Publicidade

Vida Leve

por Roberta Tavares

Nova febre nas academias, FitDance tem aulas gratuitas em shopping de Fortaleza

Por Roberta Tavares em Bem-estar

22 de janeiro de 2017

A modalidade é recomendada para homens e mulheres de todas as idades (FOTO: Divulgação/Iguatemi)

A modalidade é recomendada para homens e mulheres de todas as idades (FOTO: Divulgação/Iguatemi)

Diversão, bem-estar e saúde através da dança é a proposta da modalidade que é a nova febre das academias de todo o Brasil, o FitDance. Em Fortaleza, o programa de aulas com as músicas do momento e coreografias únicas já começa a ganhar adeptos. Até o fim de fevereiro, o shopping Iguatemi promove aulas gratuitas de FitDance.

As atividades, que iniciaram no dia 18 de janeiro deste ano, acontecem todas as segundas e quartas-feiras, às 19h, no estacionamento L5 da expansão do shopping.

Contemplando todos os estilos musicais, o Fitdance cresce com instrutores e fãs por todo Brasil e no mundo. Um dos segredos para o sucesso é a unidade em suas coreografias, que promove uma grande integração que faz todo mundo dançar junto.

Para participar das aulas de FitDance no Iguatemi não é necessário fazer inscrição, basta vestir roupas adequadas para atividade física e chegar no horário para acompanhar e aprender as coreografias. A expectativa do shopping é que cerca de 300 pessoas participem de cada aula, assim como acontece nos aulões gratuitos de Zumba, às terças e quintas-feiras. A modalidade é recomendada para homens e mulheres de todas as idades que procuram se divertir enquanto movimentam o corpo e a mente.

A franquia FitDance também oferece interação com os alunos através do youtube e das redes sociais, onde é possível aprender os conceitos da atividade, as coreografias além de interagir com instrutores e praticantes de todo o Brasil.

Serviço:
Aulas gratuitas de FitDance
Data: Segundas e quartas-feiras, até o fim de fevereiro
Local: Shopping Iguatemi – Estacionamento L5 da Expansão (área aberta)
Horário: às 19h

leia tudo sobre

Publicidade

Está com dor muscular? Faculdade oferece atendimento gratuito em Fortaleza

Por Roberta Tavares em Dicas

07 de dezembro de 2016

Atendimento é feito por alunos e professores de Fisioterapia (FOTO: Shutterstock)

Atendimento é feito por alunos e professores de Fisioterapia (FOTO: Shutterstock)

Quem sofre com dores musculares crônicas ou agudas tem mais uma opção de tratamento. Olha que boa notícia: a Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza (Fametro) realiza, nesta quinta-feira (8), atendimento gratuito para o público com queixa de dor corporal por tensão muscular, dores decorrentes da má postura ou sobrecarga laboral.

A ação ocorrerá na sede da faculdade (Rua Conselheiro Estelita, 500), das 8h às 11h e das 19h às 21h.

Os atendimentos serão realizados por alunos e professores do curso de Fisioterapia. No dia da ação os interessados devem procurar o laboratório de Fisioterapia, localizado no segundo andar da instituição. Não é necessário agendamento prévio.

leia tudo sobre

Publicidade

Corrida em Canoa Quebrada já tem data marcada para 2017

Por Roberta Tavares em Corrida

24 de novembro de 2016

Percurso passou pelos principais pontos turísticos de Canoa Quebrada. (FOTO: Tavares Júnior)

Percurso passou pelos principais pontos turísticos de Canoa Quebrada (FOTO: Tavares Júnior)

A Canoa Beach Run já era atração na cidade de Aracati antes mesmo de acontecer. Hotéis e pousadas já anunciavam o evento devido à chegada dos atletas, que contagiaram locais e turistas com sua animação. O sábado de 19 de novembro foi marcado pela emoção e superação daqueles que calçaram o tênis e encararam o desafio de correr na praia de Canoa Quebrada.

Às 15h, a concentração da prova já contava com as assessorias presentes: Sinergia Total, KM Assessoria Esportiva, Move Assessoria, Atletas do Futuro, e equipes, como Os Dálmatas. Após o aquecimento, é hora da largada. Primeiro foi a vez dos paratletas e depois os demais participantes.

Ao 17 minutos e 22 segundos, chegava o primeiro atleta da categoria 5 quilômetros masculino. Com 34 anos de idade e natural de Aracati, Marcelo dos Santos, da equipe Subelite Vanilson Neves, foi o primeiro colocado. Com 22 minutos e 54 segundos foi a vez das mulheres marcarem presença. Geane de Sousa Cordulino, da KM Assessoria, cruzou a linha de chegada, sendo a primeira mulher dos 5 quilômetros feminino.

Quem decidiu encarar os 10 quilômetros aproveitou ainda mais as belezas naturais de Canoa, com um percurso desafiador também. Dicson Falcão, da KM Assessoria, foi o primeiro lugar da categoria, com o tempo de 38 minutos e 34 segundos. No feminino, a atleta Jocicleide de Sousa, da equipe Dálmatas, liderou a prova, com o tempo de 51 minutos e 44 segundos.

A prova teve desafios com areia fofa, terra batida e calçamento. (FOTO: Tavares Júnior Photography)

A prova teve desafios com areia fofa, terra batida e calçamento. (FOTO: Tavares Júnior Photography)

O momento mais emocionante foi a chegada do paratleta Jayme David Bartolotti Chaves, com muita determinação em 1 hora, 32 minutos  e 54 segundos de prova. Natural de Manaus, ele veio até Canoa Quebrada para se superar e acabou emocionando o público presente, incluindo o organizador da prova, Ricardo Ramalho.

