metrô Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

metrô

O tatuzão da paciência: “diga ao povo que logo mais”

Por Wanfil em Assembleia Legislativa

29 de Março de 2017

O deputado estadual Heitor Férrer (PSB) denunciou o roubo de peças das tuneladoras – mais conhecidas como tatuzões – adquiridas pelo Governo do Ceará para escavações na Linha Leste do Metrô de Fortaleza. O caso trouxe de volta a polêmica sobre a inusitada compra desse equipamento, ainda em 2013.

Desde então, os tatuzões de Cid Gomes, adquiridos por US$ 66,7 milhões cada, estão parados. Ninguém sabe ao certo se ainda funcionarão, pois o equipamento exige caríssima manutenção. Governistas, porém, não dão o braço a torcer e continuam a elogiar a compra das tuneladoras, que ao lado do Hospital Regional do Sertão Central e do Acquário Ceará estão entre os maiores exemplos de falta de planejamento da história da gestão pública estadual. 

Matéria do Diário do Nordeste publicada nesta quarta-feira (29) reproduz fala do líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Evandro Leitão (PDT), garantindo que os tatuzões estão bem conservados: “Só teremos absoluta convicção se estão aptas quando colocarmos para funcionar. Aí veremos se a manutenção dada tornará, ou não, os equipamentos eficazes”. O raciocínio é um tanto peculiar: ao ser categórico, o desafio não deixa de revelar certa dúvida.

Na mesma reportagem, o deputado Julinho, do mesmo PDT, ressalta a importância dos tatuzões: “Os técnicos garantem que as tuneladoras estão aptas a começarem a operação da linha leste. E o povo tenha certeza que logo mais essa obra importante para mobilidade urbana estará em plena execução”. Quando? Logo mais…

Pois é meus amigos e amigas, ficamos assim: “Logo mais” poderemos ter “absoluta convicção” de que nosso dinheiro foi, literalmente, para o buraco.

Publicidade

Mesmo com tatuzões, metrô avança apenas 1% em três anos. De quem é a culpa?

Por Wanfil em Ceará

07 de novembro de 2016

O atraso nas obras do metrô de Fortaleza (Linha Leste), que após três anos conclui apenas 1% do projeto, ganhou destaque nacional com uma matéria do O Globo, publicada no domingo (6).

“Um dos emblemas do fracasso da empreitada é a imagem dos quatro ‘tatuzões’ adquiridos pelo governo do Ceará”, explica o jornal, que cita o caso como exemplo da “megalomania empreendedora que tomou conta do país até o estouro da crise econômica”.

O Globo informa que Cid Gomes, “então governador e mentor da empreitada”, não quis comentar o assunto, mas ressalta que “aliados dos irmãos Ferreira Gomes admitem a frustração com a paralisação das obras e o custo de manutenção do equipamento”. Parece que o anonimato desperta nesses um tímido senso crítico. Oficialmente, porém, ainda segundo a matéria, o governo cearense responsabiliza a legislação e uma empresa privada que abandonou o consórcio responsável pela obra pelo atraso.

É sempre assim. Foi a mesma coisa com a segurança pública, com os hospitais superlotados e com o Acquário Ceará, outra obra milionária parada. Ninguém admite a mínima falha, preferindo acusar a Lei de Licitações ou a legislação ambiental, o preço do dólar, o TCU, os médicos, os policiais, a oposição ou a imprensa.

É bem verdade que existe uma antipatia da imprensa fora do Ceará em relação a Ciro Gomes, pré-candidato do PDT à Presidência, mas isso não muda os fatos em relação ao metrô e aos tatuzões. Fica evidente que os responsáveis não conseguem aprender com seus próprios erros porque são incapazes de admiti-los e até mesmo de enxergá-los.

