factoide Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

factoide

Dilma vem ao Ceará para nada. Resta ver quem serão os figurantes do factoide

Por Wanfil em Política

26 de agosto de 2015

Dilma-metro-Fortaleza-linha-sul-Foto-Roberto-Stuckert-Filho-PR

Dilma no Ceará, em 2013, quando ainda era popular. E agora, quem embarcará com ela no trem da impopularidade? Imagem: efeito sobre foto de divulgação

A presidente Dilma vem ao Ceará na próxima sexta-feira (28). Na agenda, a petista irá a Lavras da Mangabeira (terra do senador Eunício Oliveira, do PMDB) assinar ordem de serviço para trecho da ferrovia transnordestina. Depois, como se fosse prefeita do Brasil, segue para Caucaia, onde entrega algumas unidades do ‘Minha Casa, Minha Vida’. Não há confirmação sobre uma eventual vistoria nas obras da transposição do São Francisco. Por fim, em Fortaleza, ela participa do evento “Dialoga Ceará”.

Mais do mesmo
Na prática, Dilma não fará nada, a exemplo de visitas anteriores. O Minha Casa Minha Vida programa sofreu corte de 5,6 bilhões de reais por causa da crise, sem contar com nos atrasos dos pagamentos às construtoras, que por isso começaram a demitir operários. No Ceará, serão entregues quatrocentas e poucas unidades, muito pouco para um governo que festejava a condição de sétima economia do mundo.

A transnordestina, assim como a transposição, é exemplo de ineficiência, com atrasos sucessivos e aumentos de preços inexplicáveis. E o “Dialoga Ceará” é invenção de marqueteiro na tentativa de mostrar que seu governo não se resume a escândalos de corrupção, caos político e desastre na economia. Como sempre, vai sobrar discurso e faltar ação. Nem a reforma do aeroporto prometida para a Copa o governo conseguiu fazer.

A novidade
Nada disso é novo. Dilma já veio ao Ceará outras vezes fazer promessas e discursos sem nexo. A diferença é a conjuntura desfavorável para a presidente. Processos no TSE e no TCU, ameaça de impeachment, protestos contra o governo, inflação alta, aumentos nas taxas de energia e nos combustíveis, dólar descontrolado, desemprego recorde, redução nos repasses federais para estados e municípios e maior índice de impopularidade da história.

Sem contar o passivo local, como os 650 milhões de reais do tesouro estadual gastos para receber a refinaria prometida aos cearenses, ou a redução de verbas para a saúde, que ampliou a crise no setor.

Trem desgovernado
Antes, quando ainda registrava boas taxas de aprovação, a presidente era seguida por um cortejo de aliados sorridentes, ansiosos por fotografias e incapazes de cobrar-lhe promessas como a refinaria. Eram coadjuvantes dos factoides presidenciais dispostos a tudo para ficar no trem do governismo, quando este andava nos trilhos. Agora, a situação é outra. Cid já saiu do ministério e Ciro tratou de procurar um partido independente, no caso, o PDT.

Será interessante ver quem, livre de obrigações partidárias ou de funções administrativas, ainda se dispõe a ficar no trem desgovernado pilotado por Dilma, na condição de figurante durante as encenações públicas agendadas para a visita.

Publicidade

Depois do leilão do Campo de Libra, nova promessa de refinaria no Ceará não passará de insulto

Por Wanfil em Ceará, Economia

22 de outubro de 2013

Em rede nacional de rádio e televisão, a presidente Dilma informou que o leilão do Campo de Libra foi um sucesso e não foi privatização. O discurso não poderia ser outro, mas a necessidade de falar à nação revela desde logo uma postura defensiva, uma vez que há vários questionamentos sobre o modelo adotado para atrair o capital privado para a exploração da maior reserva de petróleo do país.