Após cruzar a linha de chegada, os participantes se dirigiram até a Chega Mais Beach, onde receberam frutas, isotônicos e tão merecida medalha. Mas a surpresa ficou para o final: uma sandália de recordação foi o presente da Canoa Beach Run para os atletas. Daí em diante o objetivo era registrar o momento, através das lentes dos fotógrafos Rafael Silva e Rafael Allan.

Antes, uma banda local animou o espaço. Teve trenzinho, casais dançando forró e muita confraternização. Assessorias e atletas se misturaram e o momento se transformou em festa. A premiação teve a presença de apoiadores e patrocinadores do evento.

O homenageado da prova foi o paratleta Elione Silva. Natural de Aracati, ele voltou às origens e foi motivado pelo público a cada passada. Representante do Ceará durante o revezamento da tocha olímpica, o atleta recebeu um troféu de honra ao mérito.

O paratleta Elione Sousa foi o homenageado da prova. (FOTO: Tavares Júnior Fotography)

O paratleta Elione Sousa foi o homenageado da prova. (FOTO: Tavares Júnior Fotography)

A primeira edição da prova em Canoa Quebrada teve a participação de atletas do Ceará e de cidades como Manaus, Teresina (PI), Currais Novos (RN), Mossoró (RN), Araripina (AL) e Cajati (SP). Já entre os locais, os atletas eram de Fortaleza, Aracati, Jijoca de Jericoacoara, Canindé, Juazeiro do Norte, Iguatu, Cascavel, Maranguape, Aquiraz, Paracuru, Eusébio e Caiçara.

No fim da noite o público já perguntava a data da próxima corrida. Como a Beach Run Brasil tem novas edições, pela ordem está: Jericoacoara em março, Pipa em maio e Mundaú em agosto. A Canoa Beach Run também tem data no calendário: 25 de novembro de 2017.

Serviço
Beach Run Brasil | Galeria de fotos

Próxima Canoa Beach Run acontecerá dia 25 de novembro. (FOTO: Tavares Júnior Photography)

A competição teve atletas do Ceará, Rio Grande do Norte e até São Paulo. (FOTO: Tavares Júnior Photography)

Próxima Canoa Beach Run acontecerá dia 25 de novembro. (FOTO: Tavares Júnior Photography)

Próxima Canoa Beach Run acontecerá dia 25 de novembro. (FOTO: Tavares Júnior Photography)

Prova passou pelos principais pontos turísticos de Canoa Quebrada. (FOTO: Tavares Júnior Photography)

Prova passou pelos principais pontos turísticos de Canoa Quebrada. (FOTO: Tavares Júnior Photography)

Prova passou pelos principais pontos turísticos de Canoa Quebrada. (FOTO: Tavares Júnior Photography)

Prova passou pelos principais pontos turísticos de Canoa Quebrada. (FOTO: Tavares Júnior Photography)

 

Próxima Canoa Beach Run acontecerá dia 25 de novembro. (FOTO: Tavares Júnior Photography)

A competição teve atletas do Ceará, Rio Grande do Norte e até São Paulo. (FOTO: Tavares Júnior Photography)

Próxima Canoa Beach Run acontecerá dia 25 de novembro. (FOTO: Tavares Júnior Photography)

 

A banda local animou os corredores na noite de premiação. (FOTO: Tavares Júnior Photography)

 

Publicidade

Professora de 42 anos ganha como presente de alunos inscrição no IronMan

Por Roberta Tavares em Superação

19 de novembro de 2016

Ivoneida voltou a praticar o esporte que tanto ama (FOTOS: Elton Viana/Era Sports)

Ivoneida voltou a praticar o esporte que tanto ama (FOTOS: Elton Viana/Era Sports)

O ano de 2016 foi praticamente perfeito para Maria Ivoneida Matos. Voltou a praticar o esporte que tanto ama, conquistou títulos e ainda terá o desafio mais relevante com o apoio dos familiares. Neste domingo (20), às 6h15, no Marina Park Hotel, a cearense de 42 anos realizará o sonho de participar do IronMan Fortaleza 2016. Será a estreia da triatleta na distância (3,8 km de natação, 180 km de bicicleta e 42 km de corrida).

No total, foram cinco anos longe das competições e treinamentos. No fim de 2010, a ‘Tia’ – que é pedagoga – foi aprovada em um concurso público em Itapipoca, por isso passou a se dedicar exclusivamente à profissão de professora em uma escola municipal.

“Foi uma decisão difícil. Fui campeã do 24 horas de ciclismo junto com a Hedla Lopes. Ninguém acreditava que a gente poderia terminar a prova. Depois que eu entrei no triathlon, fui também campeã cearense no primeiro ano e também brasileira e pan-americana de longa distância”, explicou uma das representantes do país nos Mundiais de Longa Distância de 2009 (Austrália) e 2010 (Alemanha).

Boa volta

Depois de um longo período fora de Fortaleza, Ivoneida recebeu um convite para ser professora de corrida na Triativo Assessoria. O retorno ao âmbito esportivo, no ano passado, também impulsionou o novo foco em competições.