Publicidade

TCU aponta indícios de superfaturamento na Linha Sul do Metrô de Fortaleza

Por Wanfil em Ceará

05 de novembro de 2014

Durante debate eleitoral realizado pela Rede Record no último dia 20 de outubro, a presidente Dilma Rousseff (PT) citou o metrô de Fortaleza como obra concluída por seu governo. A afirmação gerou polêmica nas redes sociais. No final, ficou comprovado depois que das três linhas do projeto, apenas a Linha Sul estava concluída e já funciona em fase de testes. Isso não impediu que um exército de assessores corresse para postar imagens de que a obra estava sim terminada e que os críticos eram mal intencionados. Isso, porém, são águas passadas e a presidente foi reeleita. A novidade agora diz respeito a outro aspecto desse mesmo empreendimento: o financeiro.

O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou nesta quarta-feira (5) seu relatório anual com os resultados de auditorias feitas em obras federais, chamado de Fiscobrás.

De acordo com o TCU, entre as obras reprovadas e com recomendação de retenção parcial de valores está a implantação do Trecho Sul do metrô em Fortaleza. Por qual motivo? Suspeita de superfaturamento.

Ao todo, das 102 obras fiscalizadas, 58 apresentaram problemas. Em nove foram encontrados indícios de irregularidade grave com recomendação de paralisação (IG-P) e indícios de irregularidade grave com retenção parcial de valores (IG-R), que é o caso do Ceará. Essas informações serão enviadas ao Congresso Nacional, que deverá avaliar se procede ou não com o bloqueio preventivo de recursos para esses empreendimentos.

Pois é. Não é a Veja que está dizendo. Nem a oposição. É o TCU. Confira a informação publicada no site do tribunal (o carimbo IGR está no canto superior direito da imagem):

TCUAs informações sobre o Fiscabrás estão disponíveis para o público aqui.

É bom que a bancada cearense no Congresso Nacional fique atenta na hora de examinar o relatório do TCU, afinal, ela está lá para defender o interesse do Ceará e o dinheiro dos contribuintes. Ou não?

Publicidade

Dilma no Ceará: Ô memória traiçoeira!

Por Wanfil em Ceará

19 de julho de 2013

Cid e Dilma em mais uma inauguração do Metrô de Fortaleza. À direita, quase fora do enquadramento, o prefeito Roberto Cláudio. Foto: Ricardo Stucker/PR/Agência Brasil

Cid e Dilma em mais uma inauguração do Metrô de Fortaleza. À direita, quase fora do enquadramento, o prefeito Roberto Cláudio. Foto: Ricardo Stucker/PR/Agência Brasil

Dilma Rousseff foi traída pela memória durante evento oficial realizado no Ceará nesta quinta-feira. A presidente esqueceu o nome do prefeito Roberto Cláudio, quando discursava na cerimônia de inauguração, em caráter experimental, de duas estações da Linha Sul do Metrô de Fortaleza, o metrô mais inaugurado do Brasil, embora ainda não funcione pra valer.

Tudo bem, exagerar sobre isso é bobagem. Quem nunca passou por uma situação dessas? Mas, aproveitando a deixa, esse não foi o único ‘esquecimento’ que marcou a visita presidencial. Na verdade, esse foi o menor deles.

Outros ‘esquecimentos’

Os deputados estaduais esqueceram de aproveitar a oportunidade para cobrar a refinaria prometida por Dilma, como fazem em propaganda paga, quando ela está longe. Tudo bem, o dia era de festa e se a refinaria não veio até agora, não valia estragar a visita com esse negócio de cobranças. Talvez por isso, por esse espírito de congraçamento entre políticos, algumas autoridades se viram obrigadas a deixar o local por saídas laterais, esquecidos dos manifestantes que protestavam do lado de fora.

Dilma, José Guimarães, Cid Gomes e, mais atrás, Roberto Cláudio. Foto: Ricardo Stucker/PR/Agência Brasil

Dilma, José Guimarães, Cid Gomes e, mais atrás, Roberto Cláudio. Para quem gosta de semiótica, a imagem diz muito sobre a gafe de Dilma no evento. Foto: Ricardo Stucker/PR/Agência Brasil

O cerimonial da Presidência esqueceu ainda de chamar alguns aliados para a inauguração, como o ex-ministro Ciro Gomes, a ex-prefeita Luizianne Lins ou o senador Eunício Oliveira. Ou então foram eles que esqueceram de ir… De qualquer forma, as ausências de figuras que ainda causam dúvidas sobre o futuro, mostram que de uma coisa ninguém esquece: as eleições do ano que vem.

