Blog do Wanfil - Sem meias palavras 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

Receita cearense: raiz, bulbo e rizoma contra a crise

Por Wanfil em Economia

10 de agosto de 2016

A mesma notícia, com dois título diferentes. Em ambos, cesta básica é secundário diante de raízes e bulbos

A mesma notícia, com dois título diferentes. Em ambas, cesta básica é informação secundária diante de raízes e bulbos

Dilma Rousseff virou ré no Senado, acusada de crimes contra a economia, após votação realizada ontem, terça-feira (9). Economia que está em recessão, como todos sabem e sentem.

Em contrapartida, no mesmo dia, um texto publicado no site do governo estadual (apoiador da política econômica de Dilma, como bem pode confirmar o secretário da Fazenda Mauro Filho), anunciou que o “IPCE (Índice de Preços da Ceasa Ceará) registra queda de 15,11% em julho“.

Entretanto, ao contrário do que parece, o título não alude a uma média geral de preços na Ceasa, mas a um setor isolado, denominado “Raiz, Bulbo e Rizoma”. Trata-se, portanto, de excelente notícia para consumidores de raízes, bulbos e rizomas. Só no final do primeiro parágrafo é que o leitor fica sabendo que “o setor Cesta Básica apresentou aumento de 8,93%”. Péssima notícia para consumidores de “manteiga (44%), queijo coalho (32%), feijão de corda (24,41%), frango (19,31%), café (14,58% e feijão preto (13,75%)”.

No site da Ceasa, diga-se, o título da matéria foi corretamente colocado: “IPCE registra queda de 15,11% no setor Raiz, Bulbo e Rizoma“. A versão menos exata foi publicada apenas no portal do governo.

Publicidade

Senado decide se Dilma deve ser julgada. Tá com pena dela?

Por Wanfil em Brasil

09 de agosto de 2016

Teve início na manhã desta terça -feira (9) a sessão que decidirá se a presidente afastada Dilma Rouseff, do PT, deve ser julgada por crime de responsabilidade.

No mesmo dia o IBGE divulgou que o volume de vendas no comércio varejista ampliado (que inclui as atividades que atuam com veículos e material de construção) desabou 10,1% no Brasil entre junho de 2015 e junho de 2016. No Ceará, a queda foi de 12,3%.

Ainda no Ceará, nesse no mesmo período, as vendas no setor de eletrodomésticos caíram 21%. A área de veículos e peças recuou 24,1%, e a de material de construção perdeu 23%.

Os dados podem ser conferidos na  Pesquisa Mensal do Comércio (PMC). São o retrato das fraudes fiscais cometidas por Dilma em busca da reeleição. Esse cenário é a base de fundo do aumento do desemprego.

Dilma poderá ser julgada por isso. Ainda está com pena dela? Reveja os números.

 

Publicidade

Obras em período eleitoral: não pode inaugurar, mas pode visitar

Por Wanfil em Eleições 2016

08 de agosto de 2016

Ainda não há tijolos, mas já dá para uma boa foto (divulgação).

O anexo do IJF ainda não tem tijolos, mas já dá para uma boa foto (divulgação).

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), e o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), “visitaram” na semana passada as obras do prédio anexo ao Instituto Doutor José Frota. Leitores perguntam se a lei não proíbe que o prefeito, candidato à reeleição, participe de eventos dessa natureza.

A resposta é: não proíbe.  O artigo 77 da Lei 9.504 veda a participação de qualquer candidato em inaugurações nos três meses que antecedem o pleito. Portanto, visitar obras em andamento, mesmo as que nem sequer foram realmente iniciadas, e ainda que não haja objetivo prático algum, é permitido.

Com tantas obras viárias na cidade, essa pressa para mostrar serviço com o que ainda não saiu do papel fica um pouco estranha. Precisa? Talvez pesquisas apontem uma demanda do eleitor na área da saúde, mas isso é mera especulação.

Outro ponto que merece atenção é o fato de o governo estadual aparecer como fiador da obra, enquanto que o Hospital Regional do Sertão Central, em Quixeramobim, continua sem funcionar, apesar de ter sido inaugurado em 2014, ano eleitoral.

