deputados federais Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

deputados federais

Os deputados cearenses e a PEC 241

Por Wanfil em Política

27 de outubro de 2016

Parafraseando Woody Allen, o pessimista afirma que já chegamos no fundo do poço, o otimista acha que dá pra gastar mais

Parafraseando Woody Allen, o pessimista afirma que já chegamos no fundo do poço, o otimista acha que dá pra gastar mais

Na madrugada da última quarta-feira a Câmara dos Deputados aprovou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que limita, pelos próximos 20 anos, o aumento dos gastos federais ao índice de inflação registrado no ano anterior. A oposição diz que a medida congelará investimentos na saúde e educação, o que não é verdade, basta ler o texto do projeto.

A falsa polêmica desvia a questão do verdadeiro cerne: anos de frouxidão no controle da inflação e de gastos descontrolados durante as gestões do PT levaram o país para a maior recessão de sua História. São 12 milhões de desempregados, segundo o IBGE e a arrecadação federal de setembro é a pior desde 2009, informam os jornais desta quinta-feira.

Nesse cenário de destruição a PEC 241 acena com a arrumação das contas públicas e com o resgate a credibilidade perdida. Em estado crítico, os remédios para estabilizar o paciente tem efeitos colaterais, mas sem isso não há chance de recuperação.

Deputados cearenses

Segue o registro do posicionamento dos integrantes da bancada federal do Ceará.

Votaram a favor de colocar as contas públicas em ordem: Aníbal Gomes (PMDB), Arnon Bezerra (PTB), Danilo Forte (PSB), Domingos Neto (PSD), Gorete Pereira (PR), Macedo (PP), Moses Rodrigues (PMDB), Raimundo Gomes de Matos (PSDB), Ronaldo Martins (PRB) e Vitor Valim (PMDB).

Lavaram as mãos na votação mais importante do ano para a economia nacio0nal: Moroni Torgan (DEM), Cabo Sabino (PR), Adhail Carneiro (PHS) e Genecias Noronha (SD).

Votaram contra a medida que impede a gastança irresponsável dos recursos federais: André Figueiredo (PDT), Chico Lopes (PCdoB), José Airton Cirilo (PT), José Guimarães (PT), Leônidas Cristino (PDT), Luizianne Lins (PT), Odorico Monteiro (PROS) e Vicente Arruda (PDT).

Fundo do poço

A discussão sobre a PEC faz lembrar a máxima de Woody Allen: O pessimista afirma que já chegamos no fundo do poço, o otimista acha que dá para cair mais. Pois é. Nesse caso, os pessimistas querem o teto de gastos, enquanto os otimistas do PT, PDT , PCdoB e companhia apostam que dá para gastar mais ainda, mesmo depois de quebrarem o caixa do País.

Publicidade

Pesquisa mostra que maioria dos deputados federais apoia impeachment de Dilma. E o seu deputado, o que pensa disso?

Por Wanfil em Política

21 de dezembro de 2015

Uma pesquisa Datafolha realizada entre os dias 7 e 18 de dezembro mostra que 42% dos deputados federais são favoráveis ao impeachment da presidente Dilma Rousseff, contra 31% que ainda a apoiam. Outros 27% estão indecisos.

O fato de estarem indecisos indica, naturalmente, um sentimento de desconfiança. Ou de medo… De quê? Ora, das urnas, claro. Dilma encerra 2015 como a presidente mais rejeitada do Brasil desde a redemocratização, com 65% de desaprovação, segundo o mesmo Datafolha. Como a tendência da economia é piorar (o boletim Focus do Banco Central divulgado nesta segunda mostra piora acentuada na expectativa do mercado para 2016, com alta de juros e inflação, com recessão), estar ao lado de uma presidente nessa situação é assumir um pesadíssimo ônus eleitoral. Deputados federais não disputam nada no ano que vem, mas suas bases estarão em processo de reconfiguração, o que poderá ser determinante para seus projetos. Que candidato a prefeito irá querer um deputado dilmista ao seu lado nos santinhos ou na propaganda de TV?

Sem contar com a continuidade da operação Lava Jato, revelando mais e mais corrupção, e o julgamento no TSE das contas de campanha do PT, com gravíssimas suspeitas de que dinheiro roubado da Petrobras tenha abastecido o caixa do partido para eleger e reeleger Dilma.

E o seu deputado?
A pergunta por aqui é simples: e a bancada cearense? Bom, a maioria dos 23 deputados federais do estado foi eleita garantindo que Dilma é grande gestora e parceira do Ceará. Quantos manterão o discurso diante do atual quadro? Em 2015 o Ceará ficou sem refinaria, uma tapeação sem igual na crônica política estadual. A transposição, atrasadíssima, virou caso de polícia. A população, que volta a sentir no bolso o que é a inflação, quer ver a presidente pelas costas.

Taí uma boa pauta.

Publicidade

Confira os deputados federais cearenses que votaram a favor do arrocho e contra direitos trabalhistas

Por Wanfil em Política

07 de Maio de 2015

A Câmara dos Deputados, em Brasília, aprovou na noite de ontem, quarta-feira, a Medida Provisória 665, com a qual o governo federal pretende cortar gastos e reduzir custos com direitos trabalhistas. Agora, por exemplo, para ter direito ao seguro-desemprego, o trabalhador precisará ter pelo menos 12 meses de carteira assinada (o governo queria 18 meses). Antes, eram seis. Isso em meio a uma crise econômica fabricada pelos erros do próprio governo, que já faz crescer o desemprego.

