Dilma Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

Dilma

Cunha, assim como Dilma, diz ser vítima de injustiça. Coitadinhos…

Por Wanfil em Brasil

09 de julho de 2016

Ao renunciar à Presidência da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha disse que ser vítima de uma perseguição. Sobre o impeachment, Dilma disse ser vítima de uma farsa jurídica. Lula garante ser vítima de complô. José Dirceu e José Genoino, condenados por corrupção, posam de presos políticos vítimas das elites. Collor de Mello, relembrando seu próprio impeachment, afirma ter sido vítima de um golpe parlamentar.

Dizer o quê? Como se ninguém soubessem o quanto são poderosos, acenam ao público como se fossem criaturas indefesas. Alardeiam suas mentiras numa mescla de indignação e lamento, às vezes com fúria, outras com a candura dos puros. Vítimas de si mesmos, fazem da verdade a vítima maior de suas idiossincrasias.

Para tentar entender como conseguem fazer isso com tanta convicção, tomo emprestadas as palavras de Affonso Romano de Sant’Anna no poema a A Implosão da Mentira:

Mentiram-me. Mentiram-me ontem
e hoje mentem novamente. Mentem
de corpo e alma, completamente.
E mentem de maneira tão pungente
que acho que mentem sinceramente.

Publicidade

Dilma quer vir ao Ceará mas a grana está curta. Onde estão os companheiros?

Por Wanfil em Política

27 de junho de 2016

Onde estão vocês, companheiros? Não deixem a foto desbotar

Onde estão vocês, companheiros? Não deixem a foto desbotar

Notícias dos principais jornais nos últimos dias dão conta de que a presidente afastada Dilma Rousseff pretendia retomar suas viagens ao Nordeste contra o chama de “golpe”, vindo ao Ceará nesta semana.

Primeiro seria na terça-feira, depois, na quinta-feira, para dar tempo de organizar uma agenda com os movimentos sociais e sindicatos.  Porém, a visita foi cancelada por falta de grana para trazer e acomodar Dilma e sua comitiva de dez pessoas.

O PT estadual pretende fazer uma vaquinha (crowdfunding, como chamam agora) com a militância para viabilizar a viagem. Dou aqui uma sugestão mais prática e rápida: chamem os amigos de Dilma que estejam em boa posição e que endossem a tese do golpe. Se cada um comprar uma passagem de ida e volta para a comitiva, fica barato. Posso até pensar em alguns nomes:

1. José Guimarães
2. Camilo Santana
3. Izolda Cela
4. Luizianne Lins
5. Cid Gomes
6. Ciro Gomes
7. Roberto Cláudio
8. Domingos Neto
9. José Airton
10 . Chico Lopes

Olha aí. Rapidinho, fiz essa lista. Todos estão bem empregados em cargos eletivos, com ótimos salários. Muitos outros nomes poderiam constar nesse grupo, como os deputados federais Odorico Monteiro, Ariosto Holanda ou José Arnon. Tem ainda os aliados na Assembleia Legislativa, que todos sabem quem são, a começar por Elmano de Freitas ou Zezinho Albuquerque. E os prefeitos? Eram tantos… Vamos lá pessoal, mostrem que suas convicções estão acima de tudo, que acreditam na inocência da presidente afastada! Tragam Dilma e posem ao lado dela para fotos!

PS. Evitem empréstimos consignados para comprar as passagens, pois as taxas cobradas estão sob suspeita. Tem gente roubando até nisso.

Publicidade

Polícia Federal mostra verdadeiro motivo para atrasos na transposição do São Francisco

Por Wanfil em Corrupção

24 de junho de 2016

Dilma em Jati, no Ceará. O governo subestimou a obra e nós subestimamos o governo

Transposição em Jati. Obra subestimada, explica Dilma; orçamento superestimado para desvios, mostra a PF

Na campanha pela reeleição a presidente afastada Dilma Rousseff justificou os constantes atrasos nas obras de transposição do rio São Francisco, previstas inicialmente para ficarem prontas em 2010, dizendo o seguinte: “Houve atraso porque se subestimou a sua complexidade. Éramos bastante inexperientes. O Brasil jamais fez uma obra dessa dimensão”. Isso aconteceu em maio de 2014, na cidade de Jati, aqui no Ceará.

