Cena Cultural - Página 20 de 22 - Por Thiago Sampaio 
Publicidade

Cena Cultural

por Thiago Sampaio

Crítica: “O Espetacular Homem-Aranha” consegue superar o filme original

Por Thiago Sampaio em Crítica

06 de julho de 2012

Pôster de “O Espetacular Homem-Aranha” – Foto: Divulgação

Muitos torceram o nariz quando souberam que a franquia “Homem-Aranha” ganharia um recomeço nos cinemas, ignorando os três filmes dirigidos por Sam Raimi entre 2002 e 2007. Afinal, eles não só são recentes e estão frescos na memória dos fãs, como o diretor havia conseguido com eficiência implantar sua visão para o herói, apesar do fraco terceiro filme. Agora fica a pergunta: esse “O Espetacular Homem-Aranha”, dirigido por Marc Webb, justifica a sua realização? A resposta é não. Mas mesmo assim, mostra que uma série ainda melhor pode estar por vir. Por isso, a produção tem muitos méritos.

A história reconta a origem do herói, agora sob um novo ponto de vista. Peter Parker (Andrew Garfield) é um estudante rejeitado por seus colegas e que foi abandonado por seus pais ainda criança, sendo então criado por seu Tio Ben (Martin Sheen) e pela Tia May (Sally Field). Ele está começando uma história com sua primeira paixão, Gwen Stacy (Emma Stone). Após ser picado por uma aranha geneticamente alterada e adquirir superpoderes, ele precisa enfrentar o crime, o vilão Lagarto (Rhys Ifans) e ainda desvendar importantes segredos envolvendo os seus pais.

O longa metragem parece mais um remake do filme de 2002 do que um reboot propriamente dito. Todos os elementos daquele filme estão de volta: a rejeição de Peter no colégio, o seu amor platônico pela garota bonita da turma, o período engraçadinho de adaptação aos poderes, a morte do tio Ben, um conhecido que quer a qualquer custo capturar o aracnídeo, um vilão com afeição pelo jovem, por aí vai. É fácil criticar que algumas mudanças foram forçadas, como ligar a transformação de Peter a seus misteriosos pais, mas foi uma tentativa dos produtores em trazer um diferencial que não acrescenta, mas também não tira o valor da trama. A troca da personagem Mary Jane por Gwen Stacy (que vale frisar, nos quadrinhos originais ela realmente foi a primeira paixão do herói) foi outra mudança pontual e indiferente.

Leia mais

Publicidade

Confira as datas de estreias dos filmes mais esperados do ano

Por Thiago Sampaio em Cinema

29 de junho de 2012

Chegou o mês de julho e ainda faltam muitos filmes, aguardados com expectativa por muitos fãs, para chegar às telonas em 2012. Sendo assim, preparei aqui um breve “guia” para você se programar para as datas de estreias de alguns longas bastante esperados.

Atentando que aqui estão apenas os chamados blockbusters, aquelas superproduções, de alto orçamento e apelo popular, que são quase garantias de lotar as filas do cinemas. Da lista, os fanáticos de plantão não têm do que reclamar: estão adaptações de super heróis, continuações e até um musical com clássicos do rock.

Para começar, estreia nesta semana o quarto filme da série de animação “A Era do Gelo”. Confira:

Leia mais

Publicidade

Dez filmes ‘besteiróis’ que são garantias de muitos risos

Por Thiago Sampaio em Cinema

21 de junho de 2012

Quem não curte às vezes desligar a cabeça das coisas sérias e cair nos risos sem compromissos? Alguns filmes proporcionam essa sensação sem necessitar de tramas complexas ou que exija muito do cérebro do expectador.

São as chamadas comédias “pastelões” ou “besteiróis”, como bem preferir. Utilizando um humor propositalmente desprovido de bom senso, através de personagens atrapalhados, essa produções trazem em seus roteiros uma inteligência (sim, trazem) peculiar ao que propõem. Afinal, não é fácil utilizar piadas apoiadas no extremo exagero e situações que beiram ao ridículo, a todo minuto, e ainda garantir uma boa diversão.