Confira quais deputados federais do Ceará votaram a favor da MP 665, por ordem alfabética:

Anibal Gomes (PMDB);
Antonio Balhmann (Pros);
Chico Lopes (PCdoB);
Domingos Neto (Pros);
Gorete Pereira (PR);
José Airton (PT);
José Arnon (PTB);
José Guimarães (PT);
Leônidas Cristino (Pros);
Macedão (PSL);
Odorico Monteiro (PT).

A deputada federal Luizianne Lins (PT), não votou, contribuindo assim para aprovar o projeto contra os trabalhadores.

Votaram contra a MP 665 os seguintes deputados:

Adail Carneiro (PHS);
André Figueiredo (PDT);
Cabo Sabino (PR);
Danilo Forte (PMDB);
Genecias Noronha (SD);
Moroni Torgan (DEM);
Moses Rodrigues (PPS);
Raimundo Gomes de Matos (PSDB);
Ronaldo Martins (PRB);
Vitor Valim (PMDB).

Ações valem mais do que palavras
Os deputados que votaram a favor são os mesmos que até o momento não disseram nada contra o aumento na conta de luz, contra as pedaladas fiscais de Dilma, contra o golpe da refinaria ou contra os cortes na saúde, porque estão mais empenhados em defender o governo federal do que os interesses dos cearenses. Nenhum cobrou da presidente corte no escandaloso (e custoso) número de 39 ministérios que empregam os amigos do poder, nenhum exigiu cortes nos gastos com embaixadas inúteis em países irrelevantes, nenhum condicionou apoio à redução de cargos comissionados que servem para alocar apadrinhados. Contra a corrupção é que não falam nada mesmo.

Os deputados favoráveis à MP 665 também contribuíram para cobrir e encobrir – essa é a essência do ajuste fiscal – a responsabilidade de Dilma Rousseff pelo rombo nas contas públicas. E pior: endossam a ideia de que na hora de pagar a conta, quem deve ser sacrificado primeiro é o trabalhador.

Guarde esta lista para as próximas eleições. Eles estarão lá pedindo o seu voto, dizendo que atuaram em defesa dos trabalhadores.

Publicidade

Confira os deputados federais cearenses que votaram a favor do arrocho e contra direitos trabalhistas

Por Wanfil em Política

07 de Maio de 2015

A Câmara dos Deputados, em Brasília, aprovou na noite de ontem, quarta-feira, a Medida Provisória 665, com a qual o governo federal pretende cortar gastos e reduzir custos com direitos trabalhistas. Agora, por exemplo, para ter direito ao seguro-desemprego, o trabalhador precisará ter pelo menos 12 meses de carteira assinada (o governo queria 18 meses). Antes, eram seis. Isso em meio a uma crise econômica fabricada pelos erros do próprio governo, que já faz crescer o desemprego.

Confira quais deputados federais do Ceará votaram a favor da MP 665, por ordem alfabética:

Anibal Gomes (PMDB);
Antonio Balhmann (Pros);
Chico Lopes (PCdoB);
Domingos Neto (Pros);
Gorete Pereira (PR);
José Airton (PT);
José Arnon (PTB);
José Guimarães (PT);
Leônidas Cristino (Pros);
Macedão (PSL);
Odorico Monteiro (PT).

A deputada federal Luizianne Lins (PT), não votou, contribuindo assim para aprovar o projeto contra os trabalhadores.

Votaram contra a MP 665 os seguintes deputados:

Adail Carneiro (PHS);
André Figueiredo (PDT);
Cabo Sabino (PR);
Danilo Forte (PMDB);
Genecias Noronha (SD);
Moroni Torgan (DEM);
Moses Rodrigues (PPS);
Raimundo Gomes de Matos (PSDB);
Ronaldo Martins (PRB);
Vitor Valim (PMDB).

Ações valem mais do que palavras
Os deputados que votaram a favor são os mesmos que até o momento não disseram nada contra o aumento na conta de luz, contra as pedaladas fiscais de Dilma, contra o golpe da refinaria ou contra os cortes na saúde, porque estão mais empenhados em defender o governo federal do que os interesses dos cearenses. Nenhum cobrou da presidente corte no escandaloso (e custoso) número de 39 ministérios que empregam os amigos do poder, nenhum exigiu cortes nos gastos com embaixadas inúteis em países irrelevantes, nenhum condicionou apoio à redução de cargos comissionados que servem para alocar apadrinhados. Contra a corrupção é que não falam nada mesmo.

Os deputados favoráveis à MP 665 também contribuíram para cobrir e encobrir – essa é a essência do ajuste fiscal – a responsabilidade de Dilma Rousseff pelo rombo nas contas públicas. E pior: endossam a ideia de que na hora de pagar a conta, quem deve ser sacrificado primeiro é o trabalhador.

Guarde esta lista para as próximas eleições. Eles estarão lá pedindo o seu voto, dizendo que atuaram em defesa dos trabalhadores.