Artigo Archives - Vagas Online 
Publicidade

Vagas Online

por Márcia Catunda

Artigo

3 motivos pelos quais sua estratégia de recolocação profissional pode estar falindo e como consertá-la

Por Márcia Catunda em Artigo

22 de novembro de 2017

Por Wilna Lima- Professora Universitária e Coach

 

O sucesso na busca por uma recolocação profissional depende da estratégia que você adota. Conheça alguns aspectos importantes na hora de buscar novas oportunidades de trabalho.

  1. O Currículo

O currículo deve funcionar como um portfólio profissional. Ele pode abrir portas para sua participação em entrevistas e posterior contratação por isso, é importante dedicar tempo e atenção à confecção deste documento, descrevendo de forma objetiva e atrativa suas experiências e conhecimentos.

Muitas pessoas costumam simplesmente entrar na internet e utilizar um modelo pronto ou então, tomam como verdade absoluta a premissa que diz que “currículo bom é currículo pequeno”. Nada disso! Currículo bom é aquele objetivo sim, mas que também informa ao recrutador todas as experiências, conhecimentos e realizações relevantes ao cargo para o qual o profissional está se candidatando.

Como “consertar”?

Identifique qual o seu objetivo profissional: Em que área deseja trabalhar? Que cargo acredita estar pronto para assumir? Suas experiências são coerentes com estes objetivos?

Liste todas as suas experiências profissionais identificando as responsabilidades que possuía em cada uma delas, suas principais contribuições em cada ocasião e os conhecimentos que adquiriu através do trabalho ou de cursos.

Feito isso, redija seu currículo “padrão”, ele servirá de base para a confecção dos currículos que você irá redigir para candidatar-se às oportunidades.

  1. Em busca da oportunidade perfeita

Você foi pego de surpresa e a demissão bateu em sua porta! E agora, o que fazer?

Em geral, a primeira reação é sair procurando vagas em todos os sites e anúncios possíveis, preencher formulários de “Trabalhe Conosco”, disparar currículo para todos os seus contatos das redes sociais e profissionais e ainda publicar um anúncio do tipo “estou disponível para novas oportunidades, segue meu currículo”.

O problema é que, passado um tempo você percebe que não teve nenhum retorno.

O que pode ter dado errado?

Assim como em qualquer situação da vida, agir sob o calor da emoção pode fazer com que o profissional “queime cartuchos” passando uma impressão de desespero e falta de foco. Recrutadores e headhunters só vão analisar seu currículo caso ele tenha sido direcionado para uma oportunidade que os mesmos estão trabalhando. Ou seja, a probabilidade do seu currículo ser analisado é maior se você direcioná-lo para empresas/profissionais que estejam buscando alguém com a sua experiência.

Como “consertar”?

Atualize seu “currículo padrão”, incluindo a última experiência, realizações e conhecimentos adquiridos.

Faça uma busca de vagas em sites especializados, grupos e redes profissionais como Catho, Indeed, Linkedin, grupos do Yahoo e WhatsApp, e identifique aquelas que mais tem a ver com o seu objetivo profissional e suas experiências e conhecimentos.

Agora sim, adapte o seu “currículo padrão” dando maior ênfase às experiências e conhecimentos exigidos pela vaga e envie para as empresas ou profissionais anunciantes.

Atenção! Se na divulgação da vaga, a orientação é para cadastrar o documento em algum site, faça isso! Nada de ligar para a empresa, pedindo um e-mail porque não gosta de preencher formulários (acredite, isso acontece!), se o recrutador pudesse ou quisesse receber via e-mail, ele daria esta opção!

3.Networking “Quem não é visto, não é lembrado”

A rede de contatos que você possui pode ser decisiva na hora de sua recolocação. Seja de forma direta, indicando você como profissional, ou ainda de forma indireta, divulgando oportunidades nas quais você se encaixe ou mesmo facilitando seu contato com empresas e profissionais geradores de oportunidades.