Agora a Polícia Federal informa que outros fatores podem ter contribuído para a demora. É que nesta semana a Operação Turbulência descobriu um esquema de propina usado na compra do avião que matou o candidato à Presidência Eduardo Campos. Uma das empresas fantasmas utilizadas era a Câmara e Vasconcelos, de propriedade do laranja Paulo César Morato, encontrado (misteriosamente ) morto na quarta-feira, que recebeu quase R$ 19 milhões da construtora OAS para obras da transposição. Repito: trata-se de uma EMPRESA DE FACHADA.

Somando-se a isso o fato de que o custo da transposição pulou de R$ 4,8 bilhões para R$ 8,2 bilhões na gestão Dilma, fica claro que se por um lado faltou experiência técnica ao governo para o projeto, como afirmou Dilma, por outro sobrou experiência em corrupção.

Publicidade

Lá vem a conversa de refinaria de novo…

Por Wanfil em Ceará

23 de junho de 2016

Tá vendo algum indício concreto de refinaria aí? Não? Nem eu.

Tá vendo algum indício concreto de refinaria aí? Não? Nem eu.

O governador Camilo Santana voltou a falar sobre uma possível refinaria para o Ceará, a ser construída por chineses. Está na edição do jornal O Povo desta quinta.

Em tempos difíceis, a ansiedade pelo anúncio de boas notícias é compreensível. Não obstante, falar em nova refinaria agora é a melhor forma de tentar esquecer os prejuízos milionários causados aos cofres estaduais pelo cancelamento da refinaria prometida por Lula, Dilma e seus aliados no Ceará.

Por falar nisso, quando é que o Governo do Estado pedirá ressarcimento à Petrobras do que foi investido com dinheiro dos cearenses para receber o projeto?

Fica o registro. Dar muita atenção a essa conversa de nova refinaria é correr o risco de construir, isso sim, e novamente, outra ilusão. Melhor mudar de assunto.

Publicidade

Dilma e Cunha estão na marca do pênalti. Ainda falta Renan

Por Wanfil em Brasil

14 de junho de 2016

O parecer pela cassação do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi aprovado nesta terça-feira. Todos apostam agora que o plenário confirme a decisão. Assim como aconteceu com Dilma, a maioria dos deputados não irá contra a opinião pública.

Afastados, que sejam riscados da cena pública pelos próximos anos. Tudo feito como manda a Constituição. Nada de golpe. Falta ainda o presidente do Senado, Renan Calheiros, tão enrolado com denúncias, grampos e delações, quanto os outros dois.

A esperança agora é que a queda dos chefes dos poderes executivo e legislativo se consolide como uma quebra de paradigma. Como disse o filósofo Clóvis de Barros Filho em palestra recente na FIEC, é preciso que os poderosos tenham pelo menos algum medo de cometer crimes, que não confiem tão cegamente na impunidade, que pensem duas vezes antes de aceitar correr esse tipo de risco. Se isso acontecer, convenhamos, já será um avanço e tanto.

Publicidade

Vem pra cá também, Dilma!

Por Wanfil em Política

12 de junho de 2016

A Folha de São Paulo informa que Dilma resolveu viajar o Nordeste para “denunciar” o retrocesso representado pelo governo de Michel Temer. Curiosamente, a presidente afastada agora defende novas eleições, mas ao chamar de ilegítima a nova gestão, na prática afirma que o Congresso fraudou a democracia. Ocorre que para haver novas eleições é preciso aprovação desse mesmo Congresso. A impressão é de que ela aposta na confusão pela confusão. Mas voltando à Folha, na agenda divulgada estão passagens por João Pessoa (PB) na quarta-feira (15), Salvador (BA) na quinta (16) e Recife (PE) na sexta (17).

E o Ceará? Nada! Fato que, se tratando de Dilma, não é novidade, não é mesmo?

