Simon Pegg Archives - Cena Cultural 
Publicidade

Cena Cultural

por Thiago Sampaio

Simon Pegg

Crítica: “Missão: Impossível – Efeito Fallout” eleva o nível da bem sucedida franquia

Por Thiago Sampaio em Crítica

06 de agosto de 2018

Manter uma franquia ativa por mais de 20 anos e sem indícios de desgaste definitivamente não é uma tarefa fácil. Desde o eficiente primeiro longa de 1996, dirigido por Brian De Palma, quando tinha um tom de filme de espionagem, passando pelo problemático segundo longa de ação desenfreada, comandado por John Woo em 2000, “Missão: Impossível” passou a definir uma identidade a partir do terceiro, de 2006, com direção de J.J. Abrams, justamente quando o astro Tom Cruise tomou de vez para si o controle criativo.

A partir dali o público já ia para os cinemas sabendo o que esperar: cenas grandiosas e Cruise fazendo loucuras sem dublê. “Missão: Impossível – Efeito Fallout” (Mission Impossible – Fallout, 2018) segue essa tendência, costurando o arco estabelecido em “Missão: Impossível – Protocolo Fantasma” (Mission: Impossible – Ghost Protocol, 2011), de Brad Bird, e “Missão: Impossível – Nação Secreta” (Mission: Impossible – Rogue Nation, 2016), de Christopher McQuarrie, e imprime um ritmo ainda mais dinâmico, levando tudo para a última potência.

Leia mais

Publicidade

Crítica: “Jogador Número Um” é o melhor Spielberg “moleque” homenageando a cultura pop

Por Thiago Sampaio em Crítica

01 de Abril de 2018

Foto: Divulgação

Nos dias atuais, os chamados crossovers entre personagens de franquias diferentes, ou mesmo referências a ícones da cultura pop, é motivo de vibração para os nerds de plantão. “Jogador Número Um” (Ready Player One, 2018) é, de longe, o longa que mais apresenta esses chamarizes, o que já garantiria a diversão.

Mas, existia o risco de se resumir a essa nostalgia direcionada a um público alvo caso a obra tivesse caído nas mãos de qualquer outro diretor. Steven Spielberg é a alma dessa eletrizante adaptação, fazendo homenagens a elementos clássicos dos anos 80 que ele próprio ajudou a criar, porém, anda com as próprias pernas e soa contemporâneo.

A trama se passa num futuro distópico, em 2044. Wade Watts (Tye Sheridan), como o resto da humanidade, prefere a realidade virtual do complexo Oasis ao mundo real. Quando o criador do game, o excêntrico James Halliday (Mark Rylance) morre, os jogadores devem encontrar três chaves a partir de segredos dentro do jogo para conquistar sua fortuna inestimável, que inclui todos os direitos sobre o Oasis.

Leia mais

Publicidade

Crítica: “Jogador Número Um” é o melhor Spielberg “moleque” homenageando a cultura pop

Por Thiago Sampaio em Crítica

01 de Abril de 2018

Foto: Divulgação

Nos dias atuais, os chamados crossovers entre personagens de franquias diferentes, ou mesmo referências a ícones da cultura pop, é motivo de vibração para os nerds de plantão. “Jogador Número Um” (Ready Player One, 2018) é, de longe, o longa que mais apresenta esses chamarizes, o que já garantiria a diversão.

Mas, existia o risco de se resumir a essa nostalgia direcionada a um público alvo caso a obra tivesse caído nas mãos de qualquer outro diretor. Steven Spielberg é a alma dessa eletrizante adaptação, fazendo homenagens a elementos clássicos dos anos 80 que ele próprio ajudou a criar, porém, anda com as próprias pernas e soa contemporâneo.

A trama se passa num futuro distópico, em 2044. Wade Watts (Tye Sheridan), como o resto da humanidade, prefere a realidade virtual do complexo Oasis ao mundo real. Quando o criador do game, o excêntrico James Halliday (Mark Rylance) morre, os jogadores devem encontrar três chaves a partir de segredos dentro do jogo para conquistar sua fortuna inestimável, que inclui todos os direitos sobre o Oasis.

(mais…)