Os alunos da assessoria, inclusive, tiveram boa participação nesse sentido. Se uniram para pagar a inscrição dela no próprio IronMan. Outros possibilitaram diversas parcerias, como: suplementação, academia e fisioterapia. E nesta temporada, realmente a ‘Tia’ voltou com tudo. Foi campeã geral cearense nas distâncias ‘sprint’ e ‘olímpico’.

Foram 5 anos longe de competições e treinamentos (FOTO: Elton Viana/Era Sports)

Foram 5 anos longe de competições e treinamentos (FOTO: Elton Viana/Era Sports)

No evento internacional Challenge Maceió, em agosto, ficou na 2ª colocação da categoria 40-44 anos, mesmo utilizando uma bicicleta de ‘speed’. Nas provas de longa distância, o equipamento recomendado é uma bike de contrarrelógio, peça ainda mais aerodinâmica.

“Nunca me intimidei com isso. Até hoje eu não ligo. Sempre coloquei a minha bike no cavalete e vi bikes lindíssimas. Eu sei que estou bem treinada, então não me intimido”, completa.

Treinos

Ao longo da preparação para o IronMan, Ivoneida chegou a treinar 180 km de bicicleta. Também fez atividades fortes de corrida na casa acima dos 30 km de distância.

“Decidi em agosto fazer o Iron. Topei esse desafio. Com certeza é o maior da minha vida. É uma prova que você tem que respeitar. Eu não sei como o corpo vai reagir em uma distância tão grande”, comenta a triatleta, que teve um início no esporte considerado tardio, aos 30 anos.

A ‘Tia’ já foi também professora de iniciação, dentro do projeto social da Federação de Triathlon do Estado do Ceará (Fetriece). Nesse período, foi mentora do também cearense Manoel Messias, campeão mundial junior, 2º do mundo na categoria sub-23 e principal promessa brasileira para os Jogos de Tóquio 2020.

A terceira edição do IronMan Fortaleza distribuirá, no total, 40 vagas no Ironman de Kona 2017, o Mundial da modalidade. Cada atleta terá até 17 horas para completar o percurso.

Desejamos uma excelente prova à ‘Tia’. Afinal, ela se garante! 😀

Publicidade

Cearense supera obesidade e conta experiência de se tornar triatleta

Por Roberta Tavares em Superação

31 de outubro de 2016

Felipe Gonçalves resolveu se aventurar no triathlon (FOTO: Ale Machado)

Felipe Gonçalves resolveu se aventurar no triathlon e deu certo! (FOTO: Ale Machado)

Por Felipe Gonçalves*

Calor do momento. O texto de hoje vai ser assim, quando o sal, a areia e a tatuagem insistem em estarem ainda pregadas no corpo.

O texto também não se resumirá a uma prova ou um processo de emagrecimento ou mesmo sobre metas. Hoje vai ser sobre o olhar para dentro, objeto de fuga daqueles que insistem em se sabotar. Sim, autoestima não costuma ser o nosso forte e, de repente, alguém solta a real: “vai no espelho, olha pra dentro e te enxerga”.

Muitas vezes preciso ainda escutar dos outros para perceber algumas características boas, como foi quando larguei uma vida estabilizada e confortável, emprego estável, carro, apartamento na planta, família e amigos em busca de um sonho. Só percebi o quanto era determinado e corajoso quando muitas mensagens de amigos me diziam que eu era um exemplo para eles.

Persistência, garra e disciplina foram as grandes descobertas desse ano. Os três pontos foram essenciais para, em um ano, a completar dia 31 de outubro, sair da Obesidade II, nos quase 100 kg, para os atuais 73 kg. Comecei com a corrida, 5 km, 10 km, 21 km. Em julho, aceitei o novo desafio do triathlon, implodindo de vez a zona de conforto.

A rotina de um triatleta, amador ou não, é desgastante, muitas vezes dolorida e cara. Investimentos em equipamentos esportivos, treinos que envolvem atividades físicas de manhã e de noite, musculação para não causar lesão, visitas a nutricionistas, ortopedistas, educadores físicos e, muitas vezes, fisioterapeutas, para aqueles dias que você pensa que a dor vai acabar com a carreira de atleta que ainda nem começou.

Felipe perdeu 27 kg (FOTO: Arquivo pessoal)

Felipe perdeu 27 kg (FOTO: Arquivo pessoal)

E sempre tem aquele músculo que começa a doer, e você sequer sabia que ele existia. A preguiça, PASMEM, sempre está lá, a gula também. Mas ir mesmo com a preguiça à tiracolo e dizer “não” às delícias culinárias passaram a também fazer parte da rotina. Muitos são os incentivos e sempre aquele uníssono de amigos e familiares: “só de ver tuas postagens, já me canso”, normalmente acompanhado do lamento de que queria ter coragem e também emagrecer.

O grande dia

A prova começou religiosamente às 14h03. Céu limpo, vento além do normal para a época do ano, mar muito agitado, como consequência. Era minha primeira prova na categoria. A pessoa do som alertava para o mar, meus pais mais uma vez presentes, assim como na primeira meia-maratona; dessa vez, da assessoria, somente uma colega e um dos treinadores, que parecia que também fazia a primeira prova dele, me acompanhando, incentivando e orientando.