Recentemente, o gênero tem sido desmistificado, surgindo produções que se confiam apenas em parodiar os “filmes modinha” usando um humor baseado apenas no grotesco (leia-se todo tipo de excrementos e nojeiras que o humano é capaz de produzir). Mas muitos longas, durante os anos 80 e 90, se tornaram espécies de “clássicos” para quem aprecia o estilo, além de consagrar nomes como Leslie Nielsen e Charlie Sheen.

Se você possui mente aberta para boas gargalhadas, segue uma lista de 10 filmes que não irão decepcionar:

Leia mais

Publicidade

O cinema nacional perde Carlos Reichenbach

Por Thiago Sampaio em Cinema

15 de junho de 2012

Carlos Reichenbach (1945-2012)

O cinema nacional teve uma grande perda na última quinta-feira (14): o diretor, produtor e roteirista Carlos Reichenbach morreu após sofrer uma parada cardíaca, justo no dia em que completava 67 anos. Era casado com Lygia Reichenbach e deixa três filhos e uma neta.

Nascido em Porto Alegre, mas se mudou com apenas um ano para São Paulo, Carlão (assim era conhecido pelos amigos) dirigiu 22 filmes, entre eles “A Ilha dos Prazeres Proibidos” (1979), “Império do Desejo” (1981), “Filme Demência” (1985), “Anjos do Arrabalde” (1987), “Alma Corsária” (1993) e “Garotas do ABC” (2003). Veio a Fortaleza em duas ocasiões, durante o festival Cine Ceará: em 2005, para divulgar “Bens Confiscasdos“, e em 2008, para divulgar seu último longa, “Falsa Loura“, de 2007, com Cauã Reymond e Maurício Mattar no elenco.

Leia mais

Publicidade

Dicas de filmes para assistir ao lado da pessoa amada

Por Thiago Sampaio em Cinema

12 de junho de 2012

Não é novidade para ninguém que assistir a um filme um ótimo programa de casal. E na semana dos namorados (porque em um único dia é impossível aproveitar tudo o fora planejado), segue uma lista de longas metragens ideais para fazer as garotas se deliciarem e o homens despertarem o sentimentalismo, mesmo que apenas durante o tempo de projeção.

É preciso frisar que a lista é mais do que apenas dicas do que alugar. São obras que, guardadas as devidas pretensões, trazem reflexos sobre todo tipo de relacionamento: alguns são românticos por essência, outros dramáticos, alguns bastante divertidos. Todos proporcionam momentos de intenso prazer, sem necessariamente ter o final feliz. Certo é que todos eles possuem sérias lições a serem levadas para qualquer um.

Leia mais

Publicidade

“Prometheus”, “Para Sempre” e “Madagascar 3” são as novidades da semana nos cinemas

Por Thiago Sampaio em Cinema

08 de junho de 2012

Cena do filme Prometheus – Foto: Divulgação

Aqueles que curtem ficção científica serão contemplados com a pré-estreia de “Prometheus“, longa-metragem bastante aguardado pelos apreciadores do gênero. Para quem não sabe, trata-se de um prelúdio da franquia “Alien” (que teve quatro filmes) e marca o retorno do diretor Ridley Scott (“Blade Runner”, “Gladiador”) ao estilo que o consagrou. Quem acompanhou os trailers e os materiais de divulgação, pôde conferir que o estilo deve ser semelhante ao primeiro episódio da franquia (de 1979), com a tensão e o terror psicológico prevalecendo, tendo os efeitos especiais como segundo plano.

A trama se passa na Terra, no ano de 2058, quando é encontrado na África um objeto desconhecido, aparentemente produzido por extraterrestres. Imediatamente os cientistas começam a buscar as origens do artefato, indo até os limites do universo para descobrir o que pode ter acontecido naquele estranho planeta. À medida que os humanos vão se intrincado naquele local sombrio, coisas estranhas começam a acontecer.