No fim das contas, resumindo, desde o dia 2 de julho candidatos não podem inaugurar obras, mas podem visitá-las, com a vantagem de que estas nem precisam estar prontas, muito menos funcionando.

Publicidade

A semana do ex-presidente: paparicado no Ceará, acusado no Paraná

Por Wanfil em Eleições 2016

05 de agosto de 2016

Lula em Fortaleza, antes da Lava Jato, quando aliados brigavam para aparecer ao seu lado

Lula em Fortaleza em 2013, antes da Lava Jato, quando sua presença fazia desafetos se unirem para aparecer ao seu lado. O tempo voa…

Na mesma semana em que esteve no Ceará, onde foi paparicado em ocasiões separadas por seleto grupo formado por Luzianne Lins, José Guimarães, Ciro Gomes, Cid Gomes e Camilo Santana, o ex-presidente Lula foi acusado pelo Ministério Público no Paraná de ter participado “ativamente do esquema criminoso na Petrobras”.

Os procuradores da Força-tarefa da Operação Lava Jato afirmam ainda que “há elementos de prova de que Lula participou ativamente do esquema criminoso” e que “recebeu, direta e indiretamente, vantagens indevidas decorrentes dessa estrutura delituosa”.

A passagem de Lula foi registrada aqui no blog nos posts Os bons companheiros e Do jatinho ao fusquinha.

Nas eleições de 2012, multidões de candidatos a prefeito e vereador queriam aparecer ao lado de Lula. Agora, no Ceará, a comitiva dos que acreditam na sua capacidade de transferir votos cabe dentro de um Fusca.

Publicidade

Alô, é do presídio?

Por Wanfil em Segurança

04 de agosto de 2016

De nada adiantou a Assembleia Legislativa do Ceará ter aprovado, em março passado, uma lei obrigando operadoras de celular a instalar bloqueadores de celulares no presídios estaduais. É que ontem (3) o STF a considerou  inconstitucional, uma vez que somente a União pode regular matéria de telecomunicação.

Outros estados também tomaram medidas semelhantes. Por isso o Rio Grande do Norte, assim como aconteceu no Ceará, sofre uma onda de ataques a delegacias, prédios públicos e ônibus, comandados de dentro das cadeias por líderes de facções criminosas, em reação contra o uso desses bloqueadores.

Pressionados e sem conseguir impedir a entrada desses aparelhos nos presídios (a Tribuna Band News FM entrevistou detentos, com muita facilidade, durante a rebelião de maio), os governos estaduais tentaram transferir a responsabilidade do poder público para a iniciativa privada. Não deu. O problema é que agora será preciso esperar que a Secretaria de Justiça resolva a parada. Convenhamos, é tudo o que os presos queriam.

Publicidade

Turismo em queda no Ceará

Por Wanfil em Segurança

04 de agosto de 2016

Matéria do jornal O Povo desta quinta-feira (4), sobre queda, no Ceará,  de 5,3% no fluxo de turistas nacionais e de 1,4% entre os internacionais entre no primeiro trimestre de 2016, segundo dados divulgados pela Fecomercio.

Arialdo Pinho, secretário do Turismo do Estado, acredita que a falta de divulgação e de mais voos internacionais são fatores que prejudicam a atratividade turística internacional.

O turismo nacional, claro, sofre com a crise econômica. Já o internacional, além das justificativas apontadas pelo secretário, é preciso lembrar outro fator bastante incômodo: Fortaleza está entre as capitais mais violentas do Brasil e do mundo.

O turista estrangeiro interessado em conhecer o Brasil nas Olimpíadas pode encontrar na Forbes, por exemplo, a informação de que Fortaleza lidera a taxa de homicídios no País: “Within the top 50, Brazil’s most violent cities are mainly in the north, far from the Olympic city of Rio de Janeiro“.

É bom não menosprezar o efeito causado pelo medo, na hora de pesar as razões dessa redução.

Publicidade

Os bons companheiros

Por Wanfil em Eleições 2016

03 de agosto de 2016

Lula publicou a foto, mas Cid, Camilo e Ciro não compartilharam. Coisas do momento... (Instituto Lula)

Lula publicou a foto no Facebook. Cid, Camilo e Ciro não compartilharam: separados no palanque em Fortaleza, juntos por necessidade fora dele

Os perfis de Lula e do Instituto Lula no Facebook publicaram a foto ao lado, feita durante passagem do ex-presidente para o lançamento da candidatura de Luizianne Lins (PT) à Prefeitura de Fortaleza.

