José Guimarães Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

José Guimarães

Deputados cearenses estão entre os autores do requerimento para a CPI da Lava Jato

Por Wanfil em Política

19 de junho de 2018

O pedido para a instalação de uma CPI na Câmara Federal para investigar suposta manipulação de delações premiadas por um escritório de advocacia, gerou uma grande confusão no meio político.

Para ser aprovado, o requerimento 43/2018 precisava de 171 assinaturas. Ao todo, 190 foram colhidas, mas quando a notícia de que o alvo da CPI são juízes e procuradores da Operação Lava Jato se espalhou, pelo menos 35 deputados pediram para retirar seus nomes da lista, alegando que terem sido enganados.

Diante da repercussão, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que já trabalhava para indicar o presidente e o relator da comissão, deverá indeferir o pedido.

No requerimento original, 16 deputados aparecem como autores; destes, três são do Ceará: Domingos Neto, líder do PSD na Câmara – o mesmo que pretende mudar o nome oficial do açude Castanhão de Padre Cícero para Paes de Andrade; André Figueiredo, líder do PDT – aliado de Cid Gomes e Antonio Balhmann, dois citados na delação da JBS; e José Guimarães, do PT, líder da Oposição, que dispensa apresentações.

Juízes e procuradores devem ser fiscalizados, eventuais abusos precisam ser corrigidos. Isso ninguém discute. A questão é que essa CPI da Lava Jato, em ano eleitoral, proposta por partidos investigados pela Lava Jato – MDB, PT, PP; apoiados por PSOL, PCdoB, PDT e PSB – levanta dúvidas sobre o uso de um dos poderes da República para retaliar e intimidar seus investigadores. Todos negam, mas que parece, parece.

Ainda que as razões tenham sido as mais sublimes e desinteressadas possíveis, a imagem do corporativismo que visa a impunidade é tudo que o eleitor cansado de corrupção mais condena.

Confira aqui a íntegra do requerimento.

Publicidade

Lava Jato: PF diz ter provas de propina paga a José Guimarães

Por Wanfil em Ceará

24 de novembro de 2016

A Polícia Federal divulgou nota na manhã desta quinta-feira nota sobre a conclusão do inquérito 4259 do Supremo Tribunal Federal, instaurado no âmbito da Operação Lava Jato.

Segundo a PF, “a investigação comprovou que um deputado federal do Ceará recebeu propina do colaborador Alexandre Romano, no valor de R$ 97.761,00, em troca de sua intervenção junto ao ex-presidente do Banco do Nordeste do Brasil – BNB, seu apadrinhado político”.

Nesse caso, não se trata mais de uma delação que vazou para a imprensa, mas a informação oficial de que provas teriam confirmado a delação. A nota não informa o nome, mas o deputado federal do Ceará citado é José Guimarães, do PT. E o ex-presidente do BNB é Roberto Smith.

Leia o texto da PF aqui.

Publicidade

Segundo turno: o apoio do PT ajuda ou atrapalha? Eis a questão

Por Wanfil em Eleições 2016

04 de outubro de 2016

Nas cidades onde acontece segundo turno, é natural que os candidatos que continuam na disputa busquem o apoio daqueles que ficaram pelo meio do caminho. Em Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT) e Capitão Wagner (PR) trabalham para conquistar parte dos 15% obtidos por Luizianne Lins (PT), terceira colocada no primeiro turno. Lideranças do PT prometem uma definição para esta quarta-feira. A decisão, porém, não é simples.

A ex-prefeita, que controla o Diretório Municipal do partido, não contou com a ajuda do governador Camilo Santana, que apoiou Roberto Cláudio, que  pertence ao grupo político liderado por Ciro Gomes, desafeto de Luizianne.

Em 2012, o PT chegou a sondar o então vereador Capitão Wagner para ser vice de Elmano de Freitas contra Roberto Cláudio, mas em 2016, o apoio do PMDB e do PSDB à deputado do PR dificulta o diálogo com os petistas.