Se durante o período em que estava trabalhando nunca tinha tempo para mandar um e-mail ou fazer uma ligação para seus contatos, não compartilhava notícias e/ou oportunidades que pudessem ser relevantes para sua rede, não comentava os posts ou participava de grupos de discussão. Muito provavelmente, quando você precisar, terá, da sua rede, a mesma atenção que dedicou, ou seja, nenhuma.

Como consertar?

Participe de grupos de discussão, emita sua opinião de forma profissional sempre que tiver conhecimento sobre o assunto discutido, compartilhe as oportunidades que tomar conhecimento (podem não ser úteis para você, mas certamente serão para alguém que você conhece, e esta pessoa não esquecerá!). Sempre que possível, envie um e-mail para os contatos mais próximos, parabenize pelas conquistas profissionais, demonstre interesse. Certamente, você será lembrado de forma positiva e as pessoas terão satisfação em ajudá-lo em sua recolocação.

leia tudo sobre

Publicidade

Desisti de um processo seletivo, e agora?

Por Márcia Catunda em Artigo

10 de novembro de 2017

Por Antônio Dionatas – Consultor de Carreira

DESISTI DE UM PROCESSO SELETIVO, E AGORA?

Com um crescente número de candidatos no mercado, é comum fazer inscrição nos mais diversos processos seletivos, muitas vezes, não analisando detalhadamente se é o que gostaríamos de tentar ou se teremos o tempo disponível para participar.

Às vezes, faltam informações sobre a oportunidade e, quando detalhada em um segundo momento, você percebe que não era bem o que buscava.

Pior ainda é quando duas seleções ocorrem em um mesmo momento: como escolher uma e informar à outra de que não poderá comparecer?

Essas dúvidas permeiam a cabeça de muitos candidatos e atitudes equivocadas podem fechar portas que lhe garantiriam um bom emprego no futuro.

Quer descobrir como proceder para que a sua imagem não fique arranhada ao desistir de um processo seletivo? Confira:

1. SEJA CLARO

Faltar a uma entrevista de emprego sem avisar é extremamente mal visto pelo mundo corporativo, já que geralmente há um planejamento e uma movimentação de pessoal e horários para analisar uma candidatura. Se você optou por desistir, o mínimo que pode fazer é avisar claramente e com o máximo de antecedência possível. Ligue assim que souber que não poderá comparecer ou que tomar a decisão de não ir. Desculpe-se e, de preferência, tente conversar com o seu entrevistador. Seja grato pela oportunidade. Isso é o básico já que aquela pessoa poderá ser responsável por outros processos seletivos que você irá participar.

2. PRIME PELA EDUCAÇÃO

As pessoas podem ser rudes ou secas quando você comunicar a sua desistência, pois terão todo o trabalho de reagendar outros candidatos ou, simplesmente, terão perdido o seu tempo ao dedicar àquela hora para a sua suposta ida à empresa. Por outro lado, é preciso entender e aceitar esse tom menos cortês com maestria.

Saber se portar quando os outros estão irritados com você é uma qualidade admirável e, por mais tentador que seja mandar tudo às favas, afinal, para desistir você deve ter outro bom emprego em vista, não é bacana nem produtivo perder a sua compostura. Mantenha o tom sereno e informe o que deve ser dito.

3. DEIXE AS PORTAS ABERTAS

Como já dito, as mesmas pessoas responsáveis pelo processo seletivo podem ser selecionadores de cargos de seu interesse no futuro.

A empresa que hoje você está dispensando, pode ser o seu sonho de emprego em alguns anos. Por essas razões, deixar as portas abertas é essencial! Se você foi indicado por alguém para aquela entrevista, dê toda a justificativa possível.

Por essas razões, deixar as portas abertas é essencial! Se você foi indicado por alguém para aquela entrevista, dê toda a justificativa possível.

O mesmo vale, como já dissemos, para o entrevistador. Se você chegou a frequentar o local e a fazer amizade com profissionais, busque também mostrar gratidão e deixar as portas abertas em todos os níveis.

