novo cangaço Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

novo cangaço

Milagres: as mesmas respostas de sempre

Por Wanfil em Segurança

10 de dezembro de 2018

O governador cearense Camilo Santana pediu desculpas às famílias dos seis reféns mortos durante um pesado tiroteio entre policiais e bandidos que tentavam roubar um banco em Milagres, no dia 7 de dezembro, em razão das declarações precipitadas e desencontradas que fez sobre o episódio. Está certíssimo, porém, mais uma vez, com atraso. Em cerimônia no Instituto do Câncer, nesta segunda (10) Camilo também informou que 12 policiais envolvidos no caso foram transferidos temporariamente de suas funções e que uma equipe foi formada para investigar o ocorrido.

De fato é necessário aguardar as apurações. As circunstâncias, as eventuais imponderabilidades ou falhas, a qualidade do treinamento aos agentes, o planejamento e acompanhamento da inteligência e do comando no decorrer da operação que conduziu a força policial de encontro a quadrilha de assaltantes, tudo isso precisa ser esclarecido. Ninguém discorda.

Mas se tem algo que desde já pode ser constatado é o modelo de reação do governo estadual diante de acontecimentos constrangedores relacionados à segurança pública. Sejam chacinas, rebeliões ou mortes de inocentes, e principalmente quando os casos ganham repercussão nacional, as primeiras declarações das autoridades no Ceará seguem um padrão defensivo, jamais admitindo nem sequer a hipótese de erros ligados a gestão. A determinação com que tentam convencer o público e a si mesmos dessa, digamos, imunidade, é impressionante e reveladora de profunda insegurança.

No evento de Milagres, após as declarações do primeiro momento, carentes ainda de maiores informações para serem proferidas, e que enalteciam o impedimento do roubo quando a tragédia estava na morte dos reféns, apenas seguiram um roteiro pré-formatado. Só depois, constatada a repercussão negativa, é que vem o segundo passo: o silêncio. As postagens diárias nas redes sociais cessam. É o tempo de pensar um novo discurso para reduzir o estrago de imagem. O novo discurso, invariavelmente, diz que tudo será investigado e que medidas administrativas (que nunca chegam ao comando) foram tomadas.

Aguardemos as investigações, mais uma vez. Enquanto isso a Secretaria de Segurança e o Governo do Ceará podem rever seus protocolos de comunicação para emergências nessa área. Se existe uma certeza, infelizmente, é de que as chances de que outros casos dessa natureza aconteçam é muito considerável.

Publicidade

Enquanto isso, no Ceará…

Por Wanfil em Ceará

30 de outubro de 2013

Em sua página pessoal na rede social Facebook, o governador Cid Gomes apresentou, na última terça-feira (29), imagens de obras e projetos no Ceará. Uma maquete eletrônica dá uma ideia de como deverá ficar o antigo Centro de Convenções após reforma feita em parceria com uma universidade privada; e fotos mostram parte das obras do VLT da Avenida Aguanambi, também na capital, e o início do 1º trecho do Cinturão das Águas.

Veja as fotos:

VLT Fortaleza - Divulgação
Cinturão das Águas - Divulgação
Centro de Convenções Maquete - Divulgação
Maquete do Centro de Convenções 2 - Divulgação

Enquanto isso…

Algumas horas antes, no mesmo dia, cerca de 10 homens fortemente armados assaltaram uma agência do Bradesco em Paraípaba, no litoral oeste do Estado. Na ação, renderam a delegacia da cidade, metralharam a viatura e fizeram um policial de refém. Humilhante.

De acordo com o Sindicato dos Bancários, este foi o o 123º ataque a banco no Ceará somente em 2013 (levando-se em conta casos de saidinhas e chegadinhas bancárias, quando são registrados). Na última sexta-feira (25), um grupo de 15 homens explodiu um caixa eletrônico do Banco do Brasil em Penaforte. No início do mês, uma ação semelhante aconteceu em Frecheirinha.

Informalmente, agente estaduais afirmam que os criminosos não assaltam agências da Caixa Econômica para evitar confronto com a Polícia Federal.

Confira as imagens:

Assalto ao Bradesco de Paraipaba (CE)
Assalto ao Banco do Brasil em Penaforte - Foto Carlinhos
Assalto ao BB de Frecheirinha FOTO Marcos Mesquita
Assalto ao BB de Frecheirinha 2 - FOTO Marcos Mesquita

Contraste

Nada pode expressar melhor a nossa realidade do que esse descompasso: enquanto o governador mostra, de boa fé e com visível entusiasmo, obras e maquetes, literalmente o pau canta no Ceará, com o estabelecimento desse “novo cangaço”.

Ninguém em sã consciência é contra obras, desde que estas sejam feitas de forma transparente e casem com as necessidades da população. Eu poderia aplaudi-las e fechar os olhos para isso ou aquilo, só para mostrar otimismo. É fácil, gera simpatia e amigos no governo. Mas ocorre que as pessoas comuns, essas que não possuem cargo comissionado em secretarias ou prefeituras, estão mesmo aflitas é com a insegurança no Ceará. Esse é o ponto.