Tecnicamente, a substituição do antigo modelo de concessão (não é venda, é concessão), que o partido da presidente apelidou de privatização, pelo de partilha (uma concessão – privatização, no passado – dividida com a Petrobras, que entra na exploração sem precisar pagar), não atraiu muitos investidores. Na verdade, dos 40 possíveis, somente cinco fizeram propostas.

Aí o negócio fica estranho. A Petrobras já tinha direito a 30% do Campo de Libra. Só que as ofertas feitas no leilão cobriam a exploração de 90% da área. Para não pagar mico, a Petrobras comprar os 10% restantes. E aí o que deveria sair de graça para a empresa orgulho nacional, ficou caro.

Agora, mesmo com problemas de caixa e uma dívida de US$ 112,7 bilhões no fim do segundo trimestre (a maior do mundo entre as companhias abertas não financeiras, de acordo com o Bank of America), a Petrobras terá que pagar um bônus de R$ 6 bilhões pela parte que lhe cabe no negócio. Fora o investimento na exploração propriamente dita.

E o que isso tem a ver com o Ceará?

Bom, só a grana do bônus daria para cobrir, na atual cotação do dólar, aproximadamente 25% do investimento previsto para a Refinaria Premium II, prometida aos cearenses por Lula e Dilma. Mas promessa só é dívida para quem é honesto.

Se for prometida novamente nas eleições do ano que vem, a refinaria, que já não viria mesmo nesse governo, deixa de ser um factoide eleitoral para se transformar de uma vez por todas em escárnio e insulto.

Publicidade

Deputados estaduais querem mobilização por refinaria no Ceará: ora senhores, cobrem Lula e Dilma!

Por Wanfil em Ceará

14 de Maio de 2013

É perfeitamente natural e desejável um governo ter a aspiração de ter uma refinaria de petróleo no Ceará. Foi com esse objetivo que muitas obras de infraestrutura foram desenvolvidas, a começar pelo Porto do Pecém.

Dadas as condições básicas para tocar o projeto e após idas e vindas, o ex-presidente Lula, ainda na gestão do ex-governador Lúcio Alcântara, veio ao Ceará garantir que a Petrobras materializaria o sonho. O tempo passou e, com todos sabem, o projeto é cronicamente adiado, muito embora em períodos eleitorais a refinaria apareça como realidade inquestionável, favas contadas e, pasmem!, promessa que está sendo cumprida dentro de um cronograma malandro e elástico o suficiente para fazer de uma pedra fundamental (pois é, lançaram a pedra fundamental de uma obra que não existe) a prova máxima de confiança da qual ninguém pode duvidar.

Já escrevi em artigos de jornal que a diferença entre Lula e Zé do Burro, personagem da peça O Pagador de Promessas, é que este levava a sério a palavra empenhada, ainda que isso lhe custasse a vida, enquanto aquele sabe que não precisa se comprometer com as esperanças que vende para ter assegurado a grande maioria dos votos no Ceará.

Tapeação

Diante de todas as provas e evidências de que os cearenses foram tapeados no caso da refinaria, o deputado Zezinho Albuquerque, presidente da Assembleia Legislativa, anunciou a criação de uma campanha em defesa da refinaria da Petrobras no Ceará.

Desde já, sinto dizer que tudo não passa de encenação para consumo interno, com o objetivo de passar a impressão de que nossos representantes são altivos defensores dos interesses do estado. Tanto é que o objetivo declarado da campanha não é de cobrar que fez a promessa, mas de “mobilizar” a sociedade cearense para a importância do petróleo. Quem precisa disso? Acaso alguém imagina que petróleo é supérfluo?

Sem contar ainda que o assunto não é da esfera do legislativo estadual. Mesmo assim, levando em consideração que o parlamento não faria movimentações como essas sem o aval do governador Cid Gomes, se quisessem mesmo pressionar o governo federal a agir, os representantes cearenses poderiam agir em conjunto e optar por ações mais contundentes. Segue, abaixo, algumas sugestões do blog que certamente teriam muito mais impacto do que conversas comportadas e recados velados:

1) Os deputados estaduais viriam a público dizer em alto e bom som que Lula e Dilma sabem vir ao Ceará pedir votos, mas não cumprem o que prometeram aos cearenses;

2) a bancada federal passaria a votar sistematicamente contra o governo até que a promessa fosse atendida;

3) aliados do governo federal no estado entregariam todos os cargos e;

4) com uma dose extra de maquiavelismo o próprio governador Cid Gomes começaria a elogiar o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, estado que aliás tem uma refinaria da Petrobras.