Com isso, será menos traumático abandonar um processo seletivo. O mundo é competitivo para todos e correr atrás do que é melhor para você é um direito seu. Apenas o faça da maneira consciente, assim a sua imagem não será arranhada.

leia tudo sobre

Publicidade

Empregabilidade no cenário atual

Por Márcia Catunda em Artigo

18 de outubro de 2017

Empregabilidade no cenário atual

Por Anita Albano – Consultora de Carreira

Com certeza alguém em algum momento da vida já ouviu a seguinte frase: “Oque você vai ser quando crescer?” Essa pergunta permeia o imaginário infantil e fomenta a vontade de se tornar um médico, bombeiro ou astronauta. Os anos passam e o sonho infantil ganha forma alinhado aos anseios dos pais e da sociedade. Será que há espaço para o perceber – se, o olhar para si, para a identificação das características próprias, das habilidades e consequentemente do seu diferencial para o mercado de trabalho?
Substituindo essa pergunta por: O que você ama fazer e faz bem? O indivíduo passa a agregar valor ao que ama, fazendo disto não apenas sua profissão, mas seu propósito de vida. Impulsionando o mesmo à procurar ferramentas que o levem à fazer com excelência tudo àquilo que se propõe. Essa é a verdadeira demanda do mercado de trabalho: profissionais diferenciados, conscientes do seu valor para a organização, focados no negócio da empresa, munidos de empatia para com o outro e orientados à um resultado
extraordinário. A reflexão faz-se pertinente frente às severas mudanças causadas nesses últimos três anos no universo empresarial. Pelo viés do empregador, a tomada de decisão final sobre contratar ou não colaboradores está sendo prorrogada e
precisa ser o mais assertiva possível. Garanta sua empregabilidade ressaltando o que você tem de melhor a oferecer, pense no que está faltando para você conseguir o seu diferencial, pequenas mudanças trarão grandes resultados. Acredite!

Anita Albano
Consultora de Carreira

leia tudo sobre

Publicidade

O hábito de “falar mal” nas redes sociais

Por Márcia Catunda em Artigo

15 de outubro de 2017

 

Por Antônio Dionatas – Idealizador do Centro de Empregos

O hábito de “falar mal”

Que tipo de cuidado você tem ao postar mensagens e fotos em redes sociais?
Você já parou para pensar que os posts podem ser visualizados não só por amigos, mas também por empregadores?

Tornou-se um hábito nos dias de hoje entre alguns candidatos postar falando mal de antigos empregadores ou das empresas onde trabalhou.

Falar mal do antigo emprego, de ex-colegas ou do ex-chefe pode pegar muito mal para qualquer profissional na hora de conseguir um emprego.

As empresas ficam de olho nas redes sociais na hora de recrutar candidatos.

Hoje em dia o uso das redes sociais no processo de recrutamento dos candidatos é fundamental.

As redes sociais permitem filtrar características básicas e chegar às pessoas que mais se assemelham ao perfil procurado pela empresa.

A rede social é acessada, sim, pelos profissionais de Recursos Humanos, e a pessoa deve saber que imagem quer passar para o mercado de trabalho.

Você conhece a expressão “A primeira impressão é a que fica”, e é verdade.

Desde fotos até comentários preconceituosos, expor ou falar de processos seletivos realizados anteriormente, manifestações políticas e pessoais, tudo pode ter um impacto.

Outro hábito que tem impacto negativo junto aos recrutadores é o de utilizar as redes para ficar se lamentando. Este não é o ambiente para lamúrias ou para fazer terapia em grupo, até porque as pessoas não estão preparadas para dar conselhos.

O ideal é usar a rede social a seu favor, tendo cuidado e responsabilidade com as fotos e com o conteúdo que é postado, evitando polêmicas.

Usar o bom senso é fundamental.

O ideal é agir com responsabilidade em qualquer circunstância.
Dessa forma, não será preciso ter receio quanto aos posts em redes sociais.

Antônio Dionatas
Idealizador do Centro de Empregos

leia tudo sobre

Publicidade

A importância do coaching para o alcance de metas

Por Márcia Catunda em Artigo

11 de outubro de 2017

Por Mayara Medeiros – Coach

Quando definimos uma meta, geramos impulsos internos que nos levam a agir em direção ao alcance dela, e em um processo de coaching garantimos que as ações planejadas se transformem em realidade. Através da metodologia do coaching podemos utilizar algumas ferramentas que tracem de maneira equilibrada e organizada todas as metas que necessitamos para alcançarmos o sucesso que esperamos. Estas ferramentas estimulam a imaginação e a mente inconsciente levando nossos clientes a agirem em direção ao que pretendem em um processo de “Flow” (Fluxo positivo).

