prefeito Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

prefeito

Dilma para Roberto Cláudio: “Olha aqui, meu filho!”

Por Wanfil em Brasil, Política

25 de junho de 2013

Governadores e prefeitos reunidos com a presidente. Muita pose e pouca ação. Divulgação.

Governadores e prefeitos reunidos com a presidente. Muita pose e pouca ação. Divulgação.

O jornal O Globo publicou matéria sobre os bastidores da reunião entre a presidente Dilma, governadores e prefeitos, realizada na segunda-feira, por um pacto de melhoria dos serviços público. Segue em azul reprodução de trecho em que o prefeito de Fortaleza é citado (grifos meus):

Quando o prefeito de Fortaleza, Roberto Claudio (PSB), reclamou da dificuldade de os municípios reduzirem as tarifas de ônibus, foi enquadrado com muita irritação por Dilma.

Olha aqui, meu filho! Eu conheço muito bem todos esses números! — interrompeu a presidente, de dedo em riste na direção do prefeito.

Comentário

Que dias confusos. Um pacto não pode ser imposto com irritação, apesar da gravidade do momento. Trata-se, pois, de um acordo. Roberto Cláudio não merecia ser tratado, pelo que se lê, como um subalterno inconveniente, um intrometido que não sabe o próprio lugar.

Além de sujeito cordado e educado, o prefeito é também uma figura institucional. Não pode ser levado na base do “meu filho”, especialmente em encontro oficial. Ali, na condição de autoridade constituída, Roberto Cláudio representa não um aliado qualquer, mas o povo de Fortaleza. Respeito no trato é o mínimo que se espera de outra autoridade, especialmente de uma que está em apuros. Ainda que as circunstâncias do momento possam servir de atenuante, não justificam a deselegância.

Dilma merecia ouvir, em resposta, a seguinte constatação: “Presidente, se a senhora sabe de tudo, não precisamos estar aqui. Com todo o respeito, tenho muito trabalho a fazer na minha cidade”. Mas isso falo eu, que não devo nada a Sua Excelência, que escrevo movido pelo orgulho ferido de cidadão indignado com o descaso e o desdém com os quais o Ceará vem sendo tratado nos últimos anos, na base de promessas que nunca são cumpridas, como a refinaria, afinal, o voto aqui é fácil.

Por outro lado, é bem verdade que quem muito se sujeita, acaba menosprezado. E isso explica, em parte, a postura da presidente. Como se diz por aí, é o encontro da fome com a vontade de comer.

Publicidade

Governador e prefeito de Fortaleza resolvem problema da segurança… deles!

Por Wanfil em Tribuna Band News FM

17 de Abril de 2013

Meu comentário na rádio Tribuna BandNews FM – 101.7, sobre a criação, pelo governo do Estado, da Coordenadoria Militar da Prefeitura de Fortaleza.

Ouça o áudio:

[haiku url=”http://tribunadoceara.uol.com.br/blogs/wanderley-filho/files/2013/04/POLÍTICA-WANDERLEY-Coordenadoria-Militar-da-Prefeitura-de-Fortaleza.mp3″]

 

Segue a transcrição:

Agora é oficial! A segurança do prefeito Roberto Cláudio será feita por policiais militares, conforme decreto do Governo do Estado. Antes, essa atribuição era da Guarda Municipal.

Vereadores da oposição criticam a iniciativa e dizem que policiais serão retirados das ruas justamente quando os índices de violência só aumentam. E lembram que a medida abre um precedente óbvio, caso prefeitos de outras cidades do Ceará também queiram a providencial segurança feita pela Polícia Militar.

Apesar da polêmica, em todo o mundo autoridades precisam de segurança especial, afinal, elas representam o próprio Estado. Mas existem, nesse caso de Fortaleza, algumas particularidades que ilustram bem o momento que vivemos.

Primeiro, governantes da capital cearense não ocupam uma posição de risco quanto a crimes de natureza ideológica ou política, tal qual cidades ameaçadas, por exemplo, pelo terrorismo internacional.

Segundo, vivemos, pelo menos oficialmente, em tempos de paz, sem inimigos no exterior e sem grupos paramilitares agindo em território nacional.

Terceiro, Roberto Cláudio já dispunha sim de uma segurança, só que feita, como eu disse, pela Guarda Municipal. Acontece que seus membros não portam armas de fogo, enquanto bandidos, sequestradores, assaltantes e traficantes, que são os únicos perigos à segurança do excelentíssimo prefeito, estão armados até os dentes.

No fundo, o projeto enviado à Câmara pelo prefeito Roberto Cláudio e o decreto assinado pelo governador Cid Gomes não deixam de ser uma forma de reconhecimento sobre o perigo real e imediato que é viver no Ceará e especialmente em Fortaleza nos dias de hoje.

Agora que o prefeito e o governador estão com seus problemas de segurança particular resolvidos, é hora de ver a segurança da população, que além de custear o bem estar de seus representantes, precisa pagar, quando pode, por segurança privada. Ou então, rezar a Deus para viver mais um dia.

