inflação Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

inflação

Receita cearense: raiz, bulbo e rizoma contra a crise

Por Wanfil em Economia

10 de agosto de 2016

A mesma notícia, com dois título diferentes. Em ambos, cesta básica é secundário diante de raízes e bulbos

A mesma notícia, com dois título diferentes. Em ambas, cesta básica é informação secundária diante de raízes e bulbos

Dilma Rousseff virou ré no Senado, acusada de crimes contra a economia, após votação realizada ontem, terça-feira (9). Economia que está em recessão, como todos sabem e sentem.

Em contrapartida, no mesmo dia, um texto publicado no site do governo estadual (apoiador da política econômica de Dilma, como bem pode confirmar o secretário da Fazenda Mauro Filho), anunciou que o “IPCE (Índice de Preços da Ceasa Ceará) registra queda de 15,11% em julho“.

Entretanto, ao contrário do que parece, o título não alude a uma média geral de preços na Ceasa, mas a um setor isolado, denominado “Raiz, Bulbo e Rizoma”. Trata-se, portanto, de excelente notícia para consumidores de raízes, bulbos e rizomas. Só no final do primeiro parágrafo é que o leitor fica sabendo que “o setor Cesta Básica apresentou aumento de 8,93%”. Péssima notícia para consumidores de “manteiga (44%), queijo coalho (32%), feijão de corda (24,41%), frango (19,31%), café (14,58% e feijão preto (13,75%)”.

No site da Ceasa, diga-se, o título da matéria foi corretamente colocado: “IPCE registra queda de 15,11% no setor Raiz, Bulbo e Rizoma“. A versão menos exata foi publicada apenas no portal do governo.

Publicidade

Incoerências e contradições

Por Wanfil em Política

09 de junho de 2016

No Brasil em geral e no Ceará em particular, o que não falta nos dias de hoje são incoerências e contradições. É só passar a vista no noticiário ou puxar pela memória que facilmente elas aparecem.

1) Enquanto a tocha olímpica passeia pelo Ceará iluminando os jogos do RJ que custarão R$ 39 bilhões aos brasileiros, o Ministério da Integração Nacional apresenta novo cronograma para a transposição do São Francisco, atrasada por falta de pagamento no governo Dilma Rousseff;

2) Construímos um estádio de R$ 518 milhões e nossos principais times de futebol continuam nas séries B e C do campeonato brasileiro;

3) Segundo o IBGE, a produção industrial no Ceará despencou 9,3% nos últimos 12 meses e Fortaleza tem a maior inflação do País. Mesmo assim, o governador Camilo Santana, o prefeito Roberto Cláudio querem a volta de Dilma Rousseff;

4) De acordo com o Ministério Público Federal, os municípios do Ceará estão na oitava posição no ranking dos portais da transparência, ao mesmo tempo em que conseguem ficar nas primeiras posições em fraudes no Bolsa Família;

5) O hospital regional de Quixeramobim não funciona por falta de verbas de custeio e os governos estadual e da capital anunciam a construção de um novo hospital.

Por essas e outras é que a classe política conseguiu ter a mesma credibilidade de contrabandistas paraguaios, aqueles que nas piadas garantem a qualidade dos seus empreendimentos e produtos dizendo: “la garantia soy yo“. Quem é que confia?

Publicidade

BRICS terá 7 mil agentes de segurança. Pena que é nuvem passageira

Por Wanfil em Economia

15 de julho de 2014

Sai de cena a festa da Copa do Mundo e entra em campo a aridez dos temas econômicos, com Fortaleza sediando a 6ª Cúpula do BRICS, o grupo de países emergentes formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do sul. No fundo, é o grupo resulta mesmo da política externa de Chia e Rússia, potências militares que sonham com a liderança no concerto da geopolítica mundial. Mas essa é outra história, jogo de gente grande. Para nós do Ceará o que importa é que esses eventos são indiscutíveis oportunidades de consolidar o nome do estado na rota do turismo mundial: a Copa com o lazer, o BRICS com as chances de negócios.