Sem dar nome aos bois, sem cobrar responsabilidades, sem demonstrar que o Ceará tem orgulho e que não aceita ser tratado como pedinte, campanhas como essa da Assembleia Legislativa não passam de factóides destinados a manter as aparências para deixar tudo como está.

Publicidade

Refinaria não vem e cearenses são tapeados mais uma vez

Por Wanfil em Noticiário

26 de junho de 2012

A notícia que se repete ano após ano: Refinaria do Ceará não consta no plano de investimentos da Petrobras. Alguma novidade? Não. Mais uma vez o plano de negócios da empresa não faz previsão, até 2016, para a construção da refinaria “Premium 2” no Ceará.

Factoide

Desculpas não faltam: burocracia estatal, crise internacional, complexidade técnica, tudo muito difícil, mas nada que impeça, por exemplo, as obras superfaturadas da refinaria Abreu e Lima, no vizinho Pernambuco. É constrangedor observar como o ex-presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli, político matreiro disfarçado de técnico, usou a estatal para criar um factoide eleitoreiro dessa dimensão.

Se a refinaria não era uma certeza, então que não fosse prometida, especialmente em troca de votos. Não tenho dúvida de que na próxima campanha presidencial – e estadual – o empreendimento constará como promessa encaminhada, em vias de execução para transformar a realidade, gerar empregos e mudar radicalmente a realidade. Tudo estelionato eleitoral.

Filme repetido

Em 2010, faltando apenas dois dias para o fim de seu segundo mandato, ex-presidente Lula esteve no Ceará para lançar a pedra fundamental da refinaria cujas obras não existem. É um acinte, mas não faltaram louvores e manchetes favoráveis para a promessa não cumprida, nem sequer iniciada, muito menos com orçamento previsto.

Um ano antes, escrevi um artigo para o jornal O Estado com o seguinte título: A refinaria não vem para o Ceará. O que mais falta acontecer para isso ficar claro? Reproduzo um trecho, em azul:

O caso da prometida refinaria de petróleo para o Ceará já não pode ser visto apenas como uma certeza constantemente adiada por causa de contratempos técnicos. Não cola mais. (…) Nunca um governo tão carente de realizações concretas foi tão popular. E o segredo não é apenas  o populismo assistencialista. Falta cobrança. A oposição é fraca a ponto de não conseguir explorar uma realidade que salta aos olhos. A base aliada de Lula no Ceará sabe bater palmas como poucas, mas seu entusiasmo febril é inversamente proporcional aos investimentos. Sobra discurso e falta ação. O resultado colhido é mais desprezo e mais promessas.

Pois é. Não mudo uma vírgula do que disse no passado. Só o que muda constantemente é a data para o início das obras da refinaria.

Cobrar a promessa ou denunciar o embuste

O fato é que o governo federal percebeu que para conseguir votações expressivas no Ceará basta o bolsa família. Enquanto que para outros estados, mais exigentes, são necessárias ações de maior substância. No ano passado, o governador Cid Gomes denunciou, com razão, a situação das estradas federais no estado. Fez bem e o ministro, enrolado com corrupção, caiu. É hora de fazer o mesmo em relação a Petrobras, que sistematicamente exclui o Ceará em seu plano de investimentos. É preciso denunciar o embuste, explicando aos cearenses que o ex-presidente Lula e a presidente Dilma souberam vir aqui pedir votos, mas que na hora de entregar o que prometeram, deixam a Petrobras tergiversar.

