Publicidade

Vem Dançar

por Jéssica Welma e Meillyne Gomes

Fortaleza recebe oficinas de dança-teatro e espetáculo “Um Tempo de Chuva”

Por Jéssica Welma em Espetáculo

19 de maio de 2017

Espetáculo Um Tempo de Chuva terá exibição gratuita. (Foto: Daniel Torres/Divulgação)

Espetáculo Um Tempo de Chuva terá exibição gratuita. (Foto: Daniel Torres/Divulgação)

As bailarinas Anízia Marques e Ana Claudia Viana, da companhia artística a3 de Natal (RN), trazem à Fortaleza o projeto “Um Tempo da Chuva” com oficinas e espetáculos gratuitos. Além de trabalhar a formação de plateia, o projeto busca semear o gosto pelo teatro, pelas artes e pela dança. As oficinas acontecem nos dias 23 e 24 de maio, no Centro Cultural Banco do Nordeste, e a apresentação do espetáculo, nos dias 25 e 26 de maio.

Contemplado pelo programa de patrocínios Banco do Nordeste Cultura, o projeto “Um Tempo da Chuva” está percorrendo os Centros Culturais BNB nas cidades de Sousa-PB, Fortaleza e Juazeiro-CE durante o período de 16 de maio a 23 de junho. Trabalhando com as experientes Anízia Marques e Ana Claudia Viana, o projeto defende o fortalecimento e valorização da iniciativa, permanência e visibilidade de grupos de pesquisa em dança que atuam com artistas acima de 40 anos.

Além da peça “Um Tempo da Chuva”, a bailarina Ana Claudia Viana ministrará oficinas de dança-teatro gratuitas. As oficinas tem duração média de três dias e vão promover a sensibilização corporal por meio da arte. Poderão participar profissionais do teatro e dança, amadores e comunidade em geral.

Para participar das oficinas, basta ter mais de 14 anos e enviar e-mail para a3danca@gmail.cominformando nome completo, CPF, RG, telefone de contato, ocupação e se já estudou dança. As oficinas acontecem às 14h nos dias 23 e 24 e os espetáculos acontece às 18h nos dias 25 e 26. Para assistir a “Um Tempo da Chuva”, basta retirar o ingresso um hora antes do espetáculo no próprio CCBNB Fortaleza.

Um Tempo da Chuva
O encontro entre duas pessoas debaixo de uma parada em um dia de chuva, e a construção da amizade pelo caminho do desvelamento dos medos e desejos de cada uma delas: esta é a trama de Um Tempo da Chuva, uma adaptação da peça O Tempo da Chuva, texto original de Henrique Fontes, Rafael Ary e Paula Vanina. Em cena, Anízia Marques (Anízia Marques Cia de Dança) e Ana Cláudia Viana (Grupo Nammu) atuam no espaço urbano tomado pela chuva, explorando sensações e sentimentos oriundos do encontro. A dança-teatro surge neste espetáculo como um catalisador do subjetivo humano, integrando expressões artísticas e proporcionando envolvimento do público junto ao espaço cênico.

Ana Cláudia Viana e Anízia Marques são bailarinas e diretoras de grupos – Nammu e Anízia Marques Dança (Natal-RN) – e defendem a atuação contínua do artista, sem abraçar o estigma de a dança ser para corpos jovens. Atuantes no Espaço a3 de dança desde 2014, que abriga as duas companhias independentes, Ana e Anízia compactuam a atuação na arte em prol da sensibilização corporal e convivência através da dança-teatro.

Serviço
Um tempo da Chuva

Oficinas de dança-teatro: Dias 23 e 24 de maio às 14h
Inscrições pelo e-mail a3danca@gmail.com.

Espetáculo: Dias 25 e 26 de maio às 18h
Local: CCBNB – Fortaleza
Entrada gratuita mediante retirada de ingresso uma hora antes do espetáculo

Publicidade

Grupos cearenses são aprovados para competição de dança em Joinville

Por Meillyne Gomes em Festivais

17 de maio de 2017

Do Ceará, foram selecionados quatro grupos de danças e cinco coreografias, segundo a organização. 

