Dilma pediu desculpas a médico cubano. Falta se desculpar com médicos brasileiros, pacientes, eleitores... - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

Dilma pediu desculpas a médico cubano. Falta se desculpar com médicos brasileiros, pacientes, eleitores…

Por Wanfil em Brasil

23 de outubro de 2013

Durante cerimônia realizada na terça-feira (22), a presidente Dilma Rousseff pediu desculpas, em nome do povo brasileiro, ao médico cubano vaiado em Fortaleza durante protesto contra o polêmico programa Mais Médicos.

Pedir desculpas em solidariedade a uma pessoa vítima de constrangimento tem o seu mérito. Mas quando vira ato público para acusar terceiros, no caso, os críticos do programa, aí vira demagogia. Difícil mesmo é pedir desculpas pelos próprios erros, em sinal de sincera humildade. Isso, meus caros, vocês não verão, embora motivos não faltem.

Também merecem pedidos de desculpas os médicos brasileiros, apontados por governistas como vilões da saúde, quando esses profissionais sofrem nos hospitais sem as mínimas condições de trabalho. Como tratar um paciente no interior sem poder realizar exames?

Na verdade, a presidente deveria pedir desculpas aos pacientes obrigados a esperar meses ou anos por uma cirurgia eletiva, ou a ficar nos corredores superlotados das emergências. Ou aos familiares dos que morrem sem atendimento. Entre janeiro de 2010 e julho de 2013, quase 13 mil leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) foram desativados, segundo levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM). Desde 2005, a redução é de 26 mil leitos!

Deveria pedir desculpas ainda aos cidadãos que ficam doentes porque vivem sem saneamento básico (52% da população não tem esse serviço), sem água tratada (18% dos brasileiros não são atendidos), em regiões de baixa escolaridade, o que aumenta proliferação de doenças.

Saindo da área da saúde, é devido aos cearenses pedidos de desculpas pelo não cumprimento da promessa de transposição do Rio São Francisco e da construção de uma refinaria da Petrobras, a primeira por causa de incompetência e corrupção, a segunda por ser mero truque eleitoreiro.

Agora que a exploração do pré-sal foi privatizada, sem entrar no mérito da questão (sou contra a presença do Estado nessa atividade), a presidente poderia pedir desculpas aos eleitores que votaram nela acreditando no discurso fantasioso contra as privatizações.

É verdade que muitos outros políticos devem desculpas ao povo brasileiro. Mas Dilma simboliza a classe pelo cargo que ocupa. Além do mais, foi quem usou o artifício da desculpa para fazer populismo barato. Merece ser cobrada.

A verdadeira paz de consciência só pode ser alcançada com o pedido de desculpas sincero, acompanhado de suas devidas penitências. O resto é conversa mole.

Publicidade aqui

Dilma pediu desculpas a médico cubano. Falta se desculpar com médicos brasileiros, pacientes, eleitores…

Por Wanfil em Brasil

23 de outubro de 2013

Durante cerimônia realizada na terça-feira (22), a presidente Dilma Rousseff pediu desculpas, em nome do povo brasileiro, ao médico cubano vaiado em Fortaleza durante protesto contra o polêmico programa Mais Médicos.

Pedir desculpas em solidariedade a uma pessoa vítima de constrangimento tem o seu mérito. Mas quando vira ato público para acusar terceiros, no caso, os críticos do programa, aí vira demagogia. Difícil mesmo é pedir desculpas pelos próprios erros, em sinal de sincera humildade. Isso, meus caros, vocês não verão, embora motivos não faltem.

Também merecem pedidos de desculpas os médicos brasileiros, apontados por governistas como vilões da saúde, quando esses profissionais sofrem nos hospitais sem as mínimas condições de trabalho. Como tratar um paciente no interior sem poder realizar exames?

Na verdade, a presidente deveria pedir desculpas aos pacientes obrigados a esperar meses ou anos por uma cirurgia eletiva, ou a ficar nos corredores superlotados das emergências. Ou aos familiares dos que morrem sem atendimento. Entre janeiro de 2010 e julho de 2013, quase 13 mil leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) foram desativados, segundo levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM). Desde 2005, a redução é de 26 mil leitos!

Deveria pedir desculpas ainda aos cidadãos que ficam doentes porque vivem sem saneamento básico (52% da população não tem esse serviço), sem água tratada (18% dos brasileiros não são atendidos), em regiões de baixa escolaridade, o que aumenta proliferação de doenças.

Saindo da área da saúde, é devido aos cearenses pedidos de desculpas pelo não cumprimento da promessa de transposição do Rio São Francisco e da construção de uma refinaria da Petrobras, a primeira por causa de incompetência e corrupção, a segunda por ser mero truque eleitoreiro.

Agora que a exploração do pré-sal foi privatizada, sem entrar no mérito da questão (sou contra a presença do Estado nessa atividade), a presidente poderia pedir desculpas aos eleitores que votaram nela acreditando no discurso fantasioso contra as privatizações.

É verdade que muitos outros políticos devem desculpas ao povo brasileiro. Mas Dilma simboliza a classe pelo cargo que ocupa. Além do mais, foi quem usou o artifício da desculpa para fazer populismo barato. Merece ser cobrada.

A verdadeira paz de consciência só pode ser alcançada com o pedido de desculpas sincero, acompanhado de suas devidas penitências. O resto é conversa mole.