escândalos Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

escândalos

Páscoa de escândalos

Por Wanfil em Crônica

14 de Abril de 2017

A Última Ceia, de Leonardo Da Vinci: Jesus e o escândalo como instrumento de depuração

A Semana Santa, período em que os cristãos recordam a crucificação e a ressurreição de Jesus, foi marcada também neste ano pela divulgação dos estarrecedores depoimentos de Emílio e Marcelo Odebrecht, no maior escândalo de corrupção de que se tem notícia no Brasil.

Símbolos, alegorias e personagens religiosos, com sua lições e exemplos, são importantes instrumentos de reflexão que servem às mais diversas circunstâncias, da vida privada ao convívio social, das questões familiares à política.

Nada mais apropriado, portanto, do que buscar na figura de Jesus um alento para as turbulências do presente. Em uma de suas passagens mais famosas e polêmicas, Cristo disse : “Ai do mundo por causa dos escândalos; porque é necessário que venham escândalos; mas ai do homem por quem o escândalo venha”. Faz sentido. Sendo o erro ou o crime inevitáveis, porque somos falíveis, ele pode e deve servir de aprendizado pela dor.

A corrupção é a maior chaga na política brasileira e a revelação de sua extensão causa justa indignação. É preciso, pois, punir quem traz o escândalo; é necessário punir os corruptos na Justiça com condenações e na política, não mais os elegendo. Mas também precisamos refletir em como chegamos até aqui, com todos – indivíduos e instituições – revendo com sinceridade nossos papéis e condutas, de modo que possamos ressuscitar a política como atividade voltada para o bem comum, para o debate saudável, para o crescimento do Ceará e do Brasil.

Feliz Páscoa a todos.

Publicidade

Retrospectiva política: o ano da vergonha

Por Wanfil em Política

28 de dezembro de 2016

vergonha

Vergonha alheia, diga-se.

Este 2016 que se encerra já pode entrar para os anais da História cearense, pelo menos no que diz respeito à clássica divisão do poder político em três poderes, como o Ano da Vergonha.

Não é preciso muito esforço para situar essa condição. Vejamos aqui, de memória mesmo, casos que marcaram o ano:

Poder Executivo: Apesar dos esforços para a contenção da escalada da violência dos últimos anos, o Governo do Estado enviou projeto para a Assembleia Legislativa para organizar a instalação de bloqueadores de celulares nos presídios, após as rebeliões de maio, que resultaram em 18 mortes. A bem da verdade o sistema carcerário é ruim não é de hoje, mas agora as coisas chegaram a um ponto surreal. O crime organizado reagiu, enviou recados, colocou um carro bomba ao lado da Assembleia. No final, o fato é que os bloqueadores não foram instalados. Uma vergonha fora da curva para as outras vergonhas que marcam as administrações públicas nos Brasil.

Poder Legislativo: No mês de dezembro a Assembleia Legislativa aceitou ser usada pelo Executivo como instrumento de vingança contra ex-aliados que enfrentaram o governo na disputa pela presidência do parlamento estadual. O alvo escolhido para a retaliação foi o Tribunal de Contas dos Municípios, que foi extinto de uma hora para outra, às pressas, em razão de ajustes particulares entre nossas autoridades. Uma vergonha até mesmo para um poder acostumado a humilhações.

Poder Judiciário: No final de setembro o Tribunal de Justiça do Ceará foi alvo de uma operação da Polícia Federal que investiga um esquema de vendas de liminares para beneficiar traficantes e quadrilhas organizadas, envolvendo desembargadores e advogados. Muito provavelmente, a maior vergonha do Judiciário, não obstante os péssimos serviços prestados aos cidadãos.

Esses episódios desmoralizantes foram, entretanto, de certo modo ofuscados pelos escândalos nacionais, prisões, delações e pelo impeachment de Dilma. A sorte deles, é sempre o nosso azar.

Publicidade

Acabou agosto, mas não o desgosto

Por Wanfil em Ceará, Política

02 de setembro de 2013

Dizem que agosto é o mês do desgosto. Pode ser injustiça, superstição, não sei. O fato é que agosto de 2013 foi especialmente negativo quando o assunto é política, particularmente para o governador do Ceará, Cid Gomes, para o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, e principalmente para o cidadão, coitado, que sempre arca com os prejuízos.

De memória, cito alguns casos que marcaram o mês.