Em um Processo de Coaching você irá aprender qual área da sua vida precisa de mais atenção, como você irá trilhar o caminho até o seu estado desejado nessa área, quais são os seus pontos fortes e fracos, e o que fazer para tirar proveito destes pontos, como deixar de procrastinar em suas metas, como realizar seus sonhos, como construir metas que funcionem, quais aspectos emocionais que te ajudam e quais te atrapalham para chegar ao sucesso, como administrar suas atividades e gerenciá-las no tempo.

Quando alguém decide contratar um Coach para ajudá-lo a alcançar uma meta específica, ele já está gerando em sua mente uma mensagem positiva, de que estando nesse caminho com um profissional especialista neste aspecto ao seu lado, o resultado acontecerá mais rápido, e sua meta será atingida.

Na verdade eu gostaria de convidar você caro leitor a fazer comigo agora uma experiência com essa metodologia fantástica que é o coaching para alcançar suas metas, através dos passos que desejo percorrer a seguir:

Quando chegamos ao fim do ano olhamos para nossos objetivos, metas, planos e, na maioria das vezes percebemos que não conseguimos cumprir a metade deles.
Você tem dificuldades de fazer planos ou de cumpri-los? Então, que tal pensar num planejamento de médio e longo prazo? Muita gente se enche de culpa por não conseguir criar planos elaborados e fazer metas pessoais para longo, ou mesmo, em curto prazo. Se fazer esse tipo de planejamento não é o seu forte, e você ainda corre o risco de chegar ao fim do ano frustrado por não ter conseguido realizar a sua longa lista de objetivos, eu proponho esquecê-lo. Rompa com sua lista. Rompa com seu plano.
Quem sabe você pode pensar em poucos objetivos. Deixar claros em sua mente. Acreditar e ter certeza do que você realmente quer e só depois passar para os prazos.

Precisamos de poucos objetivos e tê-los claros em nossa mente e coração. Então não pense que ter menos propósitos para 2017 é não seguir em frente, ou deixar de progredir. Pelo contrário, não se intimide em dizer para você que o ano será marcado por dois ou três objetivos fortes. Ou ainda, você vai se propor a realizar um objetivo a cada três meses. Não existe problema nisto. É melhor, ter poucos, mas conseguir cumpri-los, do que ter aquela lista imensa que só serve para deixar-nos mais ansiosos por não saber por onde começar. Você aceita este desafio? Aliando-se, a máxima, de que “menos é mais!” Você concorda que pode dar certo?

Existem cinco passos que nos ajudam nesta trajetória. O primeiro passo são alguns questionamentos: O que é realmente importante para minha vida hoje? O que é realmente fundamental? O que faria minha vida ficar mais feliz? Dentre todas as coisas, identifique aquelas, que não estão, em um grau satisfatório, e que você pode modificá-las em um prazo razoável. Se sua resposta incluir 10 itens, eu sugiro refazer a pergunta, reforçando o conceito de “fundamental” e chegar a uma lista de, no máximo duas ou três coisas. Acredite teremos tempo para abraçar todas as coisas há seu tempo. Mas antes precisamos conseguir vivê-las. Conseguiu estabelecer suas prioridades?

No segundo passo pergunte-se como você saberá que atingiu o que quer.
Neste passo permita-se imaginar e sentir, através das sensações, cores, números, fatos concretos. Se você tem facilidade de desenhar faça um desenho, ou um gráfico, uma música, enfim, permita-se visualizar o caminho para chegar até o cumprimento destas metas. Porque se não visualizamos o caminho, podemos pegar atalhos ou rotas erradas e o cumprimento de nossos objetivos se perde. Faça a experiência através daquilo que mais te inspira. Eu vejo uma estrada aberta e nela vou deixando minha marca em alguns pontos que penso ser essenciais para minha vida. E você? Consegue visualizar como atingir seus objetivos?