Leia mais

Publicidade

Crítica: Ambientação estilosa salva “Branca de Neve e o Caçador” do fracasso

Por Thiago Sampaio em Crítica

05 de junho de 2012

Pôster de Branca de Neve e o Caçador – Foto: Divulgação

A nova moda da indústria cinematográfica é fazer releituras de clássicos infantis. Depois de Chapeuzinho Vermelho ganhar o fraquíssimo “A Garota da Capa Vermelho” em 2011, a história de Branca de Neve e Os Sete Anões recebeu não uma, mas duas versões em 2012. Depois da comédia quase pastelona “Espelho, Espelho Meu”, esse “Branca de Neve e o Caçador” chega com a proposta de trazer uma história mais sombria. A boa notícia é que, salvo a pretensão exagerada dos realizadores em agradar as novas gerações, o longa metragem tem aspectos positivos e escapa de ser um fracasso.

A trama não é muito diferente da original: Branca de Neve (Kristen Stewart) é a única pessoa na Terra mais bonita do que a Rainha Má (Charlize Theron), que está decidida a destruí-la. Para isso, a madrasta tirana contrata um Caçador (Chris Hemsworth) para matá-la. Acontece que o homem acaba fazendo uma aliança com a jovem e eles acabam enfrentando uma série de desafios que os colocará em rota de guerra com o reino.

Surpreendentemente, o roteiro escrito pelo estreante Evan Daugherty, John Lee Hancock (do dramalhão “Um Sonho Possível”) e Hossein Amini (do ótimo “Drive”) consegue usar aspectos da história clássica, mas deturpando-os completamente de uma maneira criativa. No caso, a madrasta agora é explicitamente uma feiticeira com poderes místicos, os motivos dela querer matar a Branca de Neve ganha uma explicação mais plausível do que puro ciúme e a maçã enfeitiçada é utilizada em um novo contexto. E a mudança mais importante: o fato de o Caçador (um coadjuvante quase sem importância no original) é alçado ao posto de protagonista, enquanto o “príncipe” (vivido por Sam Claflin) surge como aquele que não conta com a torcida do expectador. Sendo assim, não deixa de ser interessante ver que o galã principal, na verdade, é pobre, bêbado e abalado psicologicamente por perdas do passado.

Leia mais

Publicidade

Crítica: “MIB – Homens de Preto 3” diverte e corrige os erros do filme anterior

Por Thiago Sampaio em Crítica

30 de Maio de 2012

Pôster do filme – Foto: Divulgação

Passaram-se nada menos que dez anos de hiato desde o lançamento do segundo filme de “MIB – Homens de Preto” até esse terceiro episódio. Mas há uma justificativa para o longo período: enquanto o primeiro, de 1997, fez um enorme sucesso ao trazer uma peculiar dupla de terno preto e óculos e escuro em um roteiro que misturava com eficiência humor e ficção científica, a continuação era cheia de pretensão, mas com pouquíssimo conteúdo e piadas repetidas.

Aproveitando a dificuldade hollywoodiana de enterrar franquias que renderam lucros, esse novo filme acaba se mostrando um produto eficiente ao que se propõe: diverte na medida certa e tira o gosto ruim deixando pelo longa anterior, mesmo que as gerações de jovens espectadores já tenha mudado e o gosto dos fãs pela série esfriado.

A história apresenta Boris, o Animal (o comediante Jemaine Clement), um alienígena que decide voltar no tempo para matar o agente K (Tommy Lee Jones) e desencadeia uma série de acontecimentos que pode levar ao fim do mundo. Seu parceiro J (Will Smith) precisa, então, ir atrás de Boris para salvar seu companheiro e o destino da humanidade. Para isso, ele viaja no tempo, encontra a versão jovem de K (vivida por Josh Brolin) e descobre segredos que nunca imaginou.

