Muito anúncio, pouco resultado: agora são os iranianos que podem construir uma refinaria no Ceará - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

Muito anúncio, pouco resultado: agora são os iranianos que podem construir uma refinaria no Ceará

Por Wanfil em Ceará

19 de Janeiro de 2017

Lembra dela?

Em viagem oficial ao Oriente Médio nesta semana, o governador Camilo Santana (ainda no PT, apesar do noticiário) conversou com investidores do Irã sobre a instalação de uma refinaria no Ceará.  E Dubai, nos Emirados Árabes, visitou “a maior usina de dessalinização do planeta”, empresa italiana que “demonstrou interesse em instalar unidade no Ceará”.

Em novembro do ano passado Camilo assinou um memorando de estudos para avaliar condições para uma refinaria, desta vez chinesa, aqui no Estado. Não faz muito tempo, o assessor especial para assuntos internacionais do governo cearense, Antonio Balhmann, conversou com fabricantes de tratores na Bielorrússia.

Naturalmente, o governo acerta quando procura investimentos, mas se arrisca ao alimentar expectativas com base em tratativas tão iniciais. Não se trata de ser otimista ou pessimista, mas de guardar prudência para não confundir desejo com realização. É preciso tratar prospecção como prospecção e não como missão cumprida. Nesse sentido, o alarde sobre possibilidades pode gerar ilusões que mais à frente gerem constrangimento. Quanto maior a esperança atiçada, maior pode ser a decepção, como no caso da refinaria da Petrobras que seria construída no Ceará.

Publicidade aqui

Muito anúncio, pouco resultado: agora são os iranianos que podem construir uma refinaria no Ceará

Por Wanfil em Ceará

19 de Janeiro de 2017

Lembra dela?

Em viagem oficial ao Oriente Médio nesta semana, o governador Camilo Santana (ainda no PT, apesar do noticiário) conversou com investidores do Irã sobre a instalação de uma refinaria no Ceará.  E Dubai, nos Emirados Árabes, visitou “a maior usina de dessalinização do planeta”, empresa italiana que “demonstrou interesse em instalar unidade no Ceará”.

Em novembro do ano passado Camilo assinou um memorando de estudos para avaliar condições para uma refinaria, desta vez chinesa, aqui no Estado. Não faz muito tempo, o assessor especial para assuntos internacionais do governo cearense, Antonio Balhmann, conversou com fabricantes de tratores na Bielorrússia.

Naturalmente, o governo acerta quando procura investimentos, mas se arrisca ao alimentar expectativas com base em tratativas tão iniciais. Não se trata de ser otimista ou pessimista, mas de guardar prudência para não confundir desejo com realização. É preciso tratar prospecção como prospecção e não como missão cumprida. Nesse sentido, o alarde sobre possibilidades pode gerar ilusões que mais à frente gerem constrangimento. Quanto maior a esperança atiçada, maior pode ser a decepção, como no caso da refinaria da Petrobras que seria construída no Ceará.