Nas redes sociais, muitas críticas ao que seria uma incoerência, uma vez que Luizianne é desafeto de Ciro e Cid Gomes (por enquanto no PDT), que trabalham pela reeleição de Roberto Cláudio (também por enquanto no PDT), com o apoio do governador Camilo Santana, petista que não apoia a candidata de Lula.

É preciso ter calma. Não há nada de errado no encontro. Aliás, é perfeitamente natural que assim procedam, afinal, Lula e os irmãos Gomes são aliados de longa data. Juntos, construíram um legado. Anunciaram a refinaria que não veio e não conseguiram concluir a transposição do São Francisco, embora tenham, junto com Dilma, duplicado o custo da obra.

Por falar em Dilma, no mês passado a presidente afastada fez questão de lembrar que Roberto Cláudio e Luizianne Lins fazem parte de sua base aliada. É isso! Esses dois candidatos, mesmo com suas diferenças de estilo e enfoque administrativo, são expressões políticas de lideranças que chegaram juntas ao poder e que hoje estão ameaçadas pela ascensão do PMDB no cenário nacional.

Vença um ou outro a disputa pela capital cearense, seus grupos, ou seus comandantes, sem ter para onde ir, continuam unidos na luta pela sobrevivência política.

Publicidade

Lula no Ceará: do jatinho ao fusquinha

Por Wanfil em Eleições 2016

02 de agosto de 2016

O ex-presidente Lula, investigado por corrupção e indiciado por obstrução à Operação Lava Jato, participou  da convenção do PT de Fortaleza que oficializou, na noite desta segunda (1), a candidatura da deputada federal Luizianne Lins à prefeitura da capital cearense.

O Fusca do trabalhador é vermelho, mas o jatinho do político de hábitos caros é branco

O fusquinha do líder trabalhador é vermelho, mas o jatinho do político de hábitos caros é branco. Procure no Google

Lula chegou ao evento de carona no Fusca vermelho de Luizianne, dirigido pelo deputado estadual Elmano de Freitas, vice na chapa pura petista, como podemos ver na foto divulgada pela candidata em seu no Facebook pessoal. No palanque, o deputado federal José Guimarães enalteceu o fato: “O Pessoal do hotel levou foi um susto! O presidente Lula entrando num fusquinha. É porque o Lula pertence ao povo do Brasil e ao povo de Fortaleza!“.

O Fusca vermelho é um símbolo que evoca a cor do partido e sua origem humilde, popular, distante dos carrões importados das elites. Campanha é isso: um apelo à emoção. Por isso ninguém divulgou fotos da chegada de Lula, horas antes, em jatinho no antigo terminal do Aeroporto Pinto Martins. Jatinho não combina com Fusca.

Publicidade

Ciro Trump

Por Wanfil em Política

01 de agosto de 2016

Estamos de volta, após breve recesso. Nos emails acumulados, leitores me perguntam o que acho das declarações de Ciro Gomes (PDT) feitas na última sexta-feira (29), em entrevista à Rádio Tupinambá, de Sobral, quando acusou adversários de formarem uma coalizão do ódio. Desancou seus ex-aliados Tasso Jereissati (PSDB) e Eunício Oliveira (PMDB), além do deputado estadual Capitão Wagner (PR), candidato à Prefeitura de Fortaleza.

Não entro em detalhes porque a fala do ex-governador carece de substância política. Não passa de provocação, dentro de uma estratégia já utilizada na última disputa ao governo estadual. Ciro bate, xinga, cria teorias conspiratórias e culpa terceiros por tudo de ruim no Ceará, não obstante o fato de que seus aliados é que estão no poder. Se o alvo dos ataques responde, é imediatamente acusado de baixar o nível, de modo que o candidato escolhido para representar Ciro Gomes e seu grupo surge como pacifista angelical preocupado apenas com os problemas da população. Truque manjado.

Desse modo, não há muito que dizer. Guardadas as devidas proporções, comentar mais do que isso é como analisar as falas de Donald Trump na corrida presidencial nos EUA, que ganha espaço na mídia à custa de polêmicas, brigas, mentiras e acusações sem provas, sempre com um toque especial de deselegância. Pode até dar voto, mas definitivamente não rende credibilidade.

