Eleições 2016: Sobral e o preço de uma hegemonia - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

Eleições 2016: Sobral e o preço de uma hegemonia

Por Wanfil em Eleições 2016

03 de outubro de 2016

A eleição para a Prefeitura de Sobral adquiriu um valor simbólico no Ceará, por se tratar do berço político da família Ferreira Gomes. Não por acaso, ao constatar a disputa acirrada na cidade, o governador Camilo Santana (PT), aliado de Ciro e Cid Gomes, disse que Sobral era prioridade para a campanha.

Durante um bom tempo as pesquisas mostravam o caçula da família, o deputado estadual Ivo Gomes (PDT), atrás de Moses Rodrigues (PMDB), candidato do senador Eunício Oliveira (PMDB) e que somente às vésperas da eleição recebeu apoio do senador Tasso Jereissati. Para reverter a situação, além do apoio das máquinas estadual e municipal, os irmãos ex-governadores precisaram atuar praticamente em tempo integral em seu reduto eleitoral.

Além disso, a campanha de Ivo foi uma das mais ricas destas eleições, com receita de R$1.222.500,00 e despesa, até esta segunda feira (3), de R$688.645,07. Os dados são do TRE. No final, o deputado venceu com 57.908 votos, que corresponde a 51,44% do total. Uma média de 12 reais por voto, contra pouco menos de RS 8,00 per capita gastos por Moses, que obteve 40,16% da votação.

A vitória de Ivo consolida uma liderança política iniciada em 1996 e que hoje, apesar da aliança com o petismo, se mantém como a maior do Ceará. O consolo para os adversários é que, uma vez na oposição ao governo federal, nunca foi tão difícil e caro para o grupo dos Ferreira Gomes, que entre 2012 e 2016 pulou do PSB para o PROS e depois para o PDT, manter essa hegemonia.

Publicidade aqui

Eleições 2016: Sobral e o preço de uma hegemonia

Por Wanfil em Eleições 2016

03 de outubro de 2016

A eleição para a Prefeitura de Sobral adquiriu um valor simbólico no Ceará, por se tratar do berço político da família Ferreira Gomes. Não por acaso, ao constatar a disputa acirrada na cidade, o governador Camilo Santana (PT), aliado de Ciro e Cid Gomes, disse que Sobral era prioridade para a campanha.

Durante um bom tempo as pesquisas mostravam o caçula da família, o deputado estadual Ivo Gomes (PDT), atrás de Moses Rodrigues (PMDB), candidato do senador Eunício Oliveira (PMDB) e que somente às vésperas da eleição recebeu apoio do senador Tasso Jereissati. Para reverter a situação, além do apoio das máquinas estadual e municipal, os irmãos ex-governadores precisaram atuar praticamente em tempo integral em seu reduto eleitoral.

Além disso, a campanha de Ivo foi uma das mais ricas destas eleições, com receita de R$1.222.500,00 e despesa, até esta segunda feira (3), de R$688.645,07. Os dados são do TRE. No final, o deputado venceu com 57.908 votos, que corresponde a 51,44% do total. Uma média de 12 reais por voto, contra pouco menos de RS 8,00 per capita gastos por Moses, que obteve 40,16% da votação.

A vitória de Ivo consolida uma liderança política iniciada em 1996 e que hoje, apesar da aliança com o petismo, se mantém como a maior do Ceará. O consolo para os adversários é que, uma vez na oposição ao governo federal, nunca foi tão difícil e caro para o grupo dos Ferreira Gomes, que entre 2012 e 2016 pulou do PSB para o PROS e depois para o PDT, manter essa hegemonia.