Na largada, esperar todos saírem (não segui); olhar pra frente a cada 10 braçadas para me situar, ter paciência no pior trecho, já que o mar parecia brincar de mamulengo com a gente, não se afobar e não pensar em tempo. Foi difícil, bebi muita água, pensei em tempo, achei que Iemanjá me queria para ela em alguns momentos, mas sai do mar em paz. Todos na areia me aplaudindo. No relógio, menos de 13 minutos. Meu melhor tempo até hoje.

E mais orientações, agora pra 20 km de bike. Já havia tido o toque que pegaria logo subida e depois seria percurso com muita curva e retomada. Seria desgastante. Principalmente porque o ciclismo é a fase mais longa do triathlon e não tem posto de hidratação.

Na verdade, o maior medo ali era o pneu furar ou dar volta a mais (ou a menos) no circuito em que tinha que contar quantas vezes se passava por uma rotatória. Usei a tática de tirar um pedaço de fita crepe, previamente colocada no guidom, para contar as voltas, mas confesso que ainda tinha medo.

Nova transição, agora 5 km de corrida, onde tecnicamente eu dominava. Mas o sol das 15 horas quebrou qualquer ilusão de que sofreria menos. O percurso com três trechos de subidas e descidas a cada volta, e a lembrança que havia esquecido o gel de carboidrato para dar energia botaram a pá de cal na confiança.

4º lugar na categoria. Sorrisão no rosto (FOTO: Fernanda Siebra)

4º lugar na categoria. Sorrisão no rosto (FOTO: Fernanda Siebra)

As orientações me salvaram… Primeira parte: reconhece. Segunda volta: “dá o gás!” E assim o foi. Havia colocado uma meta pessoal para essa prova: fechar em até 1h30. Pouco antes da última curva, o relógio marcava 1h28… Usei a reserva do gás que tinha e aumentei o passo. Esqueci qualquer cansaço e concluí. No relógio 1h30m35s. Resultado oficial: 4º lugar da categoria.

Voltei pra casa com minha 10ª medalha desde o “olhar no espelho”. Essa traz junto um novo título, mesmo que amador: oficialmente TRIATLETA.

*Felipe Gonçalves é jornalista, piloto de avião e o novo triatleta do Ceará

Leia outros relatos:
O dia em que cantei, subi ladeira, chorei e corri 21 km!
Da caminhada à meia-maratona, o relato de uma cearense que correu 21 km em Buenos Aires

Quer compartilhar a sua experiência também? Me envia um e-mail: blogvidaleve1@gmail.com

Publicidade

Mil crianças participarão de corrida de rua em Fortaleza

Por Roberta Tavares em Corrida

19 de outubro de 2016

As últimas vagas já estão sendo preenchidas, mas ainda dá tempo de participar (FOTO: Divulgação)

As últimas vagas já estão sendo preenchidas, mas ainda dá tempo de participar (FOTO: Divulgação)

Fortaleza será palco de uma corrida de pura fofura neste domingo (23). Mil crianças entre 4 e 10 anos participarão da 8ª edição da Corridinha Iguatemi, que acontece às 16h.

Diversão e saúde são os ingredientes do evento que pode ser descrito como um momento de recreação em torno do incentivo ao esporte, com a participação de toda a família.

As últimas vagas já estão sendo preenchidas, mas ainda dá tempo de participar. As inscrições devem ser feitas no Candy Play, na primeira etapa do Iguatemi.

O valor é R$ 60 mais um quilo de alimento não perecível que será doado à Casa do Filho Pródigo, instituição que funciona no limite entre os municípios de Aquiraz e Eusébio, Região Metropolitana, recebendo pessoas em tratamento à dependência química.

Os pequenos corredores receberão kits com mochila, camiseta, número de peito, brindes de patrocinadores e lanche. Os kits serão retirados nos dias 21 e 22 de outubro, também no Candy Play. Neste ano, o local do evento volta a ser o estacionamento próximo ao lava-jato, no Iguatemi.

Um pódio colorido com troféus também estará montado (FOTO: Divulgação)

Um pódio colorido com troféus também estará montado (FOTO: Divulgação)

A Corridinha terá disputa nas categorias: 4 anos (50m), 5 anos (60m), 6 anos (100m), 7 a 8 anos (120m) e 9 a 10 anos (150m). A primeira largada acontece às 16h, na ordem crescente por idade. Todos que terminarem o percurso receberão medalhas.

Atrações e prêmios

Super-heróis, princesas e outros personagens infantis estarão presentes para fazer fotos com os mini-atletas e seus familiares. A Corridinha Iguatemi ainda terá a banda Joãozim Pé de Feijão, tocando os antigos e novos hits que não saem da cabeça da criançada.

Um pódio colorido com troféus também estará montado para os papais e as mamães garantirem os clicks dos pequenos campeões. Ao fim de cada disputa por categoria, o Iguatemi sorteará uma premiação entre os corredores inscritos na faixa etária correspondente.

“A Corridinha tem um lado divertido e lúdico, mas também leva um tom educativo, pois as crianças aprendem que a disputa não é o mais importante, e sim a prática do esporte e a convivência com a família. Os pais também participam fazendo fotos e se divertindo com as músicas e os personagens que animam o evento.”, explica Rachel Mendonça, gerente de marketing do Iguatemi.

leia tudo sobre

Publicidade

Corrida tem percursos de 2,5 a 10 km no Centro de Fortaleza

Por Roberta Tavares em Corrida

05 de outubro de 2016

O percurso de 10 km é restrito a atletas a partir de 18 anos (FOTO: Dudu Ruiz/Truke Mídia)

O percurso de 10 km é restrito a atletas a partir de 18 anos (FOTO: Dudu Ruiz/Truke Mídia)

Que tal correr pelo Centro de Fortaleza? A 1ª Corrida de Rua e Caminhada Fametro está com inscrições abertas até o dia 11 de outubro. A prova terá percursos de 2,5 km (caminhada), 5 e 10 km (corrida) e será realizada no dia 16 de outubro.

