Ideb Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

Ideb

O Ideb – que não é candidato, nem é de oposição – mostra fiasco na educação no Ceará. E agora, Izolda?

Por Wanfil em Educação

06 de setembro de 2014

Após ser pressionado pela imprensa, o governo federal finalmente divulgou o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que mede o desempenho de alunos do ensino fundamental e médio das escolas públicas e privadas no Brasil. Redes de 21 Estados não atingiram metas estabelecidas pelo Ministério da Educação; em 16 deles, médias são inferiores às obtidas em 2011.

É o caso do Ceará, onde o ensino médio nas escolas públicas foi reprovado. A meta para 2013 para o Estado era a nota 3,5. No entanto, após grandes investimentos na área, o índice obtido foi de apenas 3,3. Ficamos abaixo da média nacional: 3,4 no setor público (no privado é 5,4). E reparem que a meta não era nada ambiciosa. Leia mais em Ceará tem queda em índice do ensino médio, contrariando propaganda de governo.

No ranking nacional da educação, o Ceará fica ali pelo meio da tabela, à frente de Estados como Bahia, Amapá e Alagoas, empatado com o Acre e o Distrito Federal, atrás de São Paulo e Pernambuco.

Mas o que preocupa mesmo é a atual tendência de queda no desempenho das escolas públicas no ceará, no ensino médio, registrada entre 2011 e 2013.

Eleições
Como estamos em plena campanha eleitoral, é impossível deixar de registrar que se trata de uma má notícia para o candidato ao governo estadual pela situação, o petista Camilo Santana, que tem a ex-secretária da educação, Izolda Cela, como candidata à vice-governadora em sua chapa, com o respaldo, justamente, de duas altas no Ibeb em anos anteriores. A educação e as escolas profissionalizantes figuram como grandes feitos da atual gestão. Izolda chegou a dizer no Facebook que duvidava da honestidade de quem criticasse a área. Pois é, o Ideb não é candidato e não é de oposição, por isso, motivações desonestas em sentido eleitoral devem ser descartadas.

Como consolo, o Ideb 2013 joga luzes no debate sobre a educação, que andava obscurecido pela propaganda eleitoral no Ceará. Nas peças da candidatura governista, a tática é mostrar belas estruturas físicas e deixar de lado os índices comparativos de desempenho. Esse é um padrão de comunicação já conhecido na segurança e na saúde. A realidade, mais uma vez, é que investimentos são feitos, o que merece reconhecimento, mas os resultados são pífios, o que não pode ser escondido. O problema, notadamente, não é financeiro, mas administrativo.

O Ideb agora é uma oportunidade para que candidatos mostrem como podem melhorar a qualidade da educação, ou pelo menos, como parar de piorá-la.

Publicidade

O Ceará no Ideb: educação longe do ideal

Por Wanfil em Brasil

15 de agosto de 2012

Entre 2007 e 2011, alunos do ensino médio melhoraram 0,3 pontos. A média agora é de 3,4. Avanço lento para um problema urgente.

O Índice de Desenvolvimento da Educação Brasileira (Ideb) de 2011 dos ensinos fundamental e médio de todo o Brasil comprova que: 1) a educação ofertada aos nossos jovens é de baixa qualidade; 2) pouco avançou nos últimos anos; 3) a rede pública é pior que a privada. Os resultados podem ser conferidos na íntegra no site do Ministério da Educação.

Seguem abaixo as notas obtidas no Ceará, com médias que variam numa escala de zero a 10.

4ª série / 5º ano

Total: Nota 4,9.  Meta projetada pelo MEC para 2011: 4,0.
Rede estadual: Nota 4,4.  Meta para 2011: 4,0.
Rede Privada: Nota: 6,0. Meta para 2011: 6,1.

8ª série / 9º ano

Total: Nota 4,2.  Meta projetada pelo MEC para 2011: 3,6.
Rede estadual: Nota 3,7.  Meta para 2011: 3,2.
Rede Privada: Nota: 5,7. Meta para 2011: 5,9.

3ª série Ensino Médio

Total: Nota 3,7.  Meta projetada pelo MEC para 2011: 3,6.
Rede estadual: Nota 3,4.  Meta projetada pelo MEC para 2011: 3,2.
Rede Privada: Nota: 5,9. Meta projetada pelo MEC para 2011: 5,8.