Apresentação “Amigas de Copélia” do Studio de Dança Mainara Albuquerque. Foto: Hugo Silveira – Divulgação.

Studio de Dança Mainara Albuquerque, Michelle Fontenelle Academia de Dança e Michelle Borges Studio de Dança são as três escolas de dança do Ceará aprovadas para competir no Festival de Dança Joinville. Além da aprovação para o Palco Fechado (Mostra Competitiva), as escolas também aprovaram apresentações para os Palcos Abertos. O evento é considerado o maior festival de dança do mundo e tem seleção rigorosa.

O Studio de Dança Mainara Albuquerque foi aprovado para competir nas categorias Ballet Clássico de Repertório Conjunto Júnior com “Amigas de Coppélia” e Ballet Clássico de Repertório Variação Masculina Júnior com a variação “Satanella/Carnaval de Veneza”. Ao todo, serão dez bailarinos em oito coreografias. Nos palcos abertos, a escola também se apresenta nas categorias Ballet Neoclássico e Dança Contemporânea.

“É o maior festival de dança do mundo. Trabalhamos muito para chegar a esse resultado. É a nossa primeira aprovação com conjunto para Palco Fechado. Já havíamos passado com solo e trio na categoria Meia Ponta em outras edições. Então é uma sensação maravilhosa, é se apresentar para uma plateia de cinco mil pessoas”, afirma a diretora Mainara Albuquerque.

Michelle Fontenelle foi aprovada para competir com um duo de Dança Contemporânea. Entre as apresentações, a academia também vai estar na Mostra Competitiva e nos Palcos Abertos, com coreografias da diretora Michelle Fontenelle, de Loly Pop e Zé Medeiros, nas categorias de Hip Hop e Jazz. Já Michelle Borges competirá com um conjunto e um duo na categoria Sapateado.

Joinville

Em 2017, o Festival bateu recorde de inscrições com 3.226 coreografias avaliadas. Essa é a 35ª Edição do Festival de Dança de Joinville e acontece de 18 a 29 de julho.

No total, são 256 coreografias para as mostras competitivas e 1.498 para os Palcos Abertos distribuídas nos diferentes gêneros: Balé Clássico de Repertório, Balé Neoclássico, Dança Contemporânea, Danças Populares, Danças Urbanas, Jazz e Sapateado.

A seleção foi conduzida pela curadoria artística formada pelas especialistas em dança Ana Botafogo, Mônica Mion e Thereza Rocha. Além das apresentações e da competição o festival conta com uma variada programação com cursos e oficinas, feira da sapatilha, noite de gala.

O evento reúne mais de seis mil participantes diretos e atrai público superior a 200 mil pessoas em 170h de espetáculos, o que lhe rendeu a citação como o de Maior Festival de Dança do Mundo no Guinness Book desde 2005.

 

Coreografia “Amigas de Copélia” do Studio de Dança Mainara Albuquerque, uma das apresentações que vai competir em Joinville.

leia tudo sobre

Publicidade

Corpo de Dança do Amazonas se apresenta na Caixa Cultural de Fortaleza

Por Meillyne Gomes em Espetáculo

09 de fevereiro de 2017

O espetáculo Um Norte que Dança, dirigido por João Fernandes, cearense radicado no Amazonas há 14 anos, está em turnê em Fortaleza com três diferentes espetáculos. A estreia da Companhia de Dança do Amazonas em terras alencarinas começou na quinta-feira (9), com a apresentação de “Cabanagem”. Turnê segue até o domingo (12).
Nesta sexta-feira (10), o público pode conferir “Milongas”. A temporada se encerra nos dias 11 e 12, sábado e domingo, com a apresentação de “A Sagração da Primavera” .

Fortaleza recebe,  pela primeira vez, a turnê, que  já passou por  Recife – PE, com o objetivo de difundir a produção de dança do Amazonas. Em cada montagem,  a companhia tem a assinatura de um convidado.

