boatos Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

boatos

Tasso, Meireles ou Maia no lugar de Temer: muita especulação e pouco fato

Por Wanfil em Política

30 de Maio de 2017

As especulações sobre uma eventual substituição de Michel Temer na Presidência da República, por via indireta como determina a Constituição, retroalimentam novas especulações que geram mais incertezas.

Naturalmente, sendo uma possibilidade, as conversas acontecem e a expectativa geral procura nomes. Tasso Jereissati, Henrique Meireles ou Rodrigo Maia, entre outros, despontaram como possibilidades. Tasso e Meireles pela experiência administrativa, Maia como o preferido dos deputados federais, apesar (ou por isso mesmo, quem sabe) de figurar como investigado na Lava Jato.

É improvável que Temer, mesmo com todo o desgaste, renuncie (novas denúncias podem aparecer) e qualquer julgamento, seja no TSE ou no Congresso, está sujeito a ritos que podem durar meses e meses.

Mesmo assim, com a queda do presidente virou pauta, declarações de apoio aos nomes apontados ganham espaço. Tasso foi elogiado pelo governador Camilo Santana e pelo ex-governador Ciro G0mes, embora seus respectivos partidos, PT e PDT, defendam eleições diretas, mesmo sem previsão constitucional.

Manifestações de boa convivência à parte, o mais lógico é imaginar que ao PT e ao PDT interessa mesmo a permanência de um Michel Temer enfraquecido no cargo. Estratégia inconfessável publicamente, é claro. Impopular e queimado pela JBS, Temer não poderia ser candidato e seu apoio seria um peso. É o adversário perfeito. Até desviou as atenções do público de Lula para o PMDB. Nesse sentido, qualquer outro nomes representaria uma incógnita. Vai que o sucessor se viabilizasse para 2018, não é mesmo?

O resto é bola rolando. Apostas liberadas.

Publicidade

Cid candidato ao governo, Camilo para o Senado, Tasso de volta ao Executivo, Eunício indeciso… São os velhos balões de ensaio, gente!

Por Wanfil em Política

28 de Março de 2017

Para onde irá o balão?

De tempos em tempos balões de ensaio alçam voo no noticiário para medir a “temperatura” e “pressão” da atmosfera política diante de temas polêmicos, para testar nomes de olho na próxima eleição e até mesmo para sabotar articulações em curso. É a semeadura do “se colar, colou” ou da desconfiança.

No Ceará o céu das especulações está repleto desses balões. Não por acaso, Cid Gomes precisou declarar publicamente apoio à reeleição de Camilo Santana, diante dos crescentes rumores de que o governador disputaria uma vaga para o Senado, abrindo caminho para uma possível volta de Cid ao governo estadual. Ah, não podemos esquecer a saída de Camilo do PT, outra pedra bastante cantada.

Existe também a frente de possibilidades que apontam para a oposição. Eunício Oliveira desistiria de concorrer ao Palácio da Abolição para tentar a reeleição ao Senado, num improvável (porém, nunca impossível) aliança com Camilo. Nos ventos dessas contemplações flutuam ainda os nomes do deputado Capitão Wagner e do senador Tasso Jereissati.

Evidentemente, cedo ou tarde algumas dessas “previsões” se concretizarão. Boa parte desses cenários aguardam a definição da candidatura de Ciro Gomes à Presidência da República. Assim como o rumo dos ventos, as variáveis nesses casos são inúmeras e ainda imprevisíveis (a começar pela Lava-Jato), causando enorme expectativa no meio político. O resto é a busca política por influenciar os fatos com profecias que podem ou não vir a acontecer. Daí que soltem tantos balões de ensaio.

Publicidade

Crise na Segurança? Já?! – Ou: “De onde menos se espera…”

Por Wanfil em Segurança

25 de Fevereiro de 2015

No que diz respeito à segurança pública, os cearenses estão como São Tomé: não adianta mais prometer-lhes resultados, eles só acreditam vendo. Imagem: A Incredulidade de São Tomé, de Caravaggio (1599)

No que diz respeito à segurança pública, os cearenses estão como São Tomé: só acreditam vendo.
Imagem: A Incredulidade de São Tomé, de Caravaggio (1599)

Boatos sobre uma crise na Secretaria de Segurança do Ceará se alastraram como fogo na palha nos últimos dias, especialmente com o mistério em torno da demissão do secretário executivo da pasta, Odécio Carneiro. Versões e dúvidas se multiplicam. Seguem algumas:

1) Odécio teria descoberto um esquema de desvio de recursos feito na gestão passada e por isso teria perdido o cargo. Hipótese reforçada pela falta de explicações sobre a sua saída. Foi demitido ou pediu demissão? Qual o motivo?

2) Delci Teixeira, titular da secretaria, teria discutido com o governador Camilo Santana, reclamando de falta de autonomia, chegando a colocar o cargo à disposição;

3) O governo já estaria com o nome de um possível substituto para Delci, enfraquecido pelo aumento da violência já no início do governo. Em dois meses de gestão Camilo (que prometeu cuidar pessoalmente da área), foram registrados mais de 700 homicídios no Ceará;

4) A crise na segurança não estaria restrita a conflitos com a tropa, mas instalada em seu próprio comando.