De todo modo, aliados de Dilma no Ceará deveriam deixar de lado eventuais diferenças eleitorais (especialmente em Fortaleza) e convidá-la a vir dar a sua graça por aqui. A não ser que ninguém queira aparecer ao lado da presidente afastada em ano eleitoral, seria uma oportunidade de fazer valer as convicções da turma. Como emblema do avanço promovido nos últimos anos, um palanque poderia ser levantado no local da pedra fundamental da refinaria prometida aos cearenses. E pode ser em dia de semana mesmo que gente sem emprego, portanto, com tempo de sobra para ir ao evento é o que não falta.

leia tudo sobre

Publicidade

Onde estão os que enalteciam as qualidades de Dilma no Ceará?

Por Wanfil em Política

11 de Maio de 2016

O Senado confirmará logo mais o afastamento de Dilma Rousseff, a presidente mais impopular da História, a que cometeu o maior estelionato eleitoral depois do Plano Cruzado, a presidente cuja gestão foi indelevelmente manchada pelo petrolão (maior caso de corrupção já desmascarado no Brasil), a que foi apresentada como grande gestora por Lula e que provocou, no final, a maior recessão da economia brasileira.

O editorial do Estadão desta quarta-feira história arremata: “É hora de Dilma Rousseff começar a se preparar para o destino que o Brasil lhe reservou generosamente: o esquecimento”.

Sobre isso, em relação ao Ceará, cabe uma ressalva. Antes mesmo do eleitor esquecer Dilma, parece que já a esqueceram muitos dos aliados que durante anos apoiaram a “Mãe do PAC”, garantindo aos cearenses tratar-se de pessoa preparadíssima para a função, apesar de todos os erros e mesmo após o golpe da refinaria e atrasos constantes e caríssimos na transposição do São Francisco.

Cadê?
Onde estão aqueles que nos últimos anos acotovelavam-se para aparecer ao lado de Dilma nos palanques eleitorais e nas visitas oficiais? Sumiram ou mudaram de lado. A começar pela bancada estadual do PMDB, comandada por Eunício Oliveira (que, dizem, nunca perdoou a imparcialidade de Dilma nas eleições de 2014, quando Cid Gomes lançou candidato do PT ao governo do Ceará quebrando acordo com o PMDB). Além do mais, foi o racha na aliança nacional da legenda com o PT que fez o governo federal perder de vez as condições de conduzir o País.

Até aí, era de se esperar. Mas existem outros que se antes aplaudiam e enalteciam a inigualável capacidade administrativa da presidente, como o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, agora estão calados. Nunca mais compareceram a eventos com a “presidenta”. Cid e Ciro até mandaram seus deputados federais e o presidente da Assembleia estadual, Zezinho Albuquerque, do PDT, tirarem foto com a petista na véspera da derrota na Câmara, mas foi apenas o último suspiro. O grupo agora deixará Dilma de lado para se concentrar numa possível candidatura de Ciro à Presidência da República.

Caminhando com Dilma até a derrocada final estão o próprio PT, com destaque para o deputado federal José Guimarães e para o governador Camilo Santana; o deputado Chico Lopes, do PCdoB; e Arnon Bezerra, do PTB. Com exceção de Lopes, os nomes mencionados neste parágrafo estiveram presentes na rápida passagem da ainda presidente em Juazeiro na última sexta-feira (6). E só. “Ninguém assistiu ao formidável enterro de tua última quimera…”.

Publicidade

Servidores estaduais querem reajuste e defendem gestão Dilma. Governo quer tempo e também quer mais Dilma. Não dá: ou um ou outro!

Por Wanfil em Ceará

26 de Abril de 2016

O Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos Estaduais do Ceará avalia a possibilidade de uma greve geral, por causa do impasse nas negociações para o reajuste salarial do funcionalismo. Os servidores querem 12,67% de aumento (10,67% para repor a inflação e 2% de ganho real). Já o Governo do Estado pediu prazo até junho para definir um índice, pois a crise econômica e a queda nos repasses federais impedem projeções seguras.

Vez por outra o secretário da Fazenda, Mauro Filho, lembra que outros estados já não conseguem pagar seu quadro funcional em dia. Cumprir obrigações básicas virou um feito nos dias que correm.