Reconhecer o que se faz não resolve o que se falta fazer

As ações mostradas no Facebook do governador são boas notícias, sem dúvida. Nos últimos dias, aliados do governo e o próprio Cid passaram a ironizar os que supostamente “não deixam fazer” ou “reclamam quando se faz”. É uma boçalidade compreensível, pois todo governo tem algo para mostrar e fica ansioso com isso. Mas fazer é obrigação e cobrar que seja bem feito não é reclamar, é fiscalizar. Não se trata de um jogo entre contentes e descontentes, mas de definição de prioridades, o que gera, naturalmente, debates.

No fim, fazer é melhor do que não fazer, e eu quero mesmo é que se faça mais. Sou sincero quando parabenizo a iniciativa do Cinturão das Águas, ainda que a promessa comece a ser cumprida somente no penúltimo ano da atual gestão. (A obra será concluída somente para a próxima seca, mas coincide com o calendário eleitoral. Olha aí eu reclamando quando fazem, ô coisa).

O fato é que por mais que muito seja feito ou sonhado, a impotência do governo na área de segurança pública é uma realidade que embaça qualquer outra ação. Que venha agora, portanto, o cinturão da paz. E urgente!

Publicidade

Enquanto isso, no Ceará…

Por Wanfil em Ceará

30 de outubro de 2013

Em sua página pessoal na rede social Facebook, o governador Cid Gomes apresentou, na última terça-feira (29), imagens de obras e projetos no Ceará. Uma maquete eletrônica dá uma ideia de como deverá ficar o antigo Centro de Convenções após reforma feita em parceria com uma universidade privada; e fotos mostram parte das obras do VLT da Avenida Aguanambi, também na capital, e o início do 1º trecho do Cinturão das Águas.

Veja as fotos:

VLT Fortaleza - Divulgação
Cinturão das Águas - Divulgação
Centro de Convenções Maquete - Divulgação
Maquete do Centro de Convenções 2 - Divulgação

Enquanto isso…

Algumas horas antes, no mesmo dia, cerca de 10 homens fortemente armados assaltaram uma agência do Bradesco em Paraípaba, no litoral oeste do Estado. Na ação, renderam a delegacia da cidade, metralharam a viatura e fizeram um policial de refém. Humilhante.

De acordo com o Sindicato dos Bancários, este foi o o 123º ataque a banco no Ceará somente em 2013 (levando-se em conta casos de saidinhas e chegadinhas bancárias, quando são registrados). Na última sexta-feira (25), um grupo de 15 homens explodiu um caixa eletrônico do Banco do Brasil em Penaforte. No início do mês, uma ação semelhante aconteceu em Frecheirinha.

Informalmente, agente estaduais afirmam que os criminosos não assaltam agências da Caixa Econômica para evitar confronto com a Polícia Federal.

Confira as imagens:

Assalto ao Bradesco de Paraipaba (CE)
Assalto ao Banco do Brasil em Penaforte - Foto Carlinhos
Assalto ao BB de Frecheirinha FOTO Marcos Mesquita
Assalto ao BB de Frecheirinha 2 - FOTO Marcos Mesquita

Contraste

Nada pode expressar melhor a nossa realidade do que esse descompasso: enquanto o governador mostra, de boa fé e com visível entusiasmo, obras e maquetes, literalmente o pau canta no Ceará, com o estabelecimento desse “novo cangaço”.

Ninguém em sã consciência é contra obras, desde que estas sejam feitas de forma transparente e casem com as necessidades da população. Eu poderia aplaudi-las e fechar os olhos para isso ou aquilo, só para mostrar otimismo. É fácil, gera simpatia e amigos no governo. Mas ocorre que as pessoas comuns, essas que não possuem cargo comissionado em secretarias ou prefeituras, estão mesmo aflitas é com a insegurança no Ceará. Esse é o ponto.

Reconhecer o que se faz não resolve o que se falta fazer

As ações mostradas no Facebook do governador são boas notícias, sem dúvida. Nos últimos dias, aliados do governo e o próprio Cid passaram a ironizar os que supostamente “não deixam fazer” ou “reclamam quando se faz”. É uma boçalidade compreensível, pois todo governo tem algo para mostrar e fica ansioso com isso. Mas fazer é obrigação e cobrar que seja bem feito não é reclamar, é fiscalizar. Não se trata de um jogo entre contentes e descontentes, mas de definição de prioridades, o que gera, naturalmente, debates.

No fim, fazer é melhor do que não fazer, e eu quero mesmo é que se faça mais. Sou sincero quando parabenizo a iniciativa do Cinturão das Águas, ainda que a promessa comece a ser cumprida somente no penúltimo ano da atual gestão. (A obra será concluída somente para a próxima seca, mas coincide com o calendário eleitoral. Olha aí eu reclamando quando fazem, ô coisa).

O fato é que por mais que muito seja feito ou sonhado, a impotência do governo na área de segurança pública é uma realidade que embaça qualquer outra ação. Que venha agora, portanto, o cinturão da paz. E urgente!