Criação
“Cabanagem” coloca em cena a conhecida batalha travada por índios, negros e mestiços contra a elite dominante no período regencial, a coreografia é de Mário Nascimento (MG).
Em “Milongas” , a coreógrafa Monique Andrade abre caminho para o tango, mesmo sem a influência do Norte, apresenta o grupo enquanto técnica de sala de aula.
“A Sagração da Primavera” finaliza a turnê com “um recorte regional” do clássico ritual pagão eslavo, assinado por Adriana Goes e André Duarte (assistentes do CDA).

Além das apresentações, haverá palestra com Getúlio Lima, diretor da companhia, e bailarinos sobre os processos de criação do Corpo de Dança do Amazonas. As palestras acontecerão logo após as apresentações.

A companhia surgiu no ano de 1998, criada pelo Governo do Amazonas, com a proposta de compor os quadros do Teatro Amazonas, e contabiliza mais de 50 trabalhos, tendo como linha de frente a dança contemporânea.

Mais informações:

Local: Caixa Cultural Fortaleza (Av. Pessoa Anta, 287 – Praia de Iracema)

Data: 09/02/2017 a 12/02/2017
Horário: quinta a sábado, às 20h | domingo, às 19h
Horário da Bilheteria: das 10h às 20h, na bilheteria do local
Valor do Ingresso: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

Telefone: (85) 3453 2770

Um Norte que Dança – foto: MARCELO REBOUÇAS/ DIVULGAÇÃO

Publicidade

Espetáculo MULHER leva feminismo aos palcos através da dança

Por Jéssica Welma em Espetáculo

10 de dezembro de 2016

Studio de Dança Mainara Albuquerque, em 2015, apresentou espetáculo sobre a influência do tempo na vida das pessoas. (Foto: Paulo Sena)

Em 2015, o SDMA apresentou espetáculo sobre a influência do tempo na vida das pessoas. (Foto: Paulo Sena)

O Studio de Dança Mainara Albuquerque apresenta, nos dias 12 e 13 de dezembro, o espetáculo MULHER, no Teatro Via Sul. A montagem, dirigida pela diretora e conselheira da Dança do Ceará, Mainara Albuquerque; leva aos palcos a luta das mulheres por direitos iguais desde a época da Revolução Industrial. Também são abordados temas como a violência contra a mulher e a cultura do estupro.

Para a diretora, o espetáculo é uma oportunidade de fazer as pessoas refletirem sobre a luta por direitos iguais entre homens e mulheres. “Quando comecei a pesquisar sobre o feminismo, vi que havia muita informação incorreta, muitas interpretações erradas do que o termo significa. Por isso, tornou-se uma missão falar sobre direitos iguais através da dança”, pontua Mainara.

O espetáculo se baseia em relatos históricos sobre as mulheres no mercado de trabalho, na luta pelo direito de escolher os representantes políticos, em dados de levantamentos sobre violência contra a mulher e casos reais sobre cultura do estupro. Também inspiram a montagem do MULHER o discurso da escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie, intitulado  “Todos nós deveríamos ser feministas”; e o discurso da atriz britânica Emma Watson pela campanha da ONU #HeForShe, que fala sobre a liberdade e a igualdade entre os sexos.

A apresentação do MULHER integra o festival da escola de formação de bailarinos. O festival se inicia às 18h30min com o ballet O Mágico de Oz, apresentado pelos alunos das séries iniciais, a Cia Juvenil de Dança e os bailarinos do Jazz. Às 20h30min, será apresentado o MULHER. Os ingressos dão direito aos dois espetáculos.

Serviço

Festival 2016 do Studio de Dança Mainara Albuquerque

Espetáculos O Mágico de Oz e MULHER

Data: Dias 12 e 13 de dezembro, a partir das 18h30min

Ingressos: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia), na sede da escola (Rua Gama, 120 – Maraponga)

Mais informações e venda de ingressos: 85 3298-2713

 

 

 

Publicidade

Edisca reapresenta balé Religare no Cineteatro São Luís

Por Jéssica Welma em Edisca

17 de novembro de 2016

Edisca reapresenta Religare. (Foto: Divulgação/Edisca)

Edisca reapresenta Religare. (Foto: Divulgação/Edisca)

A companhia cearense de dança Edisca reapresenta, de 18 a 20 de novembro, no Cineteatro São Luís, o balé “Religare”. O espetáculo, lançado em 2015, evoca espiritualidade, transitoriedade e mudança social.

