Sem categoria Archives - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

Sem categoria

Camilo, RC e Eunício confraternizam enquanto Estado vive crise na saúde

Por Wanfil em Sem categoria

17 de novembro de 2017

O governador Camilo Santana, o prefeito Roberto Cláudio e o senador Eunício Oliveira trocaram afagos durante solenidade de lançamento do programa “Juntos por Fortaleza”, nesta sexta-feira.

No mesmo horário, funcionários do Hospital do Coração, em Messejana, protestavam contra o atraso nos salários. Durante a semana, entidades como o Conselho Regional de Medicina e o Sindicato dos Médicos do Ceará denunciaram a falta de remédios e insumos cirúrgicos em diversos hospitais estaduais e da capital.

É claro que ninguém deve criticar quando autoridades deixam diferenças partidárias de lado para cumprir suas obrigações em benefício da população. É desejável a separação entre questões políticas e funções administrativas ou representativas. Agora, é diferente quando essas diferenças são ignoradas em razão de projetos particulares, de natureza eleitoral, deixando em segundo plano os problemas reais da população. Quando projetos que ainda estão no papel recebem mais atenção do que crises como a que temos nos hospitais, é sinal de que alguma coisa está fora da ordem, numa inversão de prioridades entre gestão e eleição.

Nesse exato instante, doentes correm o risco de morrer por falta de condições mínimas de atendimento. Se isso não for uma urgência, nada mais será. Em nota à imprensa, a Secretaria da Saúde justificou o caos jogando a culpa em fornecedores e na burocracia. Repete assim o padrão de desculpas já bem estabelecido na área da Segurança: nunca, jamais admitir erro algum; sempre sustentar que somente as melhores medidas são tomadas; jamais tentar explicas como é que apesar de tantos acertos, os resultados continuam desastrosos.

Sem solução para os problemas do presente, importantes autoridades se reúnem para celebrar novas promessas para o futuro. É o cartão de visitas do acordão entre PT, PMDB e PDT.

Publicidade

Abre o olho Arialdo, fica ligado Balhmann

Por Wanfil em Corrupção, Sem categoria

24 de Maio de 2017

Arialdo e Balhmann: únicos responsáveis por arrecadar junto a JBS, segundo Cid

O escritor Mário Quintana dizia que “as reticências são os três primeiros passos do pensamento que continua por conta própria”.

Na coletiva em que buscou rebater a delação de Wesley Batista, o ex-governador Cid Gomes falou sobre o dinheiro recebido da JBS para a campanha de 2014, enfatizando os nomes dos atuais secretários estaduais do Turismo, Arialdo pinho, e de Assuntos Internacionais, Antonio Balhmann. Ênfase carregada de reticências nas entrelinhas.

Confira esses três momentos (grifos meus):

1 – Os responsáveis

“Realmente o Balhmann e o Arialdo, licenciado do cargo, e mais algumas outras pessoas, cumpriram a tarefa de buscar financiamento para a campanha, coisa que é legal.”

2 – Cid não autorizou

“Em nenhum momento, em tempo algum, em nenhuma campanha, eu sugeri, eu permiti que alguém fizesse vínculo de doações para campanha a qualquer tipo de benefício por parte do estado. Quero afirmar isso categoricamente: nem eu, nem ninguém com minha autorização ou conhecimento, e com a minha recomendação explícita, de que não vinculasse, não fizesse qualquer tipo de vinculação a qualquer doação que possa ter sido feita em alguma campanha.”

3 – Wesley não fala de Cid

“Repito, se for ler o depoimento, ele [Wesley] não fala de mim não, depois ele fala, atribui ao Balhmann e ao Arialdo, que não são ocupantes de cargos públicos, o Balhmann deputado, isso não é impedimento, o Arialdo licenciado da secretaria, cumpriam uma missão, legal, de procurar financiamento legítimo para uma campanha eleitoral.”

Resumindo: Cid nega; Cid não tinha responsabilidade pelos pedidos de doações; Cid acredita que seus aliados agiram corretamente; Cid não autorizou ninguém a vender facilidades no governo para conseguir dinheiro. Por essa versão, a JBS doou nada menos que R$ 20 milhões para seu candidato em 2014 em troca de nada, apenas atendendo aos pedidos de inocentes arrecadadores.

Para bom entendedor, meia palavra basta. As reticências na fala de Cid deixam o caminho aberto para responsabilizar apenas seus emissários, caso as coisas se compliquem. Abre o olho Arialdo, fica ligado Balhmann.