Acquário Ceará – as obras, tocadas pela Secretaria de Turismo do Ceará foram paralisadas devido a suspeitas de irregularidades na licitação, entre as quais, a de direcionamento do contrato para uma empresa norte-americana;

Convênios da Sesporte – O Ministério Público de Contas denunciou a Secretaria de Esportes do Estado por causa de convênios com empresas fantasmas, algo semelhante com o que ocorreu no famigerado “escândalo dos banheiros”;

Socialismo caviar (buffet de luxo) – A revelação de gastos milionários com quitutes refinados para eventos do governo estadual mediante contratação de um buffet de luxo desgastou nacionalmente a imagem da gestão;

Helicópteros sem licitação – Suspeitas levantada pela imprensa sobre a compra de helicópteros para a Secretaria da Ciência e Tecnologia sem licitação foi outro motivo de dor de cabeça para Cid Gomes;

Blitz no Detran – O Ministério Público estadual acusa o Detran de fraudar contratos com empresas prestadoras de serviços;

No Facebook – Em sua conta no Facebook, o governador cometeu duas, digamos assim, gafes: 1) anunciou o sorteio para um show da cantora Beyoncé, enquanto a população sofre com o descontrole da criminalidade; 2) postou foto em que parece cometer flagrante falta de trânsito. Os casos acabaram servindo de combustível nas redes para críticas ao estilo pessoal do gestor, quando não viraram motivo de chacota;

A novela do Parque do Cocó – A Prefeitura de Fortaleza viu agosto passar sem conseguir resolver o impasse do Parque Cocó. Foram quatro semanas perdidas, consolidado a confusão jurídica e falta de autoridade como características negativas neste início da gestão do prefeito Roberto Cláudio;

Maus exemplos – O secretário da Educação do município, Ivo Gomes, ainda atrapalhou ao se expor em brigas pela internet, com uso de palavrões – recurso amplamente utilizado em debates na Assembleia Legislativa e na Câmara de Fortaleza nos últimos 30 dias;

Patrocínio da impunidade – Como se não bastasse, o povo testemunhou os desavergonhados arquivamentos dos pedidos de cassação do vereador Leonelzinho Alencar, em Fortaleza, e do deputado federal Natan Donadon, em Brasília, com direito a ausência de sete parlamentares do Ceará na votação.

Em defesa do calendário

Em defesa do mês de agosto, diga-se que é muita corrupção e impunidade para se distribuir pelo calendário do ano. Nesse caso, o desgosto não se limita a um único mês. As datas, afinal, são meras convenções que existem independente das deliberações humanas.

Publicidade

Acabou agosto, mas não o desgosto

Por Wanfil em Ceará, Política

02 de setembro de 2013

Dizem que agosto é o mês do desgosto. Pode ser injustiça, superstição, não sei. O fato é que agosto de 2013 foi especialmente negativo quando o assunto é política, particularmente para o governador do Ceará, Cid Gomes, para o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, e principalmente para o cidadão, coitado, que sempre arca com os prejuízos.

De memória, cito alguns casos que marcaram o mês.

Acquário Ceará – as obras, tocadas pela Secretaria de Turismo do Ceará foram paralisadas devido a suspeitas de irregularidades na licitação, entre as quais, a de direcionamento do contrato para uma empresa norte-americana;

Convênios da Sesporte – O Ministério Público de Contas denunciou a Secretaria de Esportes do Estado por causa de convênios com empresas fantasmas, algo semelhante com o que ocorreu no famigerado “escândalo dos banheiros”;

Socialismo caviar (buffet de luxo) – A revelação de gastos milionários com quitutes refinados para eventos do governo estadual mediante contratação de um buffet de luxo desgastou nacionalmente a imagem da gestão;

Helicópteros sem licitação – Suspeitas levantada pela imprensa sobre a compra de helicópteros para a Secretaria da Ciência e Tecnologia sem licitação foi outro motivo de dor de cabeça para Cid Gomes;

Blitz no Detran – O Ministério Público estadual acusa o Detran de fraudar contratos com empresas prestadoras de serviços;

No Facebook – Em sua conta no Facebook, o governador cometeu duas, digamos assim, gafes: 1) anunciou o sorteio para um show da cantora Beyoncé, enquanto a população sofre com o descontrole da criminalidade; 2) postou foto em que parece cometer flagrante falta de trânsito. Os casos acabaram servindo de combustível nas redes para críticas ao estilo pessoal do gestor, quando não viraram motivo de chacota;

A novela do Parque do Cocó – A Prefeitura de Fortaleza viu agosto passar sem conseguir resolver o impasse do Parque Cocó. Foram quatro semanas perdidas, consolidado a confusão jurídica e falta de autoridade como características negativas neste início da gestão do prefeito Roberto Cláudio;

Maus exemplos – O secretário da Educação do município, Ivo Gomes, ainda atrapalhou ao se expor em brigas pela internet, com uso de palavrões – recurso amplamente utilizado em debates na Assembleia Legislativa e na Câmara de Fortaleza nos últimos 30 dias;

Patrocínio da impunidade – Como se não bastasse, o povo testemunhou os desavergonhados arquivamentos dos pedidos de cassação do vereador Leonelzinho Alencar, em Fortaleza, e do deputado federal Natan Donadon, em Brasília, com direito a ausência de sete parlamentares do Ceará na votação.

Em defesa do calendário

Em defesa do mês de agosto, diga-se que é muita corrupção e impunidade para se distribuir pelo calendário do ano. Nesse caso, o desgosto não se limita a um único mês. As datas, afinal, são meras convenções que existem independente das deliberações humanas.