As inscrições custam R$ 65 e podem ser feitas pelo site da Fametro. Para os percursos de 2,5 km e 5 km, podem participar pessoas  partir de 16 anos. Já para os 10 km, a prova é restrita a atletas acima de 18 anos.  O percurso terá início às 6h30, na Avenida Padre Ibiapina, 1243, Centro de Fortaleza.

Pessoas com idade igual ou superior a 60 anos têm desconto de 50% de desconto, no ato da inscrição online. O desconto não é acumulativo, e a inscrição será validada mediante a apresentação do RG na entrega do kit.

A entrega dos kits será realizada entre os dias 13 e 14 de outubro, das 10h às 20h, e no dia 15 de outubro, das 8h às 12h, no Campus Guilherme Rocha, localizado na Rua Conselheiro Estelita, 264, Centro.

Boa prova 😀

leia tudo sobre

Publicidade

O dia em que cantei, subi ladeira, chorei e corri 21 km!

Por Roberta Tavares em Corrida

27 de setembro de 2016

Uma das melhores sensações de vida (FOTO: Dudu Ruiz/Truke Mídia)

Uma das melhores sensações da vida (FOTO: Dudu Ruiz/Truke Mídia)

O dia 25 de setembro vai ficar marcado na história da minha vida. Talvez como a data em que fiz uma das coisas mais legais que poderia realizar. Foi o dia em que corri meus primeiros 21 km!

O dia em que virei meia-maratonista. O dia em que ri, cantei, gravei áudio quase sem ar, senti dor, subi ladeira, desci ladeira, bebi água, me molhei, quis chorar e, finalmente, cruzei a linha de chegada com um misto de alívio e MUITA, MUITA FELICIDADE!

Nunca tinha corrido tanto na vida. Aliás, se me dissessem que um dia ia participar de uma meia-maratona eu daria gargalhadas. Mas vamos começar “do início”. Em junho de 2015, entrei para o mundo das corridas. Comecei devagarzinho, sem conseguir correr por muito tempo. Andava, corria, parava, andava mais um pouco, cansava, corria e ia para casa com a sensação de dever cumprido. No mês seguinte, resolvi me inscrever em uma corrida de 5 km. Consegui! Em outubro, a meta dobrou: já eram 10 quilômetros. Fui lá e fiz, mais uma vez. Não poderia ser diferente quando, na planilha de treinos da assessoria, atualizei meu objetivo para “21 km – Meia Maratona”.

No começo, fiquei me perguntando se era loucura e o que essa meta me traria de bom. “Por que eu invento isso?” Tive as respostas logo que começaram os treinos. A felicidade ao concluir os “longões” me fazia querer cada vez mais que o tão grande dia chegasse. Foram quatro meses de preparação. Bem menos do que eu e meus queridos professores Madson, Rainier e Vítor esperávamos.

Isso porque eu estava me preparando para uma prova que ocorreria em outubro e, simplesmente, foi retirada do calendário de corridas de rua de Fortaleza! Detalhe: soube disso quase em cima da hora. Chorei, pensei em quantos treinos tinha feito, em como estava ansiosa para aquele dia que não ia mais acontecer… Meus amigos da assessoria se mobilizaram, me animaram e me incentivaram a fazer a Meia-Maratona da Pague Menos, nesse querido dia 25 de setembro.

Inicio da prova! (FOTO: Dudu Ruiz/Truke Mídia)

Inicio da prova! (FOTO: Dudu Ruiz/Truke Mídia)

Eu iria fazer minha primeira meia-maratona um mês antes do previsto. Mas como boa brasileira que sou: não desisti. Ergui a cabeça e continuei os treinos, cada vez mais puxados para tentar correr, literalmente, atrás do prejuízo.

Chegado o dia 24, logo na noite que devemos mais dormir bem, a ansiedade não me deixou cair no sono. Acordei várias vezes, com medo do que estaria por vir no dia seguinte. Até que amanheceu o domingo. Às 5h10 já tinha me vestido, comido banana, castanha, bebido água.

Segui ao encontro dos outros milhares de atletas que iriam compartilhar comigo o trajeto de 21 quilômetros pela Terra do Sol. Muita gente! Muitos amigos! Muitas dicas! Muitas fotos! Muitos desejos de boa sorte!

Às 6h, já estávamos aguardando na largada. Até que fui… naquele instante começava uma das maiores aventuras que já tinha feito nos meus 26 anos. Para alguns, pode até parecer besteira. Mas para quem entra nesse esporte, é algo indescritível. Durante todo o percurso, tive a companhia do já meia-maratonista (e futuro maratonista) Gabriel Campelo, meu colega de treino na assessoria. Ele “ocupou” muito bem o lugar da Tacy (minha companheira dos longões, que machucou o pé e não pode participar da prova com a gente, mas acreditem: ela foi só nos prestigiar).

