Segundo turno é disputa entre Eunício e os Ferreira Gomes. E só! - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

Segundo turno é disputa entre Eunício e os Ferreira Gomes. E só!

Por Wanfil em Eleições 2014

08 de outubro de 2014

As primeiras declarações feitas por alguns dos principais protagonistas das eleições no Ceará após o primeiro turno fornecem pistas valiosas a respeito das estratégias de Camilo Santana (PT) e Eunício Oliveira (PMDB) para o segundo turno.

Na coligação que reúne Pros e PT (Pros na frente porque é quem banca a candidatura), Cid e Ciro Gomes reforçam os ataques contra o adversário, preservando Camilo do desgaste de parecer agressivo enquanto provoca Eunício. O risco é deixar o candidato governista sem personalidade. Sacrifica-se qualquer imagem de liderança escondendo o candidato atrás de seu padrinho, para então ressaltar seu equilíbrio e “respeito pela família cearense”.

Resta a Eunício ignorar ou responder aos ataques. Como o silêncio ou a demora em revidar podem ser interpretados pelo público como sinais de insegurança (mais ou menos o que aconteceu com Marina Silva diante dos ataques do PT), o peemedebista optou por responder aumentando o tom em relação às críticas contra a gestão e denunciando a ingerência de Cid e Ciro no processo eleitoral.

Como resultado nesse primeiro instante, véspera da volta da propaganda eleitoral, o debate acaba polarizado entre o candidato Eunício e os Ferreira Gomes, como se Camilo não existisse.

Assim, quanto mais Cid e Ciro atacam o adversário, mais os eleitores que desaprovam o governo do Estado passam a ver no peemedebista um opositor de verdade, não mais um ex-aliado. Nessa condição, Eunício pode herdar boa parte dos votos de Eliane Novais (PSB) e Ailton Lopes (Psol).

Teremos, portanto, uma eleição plebiscitária. De um lado estão os que aprovam o governo, do outro, os que rejeitam o modo Ferreira Gomes de fazer política; e no meio, os indecisos, com Camilo buscando convencê-los a deixar as coisas como estão, enquanto Eunício procura mostrar por que – e como – elas deveriam mudar.

Publicidade aqui

Segundo turno é disputa entre Eunício e os Ferreira Gomes. E só!

Por Wanfil em Eleições 2014

08 de outubro de 2014

As primeiras declarações feitas por alguns dos principais protagonistas das eleições no Ceará após o primeiro turno fornecem pistas valiosas a respeito das estratégias de Camilo Santana (PT) e Eunício Oliveira (PMDB) para o segundo turno.

Na coligação que reúne Pros e PT (Pros na frente porque é quem banca a candidatura), Cid e Ciro Gomes reforçam os ataques contra o adversário, preservando Camilo do desgaste de parecer agressivo enquanto provoca Eunício. O risco é deixar o candidato governista sem personalidade. Sacrifica-se qualquer imagem de liderança escondendo o candidato atrás de seu padrinho, para então ressaltar seu equilíbrio e “respeito pela família cearense”.

Resta a Eunício ignorar ou responder aos ataques. Como o silêncio ou a demora em revidar podem ser interpretados pelo público como sinais de insegurança (mais ou menos o que aconteceu com Marina Silva diante dos ataques do PT), o peemedebista optou por responder aumentando o tom em relação às críticas contra a gestão e denunciando a ingerência de Cid e Ciro no processo eleitoral.

Como resultado nesse primeiro instante, véspera da volta da propaganda eleitoral, o debate acaba polarizado entre o candidato Eunício e os Ferreira Gomes, como se Camilo não existisse.

Assim, quanto mais Cid e Ciro atacam o adversário, mais os eleitores que desaprovam o governo do Estado passam a ver no peemedebista um opositor de verdade, não mais um ex-aliado. Nessa condição, Eunício pode herdar boa parte dos votos de Eliane Novais (PSB) e Ailton Lopes (Psol).

Teremos, portanto, uma eleição plebiscitária. De um lado estão os que aprovam o governo, do outro, os que rejeitam o modo Ferreira Gomes de fazer política; e no meio, os indecisos, com Camilo buscando convencê-los a deixar as coisas como estão, enquanto Eunício procura mostrar por que – e como – elas deveriam mudar.