Com coreografia de Dora Andrade, diretora da escola, e Gilano Andrade, “Religare” é dividido em oito números que abordam diferentes vieses, passando por noções de pós-vida, renascimento e reconexão com a terra.

Ao todo, 39 bailarinos participam do espetáculo, dançando entre imagens icônicas de peso e leveza, ora na pele de anjos humanizados e divindades estilizadas, ora na condição-limite de inferioridade e apagamento de presidiários aniquilados em rebeliões ou índios massacrados pelas leis do capital.

Em “Religare”, as coreografias são entrelaçadas e complementares. Com 45 minutos de duração, o balé também concentra na musicalidade sua potência de revisão e reconexão com os estados fundamentais da alma.
Coube a Manassés de Sousa o trecho autoral que casa o erudito à música oriental do espetáculo.

 

Sobre a Edisca:

A Escola de Dança e Integração Social para Criança e Adolescente (Edisca) é uma organização educativa em arte, criada em 1991 e sediada em Fortaleza. Seu objetivo central é a promoção do desenvolvimento humano de crianças e adolescentes que se encontram em situação de desvantagem social. Nestas duas décadas de atuação, a organização vem alcançando bons resultados relativos à transformação social, promoção de mudanças de vida através da educação e da arte e produção artística reconhecida pelo repertório de espetáculos de dança de alta qualidade, vistos por milhares de pessoas no Brasil e no exterior.

Balé Religare
Dia 18/11 (sexta-feira), às 20 horas; e dias 19/11 (sábado) e 20/11 (domingo), às 19 horas.
Entrada: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Classificação: Livre
Duração: 45 minutos
Venda de ingressos: Bilheteria do Cineteatro São Luís e pelo site Ingresso Rápido.
Informações: (85) 3278 1515 / 98869 1180

 

leia tudo sobre

Publicidade

Estúdio Terpsícore faz homenagem a Cauby Peixoto em espetáculo no TJA

Por Jéssica Welma em Espetáculo

16 de novembro de 2016

Espetáculo "Bastidores, composições para Cauby" será apresentado no TJA.

“Bastidores, composições para Cauby” será apresentado no TJA.

Um dos maiores cantores brasileiros, Cauby Peixoto será homenageado nos palcos do Theatro José de Alencar no próximo dia 20 de novembro. O espetáculo “Bastidores, composições para Cauby“, do Estúdio Terpsícore, resgata os sucessos de um dos ícones da era do rádio no Brasil, falecido em maio deste ano.

Serão quinze cenas, com coreografias de diferentes estilos de dança, como jazz, balé clássico e dança contemporânea, interpretadas pelos bailarinos do Estúdio. A direção é de Júlia Cândida.

Iniciada na década de 1950, a carreira de Cauby Peixoto passou por jazz, MPB, rock e outros gêneros e será revivida através da dança.

O espetáculo será apresentado no dia 20 de novembro, às 17 horas, no Theatro José de Alencar. Os ingressos estão à venda na sede do Estúdio Terpsícore, na rua Professor Nogueira, 465 – Parquelândia.


Serviço:
Bastidores, composições para Cauby
Quando: 20 de novembro, às 17 horas
Local: Theatro José de Alencar
Ingressos: R$ 20 (inteira) R$ 10 (meia)
Mais informações: (85) 3214-6527

Publicidade

Entra na dança!

Por index em Sem categoria

28 de setembro de 2016

Olá, leitores!