Segurança
Por isso Fortaleza está um brinco, pelo menos no entorno do Centro de Eventos, onde a limpeza e a pavimentação germânicas (para usarmos um padrão da moda), assim como a segurança, não deixam nada a desejar. O Governo do Estado anunciou que ao todo 7.689 agentes atuarão para que tudo ocorra na mais perfeita tranquilidade. São 4.444 de seu próprio contingente, que contam com o reforço de outros 3.245 profissionais vindos de parcerias com órgãos como a Polícia Federal, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Ministério da Defesa e Gabinete de Segurança Institucional da Presidência (GSI), Guarda Municipal de Fortaleza (GMF), entre outros.

Basta andar nas ruas próximas ao local para conferir como tudo está tinindo para proteger e impressionar os chefes de estado esperados para o encontro. Temos que causar boa impressão, mirando em futuros investimentos, claro. Nada contra. Quem dera memso essas ações preparadas para o BRICS durassem o ano inteiro e fossem ampliadas para todo o Ceará.

O negócio é tão bacana, que o risco agora é ver essas impressões se confundirem com a realidade. Porém, todo esse arranjo é passageiro, já que a reunião acaba na quarta-feira (16).  Por isso, é bom a gente ficar ligado: assim como promover uma copa não significa dizer que temos uma grande seleção, sediar o encontro do BRICS não é garantia de que temos uma economia equilibrada ou que moramos em lugar seguro.

Economia
Sobre segurança, não é preciso dizer muito. Todos sabem como andam as coisas no Ceará e no Brasil. Já na economia, começamos a sentir no bolso o peso do baixo crescimento e das políticas fiscal e monetária do governo federal. Os dados falam por si. Entre os países do BRICS, o Brasil é o que apresentou pior desempenho econômico nos últimos anos, com a pior taxa de investimentos.

Crescimento (média 2011-2013)
B
rasil – 2%
Rússia – 3%
Índia – 5,4%
China- 8,2%
África do Sul – 2,6%

Taxa de investimento (% PIB)
Brasil – 18%
Rússia – 23%
Índia – 30%
China- 49%
África do Sul – 19% – Fonte: Exame/Abril

O risco inflacionário
O Brasil aparece bem em relação ao PIB per capita e a taxa de pobreza (6%), comparado com o resto do grupo (na China a taxa dobra). Mas essas conquistas estão ameaçadas pela inflação, que já estourou o teto da meta este ano e que no primeiro semestre superou o rendimento da poupança.

Futuro
No futebol, a derrota terminou com a demissão de Felipão e de toda a comissão técnica. Na economia, o debate começa agora, com as eleições entrando de vez no calendário da torcida brasileira. O nome do técnico é Guido Mantega.

Publicidade

Notas soltas: Niemeyer amava curvas e Fidel as retas; inflação sobe e PIB cai; faculdades reprovadas e cotas raciais

Por Wanfil em Noticiário

07 de dezembro de 2012

Uma olhada no noticiário com breves comentários.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONFERE NOTA MÁXIMA PARA APENAS 27 INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR E 27% SÃO REPROVADAS

Bom, se as universidades são ruins agora, como ficarão com a substituição do mérito pela política de cotas raciais? Sejamos, entretanto, otimistas. Se o problema da má qualidade do ensino superior no Brasil piorar, pelo menos teremos um país menos desigual: a educação será de má qualidade para alunos do ensino básico, médio e superior, sem distinção.

INFLAÇÃO SOBE 0,6% EM NOVEMBRO E CHEGA A 5% EM 2012, DIZ IBGE

Quando o IBGE admite que a pressão inflacionária é uma realidade no Brasil perfeito de hoje (inflação é uma média cuja escolha dos produtos pode interferir no resultado final), é porque na prática (e no bolso), a coisa está ruim. Lembrando ainda que o PIB do ano foi um fiasco, fica claro que o repique não é resultado de excesso de demanda dos consumidores. Mas nem tudo está perdido. Inflação é imposto sobre os pobres. A vantagem, para o governo, é que os pobres não sabem disso até que lhes falte dinheiro para pagar os carnês de eletrodomésticos comprados em 36 vezes. Empurrar com a barriga, como vimos no PAC, é a essência do estilo Dilma de administrar. Se foi assim que ela chegou lá, por que haveria de fazer diferente agora?

