegue nem sequer fazer uma reforma no Aeroporto Pinto Martins. Faltando pouco mais de quatros meses para a Copa do Mundo, o ministro Valmir Lopes, do Tribunal de Contas da União, veio ao Ceará dizer que em virtude disso, os gestores responsáveis poderão ser multados. Ora, esqueceram de avisar ao ministro de que, a essa altura, o próprio TCU está atrasado na fiscalização. Já era! Teremos um puxadinho de lona para receber turistas. Quem multa os aplicadores de multa?

Aliás, aproveitando a deixa, lembro ao distinto TCU que atraso por atraso, existem outros bem mais graves, como a Transposição do Rio São Francisco, que deveria ter sido concluída em 2010 e que ainda está pela metade, custando (ó surpresa!) o dobro da previsão de custos inicial. Mais do que prejuízos financeiros, o problema maior é ver o futuro do Estado comprometido.

Já me comprometi na Tribuna Bandnews, onde tenho uma coluna diária, que toda vez que o governo federal e seus amedrontados parceiros estaduais tentassem emplacar um factoide sobre a refinaria, eu denunciaria a conversa fiada.

Então é o seguinte: se demoraram 12 anos para conseguir uma simples licença ambiental – e dado o perfil de inoperância da gestão Dilma, sobretudo em relação ao Ceará –, não será agora, nem nos próximos quatro anos, em caso de reeleição, que essa dívida será quitada.

Publicidade

Petrobras amarga déficit, aumenta combustíveis para reduzir prejuízo e Dilma ainda promete refinaria para o Ceará

Por Wanfil em Ceará

30 de novembro de 2013

Prometeram uma vez, duas vezes, três vezes. Fizeram propagandas, divulgaram números, lançaram pedra fundamental… E nada de refinaria da Petrobras no Ceará! A obra nem ao menos está na planilha de investimentos da empresa. Já culparam a burocracia, os índios e os coreanos. Estes, chamados para atuar em parceria com a estatal brasileira, pularam fora. Mas com a aproximação do ano eleitoral, a promessa voltou com ares de grande salto, de “agora vai”, de “deixa comigo”, de “fiquem felizes”.

O presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Zezinho Albuquerque, pré-candidato a uma indicação de Cid para disputar o governo estadual pela sigla de aluguel Pros, visita municípios do interior acompanhado de uma animada comitiva,  tudo custeado com dinheiro público, para “esclarecer” a população sobre a importância da refinaria para a economia do Ceará. Até concurso de redação fizeram, vejam que genial!

Nos discursos, alguns ensaios de cobranças ao governo federal dão o tom de “nos respeitem” aos eventos, divulgados pelos órgãos de comunicação da Assembleia. Mas quando a oportunidade de cobrar os responsáveis pela promessa não cumprida aparece, as críticas são substituídas por efusivos aplausos.

Politicagem

Foi o que aconteceu quando a presidente Dilma esteve no Cerá, no último dia 22. Quem foi lá dizer que a refinaria tem “cheiro de enrolação”, como já disse Ciro Gomes? Quem ousou lembrar que dívida não quitada não pode servir de garantia para novos empréstimos? Ninguém! Todos ficaram mesmo foi felizes, com um misto de exultação e alívio, diante da imperial garantia de Dilma de que a decisão de construir a refinaria é irreversível, porém (sempre tem um porém), sem data para começar. É uma fala que, a rigor, não significa nada, mas que rapidamente foi tomada como sinal de que “agora vai”.

É claro que, tirando o eleitor, não existe otário nessa história. Os profissionais da política sabem que a refinaria não vem, mas se empenham para dar alguma verossimilhança às desculpas oficiais, preparando o terreno para 1) não confessar que os cearenses foram tapeados, 2) repetir, mais uma vez, a promessa, como se fosse generosidade do governo e, claro, dos governistas locais.

Prejuízos

Vejamos agora como essa disposição de voltar a prometer a mesma obra se casa com as notícias da semana.