Curiosamente, tanto o governo estadual (cúpula e aliados) como o Fórum dos servidores estaduais concordam quando o assunto é defender a continuidade da gestão Dilma Rousseff, manifestando-se publicamente contra o impeachment, como se não fosse essa mesma gestão a responsável pelo rombo fiscal que levou estados, municípios, empresas e trabalhadores a essa situação. Como se essa gestão não fosse a responsável por fraudar as informações da situação fiscal do País, induzindo gestores a erros. Como se não fosse a gestão Dilma a responsável pela maior recessão econômica de nossa História. Como se não fosse, por fim, o entrave maior para uma retomada da economia, uma vez perdidas a credibilidade e a capacidade de articulação política.

Sei que existem afinidades ideológicas e que estas são compreensíveis. Também sei que é legítimo ter repulsa por uma eventual ascensão do vice Michel Temer à Presidência, única saída prevista pela Constituição. Ocorre que os fatos se sobrepuseram a essas questões. Quando a inflação castiga, empresas quebram, o desemprego aumenta e a base governista se desfaz por inabilidade do governante, a rejeição geral é inevitável. E sendo a crise resultado de uma fraude fiscal devidamente reprovada pelo TCU, o caminho para um processo de responsabilidade fica aberto. Manter isso significa a manutenção dessas circunstâncias. Não é questão de gosto, é a realidade.

Assim, servidores e governo divergem quanto aos efeitos da crise, cada um tentando evitar maiores prejuízos, mas se unem na hora de proteger a causa deles. Não querem reconhecer que será preciso escolher: ou querem mais do mesmo (com as consequências que já conhecemos) ou aceitam que é necessário buscar um novo rumo para tentar debelar a crise. Do contrário, não há do que reclamarem.

Publicidade

Confira os deputados federais do Ceará que são contra Michel Temer

Por Wanfil em Política

15 de Abril de 2016

O governador Camilo Santana divulgou foto com os deputados federais do Ceará que deverão votar contra o impeachment de Dilma Rousseff. Pela lógica, caso o afastamento se concretize, são os parlamentares que deixarão a base aliada para entrar na oposição a um governo Michel Temer. A não ser que estejam votando, sei lá, por conveniência e não por convicção.

CAMILO-DEPUTADOS

Da esquerda para a direita
Domingos Neto (PSD), Ariosto Holanda (PDT), Odorico Monteiro (Pros), Arnon Bezerra (PTB), Gorete Pereira (PR), José Airton (PT), Dilma Rousseff (PT), Camilo Santana (PT), José Guimarães (PT), Leônidas Cristino (PDT), Vicente Arruda (PDT), Zezinho Albuquerque (deputado estadual, PDT), Chico Lopes (PCdoB) e Macedo (PP).

Luizianne Lins não compareceu, mas fecha com o grupo. Aliás, os deputados do PT não poderiam ter outra postura e cumprem os seus papéis, o que é compreensível. Chico Lopes faz o que qualquer membro do PCdoB sempre faz: obedece o PT. O mesmo vale para o PDT.

Oposição temporária
Já os demais (Domingos Neto, Arnon Bezerra, Gorete Pereira e Macedo) fazem uma escolha difícil: cerram fileiras junto a um governo em estado terminal. Devem ter, digamos assim, suas razões de consciência. Porém, mesmo que venham a mudar de lado em breve (alguns são governistas compulsivos), chegarão ao novo arranjo de poder no final da fila das verbas e cargos federais. A conferir.

 

Publicidade

Por que Cid e Ciro ainda defendem Dilma? O que há para “temer”?

Por Wanfil em Política

19 de Março de 2016

Cid Gomes deu uma entrevista coletiva na Assembleia Legislativa ontem (sexta) para fazer uma defesa meio envergonhada da presidente Dilma (“Eu não estou satisfeito com a Dilma, mas ela foi eleita”) – e para criticar de modo estranho o PMDB (“Está no poder desde sempre, porque aquilo é a sobrevivência deles”). Estranho porque, afinal, ter a política como meio de vida não deveria ser algo estranho ao ex-governador. Estranho porque o PMDB fez parte de seu governo por sete anos. De todo modo, é o mesmo discurso de seu irmão Ciro Gomes.