CASTELÃO ESTÁ QUASE PRONTO PARA A INAUGURAÇÃO

Nem tudo é notícia ruim. O estádio Castelão está aí para provar e é preciso reconhecer o mérito de quem tornou esse sonho maravilhoso possível: eu e você, caro leitor. Sim, o difícil para a construção de uma obra dessas – cujo retorno me é difícil de ver – é o dinheiro. Como pagamos impostos pesados (voar de São Paulo para o Ceará é mais caro do que voar para a Argentina por causa do ICMS ), há dinheiro em caixa. E os gestores? Não fizeram mais do que a obrigação, não é?

FIDEL MANDA COROA DE FLORES PARA ENTERRO DE NIEMEYER

O que curvas e retas separam, a ideologia comunista reúne. Oscar Niemeyer – segundo clichê publicado em todos os textos jornalísticos sobre a morte do arquiteto – preferia “a beleza das curvas” em oposição à “linha reta, dura, inflexível criada pelo homem”. Já Fidel sempre preferiu a trajetória das linhas retas, que perfazem a eficiência dos pelotões de fuzilamento com os quais eliminou milhares de adversários. Apesar disso, eram amigos que se admiravam, que cultivavam o mesmo sonho da utopia em que retas e curvas poderiam viver em igualdade, a despeito das naturais diferenças entre os homens. Em Cuba, 18 mil criaturas que discordaram disso, morreram.

Publicidade

Notas soltas: Niemeyer amava curvas e Fidel as retas; inflação sobe e PIB cai; faculdades reprovadas e cotas raciais

Por Wanfil em Noticiário

07 de dezembro de 2012

Uma olhada no noticiário com breves comentários.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONFERE NOTA MÁXIMA PARA APENAS 27 INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR E 27% SÃO REPROVADAS

Bom, se as universidades são ruins agora, como ficarão com a substituição do mérito pela política de cotas raciais? Sejamos, entretanto, otimistas. Se o problema da má qualidade do ensino superior no Brasil piorar, pelo menos teremos um país menos desigual: a educação será de má qualidade para alunos do ensino básico, médio e superior, sem distinção.

INFLAÇÃO SOBE 0,6% EM NOVEMBRO E CHEGA A 5% EM 2012, DIZ IBGE

Quando o IBGE admite que a pressão inflacionária é uma realidade no Brasil perfeito de hoje (inflação é uma média cuja escolha dos produtos pode interferir no resultado final), é porque na prática (e no bolso), a coisa está ruim. Lembrando ainda que o PIB do ano foi um fiasco, fica claro que o repique não é resultado de excesso de demanda dos consumidores. Mas nem tudo está perdido. Inflação é imposto sobre os pobres. A vantagem, para o governo, é que os pobres não sabem disso até que lhes falte dinheiro para pagar os carnês de eletrodomésticos comprados em 36 vezes. Empurrar com a barriga, como vimos no PAC, é a essência do estilo Dilma de administrar. Se foi assim que ela chegou lá, por que haveria de fazer diferente agora?

CASTELÃO ESTÁ QUASE PRONTO PARA A INAUGURAÇÃO

Nem tudo é notícia ruim. O estádio Castelão está aí para provar e é preciso reconhecer o mérito de quem tornou esse sonho maravilhoso possível: eu e você, caro leitor. Sim, o difícil para a construção de uma obra dessas – cujo retorno me é difícil de ver – é o dinheiro. Como pagamos impostos pesados (voar de São Paulo para o Ceará é mais caro do que voar para a Argentina por causa do ICMS ), há dinheiro em caixa. E os gestores? Não fizeram mais do que a obrigação, não é?

FIDEL MANDA COROA DE FLORES PARA ENTERRO DE NIEMEYER

O que curvas e retas separam, a ideologia comunista reúne. Oscar Niemeyer – segundo clichê publicado em todos os textos jornalísticos sobre a morte do arquiteto – preferia “a beleza das curvas” em oposição à “linha reta, dura, inflexível criada pelo homem”. Já Fidel sempre preferiu a trajetória das linhas retas, que perfazem a eficiência dos pelotões de fuzilamento com os quais eliminou milhares de adversários. Apesar disso, eram amigos que se admiravam, que cultivavam o mesmo sonho da utopia em que retas e curvas poderiam viver em igualdade, a despeito das naturais diferenças entre os homens. Em Cuba, 18 mil criaturas que discordaram disso, morreram.