No terceiro passo diz que devemos nos perguntar como “partir” um objetivo em partes, ou seja, estabelecer uma fase, ou várias etapas, para cumprir o percurso de um objetivo. Precisamos aprender a priorizar. Identificar cada etapa do processo e transformá-la em passos. Lembra do desenho, ou do esquema que fez para trilhar o caminho? Nesta fase, você vai estabelecer prazos, tendo sempre em mente, o grau de dificuldade ou complexidade que o objetivo tem. Alguns serão mais fáceis, outros mais difíceis. Lembre-se: Precisamos de prazos realistas. É fundamental ter disciplina para concretizar cada passo. Porque senão será mais uma lista de desejos e não um plano. Cada vez que completar uma etapa de seu objetivo celebre, comemore suas vitórias! As celebrações nos dão animo e a motivação para seguir em frente. Você crê que este é o caminho?

No quarto passo hoje precisamos nos perguntar o que precisamos para levar em frente nossos objetivos. Precisamos visualizar em cada uma das etapas ou passos, quais são os recursos necessários, para levá-los em frente. Como por exemplo, tempo, dinheiro, pessoas ou de qualquer outra coisa que seja necessária para o cumprimento dos objetivos. Não devemos fazer tudo sozinhos. Apreender a gerenciar os recursos é uma habilidade muito importante em todos os aspectos de nossa vida. O que nos leva a refletir que posso enriquecer meu objetivo se mais pessoas somarem a ele. Como você vê está etapa do caminho? Ao chegar ao fim desta jornada estou muito feliz por ter trilhado ela com você aqui. Como é legal construir junto.

O Quinto passo é essencial para que tudo se concretize: COMEÇAR! Se ficarmos pensando muito não saímos do lugar. Comece com um passo pequeno. Ao dar o primeiro passo você verá que isto lhe trará muita alegria e motivação para seguir em frente. Parece óbvio. Mas não é! É preciso começar para se obter resultados!

Espero que vocês tenham gostado de vivenciar esta experiência através do coaching, e torço para que perseverem nas ações para o alcance de suas metas, para que possam alcançar durante este ano de 2017 tudo o que planejaram! SUCESSO!!!!

Por Mayara Medeiros – Coach

leia tudo sobre

Publicidade

Artigo – Coaching e Recolocação Profissional

Por Márcia Catunda em Artigo

26 de setembro de 2017

Por Mayara Medeiros – Coach

 

 

O Profissional hoje em dia precisa definir muito bem quais talentos ele tem, e como ele poderá utilizá-los para desempenhá-los bem em qualquer profissão que ele escolher. Deve optar por uma escolha que seja sua, e não deixar que as escolhas dos outros definam a sua decisão. Precisa se preparar em uma graduação ou outros cursos, unindo teorias e práticas em sala de aula, pois, o mercado entende que somente o ensino médio não prepara ninguém para o mercado de trabalho. O Profissional tem que usar o seu tempo para estudar, aprimorar-se, aprender, adquirir mais conhecimentos. Para ingressar num mercado de trabalho competitivo, que exige resultados, ele precisa desse amadurecimento, com o qual terá mais chances de crescimento e de se sustentar dentro destas estruturas empresariais. Podemos dizer de forma geral que ele deve buscar conhecer-se, e dentro daquilo que descobre sobre ele ir a luta para conquistar seus espaços.

 

É Necessário ter um currículo com Graduação e cursos mesmo que estejam em andamento, e algum tipo de experiência como jovem aprendiz, estágio, primeiro emprego ou trabalhos voluntários. Hoje, existem muitas possibilidades de cursos gratuitos online ou presenciais, que ajudam as pessoas a construirem seu currículo. Outra coisa muito importante e que conta muito nas empresas é a questão do trabalho voluntário. Deve-se colocar estas experiências de voluntariado no currículo.