A boa notícia

Os números mostram que o Ceará conseguiu desempenho superior à meta estipulada pelo MEC. No ensino médio, comparado aos demais estados, a rede estadual do Ceará ficou em 9º lugar, à frente do Rio de Janeiro e do Distrito Federal, por exemplo. A situação é melhor na rede privada, que fica na 4ª posição, empatado com o Rio Grande do Sul e superando até mesmo São Paulo.

A má notícia

O desempenho nacional é muito, mas muito ruim mesmo. E olha que a rede privada é quem eleva a média, deixando claro que os alunos da rede pública estão em situação pior. A elevação nas notas registrado em 2011 foi obtido a partir de uma base de comparação deprimida. Portanto, o avanço registrado significa, na prática, que estamos um pouco menos piores, mesmo com metas bastante tímidas. Não se trata de ver os fatos com má vontade, pois é inegável que uma média de 3,4 para a rede estadual é um desastre. Trata-se de alunos absolutamente despreparados para a vida profissional e para colocar o Ceará e o Brasil numa posição razoável de competitividade com outras nações.

Vejam o que diz o próprio MEC: “Se o ritmo for mantido, o Brasil chegará a uma média superior a 6,0 em 2022. É o mesmo que dizer que teremos uma educação compatível com países de primeiro mundo antes do previsto“.

Ocorre que os países com educação de primeiro mundo não ficarão parados esperando pelo Brasil. Em 2022, suas médias também terão subido, talvez num ritmo maior do que o nosso. Leia mais

Publicidade

O Ceará no Ideb: educação longe do ideal

Por Wanfil em Brasil

15 de agosto de 2012

Entre 2007 e 2011, alunos do ensino médio melhoraram 0,3 pontos. A média agora é de 3,4. Avanço lento para um problema urgente.

O Índice de Desenvolvimento da Educação Brasileira (Ideb) de 2011 dos ensinos fundamental e médio de todo o Brasil comprova que: 1) a educação ofertada aos nossos jovens é de baixa qualidade; 2) pouco avançou nos últimos anos; 3) a rede pública é pior que a privada. Os resultados podem ser conferidos na íntegra no site do Ministério da Educação.

Seguem abaixo as notas obtidas no Ceará, com médias que variam numa escala de zero a 10.

4ª série / 5º ano

Total: Nota 4,9.  Meta projetada pelo MEC para 2011: 4,0.
Rede estadual: Nota 4,4.  Meta para 2011: 4,0.
Rede Privada: Nota: 6,0. Meta para 2011: 6,1.

8ª série / 9º ano

Total: Nota 4,2.  Meta projetada pelo MEC para 2011: 3,6.
Rede estadual: Nota 3,7.  Meta para 2011: 3,2.
Rede Privada: Nota: 5,7. Meta para 2011: 5,9.

3ª série Ensino Médio

Total: Nota 3,7.  Meta projetada pelo MEC para 2011: 3,6.
Rede estadual: Nota 3,4.  Meta projetada pelo MEC para 2011: 3,2.
Rede Privada: Nota: 5,9. Meta projetada pelo MEC para 2011: 5,8.

A boa notícia

Os números mostram que o Ceará conseguiu desempenho superior à meta estipulada pelo MEC. No ensino médio, comparado aos demais estados, a rede estadual do Ceará ficou em 9º lugar, à frente do Rio de Janeiro e do Distrito Federal, por exemplo. A situação é melhor na rede privada, que fica na 4ª posição, empatado com o Rio Grande do Sul e superando até mesmo São Paulo.

A má notícia

O desempenho nacional é muito, mas muito ruim mesmo. E olha que a rede privada é quem eleva a média, deixando claro que os alunos da rede pública estão em situação pior. A elevação nas notas registrado em 2011 foi obtido a partir de uma base de comparação deprimida. Portanto, o avanço registrado significa, na prática, que estamos um pouco menos piores, mesmo com metas bastante tímidas. Não se trata de ver os fatos com má vontade, pois é inegável que uma média de 3,4 para a rede estadual é um desastre. Trata-se de alunos absolutamente despreparados para a vida profissional e para colocar o Ceará e o Brasil numa posição razoável de competitividade com outras nações.

Vejam o que diz o próprio MEC: “Se o ritmo for mantido, o Brasil chegará a uma média superior a 6,0 em 2022. É o mesmo que dizer que teremos uma educação compatível com países de primeiro mundo antes do previsto“.

Ocorre que os países com educação de primeiro mundo não ficarão parados esperando pelo Brasil. Em 2022, suas médias também terão subido, talvez num ritmo maior do que o nosso. (mais…)