Publicidade

E Camilo (por enquanto) continua no PT

Por Wanfil em Política, Sem categoria

24 de Janeiro de 2017

Camilo Santana vai trocar o PT pelo PSB. É o que dizem os jornais desde o final do ano passado. Quando será? Ninguém sabe. A demora é compreensível. Basta ver que o PSB do Ceará, sob o comando do deputado federal Danilo Forte, não apenas apoia, mas faz campanha para a reeleição de Rodrigo Maia no comando da Câmara dos Deputados. Maia é do DEM, partido que no vocabulário do PT de Camilo e do PDT de Ciro Gomes, é golpista.

É bem verdade que, contradição por contradição, o PT também apoia Rodrigo Maia e o PDT é aliado do DEM em Fortaleza. Mas existe um fato que complica as coisas para o governador cearense. É que para 2018, tanto PSB como DEM não se colocam como entusiastas da candidatura de Ciro à Presidência da República. Se o PSB apoiar Marina Silva ou mesmo um nome governista, Camilo fica em posição mais do que constrangedora.

É certo que a relação entre o PT do Ceará e o governador é ruim. A troca pelo PSB no curto prazo é viável? Pode até ser, negociações estão sendo feitas, mas  as variáveis ainda são muitas para uma garantia cabal agora.

Publicidade

Prós e contras dos candidatos à Prefeitura de Fortaleza no debate da Nordestv

Por Wanfil em Eleições 2016, Sem categoria

02 de setembro de 2016

Os candidatos à Prefeitura de Fortaleza participaram do debate promovido pela Nordestv, do Sistema Jangadeiro de Comunicação, retransmissora Band no Ceará, realizado na noite desta quinta-feira (1). O Blog do Wanfil faz uma análise com os pontos positivos e negativos de cada um. Confira:

Roberto Cláudio – PDT

Positivo: Mostrou calma diante das críticas e evitou polêmicas na hora de escolher os adversários a quem dirigiu suas perguntas, como estratégia para reduzir confrontos com os candidatos mais fortes. Passou segurança nas respostas.

Negativo: Com exceção da segurança pública, não reconheceu problemas (em desacordo com o que dizem as pesquisas), apresentou poucas propostas para os próximos quatro anos.

Capitão Wagner – PR

Positivo: A desenvoltura na gesticulação, firme e sem exageros, reforçou a imagem de candidato com disposição para agir. Buscou diversas vezes o debate direto com o atual prefeito, sem radicalismos, para mostrar propostas e demarcar posição como alternativa de oposição.

Negativo: Fez algumas críticas sem o devido embasamento com números ou fontes.

Luizianne Lins – PT

Positivo: A ex-prefeita apostou na comparação entre suas gestões e a atual, procurando polarizar a disputa. No final, obrigou o prefeito Roberto Cláudio a se posicionar contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, do PT, embora Moroni Torgan, vice de sua chapa, tenha votado a favor da cassação.

Negativo: A insistência em desfazer a todo momento da atual gestão e a ausência de propostas deixam a impressão de ressentimento

Heitor Férrer – PSB

Positivo: Tranquilo, transpareceu experiência política. Foi incisivo nos questionamentos e críticas relacionadas à saúde e acusou a Prefeitura de “assaltar” a população com fotossensores.

Negativo: Em certos momentos pareceu um tanto apático, especialmente quando debateu com candidatos menos expressivos nas pesquisas.

Ronaldo Martins – PRB

Positivo: Cobrou o enxugamento da máquina pública e falou sobre a necessidade de participação popular para direcionar ações de saúde.

Negativo: Excessivamente cuidadoso, evita riscos na hora de confrontar ideias, ficando sem personalidade.

Tin Gomes – PHS

Positivo: Lembrou mais de uma vez que é preciso considerar os limites orçamentários da prefeitura na hora de fazer promessas.

Negativo: Dificuldade na articulação do discurso, apresentou propostas genéricas, aparentemente sem muita convicção. Deixa a impressão de que trabalha o nome para outras disputas.

Avaliação geral

Os candidatos mostraram preparo no controle de seus tempos de fala e evitaram ataques pessoais, centrando as discussões nos problemas da cidade. Faltando pouco mais de um mês para as eleições, todos ainda estudam as estratégias dos concorrentes. Com o passar do tempo e das pesquisas, a tendência é que o clima fique mais acirrado somente mais adiante.