Nos primeiros quilômetros, nos poupamos bastante, cantamos alto, rimos, bebemos água, jogamos água um no outro, tomamos o gel de carboidrato salvador da pátria, nos preocupamos com buracos, com os milhos jogados no chão, avistamos outros amigos, gravamos áudios para grupos no Whatsapp. Passamos pelo Mercado dos Peixes, pelo antigo Farol do Mucuripe, voltamos pela Avenida Abolição, seguimos em direção ao Marina Park…

Uma das muitas ladeiras da prova. Meu joelho já começava a incomodar (FOTO: Lara Saraiva)

Uma das muitas ladeiras da prova. Meu joelho já começava a incomodar (FOTO: Lara Saraiva)

Foi aí que comecei a sentir meu joelho direito, o bonitinho já tinha aparecido para dar um ‘oi’ nos treinos longos, e não seria diferente no dia da minha meia-maratona.

Na subida do IML, na Avenida Leste-Oeste, ele passou a incomodar ainda mais. “Eu vou completar essa prova toda correndo!!” Foi o jeito pegar tudo o que eu tinha direito e jogar em cima, para ver se aliviava a dor: água, gelo e até isotônico foram utilizados como remédio para diminuir um pouquinho o desespero.

Por volta do 18º km, já com dor no joelho, com a sensação de início de câimbra na panturrilha esquerda, CORRI COM O CORAÇÃO e com o som das vozes do Gabriel e do Madson (professor) me estimulando. “Vou conseguir! Faltam só 3 quilômetros! Vai dar certo”. Os cálculos de matemática estavam cada vez mais simples. Faltava pouco!

Para acalmar, Deus nos presentou com uma chuvinha super bem-vinda. “Obrigada, Deus!”. Chegado o 19º km, minhas pernas já tinham entrado no piloto automático, só conseguia pensar em completar. Foi então que alcancei o 20º. A linha de chegada estava próxima. “Vamos lá, Roberta, só falta mais 1 km”.

Ao dobrar a rua, avistar a placa enorme em letras garrafais “CHEGADA” e ouvir a gritaria, tirei meu celular da pochete e tentei registrar um pouco da emoção que senti naquele momento. A playlist do MP3 ajudou! Começou a música “Charlie Brown”, do Coldplay. Eu já não lembrava mais do meu joelho, nem da perna esquerda, nem dos braços, nada! Só queria correr o mais rápido que podia. Conforme aumentava o ritmo, mais vinha a vontade de chorar. “Vamos!!!! Está chegando!!!! 21 km!!!!!!”.

Meu exemplo! (FOTO: Dudu Ruiz/Truke Mídia)

Meu exemplo! (FOTO: Dudu Ruiz/Truke Mídia)

CONSEGUI!! Cruzei a linha de chegada e fui recepcionada por dezenas de amigos. Dentre eles, meu noivo, Marcos Montenegro (em quem me espelho) com um buquê de rosas, me parabenizando pela conquista. Tanta gente querida! Tantos abraços! Foi lindo. A prova foi suada, mas maravilhosa. Sensação de missão cumprida, de superação, de “se eu quero, só depende de mim”. Não estava ali para ser melhor que alguém, mas para dar o melhor de mim.

Corrida é o esporte individual mais coletivo que existe. Por isso, quero agradecer a todos que torceram pela minha conquista, a todos que me incentivaram, a todos que cuidaram de mim (obrigada, fisioterapeutas, nutricionistas, profissionais de educação física), a todos os que curtiram minhas fotos de corridas espalhadas nas redes sociais durante esses anos, a todos que acreditaram e viveram esse sonho comigo.

Hoje, dias depois da prova que me garantiu o ‘título’ de Meia-Maratonista, o cansaço passou, as dores musculares cessaram, passou tudo, menos a conquista. A medalha de 21 km está guardada junto ao meu sentimento de vitória.

Escrevendo esse relato, ainda fico eufórica e me emociono ao pensar no que senti no dia 25 de setembro de 2016. Só de repassar as cenas da prova que, para mim, durou 2h20, eu choro. Talvez porque nunca tenha sentido uma sensação tão boa com nenhum esporte. Vou lembrar para sempre dessa data, porque foi o dia que venci, o dia que não me sabotei, o dia que tive medo, mas o encarei de frente.

A tão sonhada e suada medalha de 21 km (FOTO: Dudu Ruiz/Truke Mídia)

A tão sonhada e suada medalha de 21 km (FOTO: Dudu Ruiz/Truke Mídia)

leia tudo sobre

Publicidade

Da caminhada à meia-maratona, o relato de uma cearense que correu 21 km em Buenos Aires

Por Roberta Tavares em Corrida

12 de setembro de 2016

Lara e Eduardo realizaram o sonho de correr a primeira meia-maratona. E ainda mais em outro país! (FOTO: Arquivo pessoal)

Lara e Eduardo realizaram o sonho de correr a primeira meia-maratona. E ainda em outro país! (FOTO: Arquivo pessoal)

Por Lara Saraiva*

Da lista das aventuras mais loucas que já fiz na vida, sem dúvida, umas das mais especiais foi correr uma meia-maratona. Eu, que nunca tinha conseguido correr mais de 2 minutos consecutivos, me percebi correndo 21 quilômetros exausta de felicidade. E em outro país.

A ideia de correr em outro país veio no Dia dos Namorados, quando pensava em um bom presente para o Edu. É verdade que eu gosto de correr bem mais do que ele (“Odeio correr!”, repetia ele quando a gente começou a treinar em dezembro do ano passado), mas ainda assim pensei na experiência maravilhosa que seria e como aproveitaríamos a cidade linda que é Buenos Aires. E não me arrependi.

