Pros e PT disputam coordenação da bancada federal mais fraca da história do Ceará - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

Pros e PT disputam coordenação da bancada federal mais fraca da história do Ceará

Por Wanfil em Política

07 de Abril de 2015

Registro de reunião recente da bancada federal do Ceará

Registro de reunião recente  do rebanho federal do Ceará

A bancada federal do Ceará na Câmara dos Deputados é composta por 22 deputados. Com poucas exceções, a ampla maioria é governista. Pois bem. A bancada deve se reunir nesta terça para avaliar a disputa entre o atual coordenador do grupo, deputado Antônio Balhman, do Pros, e o petista José Airton Cirilo.

A bancada que não bota banca
Em tese, uma bancada bem coordenada tem maior poder de articulação para negociar projetos e programas de interesse do povo do Ceará, do que parlamentares dispersos.

Na prática, a atual bancada federal do Ceará se notabilizou pela obediência cega ao Palácio do Planalto, muitas vezes em detrimento das necessidades do Estado.

O que fizeram sobre o golpe da refinaria aplicado por Lula e Dilma? Nada. A maioria não votou uma única vez contra o governo (com raras exceções, é bom lembrar) para pressioná-lo a compensar o prejuízo e o engodo impostos aos cearenses. E qual o feito recente de maior repercussão da bancada do Ceará na Câmara? A salva de palmas ao ex-ministro Cid Gomes, no dia em que ele foi prestar esclarecimentos sobre a polêmica declaração a respeito de achacadores na base aliada e acabou demitido por Eduardo Cunha, do PMDB. Pronto. O resto são emendas individuais e troca de apoio eleitoral.

A disputa entre PT e Pros
Isso não quer dizer que a disputa pela coordenação do grupo seja totalmente irrelevante, já que o que está em jogo é o comando político da aliança entre o Pros e o PT no Ceará. O Pros tem maioria na bancada, mas o PT tem o Palácio da Abolição. Aliados no campo estadual, porém, adversários em vários municípios – inclusive em Fortaleza –, as siglas começam a se posicionar de olho nas eleições do ano que vem. Tem tiver mais força emplaca o coordenador.

De resto, para a população, tanto faz Antônio Balhman ou José Airton Cirilo. No que diz respeito a postura da bancada, é tudo igual.

Publicidade aqui

Pros e PT disputam coordenação da bancada federal mais fraca da história do Ceará

Por Wanfil em Política

07 de Abril de 2015

Registro de reunião recente da bancada federal do Ceará

Registro de reunião recente  do rebanho federal do Ceará

A bancada federal do Ceará na Câmara dos Deputados é composta por 22 deputados. Com poucas exceções, a ampla maioria é governista. Pois bem. A bancada deve se reunir nesta terça para avaliar a disputa entre o atual coordenador do grupo, deputado Antônio Balhman, do Pros, e o petista José Airton Cirilo.

A bancada que não bota banca
Em tese, uma bancada bem coordenada tem maior poder de articulação para negociar projetos e programas de interesse do povo do Ceará, do que parlamentares dispersos.

Na prática, a atual bancada federal do Ceará se notabilizou pela obediência cega ao Palácio do Planalto, muitas vezes em detrimento das necessidades do Estado.

O que fizeram sobre o golpe da refinaria aplicado por Lula e Dilma? Nada. A maioria não votou uma única vez contra o governo (com raras exceções, é bom lembrar) para pressioná-lo a compensar o prejuízo e o engodo impostos aos cearenses. E qual o feito recente de maior repercussão da bancada do Ceará na Câmara? A salva de palmas ao ex-ministro Cid Gomes, no dia em que ele foi prestar esclarecimentos sobre a polêmica declaração a respeito de achacadores na base aliada e acabou demitido por Eduardo Cunha, do PMDB. Pronto. O resto são emendas individuais e troca de apoio eleitoral.

A disputa entre PT e Pros
Isso não quer dizer que a disputa pela coordenação do grupo seja totalmente irrelevante, já que o que está em jogo é o comando político da aliança entre o Pros e o PT no Ceará. O Pros tem maioria na bancada, mas o PT tem o Palácio da Abolição. Aliados no campo estadual, porém, adversários em vários municípios – inclusive em Fortaleza –, as siglas começam a se posicionar de olho nas eleições do ano que vem. Tem tiver mais força emplaca o coordenador.

De resto, para a população, tanto faz Antônio Balhman ou José Airton Cirilo. No que diz respeito a postura da bancada, é tudo igual.