Assim, embora o ex-presidente Lula e o deputado José Guimarães, que controla a Executiva Estadual do PT, defendam abertamente a aliança com o PDT, para Luizianne, qualquer escolha que não seja a neutralidade guarda contradições com sua trajetória política.

Além do mais, é preciso avaliar até que ponto o apoio ostensivo do PT realmente pode ajudar. A sigla vive sua maior crise de imagem e tenta sobreviver ao duro golpe sofrido nessas eleições, quando perdeu nas principais capitais e viu seu tamanho reduzir em todo o país.

É claro que neste segundo turno Wagner e RC querem atrair os eleitores de Luizianne. O desafio será como fazer isso sem afugentar aqueles que rejeitaram o PT nas urnas. Não foram poucos.

Publicidade

A semana do ex-presidente: paparicado no Ceará, acusado no Paraná

Por Wanfil em Eleições 2016

05 de agosto de 2016

Lula em Fortaleza, antes da Lava Jato, quando aliados brigavam para aparecer ao seu lado

Lula em Fortaleza em 2013, antes da Lava Jato, quando sua presença fazia desafetos se unirem para aparecer ao seu lado. O tempo voa…

Na mesma semana em que esteve no Ceará, onde foi paparicado em ocasiões separadas por seleto grupo formado por Luzianne Lins, José Guimarães, Ciro Gomes, Cid Gomes e Camilo Santana, o ex-presidente Lula foi acusado pelo Ministério Público no Paraná de ter participado “ativamente do esquema criminoso na Petrobras”.

Os procuradores da Força-tarefa da Operação Lava Jato afirmam ainda que “há elementos de prova de que Lula participou ativamente do esquema criminoso” e que “recebeu, direta e indiretamente, vantagens indevidas decorrentes dessa estrutura delituosa”.

A passagem de Lula foi registrada aqui no blog nos posts Os bons companheiros e Do jatinho ao fusquinha.

Nas eleições de 2012, multidões de candidatos a prefeito e vereador queriam aparecer ao lado de Lula. Agora, no Ceará, a comitiva dos que acreditam na sua capacidade de transferir votos cabe dentro de um Fusca.

Publicidade

Guimarães diz que prisão de tesoureiro é política! Não é bem assim, deputado

Por Wanfil em Corrupção

16 de Abril de 2015

O deputado federal José Guimarães, líder do governo na Câmara Federal, disse que a prisão de João Vaccari Netto, ex-tesoureiro do PT, foi uma ação política. É o que diz o jornalista Josias de Souza, em seu blog no portal UOL, que tem a Tribuna do Ceará entre seus parceiros.

“Eu acho que é uma prisão política. Não há milagre, não há mão divina nessa história. Vários outros partidos tiveram doações de empresas investigadas pela Lava Jato e foram registradas pelo TSE da mesma forma”. Segundo Josias de Souza, foi o que disse Guimarães. A Tribuna Band News FM, do grupo Jangadeiro, tentou contato com o deputado, sem sucesso, por causa de reuniões políticas e votações na Câmara.

Esse é um raciocínio que outras lideranças do PT estão trabalhando, mas não é bem assim. Vaccari não foi preso por ter recebido, em nome do PT, doações de empresas contratadas pela Petrobras, mas pelo fato de que algumas delas empresas confessaram ter repassado dinheiro desviado da estatal para entregar ao ex-tesoureiro. A lógica é simples: por estar no poder, o PT indica os diretores da Petrobras, responsáveis pelos contratos com as empreiteiras. Milagre seria o esquema ter sido montado para beneficiar os adversários do PT.

Outro ponto: é claro que todos registraram as doações da mesma forma no TSE! Quem declararia dinheiro de propina? É justamente para descobrir quem usou as doações eleitorais para disfarçar ilegalidades que Lava Jato está em curso. Doações, em si, são previstas em lei. A questão, é saber a verdadeira origem desse dinheiro. O destino todos já sabem.

Morte matada ou morte morrida?
Por último, um esclarecimento. Governistas em geral andam dizendo que o PT afastou João Vaccari do cargo. Errado. Foi ele quem pediu afastamento. A diferença é significativa. A saída do tesoureiro não se deu por ação de assepsia, mas por estratégia de defesa de ambos.

