A mentira do aquecimento global e o sequestro das causas ambientais 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

A mentira do aquecimento global e o sequestro das causas ambientais

Por Wanfil em Ideologia

08 de Maio de 2012

Aquecimento global: uma hipótese que ganhou status de verdade tão evidente, que nem de provas necessitava

O nível da água nos oceanos está subindo por causa do derretimento das calotas polares, resultado do aquecimento global, provocando desastres ambientais que vão da desertificação de florestas até tsunamis. Tudo porque a temperatura no planeta aumentou em função da ação humana no sistema capitalista.

Embora essa conversa possa soar como uma verdade evidente e familiar, não passa de uma hipótese baseada em premissas falsas. Isso mesmo! Nem sequer conseguiu se sustentar como uma teoria.

Fé e dúvida

Como hipótese que sempre foi, a tragédia anunciada não precisou de provas. Bastou-lhe a fé. E a fé, como dizia Emile Durkheim, é auto-confirmatória, ou seja, dispensa o rigor do exame, a comprovação cabal.

O planeta nunca passou por oscilações de temperatura antes em sua longa história? Os níveis do mar sempre estiveram abaixo do atual? São dúvidas pertinentes que passam ao largo do debate ecológico por serem inconvenientes.

“Mas quem você pensa que é Wanfil, algum cientista?” Bom, sou apenas um curioso, confesso, com a mania de investigar se as sentenças da moda não possuem contestações e se o discurso hegemônico tem ou não sua unanimidade sustentada na burrice, como já advertia Nelson Rodrigues.

Palavra dos especialistas

Tudo bem. Vamos aos especialistas. O doutor Ricardo Augusto Felício, professor de climatologia na USP, especialista em Antártida, afirmou, em entrevista exibida no programa do Jô Soares, no último dia 2: “O aquecimento global é uma mentira!”. E mais: “Para derreter a Antártida, cá pra nós, você tem que ter na Terra uma temperatura uns vinte ou trinta graus mais elevada”. Mas professor, o nível do mar não está subindo? “Não! Está no mesmo lugar”. E o aquecimento global? “O aquecimento global virou o bode-expiatório para todos os males da humanidade”. Usar desodorante não aumenta a temperatura do planeta? “A Terra tem essa temperatura porque tem atmosfera, recebe energia do Sol e pela lei dos gases: pressão, temperatura e volume. Não é uma teoria, é uma lei!”.

Para os mais crédulos na catástrofe ambiental, reproduzo trecho de recente entrevista de James Lovelock, pai da teoria do aquecimento global e da Hipótese Gaia (a Terra seria um organismo gigante), guru dos ecochatos, concedida em abril passado à rede americana NBC:  “Tudo bem, cometi um erro. (…) O problema é que não sabemos como o clima atua, embora achássemos que sabíamos 20 anos atrás. Isso levou à publicação de livros alarmistas, inclusive os meus”, reconheceu.

Ambientalismo, uma bandeira roubada

O ambientalismo, ou a preocupação com a gerência eficiente dos bens naturais, sem dúvida é importante como estratégia de sobrevivência e de crescimento. Não por acaso nasceu nos países industrializados (pois é, não foi em Cuba, na África, na Coréia do Norte ou no Brasil).

Depois do colapso da União Soviética e da teoria econômica marxista, os órfãos da revolução passaram a procurar novas causas para manter a fé na destruição do capitalismo e mobilizar novas gerações. Uma dessas bandeiras, talvez a mais influente, foi o ambientalismo, tema que privatizado por alguns partidos políticos interessados apenas em alimentar ressentimento ideológico contra a economia capitalista.

Resta-lhes agora apostar na fé contra a razão.

Publicidade aqui

A mentira do aquecimento global e o sequestro das causas ambientais

Por Wanfil em Ideologia

08 de Maio de 2012

Aquecimento global: uma hipótese que ganhou status de verdade tão evidente, que nem de provas necessitava

O nível da água nos oceanos está subindo por causa do derretimento das calotas polares, resultado do aquecimento global, provocando desastres ambientais que vão da desertificação de florestas até tsunamis. Tudo porque a temperatura no planeta aumentou em função da ação humana no sistema capitalista.

Embora essa conversa possa soar como uma verdade evidente e familiar, não passa de uma hipótese baseada em premissas falsas. Isso mesmo! Nem sequer conseguiu se sustentar como uma teoria.

Fé e dúvida

Como hipótese que sempre foi, a tragédia anunciada não precisou de provas. Bastou-lhe a fé. E a fé, como dizia Emile Durkheim, é auto-confirmatória, ou seja, dispensa o rigor do exame, a comprovação cabal.

O planeta nunca passou por oscilações de temperatura antes em sua longa história? Os níveis do mar sempre estiveram abaixo do atual? São dúvidas pertinentes que passam ao largo do debate ecológico por serem inconvenientes.

“Mas quem você pensa que é Wanfil, algum cientista?” Bom, sou apenas um curioso, confesso, com a mania de investigar se as sentenças da moda não possuem contestações e se o discurso hegemônico tem ou não sua unanimidade sustentada na burrice, como já advertia Nelson Rodrigues.

Palavra dos especialistas

Tudo bem. Vamos aos especialistas. O doutor Ricardo Augusto Felício, professor de climatologia na USP, especialista em Antártida, afirmou, em entrevista exibida no programa do Jô Soares, no último dia 2: “O aquecimento global é uma mentira!”. E mais: “Para derreter a Antártida, cá pra nós, você tem que ter na Terra uma temperatura uns vinte ou trinta graus mais elevada”. Mas professor, o nível do mar não está subindo? “Não! Está no mesmo lugar”. E o aquecimento global? “O aquecimento global virou o bode-expiatório para todos os males da humanidade”. Usar desodorante não aumenta a temperatura do planeta? “A Terra tem essa temperatura porque tem atmosfera, recebe energia do Sol e pela lei dos gases: pressão, temperatura e volume. Não é uma teoria, é uma lei!”.

Para os mais crédulos na catástrofe ambiental, reproduzo trecho de recente entrevista de James Lovelock, pai da teoria do aquecimento global e da Hipótese Gaia (a Terra seria um organismo gigante), guru dos ecochatos, concedida em abril passado à rede americana NBC:  “Tudo bem, cometi um erro. (…) O problema é que não sabemos como o clima atua, embora achássemos que sabíamos 20 anos atrás. Isso levou à publicação de livros alarmistas, inclusive os meus”, reconheceu.

Ambientalismo, uma bandeira roubada

O ambientalismo, ou a preocupação com a gerência eficiente dos bens naturais, sem dúvida é importante como estratégia de sobrevivência e de crescimento. Não por acaso nasceu nos países industrializados (pois é, não foi em Cuba, na África, na Coréia do Norte ou no Brasil).

Depois do colapso da União Soviética e da teoria econômica marxista, os órfãos da revolução passaram a procurar novas causas para manter a fé na destruição do capitalismo e mobilizar novas gerações. Uma dessas bandeiras, talvez a mais influente, foi o ambientalismo, tema que privatizado por alguns partidos políticos interessados apenas em alimentar ressentimento ideológico contra a economia capitalista.

Resta-lhes agora apostar na fé contra a razão.