Minoria
A essa altura, poucos fora do PT e de seus satélites ainda se mostram aliados incondicionais de Dilma e Lula. Especialmente por estarmos em ano eleitoral. Mais raro ainda são manifestações públicas nesse sentido. Cid e Ciro falam, gritam, ponderam e reclamam, mas pregam no vazio, porque a população não endossa seus argumentos porque rejeita a presidente. Os governistas são minoria indiscutível e constrangedora. Os protestos de domingo, 13 de março, contra o governo, reuniram, segundo a Secretaria de Segurança (gestão do PT) cerca de 40 mil pessoas. As manifestações a favor do governo, realizadas na sexta, 18 de março, mesmo com o apoio de entidades aparelhadas, levaram às ruas 6 mil pessoas segundo a PM. Só mesmo muita torcida para ver nessa surra um fôlego para Dilma.

Temer
Diante disso tudo, porque Cid e Ciro insistem? Porque estão desolados com a possibilidade, cada vez mais real, de o vice Michel Temer, que não quer ver os dois nem pelas costas, vir a assumir a Presidência da República. Existe a possibilidade de cassação no TSE, mas é um processo lento, com previsão de desfecho para o final do ano – se houver desfecho. Até lá, as portas do Palácio do Planalto estarão fechadas para os irmãos, sem a menor chance de abertura. Pior ainda: seu ex-aliado e hoje desafeto Eunício Oliveira, do PMDB, será o homem forte do governo federal no Ceará. Pior ainda (para a dupla e seus aliados locais): antes das eleições de outubro. O cálculo é político e o choro é livre.

Publicidade

Por que Cid e Ciro ainda defendem Dilma? O que há para “temer”?

Por Wanfil em Política

19 de Março de 2016

Cid Gomes deu uma entrevista coletiva na Assembleia Legislativa ontem (sexta) para fazer uma defesa meio envergonhada da presidente Dilma (“Eu não estou satisfeito com a Dilma, mas ela foi eleita”) – e para criticar de modo estranho o PMDB (“Está no poder desde sempre, porque aquilo é a sobrevivência deles”). Estranho porque, afinal, ter a política como meio de vida não deveria ser algo estranho ao ex-governador. Estranho porque o PMDB fez parte de seu governo por sete anos. De todo modo, é o mesmo discurso de seu irmão Ciro Gomes.

Minoria
A essa altura, poucos fora do PT e de seus satélites ainda se mostram aliados incondicionais de Dilma e Lula. Especialmente por estarmos em ano eleitoral. Mais raro ainda são manifestações públicas nesse sentido. Cid e Ciro falam, gritam, ponderam e reclamam, mas pregam no vazio, porque a população não endossa seus argumentos porque rejeita a presidente. Os governistas são minoria indiscutível e constrangedora. Os protestos de domingo, 13 de março, contra o governo, reuniram, segundo a Secretaria de Segurança (gestão do PT) cerca de 40 mil pessoas. As manifestações a favor do governo, realizadas na sexta, 18 de março, mesmo com o apoio de entidades aparelhadas, levaram às ruas 6 mil pessoas segundo a PM. Só mesmo muita torcida para ver nessa surra um fôlego para Dilma.

Temer
Diante disso tudo, porque Cid e Ciro insistem? Porque estão desolados com a possibilidade, cada vez mais real, de o vice Michel Temer, que não quer ver os dois nem pelas costas, vir a assumir a Presidência da República. Existe a possibilidade de cassação no TSE, mas é um processo lento, com previsão de desfecho para o final do ano – se houver desfecho. Até lá, as portas do Palácio do Planalto estarão fechadas para os irmãos, sem a menor chance de abertura. Pior ainda: seu ex-aliado e hoje desafeto Eunício Oliveira, do PMDB, será o homem forte do governo federal no Ceará. Pior ainda (para a dupla e seus aliados locais): antes das eleições de outubro. O cálculo é político e o choro é livre.