O partido divulgou nota de solidariedade ao companheiro preso por corrupção.

Publicidade

Quem muito espera, às vezes alcança, às vezes desespera

Por Wanfil em Eleições 2014

25 de Abril de 2014

No Ceará, exemplos de eleições recentes mostram que esperar demais por matar.

No Ceará, exemplos de eleições recentes mostram que esperar demais pode matar.

Quem espera sempre alcança, diz o ditado popular. A máxima, que enaltece a paciência e o otimismo, não serve de consolo aos partidos da aliança governista no Ceará, imersos em dúvidas e desconfianças que ameaçam rachá-la.

Pros

Enquanto o Pros do governador Cid Gomes deseja empurrar para junho qualquer decisão a respeito de eleições estaduais, PMDB e PT cobram um posicionamento para definirem suas estratégias.

PMDB

O senador Eunício Oliveira, pré-candidato à vaga no Palácio da Abolição, aguarda uma resposta de Cid para saber se o Pros irá com ele ou se lançará candidatura própria. Disse esperar uma resposta até o próximo dia 30. Depois disso, sem o apoio do governador, o PMDB fica livre par articular uma chapa com partidos de oposição. Outra possibilidade que acena no mercado de especulações seria o apio de Eunício à reeleição de Inácio Arruda, do PCdoB.

PSDB e PR

PSDB e PR esperam por uma candidatura de Tasso Jereissati ao Senado, alvo de muita especulação e nenhuma certeza. Se Tasso disputar, as legendas caminham juntas; se não, o PSDB segue sozinho para garantir o palanque do presidenciável da sigla, o mineiro Aécio Neves. Já o PR deve aderir ao projeto de Eunício. PSDB e PMDB não descartam uma conversa mais adiante, a depender do desenrolar dos fatos. O fato é que a oposição não tem motivos para se adiantar aos aliados de Cid. A pressão, nesse momento, está sobre o governo.

PT

O PT, por sua vez, abre mão de apresentar um nome ao governo estadual, para marchar com a candidatura do deputado federal José Guimarães ao Senado. No entanto, o partido vive dias de tensão. Espera uma manifestação explícita de apoio por parte do governador Cid Gomes, uma vez que o Pros desistiu de lançar Ciro Gomes para o Senado. O silêncio já incomoda e gera expectativas.

Guimarães ainda prefere não cogitar uma possível resistência dos Ferreira Gomes para compor com o Pros, afinal, se hoje o PT não faz oposição a Cid, isso se deve, em grande medida, ao trabalho de articulação de Guimarães. A manutenção da parceria com Cid seria, portanto, um gesto de reconhecimento à lealdade e ao esforço feito pelo petista para manter a aliança, mesmo após o rompimento entre o governador e a ex-prefeita Luizianne Lins. Caso o Pros decline, as consequências são imprevisíveis. Uma delas seria Guimarães cruzar os braços e deixar prosperar a sugestão de Luizianne em favor de uma candidatura do PT ao governo, contra o Pros. Nada certo, por enquanto.

Cobrança

É aquela história: boato é fogo de muita luz e pouco calor. Chama a atenção, mas não tem resultado prático. O problema de um emaranhado desses é que, inevitavelmente, e a história recente da política cearense é repleta de exemplos nesse sentido, alguém acabará esperando por quem não veio. E é por saberem que alguém ficará para trás, que os aliados de Cid cobram definições.

Como diz outro ditado popular: quem muito espera, desespera.

Publicidade

A presepada da renúncia que não aconteceu

Por Wanfil em Eleições 2014

05 de Abril de 2014

Cid renunciou a renúncia que poderia ter sido anunciada, mas não foi. Na imprensa, mobilizou atenções; entre aliados, atiçou ambições e medos. Não comoveu o cidadão comum. Sem problemas. É que apesar de tudo ter se dado em razão de projeções eleitoreiras, o destinatário das mensagens encenadas no teatro político, nesse instante, não foi o eleitor, mas a própria comunidade política, seus partidos e lideranças. Os atos públicos, as declarações dúbias, as evasivas e o suspense serviram para dar dramaticidade aos eventos, conferindo ares de verossimilhança às bravatas da hora.