 

Os currículos estão cada vez mais direcionados. Neste caso, para ser bem prático, podemos exemplificar assim: No local onde tem OBJETIVO no currículo, o Profissional descreve o que quer: Ex: Atuar na área de recursos humanos. No local onde tem FORMAÇÃO ACADÊMICA ele deve colocar a graduação e pós graduações que estiver em andamento com o semestre ou concluídas. No local onde tem EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS coloque sua experiência na área especifica do seu OBJETIVO, de forma clara e concisa. Em seguida no local onde tem CURSOS deve colocar os cursos que já fez na área.

 

Ele precisa ter um bom português escrito e falado, pois dentro das organizações esta habilidade é absolutamente necessária, raciocínio lógico, saber conectar as idéias, com início, meio e fim, postura ética diante de clientes internos e externos, paciência em momentos de pressão e conflitos, disciplina para alcance dos objetivos da organização e a atitude de saber perguntar, conversar e criticar para que entenda melhor tudo o que se passa ao seu redor e possa contribuir em benefício da organização. A estrutura formal do trabalho exige condutas ligadas à disciplina. Mas, ter na mente e aplicar no cotidiano do trabalho vai formando profissionais excelentes.

 

Eu diria que independente de idade ou de carreira, ou qualquer objetivo que a pessoa desejar atingir, ela conseguirá alcançar com um PROCESSO DE COACHING, pois a metodologia auxilia no planejamento da carreira, com etapas bem delineadas, utiliza-se de ferramentas para o conhecimento dos seus talentos, define prioridades, foca nos objetivos, reduz a ansiedade e torna a visão de futuro mais clara. Com clareza de objetivos, metas, planejamento, a vida segue melhor, nos dando a tranqüilidade para seguir em frente e buscar sempre ir além, sonhar, realizar, enfim, fazer acontecer nosso projeto de vida com êxito.

 

O Profissional deverá acreditar sempre no seu potencial, perseverar na busca de conhecimentos constantes. Procurar reinventar-se caso seja preciso, e nunca desistir de atingir seu objetivo. Como já falamos anteriormente nos dias atuais, se prestar atenção e perceber as necessidades ao seu redor eles podem sair na frente. Tenho um colega amigo que ficou desempregado. Com a crise estava difícil de conseguir uma recolocação no mercado de trabalho. Ele parou e olhou ao seu redor. Percebeu que no condomínio onde mora, as pessoas reclamavam que não encontravam produtos orgânicos para comprar. O que ele fez? Escreveu uma carta para os administradores do condomínio, pedindo licença para no dia ”x” vender estes produtos. Os administradores aceitaram porque era a necessidade dos moradores. Resumindo, hoje é o seu negócio. Atende diversos condomínios, está devidamente legalizada. Está ganhando dinheiro e ajudando as pessoas a ter uma alimentação mais saudável. Este, é só um exemplo de que é possível ficar fora desta estatística, Existem, muitos outros, também no mercado formal, apresentando um currículo bem elaborado, que entendem a importância das posturas pessoais já citadas, enfim, acredito que é também, uma  questão de posicionamento pessoal. Sou vítima ou protagonista da minha história? É preciso decidir.

 

Precisamos enxergar nas pessoas que estão a nossa frente uma sede de conhecimento contínuo, o viés do empreendedorismo, ou seja, será que  ele irá se sentir dono do negócio? Vai vestir a camisa da empresa, como se diz popularmente? Ele precisa nos convencer que ele tem uma visão clara e objetiva de futuro, e que faz parte deste futuro, o empenhar-se, dar o seu melhor, para organização na qual eu o estou contratando. Não quer dizer que ele vá passar ali o resto de sua vida. Mas, deve portar-se como tal. Mostrar motivação, postura, positividade. Fazer-se necessário, para organização, sem ser inconveniente. Acredito que a postura inicial é o estou aqui para servir e quero aprender mais e somar com toda equipe.