Desconfiança
Diante disso, em entrevista, o governador disse que o secretário tem total autonomia para nomear e demitir quem quiser. Nada mais. Assim fica tudo muito incerto e sujeito a especulações. O governo precisa abrir o olho, pois boatos só prosperam onde existem dúvidas. E por que essas dúvidas existem? Simples. É que há uma desconfiança generalizada da população no que diz respeito a segurança pública. Primeiro, porque sente na pele a violência; segundo, porque está cansada de discursos.

Trata-se, com efeito, da área mais complicada e com os piores resultados durante a gestão do ex-governador Cid Gomes. E como a atual administração é de continuidade, ou seja, como não está disposta a passar a limpo questões que possam causar constrangimentos ao antecessor, fica a expectativa. É uma desconfiança natural que faz lembrar aquela máxima de Apparício Torelly, o Barão de Itararé:

De onde menos se espera, daí é que não sai nada.

Publicidade

Wanfil recusa convite para secretaria de governo

Por Wanfil em Imprensa

20 de dezembro de 2014

Fontes próximas ao governador eleito Camilo Santana (PT) afirmam que o comentarista político Wanderley Filho, que assina o Blog do Wanfil, foi convidado a participar do primeiro escalão da gestão que se inicia em janeiro. Os relatos variam entre as pastas da Cultura e a Casa Civil.

Indagado por ele mesmo com exclusividade para este blog, Wanfil desconversa. “Seria deselegante comentar esse tipo de especulação”. Na Tribuna do Ceará comentários confirmam a veracidade da história, acrescentando a recusa após um dia de consultas a amigos e familiares. O convite teria surpreendido aliados e correligionários de Camilo, uma vez que o colunista é visto por governistas como demasiadamente crítico. Faltando menos duas semanas para a posse, o governador eleito ainda não divulgou o seu secretariado. 

Nada disso é verdade, claro. Mas quando notícias são plantadas em notinhas e colunas de jornal, blogs ou rádios, ou mesmo quando viram matéria, tudo é vago. É a apoteose do futuro do pretérito: teria, seria, poderia. E também das gargantas profundas (as tais fontes) interessadíssimas em vender imagens e boatos que germinam como pragas em ambientes de pouca luz. Basta ter acesso, recursos e certa influência para fazer a engrenagem funcionar.

Diante da estratégia ou hesitação de Camilo Santana em relação ao anúncio do secretariado, tudo é mistério, condição propícia para todo tipo de balão de ensaio. O mesmo vale para as indecisões da presidente Dilma Rousseff, que já anunciou os nomes de alguns ministros para o seu segundo mandato. Aliás, o negócio ficou de um jeito que até deputado federal com pouca expressão em Brasília é apontado como possível candidato à presidência da Câmara Federal, a pedido de outros parlamentares. Então tá…

Por isso, caro leitor, fique atento a esse tipo de notícia. Elas não dizem de concreto, mas fazem o sujeito parecer mais importante do que ele realmente é.

Publicidade

Wanfil recusa convite para secretaria de governo

Por Wanfil em Imprensa

20 de dezembro de 2014

Fontes próximas ao governador eleito Camilo Santana (PT) afirmam que o comentarista político Wanderley Filho, que assina o Blog do Wanfil, foi convidado a participar do primeiro escalão da gestão que se inicia em janeiro. Os relatos variam entre as pastas da Cultura e a Casa Civil.

Indagado por ele mesmo com exclusividade para este blog, Wanfil desconversa. “Seria deselegante comentar esse tipo de especulação”. Na Tribuna do Ceará comentários confirmam a veracidade da história, acrescentando a recusa após um dia de consultas a amigos e familiares. O convite teria surpreendido aliados e correligionários de Camilo, uma vez que o colunista é visto por governistas como demasiadamente crítico. Faltando menos duas semanas para a posse, o governador eleito ainda não divulgou o seu secretariado. 

Nada disso é verdade, claro. Mas quando notícias são plantadas em notinhas e colunas de jornal, blogs ou rádios, ou mesmo quando viram matéria, tudo é vago. É a apoteose do futuro do pretérito: teria, seria, poderia. E também das gargantas profundas (as tais fontes) interessadíssimas em vender imagens e boatos que germinam como pragas em ambientes de pouca luz. Basta ter acesso, recursos e certa influência para fazer a engrenagem funcionar.

Diante da estratégia ou hesitação de Camilo Santana em relação ao anúncio do secretariado, tudo é mistério, condição propícia para todo tipo de balão de ensaio. O mesmo vale para as indecisões da presidente Dilma Rousseff, que já anunciou os nomes de alguns ministros para o seu segundo mandato. Aliás, o negócio ficou de um jeito que até deputado federal com pouca expressão em Brasília é apontado como possível candidato à presidência da Câmara Federal, a pedido de outros parlamentares. Então tá…

Por isso, caro leitor, fique atento a esse tipo de notícia. Elas não dizem de concreto, mas fazem o sujeito parecer mais importante do que ele realmente é.