China Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

China

Negócios da China

Por Wanfil em Ceará

20 de setembro de 2017

Os chineses estudam construir uma refinaria no Ceará; os chineses avaliam financiar a saúde pública estadual (o que ganharão com isso?); os chineses estão de olho na geração de energia por essas bandas; os chineses podem concluir o aquário que já consumiu R$ 130 milhões dos contribuintes cearenses; os chineses descobriram o Ceará. É o que anuncia, dia sim, dia não, o governo do Estado.

Tomara que tudo dê tudo certo, é claro. Ser otimista nunca é demais, embora a experiência recente recomende prudência. As promessas de saltos desenvolvimentistas já tiveram como protagonistas a parceria entre os governos estadual e federal na era petista, a inigualável competência gerencial da mãe do PAC e a Petrobras pré-Lava-Jato. Como a realidade não correspondeu às expectativas geradas de quatro em quatro anos, a solução é fugir reciclar as esperanças acenando com novas possibilidades e novos protagonistas. Agora, no Ceará, a solução vem da China.

Publicidade

A mais nova refinaria do Ceará

Por Wanfil em Ceará

25 de Janeiro de 2017

O assessor Especial de Assuntos Internacionais do Governo do Ceará, Antonio Balhmann, esteve na China onde “iniciou trabalhos de formatação para a implantação da refinaria”. Na semana passada, o governo estadual anunciou que  investidores do Irã também mostraram interesse na instalação de uma refinaria no Ceará.

Tomara que dê tudo certo, não é mesmo? Porém, por motivos óbvios, é bom ter cuidado com o otimismo. Quando a promessa eleitoreira da refinaria da Petrobras começou a ficar insustentável, apesar dos estudos, da pedra fundamental, do plano de investimentos, das renúncias fiscais e das garantias dos governistas da época, a Assembleia Legislativa do Ceará patrocinou em 2013 uma campanha pelo interior para mostrar a importância da refinaria para o Estado. A cobrança feita pelos aliados locais da ex-presidente Dilma, parceiros da promessa, foi solenemente ignorada e nada aconteceu.

Pelo visto, se o internacional Antonio Balhmann  estivesse no grupo liderado por Zezinho Albuquerque, a história da refinaria da Petrobras no Ceará poderia ter ido além dos repetitivos anúncios de  intenções publicados rotineiramente pelo governo do Estado. Ou não, afinal, o assessor, na condição de deputado federal, foi também um dos defensores e entusiastas das promessas impossíveis feitas por Lula e Dilma.

Publicidade

Muito anúncio, pouco resultado: agora são os iranianos que podem construir uma refinaria no Ceará

Por Wanfil em Ceará

19 de Janeiro de 2017

Lembra dela?

Em viagem oficial ao Oriente Médio nesta semana, o governador Camilo Santana (ainda no PT, apesar do noticiário) conversou com investidores do Irã sobre a instalação de uma refinaria no Ceará.  E Dubai, nos Emirados Árabes, visitou “a maior usina de dessalinização do planeta”, empresa italiana que “demonstrou interesse em instalar unidade no Ceará”.

Em novembro do ano passado Camilo assinou um memorando de estudos para avaliar condições para uma refinaria, desta vez chinesa, aqui no Estado. Não faz muito tempo, o assessor especial para assuntos internacionais do governo cearense, Antonio Balhmann, conversou com fabricantes de tratores na Bielorrússia.

Naturalmente, o governo acerta quando procura investimentos, mas se arrisca ao alimentar expectativas com base em tratativas tão iniciais. Não se trata de ser otimista ou pessimista, mas de guardar prudência para não confundir desejo com realização. É preciso tratar prospecção como prospecção e não como missão cumprida. Nesse sentido, o alarde sobre possibilidades pode gerar ilusões que mais à frente gerem constrangimento. Quanto maior a esperança atiçada, maior pode ser a decepção, como no caso da refinaria da Petrobras que seria construída no Ceará.

Publicidade

Muito anúncio, pouco resultado: agora são os iranianos que podem construir uma refinaria no Ceará

Por Wanfil em Ceará

19 de Janeiro de 2017

Lembra dela?

Em viagem oficial ao Oriente Médio nesta semana, o governador Camilo Santana (ainda no PT, apesar do noticiário) conversou com investidores do Irã sobre a instalação de uma refinaria no Ceará.  E Dubai, nos Emirados Árabes, visitou “a maior usina de dessalinização do planeta”, empresa italiana que “demonstrou interesse em instalar unidade no Ceará”.

Em novembro do ano passado Camilo assinou um memorando de estudos para avaliar condições para uma refinaria, desta vez chinesa, aqui no Estado. Não faz muito tempo, o assessor especial para assuntos internacionais do governo cearense, Antonio Balhmann, conversou com fabricantes de tratores na Bielorrússia.

Naturalmente, o governo acerta quando procura investimentos, mas se arrisca ao alimentar expectativas com base em tratativas tão iniciais. Não se trata de ser otimista ou pessimista, mas de guardar prudência para não confundir desejo com realização. É preciso tratar prospecção como prospecção e não como missão cumprida. Nesse sentido, o alarde sobre possibilidades pode gerar ilusões que mais à frente gerem constrangimento. Quanto maior a esperança atiçada, maior pode ser a decepção, como no caso da refinaria da Petrobras que seria construída no Ceará.