 

Minha palavras finais neste Artigo é: Sejam felizes! É isto mesmo, busquem construir sua história com base na felicidade. Não uma felicidade fugaz, que é ilusória, vazia. Mas uma felicidade, que passa pelo esforço, pela busca de seus sonhos. Mas, não fiquemos só nós sonhos. Vá a luta! Seja protagonista de sua história. Seja o melhor naquilo que você se propõe a fazer. Não tenha vergonha de ser “CDF”, ao invés de envergonhar-se, coloque seus dons e talentos a disposição. Faça trabalhos voluntários. Existem tantas pessoas em ONGs, Instituições, que ficariam felizes com um abraço seu. Imagina se você puder fazer mais. Reunir um grupo! Ir lá cantar, jogar, ou se você ama o mundo online, porque não propor para estas  pessoas uma viagem “online” para lugares incríveis. Saia do seu universo particular, abra-se para as realidades do mundo, de forma positiva. Não tenha medo de ser “careta”, ou seja, de não embarcar nas drogas, no vício do álcool, da internet. E a internet é maravilhosa, mas pode nos deixar isolados (as) das pessoas, da família, do mundo. Olhe ao seu redor! Saia para rua. Construa pontes, entre as pessoas. Seja portador da alegria. Mesmo que sua vida não seja hoje o que você imaginou, lembre-se, você tem o potencial para transformá-la! Eu acredito em você!

“Dentro de você estão todas as respostas, então escolha as MELHORES”!!!

 

Por Mayara Medeiros – Coach

leia tudo sobre

Publicidade

Artigo – Coaching e Recolocação Profissional

Por Márcia Catunda em Artigo

26 de setembro de 2017

Por Mayara Medeiros – Coach

 

 

O Profissional hoje em dia precisa definir muito bem quais talentos ele tem, e como ele poderá utilizá-los para desempenhá-los bem em qualquer profissão que ele escolher. Deve optar por uma escolha que seja sua, e não deixar que as escolhas dos outros definam a sua decisão. Precisa se preparar em uma graduação ou outros cursos, unindo teorias e práticas em sala de aula, pois, o mercado entende que somente o ensino médio não prepara ninguém para o mercado de trabalho. O Profissional tem que usar o seu tempo para estudar, aprimorar-se, aprender, adquirir mais conhecimentos. Para ingressar num mercado de trabalho competitivo, que exige resultados, ele precisa desse amadurecimento, com o qual terá mais chances de crescimento e de se sustentar dentro destas estruturas empresariais. Podemos dizer de forma geral que ele deve buscar conhecer-se, e dentro daquilo que descobre sobre ele ir a luta para conquistar seus espaços.

 

É Necessário ter um currículo com Graduação e cursos mesmo que estejam em andamento, e algum tipo de experiência como jovem aprendiz, estágio, primeiro emprego ou trabalhos voluntários. Hoje, existem muitas possibilidades de cursos gratuitos online ou presenciais, que ajudam as pessoas a construirem seu currículo. Outra coisa muito importante e que conta muito nas empresas é a questão do trabalho voluntário. Deve-se colocar estas experiências de voluntariado no currículo.

 

Os currículos estão cada vez mais direcionados. Neste caso, para ser bem prático, podemos exemplificar assim: No local onde tem OBJETIVO no currículo, o Profissional descreve o que quer: Ex: Atuar na área de recursos humanos. No local onde tem FORMAÇÃO ACADÊMICA ele deve colocar a graduação e pós graduações que estiver em andamento com o semestre ou concluídas. No local onde tem EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS coloque sua experiência na área especifica do seu OBJETIVO, de forma clara e concisa. Em seguida no local onde tem CURSOS deve colocar os cursos que já fez na área.

 

Ele precisa ter um bom português escrito e falado, pois dentro das organizações esta habilidade é absolutamente necessária, raciocínio lógico, saber conectar as idéias, com início, meio e fim, postura ética diante de clientes internos e externos, paciência em momentos de pressão e conflitos, disciplina para alcance dos objetivos da organização e a atitude de saber perguntar, conversar e criticar para que entenda melhor tudo o que se passa ao seu redor e possa contribuir em benefício da organização. A estrutura formal do trabalho exige condutas ligadas à disciplina. Mas, ter na mente e aplicar no cotidiano do trabalho vai formando profissionais excelentes.