Muitos podem pensar que estou exagerando, uma vez que a instalação de uma refinaria é algo realmente demorada, coisa e tal. Publico então um vídeo institucional do próprio Governo do Ceará. Nele não constam dúvidas ou empecilhos, só vantagens maravilhosas de uma realidade indiscutível. Quem um dia acreditou no que aparece no vídeo, sinto muito dizer, foi enganado.

 

Publicidade

Refinaria não vem e cearenses são tapeados mais uma vez

Por Wanfil em Noticiário

26 de junho de 2012

A notícia que se repete ano após ano: Refinaria do Ceará não consta no plano de investimentos da Petrobras. Alguma novidade? Não. Mais uma vez o plano de negócios da empresa não faz previsão, até 2016, para a construção da refinaria “Premium 2” no Ceará.

Factoide

Desculpas não faltam: burocracia estatal, crise internacional, complexidade técnica, tudo muito difícil, mas nada que impeça, por exemplo, as obras superfaturadas da refinaria Abreu e Lima, no vizinho Pernambuco. É constrangedor observar como o ex-presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli, político matreiro disfarçado de técnico, usou a estatal para criar um factoide eleitoreiro dessa dimensão.

Se a refinaria não era uma certeza, então que não fosse prometida, especialmente em troca de votos. Não tenho dúvida de que na próxima campanha presidencial – e estadual – o empreendimento constará como promessa encaminhada, em vias de execução para transformar a realidade, gerar empregos e mudar radicalmente a realidade. Tudo estelionato eleitoral.

Filme repetido

Em 2010, faltando apenas dois dias para o fim de seu segundo mandato, ex-presidente Lula esteve no Ceará para lançar a pedra fundamental da refinaria cujas obras não existem. É um acinte, mas não faltaram louvores e manchetes favoráveis para a promessa não cumprida, nem sequer iniciada, muito menos com orçamento previsto.

Um ano antes, escrevi um artigo para o jornal O Estado com o seguinte título: A refinaria não vem para o Ceará. O que mais falta acontecer para isso ficar claro? Reproduzo um trecho, em azul:

O caso da prometida refinaria de petróleo para o Ceará já não pode ser visto apenas como uma certeza constantemente adiada por causa de contratempos técnicos. Não cola mais. (…) Nunca um governo tão carente de realizações concretas foi tão popular. E o segredo não é apenas  o populismo assistencialista. Falta cobrança. A oposição é fraca a ponto de não conseguir explorar uma realidade que salta aos olhos. A base aliada de Lula no Ceará sabe bater palmas como poucas, mas seu entusiasmo febril é inversamente proporcional aos investimentos. Sobra discurso e falta ação. O resultado colhido é mais desprezo e mais promessas.

Pois é. Não mudo uma vírgula do que disse no passado. Só o que muda constantemente é a data para o início das obras da refinaria.

Cobrar a promessa ou denunciar o embuste

O fato é que o governo federal percebeu que para conseguir votações expressivas no Ceará basta o bolsa família. Enquanto que para outros estados, mais exigentes, são necessárias ações de maior substância. No ano passado, o governador Cid Gomes denunciou, com razão, a situação das estradas federais no estado. Fez bem e o ministro, enrolado com corrupção, caiu. É hora de fazer o mesmo em relação a Petrobras, que sistematicamente exclui o Ceará em seu plano de investimentos. É preciso denunciar o embuste, explicando aos cearenses que o ex-presidente Lula e a presidente Dilma souberam vir aqui pedir votos, mas que na hora de entregar o que prometeram, deixam a Petrobras tergiversar.

Muitos podem pensar que estou exagerando, uma vez que a instalação de uma refinaria é algo realmente demorada, coisa e tal. Publico então um vídeo institucional do próprio Governo do Ceará. Nele não constam dúvidas ou empecilhos, só vantagens maravilhosas de uma realidade indiscutível. Quem um dia acreditou no que aparece no vídeo, sinto muito dizer, foi enganado.