A semana do “pode ser que eu renuncie/não renuncio mais” entra como presepada no rodapé da História do Ceará. Foram dias perdidos para a administração, que agora segue em modo de piloto automático. Algo muito parecido com um reality show, com direito a indiretas, mal estar do governador, arroubos de seu irmão, palpites de parlamentares subalternos, sem que nada de importante fosse realmente discutido.

Projetos pessoais

O Ceará segue ao sabor de projetos pessoais reunidos numa aliança de conveniência entre Pros, PT e PMDB.

O projeto pessoal de Cid Gomes (que na verdade é um projeto de família) necessita, pelas atuais circunstâncias, de alguém de sobrenome diferente, mas suficientemente submisso para não escapar-lhe ao controle. O plano esbarrou no projeto pessoal do vice-governador Domingos Filho, que se negou a renunciar. Por não ser de confiança dos Ferreira Gomes, a desincompatibilização de Cid ficou impedida, sob pena de perder o comando da máquina para Domingos.

O PMDB é representado pelo projeto pessoal do senador Eunício Oliveira, pré-candidato ao governo estadual, e o PT caminha a reboque do projeto pessoal de José Guimarães, que sonha ser senador. Pros e PMDB querem o tempo de propaganda do PT, fiel da balança na rixa entre Cid e Eunício. O problema é que, nesse feudo vermelho, o senhor dos vassalos é Lula.

O futuro político é incerto, o que significa dizer que o ambiente continua favorável para mais confusões inúteis.

Sem rumo

Infelizmente, no jogo da sucessão, buscar propostas de soluções para os problemas que afligem a população não passa de detalhe a ser contornado mais à frente, com promessas bacanas boladas por marqueteiros caros. O importante é tramar em busca do poder.

Nessa toada, desperdiçamos uma boa oportunidade de falar sobre o Ceará. Qual o melhor rumo para desenvolver suas potencialidades? Ninguém diz. Rigor fiscal, atração de investimentos, políticas compensatórias e universalização da educação primária são conquistas antigas, de 15, 20 anos atrás, constantemente rebatizadas e reformadas para serem vendidas como novidades, mas que já dera o que tinham que dar. Qual o próximo passo? Como atrair novos investimentos? Como depender menos do governo federal? Qual o papel estratégico da educação para aprimorar nossa mão de obra?

São questões sem resposta porque nossas lideranças preferem dedicar tempo, dinheiro e energia em presepadas políticas. Para onde quer que eu olhe, vejo apenas presepeiros.

Publicidade

Novo vice-presidente nacional do PT, Guimarães recebeu R$ 250 mil do velerioduto em 2003

Por Wanfil em Política

12 de dezembro de 2013

O deputado federal José Guimarães assume a 1ª vice-presidência do PT. Foto: Blog do Augusto Nunes/Veja

O deputado federal José Guimarães assume a 1ª vice-presidência do PT e é cotado para coordenar a campanha de Dilma em 2014. Foto: Blog do Augusto Nunes/Veja

O deputado federal pelo Ceará José Nobre Guimarães assume nesta quinta-feira (12) o cargo de 1º vice-presidente na Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores.

O parlamentar, que é líder do PT na Câmara Federal e irmão de José Genoíno, ex-presidente do partido recentemente preso por corrupção no caso do mensalão, é cotado ainda para ser um dos coordenadores à reeleição da presidente Dilma Rousseff. Em 2010, o petista foi coordenador da campanha no Nordeste.

Como todos sabem, Guimarães ficou nacionalmente conhecido quando um de seus assessores, José Adalberto Vieira, foi preso pela Polícia Federal no aeroporto de Congonhas com 100 mil dólares na cueca, em 2005.