No entanto, o que parecia ser uma aventura incrível, também teve suas dificuldades. O frio, com certeza, foi o pior deles. A sensação térmica na madrugada do dia da corrida era de 2 graus. Nem preciso dizer o quanto isso é frio para nós que moramos no Ceará.

O abençoado motorista de táxi que nos enrolou e nos deixou a mais de 2 km da largada contribuiu para deixar nosso pré-corrida mais tenso. Esqueci nossos carb ups e também esqueci de carregar meu fone (odeio correr sem música). Não me importei, “vai servir ao menos para esquentar minhas orelhas nesse frio dos infernos”.

A hora da largada é super emocionante. Imagine cerca de 25 mil pessoas naquele corredor estreito, ansiosas para atravessar? Larguei e pensei: vou me divertir! E assim foi. Corri no meu ritmo, aproveitei as paisagens e curti cada minuto. Vale salientar que, sem o preparo físico adequado, é quase impossível terminar uma prova de 21 km bem e feliz.

A prova de que nada é impossível (FOTO: Arquivo pessoal)

A prova de que nada é impossível (FOTO: Arquivo pessoal)

O máximo que tinha feito era 18 km, e os três últimos quilômetros foram os mais cansativos de todos, quase uma segunda prova. Nessa hora, não aguentei, liguei o som do meu celular e coloquei pra rolar minha playlist brasileira, que eu era tão acostumada a treinar.

“Chegou a hora dessa gente bronzeada mostrar seu valor…”, era Baby cantando pra mim, eu tirando minhas últimas forças e firme em frente nos passos que foram os mais especiais. Aumentei o pace e corri feliz. Foi mágico!

Eu que sempre sonhei em ser atleta, descobri que talvez isso se concretizasse nos meus 30 anos, quando eu nem mais imaginava. A corrida é meu momento de descanso, onde relaxo, penso na vida e o melhor de tudo, quando descubro que sempre posso ir mais além.

Por isso e por outras é que já tenho data certa para dobrar minha meta: 42 km em 18 de junho de 2017. O caminho até lá é bem árduo, incluindo treinos mais duros, uma melhor preparação muscular e adequação alimentar.

Mas cada esforço vai valer a pena quando estiver no 41,5 km e vislumbrar a linha de chegada, ali, na minha frente, mais uma vez, e eu ter a certeza que eu cheguei ao meu limite. Outra vez. Pelo menos, o daquele momento.

*Socióloga, cearense e mais uma amante das corridas.

Leia também:
Encontro das Assessorias Esportivas terá gincana e percursos desafiadores de 5 e 15 km
Corra ou caminhe 5 km e ajude crianças assistidas pelo Unicef
Quer começar a correr? Veja dicas para iniciar no esporte

Quer compartilhar a sua experiência também? Me envia um e-mail: blogvidaleve1@gmail.com

leia tudo sobre

Publicidade

Encontro das Assessorias Esportivas terá gincana e percursos desafiadores de 5 e 15 km

Por Roberta Tavares em Corrida

02 de setembro de 2016

A corrida será realizada em 18 de setembro, em Fortaleza (FOTO: Divulgação)

A corrida será realizada em 18 de setembro, em Fortaleza (FOTO: Divulgação)

Há alguns anos, a corrida de rua vem ganhando cada vez mais adeptos nas cidades brasileiras. Só no Ceará, o número de assessorias já chega a quase 300, cobrindo diversos bairros de Fortaleza e estimulando milhares de corredores de rua.

Na 3ª edição, o Encontro das Assessorias Esportivas reunirá, de 16 a 18 de setembro, especialistas e professores em uma programação que abordará assuntos ligados à bioquímica e ao aperfeiçoamento dos atletas, além de ressaltar a importância de uma boa gestão para as assessorias esportivas.

A terceira edição do evento acontecerá no BNB Clube – Sede Aldeota (Avenida Santos Dumont, 3646) e tem entrada gratuita para a feira e programação paralela. No último dia, domingo, o encontro se encerra com a realização de uma corrida com distâncias de 5 km e 15 km, apresentando novos percursos aos atletas.

Programação

A entrega dos kits e a abertura da Expo Sport, Run & Fun acontecerá na sexta-feira (16), a partir das 17h, com a participação estandes de roupas esportivas, suplementos, massagens, etc. A entrada é gratuita, e o público poderá visitar a feira até o domingo. Ainda na sexta, haverá o primeiro painel para o público visitante, sobre a Ventosa Terapêutica, com a equipe da Associação Brasileira de Acupuntura.

No sábado (17), a programação tem início às 9h e segue com atividades esportivas como Spining, Fitdance e Circuito Funcional. Para fechar a manhã do sábado, o público poderá assistir à palestra sobre Lesões, com a Artros Osteopatia, e aproveitar o almoço com samba de roda do BNB Clube.

No sábado, terão atividades Esportivas, como spining, fitdance e circuito funcional (FOTO: Divulgação)

No sábado, terão atividades Esportivas, como spining, fitdance e circuito funcional (FOTO: Divulgação)

À tarde, será a vez dos painéis, trazendo assuntos e temas de interesse de corredores amadores à profissionais, são eles: “Atualização em fotoproteção”, com a dra. Lara Rosado; “Alimentação para a corrida: antes, durante e depois”, com o nutricionista Helion Tiago Gama; “Os desafios do percurso de 15km”, com o treinador, corredor e sócio da KM Assessoria, Dicson Falcão; e, para finalizar, “Nutrição Saudável: Mitos e Verdade sobre o ovo”, com a equipe da Avine.