Sou Jéssica Welma, repórter do Tribuna do Ceará, e resolvi compartilhar um pouco da paixão pela dança, dando visibilidade ao mundo dessa arte no Estado. Por aqui, você pode acompanhar as novidades sobre espetáculos, eventos, cursos e palestras sobre as mais diversas modalidades.

Segue o blog que vai ter muita história boa por aqui! 😉

Publicidade

Fortaleza recebe oficinas de dança-teatro e espetáculo “Um Tempo de Chuva”

Por Jéssica Welma em Espetáculo

19 de maio de 2017

Espetáculo Um Tempo de Chuva terá exibição gratuita. (Foto: Daniel Torres/Divulgação)

Espetáculo Um Tempo de Chuva terá exibição gratuita. (Foto: Daniel Torres/Divulgação)

As bailarinas Anízia Marques e Ana Claudia Viana, da companhia artística a3 de Natal (RN), trazem à Fortaleza o projeto “Um Tempo da Chuva” com oficinas e espetáculos gratuitos. Além de trabalhar a formação de plateia, o projeto busca semear o gosto pelo teatro, pelas artes e pela dança. As oficinas acontecem nos dias 23 e 24 de maio, no Centro Cultural Banco do Nordeste, e a apresentação do espetáculo, nos dias 25 e 26 de maio.

Contemplado pelo programa de patrocínios Banco do Nordeste Cultura, o projeto “Um Tempo da Chuva” está percorrendo os Centros Culturais BNB nas cidades de Sousa-PB, Fortaleza e Juazeiro-CE durante o período de 16 de maio a 23 de junho. Trabalhando com as experientes Anízia Marques e Ana Claudia Viana, o projeto defende o fortalecimento e valorização da iniciativa, permanência e visibilidade de grupos de pesquisa em dança que atuam com artistas acima de 40 anos.

Além da peça “Um Tempo da Chuva”, a bailarina Ana Claudia Viana ministrará oficinas de dança-teatro gratuitas. As oficinas tem duração média de três dias e vão promover a sensibilização corporal por meio da arte. Poderão participar profissionais do teatro e dança, amadores e comunidade em geral.

Para participar das oficinas, basta ter mais de 14 anos e enviar e-mail para a3danca@gmail.cominformando nome completo, CPF, RG, telefone de contato, ocupação e se já estudou dança. As oficinas acontecem às 14h nos dias 23 e 24 e os espetáculos acontece às 18h nos dias 25 e 26. Para assistir a “Um Tempo da Chuva”, basta retirar o ingresso um hora antes do espetáculo no próprio CCBNB Fortaleza.

Um Tempo da Chuva
O encontro entre duas pessoas debaixo de uma parada em um dia de chuva, e a construção da amizade pelo caminho do desvelamento dos medos e desejos de cada uma delas: esta é a trama de Um Tempo da Chuva, uma adaptação da peça O Tempo da Chuva, texto original de Henrique Fontes, Rafael Ary e Paula Vanina. Em cena, Anízia Marques (Anízia Marques Cia de Dança) e Ana Cláudia Viana (Grupo Nammu) atuam no espaço urbano tomado pela chuva, explorando sensações e sentimentos oriundos do encontro. A dança-teatro surge neste espetáculo como um catalisador do subjetivo humano, integrando expressões artísticas e proporcionando envolvimento do público junto ao espaço cênico.

Ana Cláudia Viana e Anízia Marques são bailarinas e diretoras de grupos – Nammu e Anízia Marques Dança (Natal-RN) – e defendem a atuação contínua do artista, sem abraçar o estigma de a dança ser para corpos jovens. Atuantes no Espaço a3 de dança desde 2014, que abriga as duas companhias independentes, Ana e Anízia compactuam a atuação na arte em prol da sensibilização corporal e convivência através da dança-teatro.

Serviço
Um tempo da Chuva

Oficinas de dança-teatro: Dias 23 e 24 de maio às 14h
Inscrições pelo e-mail a3danca@gmail.com.

Espetáculo: Dias 25 e 26 de maio às 18h
Local: CCBNB – Fortaleza
Entrada gratuita mediante retirada de ingresso uma hora antes do espetáculo