02/12/2013 - Blog do Wanfil 
Publicidade

Blog do Wanfil

por Wanderley Filho

02/12/2013

Violência: Ceará é destaque negativo no El País

Por Wanfil em Ceará, Imprensa

02 de dezembro de 2013

O jornal espanhol El País, um dos mais importantes do mundo, publicou matéria neste domingo (1º), mostrando a contradição na teoria que aponta as desigualdades sociais como principal motivo para o aumento da violência e da criminalidade no Brasil.

Mesmo com redução na taxa de desemprego, elevação do PIB per capita e com aumento no orçamento para segurança nos últimos anos, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes voltou a crescer e hoje chega a 24,3. Para efeito de comparação, o jornal lembra que nos EUA (onde a compra de armas é liberada), essa taxa é de 5 para 100 mil pessoas, enquanto que na maioria dos países europeus não chega a 3.

Na reportagem, o Ceará aparece como destaque negativo:

“Quatro dos cinco Estados mais violentos no Brasil estão situados no Nordeste uma das regiões mais turísticas do país. Alagoas com 64,47 assassinatos por 100 mil habitantes, e Ceará, com 40,6, estão no topo desse ranking.”

O jornal também publicou alguns gráficos com números do Fórum Brasileiro da Segurança Pública e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Reproduzo abaixo dois deles:

– Gráfico comparativo entre os estados brasileiros, com suas respectivas taxas de homicídios de 2012 e a diferença em relação ao ano anterior.

Gráfico compara o crescimento da violência nos estados brasileiros. Fonte: El País

Gráfico compara o crescimento da violência nos estados brasileiros. Fonte: El País

 

– Gráfico com evolução/redução dos gastos com segurança por estado:

Gastos com segurança no Brasil por estado. Fonte: El País

Gastos com segurança no Brasil por estado. Fonte: El País

 

Nota – Wanfil

Existem nessa história dois paradoxos:

1) Apesar dos gastos com segurança no Ceará terem aumentado 53,1%, a taxa de homicídios cresceu 32,2% no mesmo período. As autoridades gostam de lembrar que esses investimentos demandam tempo para apresentar resultado. É um bom argumento quando se trata de uma gestão que inicia, e não de uma que segue para o último ano de um segundo mandato. Não há como fugir da conclusão: faltou competência política e administrativa ao governo;

2) Se os indicadores sociais crescem e a violência não diminuiu, é sinal de que outros fatores, além do econômico, concorrem para essa realidade. Particularmente, incluo nessa conta o lixo ideológico progressista que prega a glamorização da criminalidade como uma suposta forma de resistência de classe (um traficante chamado Marcinho VP virou celebridade festejada pelos bacanas que o viam assim como um Robin Hood brasileiro). Bandido é bandido, seja José Genoino ou Fernandinho Beira-Mar. O resto é conversa mole.

Publicidade

Violência: Ceará é destaque negativo no El País

Por Wanfil em Ceará, Imprensa

02 de dezembro de 2013

O jornal espanhol El País, um dos mais importantes do mundo, publicou matéria neste domingo (1º), mostrando a contradição na teoria que aponta as desigualdades sociais como principal motivo para o aumento da violência e da criminalidade no Brasil.

Mesmo com redução na taxa de desemprego, elevação do PIB per capita e com aumento no orçamento para segurança nos últimos anos, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes voltou a crescer e hoje chega a 24,3. Para efeito de comparação, o jornal lembra que nos EUA (onde a compra de armas é liberada), essa taxa é de 5 para 100 mil pessoas, enquanto que na maioria dos países europeus não chega a 3.

Na reportagem, o Ceará aparece como destaque negativo:

“Quatro dos cinco Estados mais violentos no Brasil estão situados no Nordeste uma das regiões mais turísticas do país. Alagoas com 64,47 assassinatos por 100 mil habitantes, e Ceará, com 40,6, estão no topo desse ranking.”

O jornal também publicou alguns gráficos com números do Fórum Brasileiro da Segurança Pública e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Reproduzo abaixo dois deles:

– Gráfico comparativo entre os estados brasileiros, com suas respectivas taxas de homicídios de 2012 e a diferença em relação ao ano anterior.

Gráfico compara o crescimento da violência nos estados brasileiros. Fonte: El País

Gráfico compara o crescimento da violência nos estados brasileiros. Fonte: El País

 

– Gráfico com evolução/redução dos gastos com segurança por estado:

Gastos com segurança no Brasil por estado. Fonte: El País

Gastos com segurança no Brasil por estado. Fonte: El País

 

Nota – Wanfil

Existem nessa história dois paradoxos:

1) Apesar dos gastos com segurança no Ceará terem aumentado 53,1%, a taxa de homicídios cresceu 32,2% no mesmo período. As autoridades gostam de lembrar que esses investimentos demandam tempo para apresentar resultado. É um bom argumento quando se trata de uma gestão que inicia, e não de uma que segue para o último ano de um segundo mandato. Não há como fugir da conclusão: faltou competência política e administrativa ao governo;

2) Se os indicadores sociais crescem e a violência não diminuiu, é sinal de que outros fatores, além do econômico, concorrem para essa realidade. Particularmente, incluo nessa conta o lixo ideológico progressista que prega a glamorização da criminalidade como uma suposta forma de resistência de classe (um traficante chamado Marcinho VP virou celebridade festejada pelos bacanas que o viam assim como um Robin Hood brasileiro). Bandido é bandido, seja José Genoino ou Fernandinho Beira-Mar. O resto é conversa mole.