No entanto, outro episódio menos famoso mas não menos polêmico  pode constranger a sigla em 2014, ano eleitoral. Quando estourou o escândalo do mensalão e todos souberam das ações do empresário Marcos Valério, o operador do esquema condenado à prisão pelo STF na ação penal 470, José Guimarães admitiu ter recebido R$ 250 mil ilegais do valerioduto em 2003 para quitar dívidas da campanha eleitoral de José Airton Cirilo para o governo estadual, disputada no ano anterior, por intermédio do tesoureiro Delúbio Soares, outro condenado.

Vale dizer que Guimarães não foi condenado em nenhum dos casos. Alegou que nada sabia das atividades do assessor (que disse que a grana foi o apurado da venda de legumes), nem da origem dos recursos enviados por Marcos Valério. Houve um processo de cassação na Assembleia Legislativa por quebra de decoro, mas com o apoio do próprio partido e de deputados do grupo cirista liderados por Ivo Gomes, o petista manteve o mandato.

O resto é história. Guimarães deu a volta por cima, consolidando a posição de nome influente nos círculos de Brasília e junto a órgãos federais, como o Banco do Nordeste.

O risco disso tudo, para a presidente (que tem evitado referências a Dirceu, Genoíno e Delúbio)  é ter como coordenador de campanha alguém que se notabilizou por escândalos ligados “recursos não contabilizados”.

Publicidade

Breves notas sobre réveillon, aviões e declarações nada nobres

Por Wanfil em Ceará

15 de novembro de 2012

Breves notas sobre três acontecimentos que agitaram a semana no Ceará:

Luizianne quebra o silêncio e cobra “garantias” Cid Gomes e Roberto Cládio para fazer o Réveillon

Estou na torcida para que a festa do réveillon deste ano seja cancelada, como medida de austeridade e para economizar os parcos recursos do município. A festa em 2010 custou 4,4 milhões de reais. Na ocasião, cito de memória, Caetano Veloso recebeu 700 mil para fazer um show pelo qual cobrou 100 mil em São Paulo. Em 2011, foram mais 5 milhões, numa festa com artistas do calibre de uma tal de Martinália. Qual o retorno de tudo isso? Turismo, dizem alguns. Pois eu aposto que o turismo não diminui sem o réveillon. No feriado de Finados, por exemplo, a taxa de ocupação de leitos de hotel ficou em 90%. Ademais, toda economia será de grande valia para que Roberto Cláudio possa cumprir tudo o que prometeu. Não foi pouca coisa.

Cid Gomes feriu regras de segurança no aeroporto de Salvador. Anac abriu procedimento para investigar o caso

Não sei que sentimento de urgência fez o governador Cid Gomes atravessar a pista de um grande aeroporto em pleno horário de tráfego para ser visto pela presidente Dilma. Uma aeronave foi obrigada a arremeter por causa da imprudência. Aqui faço apenas uma constatação curiosa. Cid não tem mesmo sorte com aviões. Boa parte das notícias que o constrangeram nos últimos anos diz respeito a casos envolvendo jatos. Parece uma karma… Foi assim na famosa viagem com a sogra, a carona com Alexandre Grendene e agora o episódio na Bahia. Sem querer ofender, talvez seja o caso de optar por aviões de carreira.

“Se existirem três pessoas honestas no Brasil, Genoíno é uma delas”, diz deputado José Guimarães

O deputado federal José Nobre Guimarães (PT) afirma que seu irmão José Genoíno (PT), condenado pelo Supremo Tribunal Federal no processo do Mensalão a 6 anos e 11 meses de prisão, é inocente e modelo de inocência. Supondo que Guimarães considere Lula e Dirceu pessoas honestas, ele mesmo ficaria fora da lista tríplice da candura. A declaração, se feita em âmbito privado, seria questão de foro íntimo, coisa de parente que não quer enxergar a verdade. Porém, tornada pública pelo vice-líder do governo na Câmara Federal, ganha contorno de desagravo ao condenado e de consequente repúdio à Corte Suprema. Uma atitude, portanto, nada nobre e genuína.