No evento, vale destacar, estavam presentes o governador Cid Gomes, claro, e o deputado federal Eudes Xavier. Certamente esqueceram que os dois trocaram acusações mútuas de espionagem recentemente.

Na ocasião, Dilma assinou uma ordem de serviço para a construção do Cinturão das Águas, obra que, de acordo com a promessa, deverá resolver o problema de abastecimento d’água no estado. Parece que a presidente esqueceu que, para o Cinturão funcionar, é preciso antes concluir a transposição do Rio São Francisco.

Ô memória traiçoeira!

Publicidade

Dilma no Ceará: Ô memória traiçoeira!

Por Wanfil em Ceará

19 de julho de 2013

Cid e Dilma em mais uma inauguração do Metrô de Fortaleza. À direita, quase fora do enquadramento, o prefeito Roberto Cláudio. Foto: Ricardo Stucker/PR/Agência Brasil

Cid e Dilma em mais uma inauguração do Metrô de Fortaleza. À direita, quase fora do enquadramento, o prefeito Roberto Cláudio. Foto: Ricardo Stucker/PR/Agência Brasil

Dilma Rousseff foi traída pela memória durante evento oficial realizado no Ceará nesta quinta-feira. A presidente esqueceu o nome do prefeito Roberto Cláudio, quando discursava na cerimônia de inauguração, em caráter experimental, de duas estações da Linha Sul do Metrô de Fortaleza, o metrô mais inaugurado do Brasil, embora ainda não funcione pra valer.

Tudo bem, exagerar sobre isso é bobagem. Quem nunca passou por uma situação dessas? Mas, aproveitando a deixa, esse não foi o único ‘esquecimento’ que marcou a visita presidencial. Na verdade, esse foi o menor deles.

Outros ‘esquecimentos’

Os deputados estaduais esqueceram de aproveitar a oportunidade para cobrar a refinaria prometida por Dilma, como fazem em propaganda paga, quando ela está longe. Tudo bem, o dia era de festa e se a refinaria não veio até agora, não valia estragar a visita com esse negócio de cobranças. Talvez por isso, por esse espírito de congraçamento entre políticos, algumas autoridades se viram obrigadas a deixar o local por saídas laterais, esquecidos dos manifestantes que protestavam do lado de fora.

Dilma, José Guimarães, Cid Gomes e, mais atrás, Roberto Cláudio. Foto: Ricardo Stucker/PR/Agência Brasil

Dilma, José Guimarães, Cid Gomes e, mais atrás, Roberto Cláudio. Para quem gosta de semiótica, a imagem diz muito sobre a gafe de Dilma no evento. Foto: Ricardo Stucker/PR/Agência Brasil

O cerimonial da Presidência esqueceu ainda de chamar alguns aliados para a inauguração, como o ex-ministro Ciro Gomes, a ex-prefeita Luizianne Lins ou o senador Eunício Oliveira. Ou então foram eles que esqueceram de ir… De qualquer forma, as ausências de figuras que ainda causam dúvidas sobre o futuro, mostram que de uma coisa ninguém esquece: as eleições do ano que vem.

No evento, vale destacar, estavam presentes o governador Cid Gomes, claro, e o deputado federal Eudes Xavier. Certamente esqueceram que os dois trocaram acusações mútuas de espionagem recentemente.

Na ocasião, Dilma assinou uma ordem de serviço para a construção do Cinturão das Águas, obra que, de acordo com a promessa, deverá resolver o problema de abastecimento d’água no estado. Parece que a presidente esqueceu que, para o Cinturão funcionar, é preciso antes concluir a transposição do Rio São Francisco.

Ô memória traiçoeira!