 

Eu diria que independente de idade ou de carreira, ou qualquer objetivo que a pessoa desejar atingir, ela conseguirá alcançar com um PROCESSO DE COACHING, pois a metodologia auxilia no planejamento da carreira, com etapas bem delineadas, utiliza-se de ferramentas para o conhecimento dos seus talentos, define prioridades, foca nos objetivos, reduz a ansiedade e torna a visão de futuro mais clara. Com clareza de objetivos, metas, planejamento, a vida segue melhor, nos dando a tranqüilidade para seguir em frente e buscar sempre ir além, sonhar, realizar, enfim, fazer acontecer nosso projeto de vida com êxito.

 

O Profissional deverá acreditar sempre no seu potencial, perseverar na busca de conhecimentos constantes. Procurar reinventar-se caso seja preciso, e nunca desistir de atingir seu objetivo. Como já falamos anteriormente nos dias atuais, se prestar atenção e perceber as necessidades ao seu redor eles podem sair na frente. Tenho um colega amigo que ficou desempregado. Com a crise estava difícil de conseguir uma recolocação no mercado de trabalho. Ele parou e olhou ao seu redor. Percebeu que no condomínio onde mora, as pessoas reclamavam que não encontravam produtos orgânicos para comprar. O que ele fez? Escreveu uma carta para os administradores do condomínio, pedindo licença para no dia ”x” vender estes produtos. Os administradores aceitaram porque era a necessidade dos moradores. Resumindo, hoje é o seu negócio. Atende diversos condomínios, está devidamente legalizada. Está ganhando dinheiro e ajudando as pessoas a ter uma alimentação mais saudável. Este, é só um exemplo de que é possível ficar fora desta estatística, Existem, muitos outros, também no mercado formal, apresentando um currículo bem elaborado, que entendem a importância das posturas pessoais já citadas, enfim, acredito que é também, uma  questão de posicionamento pessoal. Sou vítima ou protagonista da minha história? É preciso decidir.

 

Precisamos enxergar nas pessoas que estão a nossa frente uma sede de conhecimento contínuo, o viés do empreendedorismo, ou seja, será que  ele irá se sentir dono do negócio? Vai vestir a camisa da empresa, como se diz popularmente? Ele precisa nos convencer que ele tem uma visão clara e objetiva de futuro, e que faz parte deste futuro, o empenhar-se, dar o seu melhor, para organização na qual eu o estou contratando. Não quer dizer que ele vá passar ali o resto de sua vida. Mas, deve portar-se como tal. Mostrar motivação, postura, positividade. Fazer-se necessário, para organização, sem ser inconveniente. Acredito que a postura inicial é o estou aqui para servir e quero aprender mais e somar com toda equipe.

 

Minha palavras finais neste Artigo é: Sejam felizes! É isto mesmo, busquem construir sua história com base na felicidade. Não uma felicidade fugaz, que é ilusória, vazia. Mas uma felicidade, que passa pelo esforço, pela busca de seus sonhos. Mas, não fiquemos só nós sonhos. Vá a luta! Seja protagonista de sua história. Seja o melhor naquilo que você se propõe a fazer. Não tenha vergonha de ser “CDF”, ao invés de envergonhar-se, coloque seus dons e talentos a disposição. Faça trabalhos voluntários. Existem tantas pessoas em ONGs, Instituições, que ficariam felizes com um abraço seu. Imagina se você puder fazer mais. Reunir um grupo! Ir lá cantar, jogar, ou se você ama o mundo online, porque não propor para estas  pessoas uma viagem “online” para lugares incríveis. Saia do seu universo particular, abra-se para as realidades do mundo, de forma positiva. Não tenha medo de ser “careta”, ou seja, de não embarcar nas drogas, no vício do álcool, da internet. E a internet é maravilhosa, mas pode nos deixar isolados (as) das pessoas, da família, do mundo. Olhe ao seu redor! Saia para rua. Construa pontes, entre as pessoas. Seja portador da alegria. Mesmo que sua vida não seja hoje o que você imaginou, lembre-se, você tem o potencial para transformá-la! Eu acredito em você!

“Dentro de você estão todas as respostas, então escolha as MELHORES”!!!

 

Por Mayara Medeiros – Coach