Publicidade

Dica de leitura: Demian, de Hermann Hesse

Por Wanfil em Livros

31 de julho de 2016

Capa Demian V3 MFDica de livro do Wanfil: Demian, de Hermann Hesse, escritor alemão ganhador do Nobel, publicado em 1916. Fala da amizade entre o narrador, Emil Sinclair, de dez anos, e seu colega de escola Max Demian, crianças buscando descobrir o mundo e que permitem ao autor trabalhar reflexões sobre a natureza humana, num contexto em que a promessa de prosperidade do Século 19 entra em choque com as sombrias mazelas do Século 20, o mais sanguinário da História.

Simbolicamente, essa divisão é magistralmente retratada nas diferenças entre a segurança do lar e a imprevisibilidade das ruas, onde a regra é a luta pela sobrevivência. Daí o nome do primeiro capítulo ser “Dois mundos”. Segue um trecho, retirado ainda do prólogo do livro, em primeira pessoa:

Não é agradável a minha história, não é suave e harmoniosa como as histórias inventadas; sabe a insensatez e a confusão, a loucura e o sonho, como a vida de todos os homens que já não querem mais mentir para si mesmos.”

Literatura de qualidade é assim: resulta em exercício de autoavaliação (como indivíduo e como sociedade), com o ritmo instigante das histórias envolventes, distante da superficialidade das lições de autoajuda. Nada mais fundamental nesses tempos, quando as pessoas alardeiam certezas ao sabor de ideologias idiotizantes. Reparem que o trecho destacado acima não elogia os que não mentem para si mesmos, mas os que almejam essa condição. O ponto de inflexão está na vontade do sujeito. Até porque, como sabemos por experiência própria, a disposição de enfrentar nossos erros não é certeza de imunidade aos enganos.

Assim, o tentar, a busca por algo maior, o estado de alerta com os próprios atos e pensamentos e o compromisso com a essas intenções é o que pode distinguir o homem adulto daquele que aceita, passivamente, iludir-se como se fosse criança, porém, sem a inocência da idade.

Publicidade

Dica de leitura: Demian, de Hermann Hesse

Por Wanfil em Livros

31 de julho de 2016

Capa Demian V3 MFDica de livro do Wanfil: Demian, de Hermann Hesse, escritor alemão ganhador do Nobel, publicado em 1916. Fala da amizade entre o narrador, Emil Sinclair, de dez anos, e seu colega de escola Max Demian, crianças buscando descobrir o mundo e que permitem ao autor trabalhar reflexões sobre a natureza humana, num contexto em que a promessa de prosperidade do Século 19 entra em choque com as sombrias mazelas do Século 20, o mais sanguinário da História.

Simbolicamente, essa divisão é magistralmente retratada nas diferenças entre a segurança do lar e a imprevisibilidade das ruas, onde a regra é a luta pela sobrevivência. Daí o nome do primeiro capítulo ser “Dois mundos”. Segue um trecho, retirado ainda do prólogo do livro, em primeira pessoa:

Não é agradável a minha história, não é suave e harmoniosa como as histórias inventadas; sabe a insensatez e a confusão, a loucura e o sonho, como a vida de todos os homens que já não querem mais mentir para si mesmos.”

Literatura de qualidade é assim: resulta em exercício de autoavaliação (como indivíduo e como sociedade), com o ritmo instigante das histórias envolventes, distante da superficialidade das lições de autoajuda. Nada mais fundamental nesses tempos, quando as pessoas alardeiam certezas ao sabor de ideologias idiotizantes. Reparem que o trecho destacado acima não elogia os que não mentem para si mesmos, mas os que almejam essa condição. O ponto de inflexão está na vontade do sujeito. Até porque, como sabemos por experiência própria, a disposição de enfrentar nossos erros não é certeza de imunidade aos enganos.

Assim, o tentar, a busca por algo maior, o estado de alerta com os próprios atos e pensamentos e o compromisso com a essas intenções é o que pode distinguir o homem adulto daquele que aceita, passivamente, iludir-se como se fosse criança, porém, sem a inocência da idade.