Publicidade

Fortaleza tem novo prefeito. E agora?

Por Wanfil em Eleições 2012

28 de outubro de 2012

Divulgado o resultado das urnas com a vitória de Roberto Cláudio para a Prefeitura de Fortaleza, não faltarão falsos profetas analisando causas que o expliquem. Geralmente são palpites inócuos e servem apenas de adorno ao noticiário. O fato é que ainda é cedo para projeções e tarde para conselhos eleitorais. O que importa agora, passada a festa de quem ganha e o lamento de quem perde, é voltar à realidade que aguarda o novo prefeito a partir desta segunda-feira.

Divisão

A pequena diferença entre o prefeito eleito Roberto Cláudio (PSB) e o derrotado nas urnas Elmano de Freitas (PT), de apenas seis pontos (53% a 47%), repete o desenho político esboçado ainda no primeiro turno: um eleitorado dividido.

Assim, apesar da vitória, Roberto Cláudio assume de certa forma sob o signo da desconfiança de quase metade dos eleitores. O desempenho de Elmano de Freitas, que foi mais longe do que indicavam as pesquisas de avaliação da gestão por ele representada, indica que há um patrimônio eleitoral que o PT deve buscar preservar.

Isso não diminui a legitimidade do processo, evidente, mas é um dado que deve ser levado em consideração tanto pelo gestor eleitor, como pelo grupo que perde. Para o que ganha para evitar a soberba e para como estímulo contra eventuais irresponsabilidades.

Dúvidas

Sobre o futuro governo Roberto Cláudio, algumas dúvidas pairam no ar:  Roberto Cláudio conseguirá imprimir uma liderança própria?   O PT será oposição na capital e aliado em âmbito estadual? A prefeita Luizianne Lins promoverá um processo de transição organizado ou se fechará em ressentimento? O correto é contribuir para que a futura equipe de governo possa ter acesso a todas as informações necessárias para iniciar o seu trabalho da melhor forma possível. Seria incontestável prova de maturidade e transparência, que no entanto está condicionada ao esquecimento da animosidade do processo eleitoral, em respeito à decisão das urnas.

Certeza

Depois da festa, o desafio. Diante das naturais dúvidas que se colocam sobre um novo governo, sobretudo sobre um novo gestor, a maior certeza que existe no momento é que toda a expectativa gerada com a construção da imagem de Roberto Cláudio como político capaz de imprimir um ritmo intenso de ações e obras, especialmente nas áreas de educação e saúde, lhe deverá ser devidamente cobrada. É esperar para ver.

Publicidade

Fortaleza tem novo prefeito. E agora?

Por Wanfil em Eleições 2012

28 de outubro de 2012

Divulgado o resultado das urnas com a vitória de Roberto Cláudio para a Prefeitura de Fortaleza, não faltarão falsos profetas analisando causas que o expliquem. Geralmente são palpites inócuos e servem apenas de adorno ao noticiário. O fato é que ainda é cedo para projeções e tarde para conselhos eleitorais. O que importa agora, passada a festa de quem ganha e o lamento de quem perde, é voltar à realidade que aguarda o novo prefeito a partir desta segunda-feira.

Divisão

A pequena diferença entre o prefeito eleito Roberto Cláudio (PSB) e o derrotado nas urnas Elmano de Freitas (PT), de apenas seis pontos (53% a 47%), repete o desenho político esboçado ainda no primeiro turno: um eleitorado dividido.

Assim, apesar da vitória, Roberto Cláudio assume de certa forma sob o signo da desconfiança de quase metade dos eleitores. O desempenho de Elmano de Freitas, que foi mais longe do que indicavam as pesquisas de avaliação da gestão por ele representada, indica que há um patrimônio eleitoral que o PT deve buscar preservar.

Isso não diminui a legitimidade do processo, evidente, mas é um dado que deve ser levado em consideração tanto pelo gestor eleitor, como pelo grupo que perde. Para o que ganha para evitar a soberba e para como estímulo contra eventuais irresponsabilidades.

Dúvidas

Sobre o futuro governo Roberto Cláudio, algumas dúvidas pairam no ar:  Roberto Cláudio conseguirá imprimir uma liderança própria?   O PT será oposição na capital e aliado em âmbito estadual? A prefeita Luizianne Lins promoverá um processo de transição organizado ou se fechará em ressentimento? O correto é contribuir para que a futura equipe de governo possa ter acesso a todas as informações necessárias para iniciar o seu trabalho da melhor forma possível. Seria incontestável prova de maturidade e transparência, que no entanto está condicionada ao esquecimento da animosidade do processo eleitoral, em respeito à decisão das urnas.

Certeza

Depois da festa, o desafio. Diante das naturais dúvidas que se colocam sobre um novo governo, sobretudo sobre um novo gestor, a maior certeza que existe no momento é que toda a expectativa gerada com a construção da imagem de Roberto Cláudio como político capaz de imprimir um ritmo intenso de ações e obras, especialmente nas áreas de educação e saúde, lhe deverá ser devidamente cobrada. É esperar para ver.