A balança comercial da Petrobras amargou prejuízo de 14, 4 BILHÕES de DÓLARES, um aumento de 157% em relação ao ano anterior. Quase o custo estimado para a refinaria no Ceará. E agora, o preço dos combustíveis foi reajustado para reduzir o prejuízo 1,8 bilhão de reais MENSAIS, causado pelo uso político (e também numa tentativa desastrada de segurar a inflação) da empresa.

Acredite se quiser

Se na época das vacas gordas, quando o Brasil crescia alguma coisa, sempre em ritmo menor do que os demais emergentes, mas crescia, o empreendimento não saiu do papel; se quando o barril do petróleo era mais valorizado nada se concretizou; se quando a Petrobras não estava com os graves problemas financeiros que agora são de conhecimento geral coisa alguma aconteceu, imagine agora.

Publicidade

Petrobras amarga déficit, aumenta combustíveis para reduzir prejuízo e Dilma ainda promete refinaria para o Ceará

Por Wanfil em Ceará

30 de novembro de 2013

Prometeram uma vez, duas vezes, três vezes. Fizeram propagandas, divulgaram números, lançaram pedra fundamental… E nada de refinaria da Petrobras no Ceará! A obra nem ao menos está na planilha de investimentos da empresa. Já culparam a burocracia, os índios e os coreanos. Estes, chamados para atuar em parceria com a estatal brasileira, pularam fora. Mas com a aproximação do ano eleitoral, a promessa voltou com ares de grande salto, de “agora vai”, de “deixa comigo”, de “fiquem felizes”.

O presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Zezinho Albuquerque, pré-candidato a uma indicação de Cid para disputar o governo estadual pela sigla de aluguel Pros, visita municípios do interior acompanhado de uma animada comitiva,  tudo custeado com dinheiro público, para “esclarecer” a população sobre a importância da refinaria para a economia do Ceará. Até concurso de redação fizeram, vejam que genial!

Nos discursos, alguns ensaios de cobranças ao governo federal dão o tom de “nos respeitem” aos eventos, divulgados pelos órgãos de comunicação da Assembleia. Mas quando a oportunidade de cobrar os responsáveis pela promessa não cumprida aparece, as críticas são substituídas por efusivos aplausos.

Politicagem

Foi o que aconteceu quando a presidente Dilma esteve no Cerá, no último dia 22. Quem foi lá dizer que a refinaria tem “cheiro de enrolação”, como já disse Ciro Gomes? Quem ousou lembrar que dívida não quitada não pode servir de garantia para novos empréstimos? Ninguém! Todos ficaram mesmo foi felizes, com um misto de exultação e alívio, diante da imperial garantia de Dilma de que a decisão de construir a refinaria é irreversível, porém (sempre tem um porém), sem data para começar. É uma fala que, a rigor, não significa nada, mas que rapidamente foi tomada como sinal de que “agora vai”.

É claro que, tirando o eleitor, não existe otário nessa história. Os profissionais da política sabem que a refinaria não vem, mas se empenham para dar alguma verossimilhança às desculpas oficiais, preparando o terreno para 1) não confessar que os cearenses foram tapeados, 2) repetir, mais uma vez, a promessa, como se fosse generosidade do governo e, claro, dos governistas locais.

Prejuízos

Vejamos agora como essa disposição de voltar a prometer a mesma obra se casa com as notícias da semana.

A balança comercial da Petrobras amargou prejuízo de 14, 4 BILHÕES de DÓLARES, um aumento de 157% em relação ao ano anterior. Quase o custo estimado para a refinaria no Ceará. E agora, o preço dos combustíveis foi reajustado para reduzir o prejuízo 1,8 bilhão de reais MENSAIS, causado pelo uso político (e também numa tentativa desastrada de segurar a inflação) da empresa.

Acredite se quiser

Se na época das vacas gordas, quando o Brasil crescia alguma coisa, sempre em ritmo menor do que os demais emergentes, mas crescia, o empreendimento não saiu do papel; se quando o barril do petróleo era mais valorizado nada se concretizou; se quando a Petrobras não estava com os graves problemas financeiros que agora são de conhecimento geral coisa alguma aconteceu, imagine agora.