A irreverência dos banheiros absurdos... - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

A irreverência dos banheiros absurdos…

Por Wanfil em Fortaleza

12 de agosto de 2014

Uma história com três atores vivendo situações inusitadas relacionadas a banheiros concebidos de forma “surrealista e absurda”.

Eu sei, eu sei, essa conversa remete a um certo escândalo envolvendo banheiros e três ex-gestores de uma secretaria estadual. Mas calma que não é nada disso. É que estamos em tempo de eleição e levamos tudo para o lado da denúncia. O assunto é arte e essa é a sinopse da peça teatral “Banheiro Irreverente”, uma comédia encenada pela Companhia Boca d’Cena, com apoio da Prefeitura de Fortaleza, em cartaz a partir desta quarta-feira (13), no Teatro Antonieta Noronha (Rua Pereira Filgueiras, 4 – Centro).

Como é mesmo aquele dizer ao final de obras de ficção? “Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência”. É isso. A Prefeitura, por meio de sua Secretaria da Cultura, está de parabéns por não se policiar, como medo de associações (involuntárias ou não) entre arte e fatos reais que já começam a aparecer no debate eleitoral.

De resto, os banheiros da peça não existem no mundo real, afinal, são cenários para uma narrativa dramatúrgica. Ninguém é enganado, não é mesmo?

Mais informações no site da Prefeitura de Fortaleza.

Publicidade aqui

A irreverência dos banheiros absurdos…

Por Wanfil em Fortaleza

12 de agosto de 2014

Uma história com três atores vivendo situações inusitadas relacionadas a banheiros concebidos de forma “surrealista e absurda”.

Eu sei, eu sei, essa conversa remete a um certo escândalo envolvendo banheiros e três ex-gestores de uma secretaria estadual. Mas calma que não é nada disso. É que estamos em tempo de eleição e levamos tudo para o lado da denúncia. O assunto é arte e essa é a sinopse da peça teatral “Banheiro Irreverente”, uma comédia encenada pela Companhia Boca d’Cena, com apoio da Prefeitura de Fortaleza, em cartaz a partir desta quarta-feira (13), no Teatro Antonieta Noronha (Rua Pereira Filgueiras, 4 – Centro).

Como é mesmo aquele dizer ao final de obras de ficção? “Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência”. É isso. A Prefeitura, por meio de sua Secretaria da Cultura, está de parabéns por não se policiar, como medo de associações (involuntárias ou não) entre arte e fatos reais que já começam a aparecer no debate eleitoral.

De resto, os banheiros da peça não existem no mundo real, afinal, são cenários para uma narrativa dramatúrgica. Ninguém é enganado, não é mesmo?

Mais informações no site da Prefeitura de Fortaleza.