Receita para ser um político bem visto pela opinião pública no Ceará - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

Receita para ser um político bem visto pela opinião pública no Ceará

Por Wanfil em Ceará

13 de Março de 2013

A síntese de como ser um político marvilhoso no Ceará: garantir o futebol e se proclamar ambientalista. Pronto! Não precisa de mais nada.

A síntese de como ser um político marvilhoso no Ceará: garantir o futebol (a Copa)  e se proclamar ambientalista. Pronto! Não precisa de mais nada.

Você é político ou gestor público e quer parecer bacana? No Ceará, o caminho mais fácil para esse objetivo é aderir às pautas influentes do momento, que podem ser conferidas na receita abaixo.

Se o candidato a pessoa maravilhosa tiver perfil opositor/esquerdista:

Anuncie a disposição de lutar pela preservação do Parque do Cocó, em Fortaleza, em nome do verde, do belo e da vida, ainda que nunca tenha cuidado de um roçado ou não abra mão de uma casa constuída em cima de um… oh, Gaia!, ecossistema!

Para dar um toque ideológico ao discurso, critique a especulação imobiliária e o capital (sem citar nomes ou propor uma revolução, claro). Nunca diga que a construção civil é o motor do crescimento econômico do estado e principal responsável pela absorção de mão- de obra com baixa qualificação, nem chame empresários de empreendedores. Critique a ganância do ser humano e lembre que você combate as causas do aquecimento global.

PS. Se você quer se defender dessa turma, leia: A mentira do aquecimento global e o sequestro das causas ambientais.

Se o perfil for o de governista profissional:

Nesse caso, o melhor a fazer é alardear, com ar triunfante e retórica de revelação bíblica,  conjugando os verbos sempre no futuro, que a construção da Arena Castelão para a Copa do Mundo mudará para melhor, como nunca antes, a vida de todos os cearenses.

Diga ainda que o Ceará é um canteiro de obras e que jamais o governo federal investiu tanto aqui. Cite como prova inconteste dessa realidade a refinaria da Petrobras, a siderúrgica e a transposição das águas do Rio São Francisco. Acuse quem ousar lembrar que nada disso foi feito de compor a torcida do contra.

Bandeiras fáceis

E por que esses temas garantem sucesso? É que o ambientalismo de miolo mole e o otimismo subalterno são bandeiras fáceis de carregar, associadas a uma carga simbólica aprovada pelo discurso politicamente correto.

Em outras palavras, ao defender o que todos acreditam ser o melhor, ainda que não seja, o sujeito que se investe da pauta influente é automaticamente visto como pessoa boa e maravilhosa. E é exatamente isso o que fazem, diariamente, nossas autoridades, sem o ônus de precisar resolver problema algum.

Temas a evitar

Aqui, a dica vale para todos os perfis. Não admita a crise de segurança que vivemos ou a péssima qualidade do ensino público. Se a opinião pública assume uma postura crítica, a tendência natural é buscar renovação nas eleições, o que é um risco para quem está na crista da onda.

Não fale em violência, que isso não enche estádios e não lota festas. Não fale em qualidade de educação, fale em bolsas e cotas milagrosas. Nunca, jamais, cobre metas e resultados do governo estadual ou federal, pois seu curral eleitoral ou grupo de apoio na sociedade civil pode ser transferido para outro.

Eis o segredo do sucesso.

Publicidade aqui

leia tudo sobre

Receita para ser um político bem visto pela opinião pública no Ceará

Por Wanfil em Ceará

13 de Março de 2013

A síntese de como ser um político marvilhoso no Ceará: garantir o futebol e se proclamar ambientalista. Pronto! Não precisa de mais nada.

A síntese de como ser um político marvilhoso no Ceará: garantir o futebol (a Copa)  e se proclamar ambientalista. Pronto! Não precisa de mais nada.

Você é político ou gestor público e quer parecer bacana? No Ceará, o caminho mais fácil para esse objetivo é aderir às pautas influentes do momento, que podem ser conferidas na receita abaixo.

Se o candidato a pessoa maravilhosa tiver perfil opositor/esquerdista:

Anuncie a disposição de lutar pela preservação do Parque do Cocó, em Fortaleza, em nome do verde, do belo e da vida, ainda que nunca tenha cuidado de um roçado ou não abra mão de uma casa constuída em cima de um… oh, Gaia!, ecossistema!

Para dar um toque ideológico ao discurso, critique a especulação imobiliária e o capital (sem citar nomes ou propor uma revolução, claro). Nunca diga que a construção civil é o motor do crescimento econômico do estado e principal responsável pela absorção de mão- de obra com baixa qualificação, nem chame empresários de empreendedores. Critique a ganância do ser humano e lembre que você combate as causas do aquecimento global.

PS. Se você quer se defender dessa turma, leia: A mentira do aquecimento global e o sequestro das causas ambientais.

Se o perfil for o de governista profissional:

Nesse caso, o melhor a fazer é alardear, com ar triunfante e retórica de revelação bíblica,  conjugando os verbos sempre no futuro, que a construção da Arena Castelão para a Copa do Mundo mudará para melhor, como nunca antes, a vida de todos os cearenses.

Diga ainda que o Ceará é um canteiro de obras e que jamais o governo federal investiu tanto aqui. Cite como prova inconteste dessa realidade a refinaria da Petrobras, a siderúrgica e a transposição das águas do Rio São Francisco. Acuse quem ousar lembrar que nada disso foi feito de compor a torcida do contra.

Bandeiras fáceis

E por que esses temas garantem sucesso? É que o ambientalismo de miolo mole e o otimismo subalterno são bandeiras fáceis de carregar, associadas a uma carga simbólica aprovada pelo discurso politicamente correto.

Em outras palavras, ao defender o que todos acreditam ser o melhor, ainda que não seja, o sujeito que se investe da pauta influente é automaticamente visto como pessoa boa e maravilhosa. E é exatamente isso o que fazem, diariamente, nossas autoridades, sem o ônus de precisar resolver problema algum.

Temas a evitar

Aqui, a dica vale para todos os perfis. Não admita a crise de segurança que vivemos ou a péssima qualidade do ensino público. Se a opinião pública assume uma postura crítica, a tendência natural é buscar renovação nas eleições, o que é um risco para quem está na crista da onda.

Não fale em violência, que isso não enche estádios e não lota festas. Não fale em qualidade de educação, fale em bolsas e cotas milagrosas. Nunca, jamais, cobre metas e resultados do governo estadual ou federal, pois seu curral eleitoral ou grupo de apoio na sociedade civil pode ser transferido para outro.

Eis o segredo do sucesso.