Leia mais

Publicidade

Homens de Preto 3 e Los Hermanos são destaques da semana no cinema

Por Thiago Sampaio em Cinema

25 de Maio de 2012

Josh Brolin, Will Smith e Tommy Lee Jones estrelam MIB 3 – Foto: Divulgação

A grande estreia nos cinemas de Fortaleza do dia 25 de maio é “MIB – Homens de Preto 3“, terceira parte da franquia estrelada por Will Smith e Tommy Lee Jones, cujo primeiro filme foi um grande sucesso de bilheteria no ano de 1997. Agora, os protagonistas ganham o reforço de Josh Brolin (“Onde os Fracos Não Têm Vez”).

Novamente sob direção de Barry Sonnenfeld, a trama traz um alienígena que decide voltar no tempo para matar K (Tommy Lee Jones) e desencadeia uma série de acontecimentos que pode levar ao fim do mundo. J (Will Smith) precisa, então, ir atrás do monstro para salvar seu companheiro e o destino da humanidade. Para isso, ele viaja no tempo, encontra o jovem K (vivido por Josh Brolin) e descobre segredos que nunca imaginou.

Comentário: MIB 3 tem o maior orçamento da temporada. São US$ 375 milhões (US$ 250 milhões da produção, mais US$ 125 milhões de publicidade e distribuição), mais até do que “Os Vingadores”. Muito para uma franquia que saiu de moda e o impacto perante o público dez após o lançamento do segundo filme, lançado em 2002, é uma incógnita.

Leia mais

Publicidade

Cinco filmes de ação essenciais para quem aprecia cinema

Por Thiago Sampaio em Cinema

24 de Maio de 2012

Todo mundo conhece algum amigo metido a cult que adora bater no peito e falar que só gosta de filmes “de arte” ou com roteiro complexo, cheio de lições de vida ou reflexões filosóficas. Mas uma verdade nua e crua da humanidade é que não exista alguém que não aprecie, mesmo que esporadicamente, um bom filme de ação.

Em meio a estresses da rotina diária, é simplesmente impossível não relaxar e esvaziar a cabeça ao entrar em mundo repleto de cenas que fogem os padrões da realidade, com tiros, explosões, perseguições. Trago aqui uma seleção de cinco longas metragens de ação essenciais para qualquer um que se considera apreciador do cinema.

Como se trata de um gênero bastante amplo, optei por deixar de fora clássicos enraizados na ficção científica, como “O Exterminador do Futuro 2” e a franquia “Matrix” (esses ficam para uma próxima lista). Aqui, o foco são aventuras cujos protagonistas são policias onipresentes lidando, na maioria dos casos, com vilões igualmente calculistas.

Confira:

Leia mais

Publicidade

Cinco filmes de ação essenciais para quem aprecia cinema

Por Thiago Sampaio em Cinema

24 de Maio de 2012

Todo mundo conhece algum amigo metido a cult que adora bater no peito e falar que só gosta de filmes “de arte” ou com roteiro complexo, cheio de lições de vida ou reflexões filosóficas. Mas uma verdade nua e crua da humanidade é que não exista alguém que não aprecie, mesmo que esporadicamente, um bom filme de ação.

Em meio a estresses da rotina diária, é simplesmente impossível não relaxar e esvaziar a cabeça ao entrar em mundo repleto de cenas que fogem os padrões da realidade, com tiros, explosões, perseguições. Trago aqui uma seleção de cinco longas metragens de ação essenciais para qualquer um que se considera apreciador do cinema.

Como se trata de um gênero bastante amplo, optei por deixar de fora clássicos enraizados na ficção científica, como “O Exterminador do Futuro 2” e a franquia “Matrix” (esses ficam para uma próxima lista). Aqui, o foco são aventuras cujos protagonistas são policias onipresentes lidando, na maioria dos casos, com vilões igualmente calculistas.

Confira:

(mais…)