Gincana e confraternização

Além do já tradicional happy hour, que ocorre no sábado antes da prova, a Gincana desta edição contará com um Karaokê entre os corredores que arriscam um “pé” na cantoria. Avaliadas desde o início das inscrições, as assessorias passam pela análise de uma banca de jurados, que consideram critérios como: maior número de alunos inscritos, criatividade na largada, uniforme, etc. As campeãs serão conhecidas no domingo.

Percurso da corrida

A corrida também será realizada no domingo (18). A estrutura contará com estacionamento gratuito (HVM, na Av. Santos Dumont, esquina com Avenida Virgílio Távora), seis pontos de hidratação, um ponto de hidratação com Gatorade; duas ambulâncias e staff com 170 pessoas. Os percursos de 5 km e 15 km seguem desafiadores, passando por ladeiras, túnel e viaduto. Para se inscrever, basta clicar no link. Os valores variam de R$ 70 (para inscrições com um grupo de assessoria) a 75 (para inscrições individuais).

A terceira edição do Encontro das Assessorias Esportivas tem patrocínio do Banco do Nordeste (BNB), Unimed, Indaiá, Suplements, Mercadinho São Luiz, Café Santa Clara e Prefeitura Municipal de Fortaleza, conta ainda com o apoio da Viverde, Skol Ultra, Estação Leme, e Truke Mídia.

Programação completa

Sexta-feira (16 de setembro)

15 horas – Início da entrega dos kits

17 horas – Abertura da Expo Sport, Run & Fun

19h30 – Palestra: Ventosa Terapeutica, com Jose Nilson Fernnades Filho e equipe da Associação Brasileira de Acupuntura

20h30 – Happy Hour no BNB

21 horas – Encerramento entrega dos kits

Sábado (17 de setembro)

9 horas – Início da entrega dos kits

9 horas – Atividades Esportivas: Spining, Fitdance e Circuito Funcional, com AYO Fitnessclub

11 horas – Palestra: Lesões, com Artros Osteopatia

13 horas – Almoço com Samba de Roda no BNB

15 horas – Painéis:

1. Atualização em Fotoproteção, com a dra. Lara Rosado

2. Alimentação para a corrida: Antes, Durante e Depois, com o nutricionista Helion Tiago Gama

3. Os desafios do percurso de 15km, com o atleta e treinador Dicson Falcão

4. Nutrição Saudável: Mitos e Verdade sobre o ovo, com a equipe Avine.

17 horas – Encerramento Entrega dos kits

18 horas – Karaokê das Assessorias

Domingo (18 de setembro)

6h30 – Largada da corrida 5km e 15km

09 horas – Premiação da Gincana e primeiros lugares na corrida

11 horas – Encerramento

SERVIÇO:
3º Encontro das Assessorias Esportivas
Data: 16 a 18 de setembro
Horário: 16/09 (17h às 21h), 17/09 (09h às 22h) e 18/09 (05h às 11h)
Local: BNB Clube – Sede Aldeota (Avenida Santos Dumont, 3646)

leia tudo sobre

Publicidade

Nova febre nas academias, FitDance tem aulas gratuitas em shopping de Fortaleza

Por Roberta Tavares em Bem-estar

22 de janeiro de 2017

A modalidade é recomendada para homens e mulheres de todas as idades (FOTO: Divulgação/Iguatemi)

A modalidade é recomendada para homens e mulheres de todas as idades (FOTO: Divulgação/Iguatemi)

Diversão, bem-estar e saúde através da dança é a proposta da modalidade que é a nova febre das academias de todo o Brasil, o FitDance. Em Fortaleza, o programa de aulas com as músicas do momento e coreografias únicas já começa a ganhar adeptos. Até o fim de fevereiro, o shopping Iguatemi promove aulas gratuitas de FitDance.

As atividades, que iniciaram no dia 18 de janeiro deste ano, acontecem todas as segundas e quartas-feiras, às 19h, no estacionamento L5 da expansão do shopping.

Contemplando todos os estilos musicais, o Fitdance cresce com instrutores e fãs por todo Brasil e no mundo. Um dos segredos para o sucesso é a unidade em suas coreografias, que promove uma grande integração que faz todo mundo dançar junto.

Para participar das aulas de FitDance no Iguatemi não é necessário fazer inscrição, basta vestir roupas adequadas para atividade física e chegar no horário para acompanhar e aprender as coreografias. A expectativa do shopping é que cerca de 300 pessoas participem de cada aula, assim como acontece nos aulões gratuitos de Zumba, às terças e quintas-feiras. A modalidade é recomendada para homens e mulheres de todas as idades que procuram se divertir enquanto movimentam o corpo e a mente.

A franquia FitDance também oferece interação com os alunos através do youtube e das redes sociais, onde é possível aprender os conceitos da atividade, as coreografias além de interagir com instrutores e praticantes de todo o Brasil.

Serviço:
Aulas gratuitas de FitDance
Data: Segundas e quartas-feiras, até o fim de fevereiro
Local: Shopping Iguatemi – Estacionamento L5 da Expansão (área aberta)
Horário: às 19h