Guimarães alega ainda que Genoíno é pobre, o que seria prova cabal de que o irmão é puro de espírito. Ora, o destino dado ao produto de um crime não desfaz sua natureza ilegal. Se um ladrão de bolsas rouba uma senhora na esquina e mais adiante distribui o dinheiro que havia nela para mendigos, isso não muda o fato de que a mulher foi roubada por um ladrão. E  olha que não se tem notícias de mendigos que tenham recebido alguma parte no mensalão…

Por último, Guimarães anuncia que “se o PT fizer uma vaquinha, serei o primeiro a entrar na cota”. Que é isso, companheiro? O condenado é seu irmão! Não espere vaquinha do partido para ajudá-lo. Se for necessário, peça um empréstimo bancário. O senhor tem prestígio em algumas casas.

Publicidade

Breves notas sobre réveillon, aviões e declarações nada nobres

Por Wanfil em Ceará

15 de novembro de 2012

Breves notas sobre três acontecimentos que agitaram a semana no Ceará:

Luizianne quebra o silêncio e cobra “garantias” Cid Gomes e Roberto Cládio para fazer o Réveillon

Estou na torcida para que a festa do réveillon deste ano seja cancelada, como medida de austeridade e para economizar os parcos recursos do município. A festa em 2010 custou 4,4 milhões de reais. Na ocasião, cito de memória, Caetano Veloso recebeu 700 mil para fazer um show pelo qual cobrou 100 mil em São Paulo. Em 2011, foram mais 5 milhões, numa festa com artistas do calibre de uma tal de Martinália. Qual o retorno de tudo isso? Turismo, dizem alguns. Pois eu aposto que o turismo não diminui sem o réveillon. No feriado de Finados, por exemplo, a taxa de ocupação de leitos de hotel ficou em 90%. Ademais, toda economia será de grande valia para que Roberto Cláudio possa cumprir tudo o que prometeu. Não foi pouca coisa.

Cid Gomes feriu regras de segurança no aeroporto de Salvador. Anac abriu procedimento para investigar o caso

Não sei que sentimento de urgência fez o governador Cid Gomes atravessar a pista de um grande aeroporto em pleno horário de tráfego para ser visto pela presidente Dilma. Uma aeronave foi obrigada a arremeter por causa da imprudência. Aqui faço apenas uma constatação curiosa. Cid não tem mesmo sorte com aviões. Boa parte das notícias que o constrangeram nos últimos anos diz respeito a casos envolvendo jatos. Parece uma karma… Foi assim na famosa viagem com a sogra, a carona com Alexandre Grendene e agora o episódio na Bahia. Sem querer ofender, talvez seja o caso de optar por aviões de carreira.

“Se existirem três pessoas honestas no Brasil, Genoíno é uma delas”, diz deputado José Guimarães

O deputado federal José Nobre Guimarães (PT) afirma que seu irmão José Genoíno (PT), condenado pelo Supremo Tribunal Federal no processo do Mensalão a 6 anos e 11 meses de prisão, é inocente e modelo de inocência. Supondo que Guimarães considere Lula e Dirceu pessoas honestas, ele mesmo ficaria fora da lista tríplice da candura. A declaração, se feita em âmbito privado, seria questão de foro íntimo, coisa de parente que não quer enxergar a verdade. Porém, tornada pública pelo vice-líder do governo na Câmara Federal, ganha contorno de desagravo ao condenado e de consequente repúdio à Corte Suprema. Uma atitude, portanto, nada nobre e genuína.

Guimarães alega ainda que Genoíno é pobre, o que seria prova cabal de que o irmão é puro de espírito. Ora, o destino dado ao produto de um crime não desfaz sua natureza ilegal. Se um ladrão de bolsas rouba uma senhora na esquina e mais adiante distribui o dinheiro que havia nela para mendigos, isso não muda o fato de que a mulher foi roubada por um ladrão. E  olha que não se tem notícias de mendigos que tenham recebido alguma parte no mensalão…

Por último, Guimarães anuncia que “se o PT fizer uma vaquinha, serei o primeiro a entrar na cota”. Que é isso, companheiro? O condenado é seu irmão! Não espere vaquinha do partido para ajudá-lo. Se for necessário, peça um empréstimo bancário. O senhor tem prestígio em algumas casas.