Publicidade

Impeachment: bancada cearense se divide, porém maioria continua com Dilma

Por Wanfil em Sem categoria

18 de Abril de 2016

A votação do impeachment quantificou o que todos já sabiam: hoje o governo federal é minoria na Câmara dos Deputados. Foram 367 votos pela saída da presidente Dilma, contra 137 por sua permanência. O esgarçamento político é de tal envergadura que nem mesmo o apelo à distribuição de cargos e verbas foi capaz de manter 1/3 dos parlamentares na base. Sem sustentação política, é o fim da gestão.

Na contramão desse quadro, apenas três bancadas deram maioria para a ainda presidente Dilma: Bahia, Amapá e Ceará! Dos 22 cearenses, onze votaram contra o impeachment e nove a favor, com uma abstenção e uma ausência. De todo modo, foi um placar apertado, o que mostra uma divisão que antes não havia, quase igualando oposicionistas e governistas.

Isso é significativo na medida em que bancada  do Ceará se notabilizou por ter uma maioria submissa aos interesses do governo federal, condição reforçada pelo alinhamento automático do executivo estadual nas três últimas gestões. Essa disposição aos sim, ao consentimento e à obediência resultou em falta de prestígio político. É aquela história: quem muito se oferece, pouco se dá valor.

Na bancada de Pernambuco, por exemplo, estado que conseguiu uma refinaria, além de grandes investimentos nos últimos anos, 18 deputados votaram pelo impeachment e seis contra. Uma surra. Que fique a lição: governos só respeitam bancadas que colocam os interesses do estado acima de interesses eleitoreiros e partidários.

Para registro, segue abaixo a posição dos deputados federais cearenses na votação.

A favor do impeachment, por ordem alfabética:

Adail carneiro (PP), Cabo Sabino (PR), Danilo Forte (PSB), Genecias Noronha (SD), Moroni Torgan (DEM), Moses Rodrigues (PMDB), Raimundo Gomes de Matos (PSDB), Ronaldo Martins (PRB) e Vitor Valim (PMDB).

Contra o impeachment de Dilma, portanto, derrotados:

Ariosto Holanda (PDT), Arnon Bezerra (PTB), Chico Lopes (PCdoB), Domingos Neto (PSD), José Guimarães (PT), José Airton (PT), Leônidas Cristino (PDT), Luizianne Lins (PT), Macedo (PP), Odorico Monteiro (PROS) e Vicente Arruda (PDT).

Lavaram as mãos

Aníbal Gomes (PMDB) não votou e Gorete Pereira (PR) absteve-se.

Publicidade

Opa! Eduardo Cunha não ofendeu os cearenses. Desrespeito foi o golpe da refinaria!

Por Wanfil em Sem categoria

27 de Março de 2015

A Assembleia Legislativa do Ceará e a Câmara Municipal de Fortaleza aprovaram moções de repúdio contra Eduardo Cunha (PMDB), presidente da Câmara dos Deputados, em Brasília. Foi ele quem expulsou autoridades cearenses do plenário do parlamento durante convocação do ex-governador Cid Gomes.

Tomado de indignação, o presidente da Assembleia, deputado estadual Zezinho Albuquerque (Pros), disse que o povo cearense foi desrespeitado, pois ali estavam representantes eleitos pelo estado. O ressentimento é compreensível, mas não é bem assim.

Não estava em pauta ali nenhuma matéria de interesse do Ceará. Quem foi lá fazer plateia para aplaudir o ex-ministro, acabou exposto a um constrangimento desnecessário, é verdade, mas que, repito, nada tem a ver com o estado. Aliás, o que houve entre Cunha e Cid foi um desentendimento entre aliados da presidente Dilma. Problema deles.

Desrespeito foi a presepada da refinaria que nunca existiu nem mesmo como projeto. Ofensa é a própria tropa governista na Assembleia rejeitar o pedido da oposição para que o governo explique os gastos com a tal casa em que o ex-ministro Cid se hospedou, às expensas de dinheiro do tesouro estadual. Dinheiro público, dinheiro do…. povo cearense! A respeito desses casos, não se vê indignação dos deputados que dizem defender os cearenses contra Eduardo Cunha. Nada de moção de repúdio contra os presidentes da Petrobras ou Lula e a própria Dilma. Nada de moção de repúdio contra gastos exorbitantes com luxos desnecessários. É a indignação seletiva.

Só quando interessa é que eles se lembram que representam, ou deveriam representar, os cearenses.

 

Publicidade

Compra de helicópteros sem licitação pelo governo do Ceará é alvo de suspeitas

Por Wanfil em Ceará, Noticiário, Sem categoria

25 de agosto de 2013

O site do jornal O Globo publicou matéria assinada por Maria Lima: Sem licitação, Cid Gomes gasta R$ 78 milhões com helicópteros. Segundo o jornal, o governo estadual adquiriu quatro helicópteros “equipados com o que há de mais moderno” valendo-se de artifícios para dispensa de concorrências. Um desses aparelhos, “de padrão luxo”, é utilizado pelo governador Cid Gomes desde 2010 e os demais começaram a chegar ao Ceará na semana passada.

Um programa da Secretaria de Ciência e Tecnologia que autoriza a compra de “equipamentos” (sem especificar helicópteros) sem licitação é utilizado para adquirir as aeronaves. Depois os aparelhos são cedidos para a Secretaria de Segurança. Valor do negócio: 78 milhões.

O deputado estadual Heitor Férrer (PDT), informa a matéria, deverá pedir informações detalhadas ao governo sobre a compra, os valores pagos e a destinação das aeronaves, uma vez que, segundo o parlamentar, a Lei 8.666 prevê a participação de empresas em concorrências e a escolha do menor preço para o fornecimento desses equipamentos.

Em resposta à reportagem de O Globo, a assessoria de comunicação do governo afirmou que tudo foi realizado dentro dos trâmites legais, com a devida aprovação da Assembleia Legislativa e do Senado Federal. A respeito do helicóptero que seria de uso exclusivo do governador, o governo afirma que sua utilização é para o monitoramento e fiscalização de obras pelas secretarias do estado e ocasionalmente transporta autoridades.

Entretanto, o extrato de inexigibilidade de licitação para a aeronave que serve ao próprio governador informa que o Eurocopter EC-135P2+, prefixo PR-GCE, foi oficialmente comprado “para fins de operação junto à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior e Superintendência Estadual de Meio Ambiente”, e no Diário Oficial, a aquisição está registrada como ““equipamentos e instrumentos técnico-científicos e educacionais”.

Publicidade

Compra de helicópteros sem licitação pelo governo do Ceará é alvo de suspeitas

Por Wanfil em Ceará, Noticiário, Sem categoria

25 de agosto de 2013

O site do jornal O Globo publicou matéria assinada por Maria Lima: Sem licitação, Cid Gomes gasta R$ 78 milhões com helicópteros. Segundo o jornal, o governo estadual adquiriu quatro helicópteros “equipados com o que há de mais moderno” valendo-se de artifícios para dispensa de concorrências. Um desses aparelhos, “de padrão luxo”, é utilizado pelo governador Cid Gomes desde 2010 e os demais começaram a chegar ao Ceará na semana passada.

Um programa da Secretaria de Ciência e Tecnologia que autoriza a compra de “equipamentos” (sem especificar helicópteros) sem licitação é utilizado para adquirir as aeronaves. Depois os aparelhos são cedidos para a Secretaria de Segurança. Valor do negócio: 78 milhões.

O deputado estadual Heitor Férrer (PDT), informa a matéria, deverá pedir informações detalhadas ao governo sobre a compra, os valores pagos e a destinação das aeronaves, uma vez que, segundo o parlamentar, a Lei 8.666 prevê a participação de empresas em concorrências e a escolha do menor preço para o fornecimento desses equipamentos.

Em resposta à reportagem de O Globo, a assessoria de comunicação do governo afirmou que tudo foi realizado dentro dos trâmites legais, com a devida aprovação da Assembleia Legislativa e do Senado Federal. A respeito do helicóptero que seria de uso exclusivo do governador, o governo afirma que sua utilização é para o monitoramento e fiscalização de obras pelas secretarias do estado e ocasionalmente transporta autoridades.

Entretanto, o extrato de inexigibilidade de licitação para a aeronave que serve ao próprio governador informa que o Eurocopter EC-135P2+, prefixo PR-GCE, foi oficialmente comprado “para fins de operação junto à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior e Superintendência Estadual de Meio Ambiente”, e no Diário Oficial, a aquisição está registrada como ““equipamentos e instrumentos técnico-científicos e educacionais”.