Cena Cultural - Página 20 de 22 - Por Thiago Sampaio 
Publicidade

Cena Cultural

por Thiago Sampaio

Crítica: Ambientação estilosa salva “Branca de Neve e o Caçador” do fracasso

Por Thiago Sampaio em Crítica

05 de junho de 2012

Pôster de Branca de Neve e o Caçador – Foto: Divulgação

A nova moda da indústria cinematográfica é fazer releituras de clássicos infantis. Depois de Chapeuzinho Vermelho ganhar o fraquíssimo “A Garota da Capa Vermelho” em 2011, a história de Branca de Neve e Os Sete Anões recebeu não uma, mas duas versões em 2012. Depois da comédia quase pastelona “Espelho, Espelho Meu”, esse “Branca de Neve e o Caçador” chega com a proposta de trazer uma história mais sombria. A boa notícia é que, salvo a pretensão exagerada dos realizadores em agradar as novas gerações, o longa metragem tem aspectos positivos e escapa de ser um fracasso.

A trama não é muito diferente da original: Branca de Neve (Kristen Stewart) é a única pessoa na Terra mais bonita do que a Rainha Má (Charlize Theron), que está decidida a destruí-la. Para isso, a madrasta tirana contrata um Caçador (Chris Hemsworth) para matá-la. Acontece que o homem acaba fazendo uma aliança com a jovem e eles acabam enfrentando uma série de desafios que os colocará em rota de guerra com o reino.

Surpreendentemente, o roteiro escrito pelo estreante Evan Daugherty, John Lee Hancock (do dramalhão “Um Sonho Possível”) e Hossein Amini (do ótimo “Drive”) consegue usar aspectos da história clássica, mas deturpando-os completamente de uma maneira criativa. No caso, a madrasta agora é explicitamente uma feiticeira com poderes místicos, os motivos dela querer matar a Branca de Neve ganha uma explicação mais plausível do que puro ciúme e a maçã enfeitiçada é utilizada em um novo contexto. E a mudança mais importante: o fato de o Caçador (um coadjuvante quase sem importância no original) é alçado ao posto de protagonista, enquanto o “príncipe” (vivido por Sam Claflin) surge como aquele que não conta com a torcida do expectador. Sendo assim, não deixa de ser interessante ver que o galã principal, na verdade, é pobre, bêbado e abalado psicologicamente por perdas do passado.

Leia mais

Publicidade

Crítica: “MIB – Homens de Preto 3” diverte e corrige os erros do filme anterior

Por Thiago Sampaio em Crítica

30 de Maio de 2012

Pôster do filme – Foto: Divulgação

Passaram-se nada menos que dez anos de hiato desde o lançamento do segundo filme de “MIB – Homens de Preto” até esse terceiro episódio. Mas há uma justificativa para o longo período: enquanto o primeiro, de 1997, fez um enorme sucesso ao trazer uma peculiar dupla de terno preto e óculos e escuro em um roteiro que misturava com eficiência humor e ficção científica, a continuação era cheia de pretensão, mas com pouquíssimo conteúdo e piadas repetidas.

Aproveitando a dificuldade hollywoodiana de enterrar franquias que renderam lucros, esse novo filme acaba se mostrando um produto eficiente ao que se propõe: diverte na medida certa e tira o gosto ruim deixando pelo longa anterior, mesmo que as gerações de jovens espectadores já tenha mudado e o gosto dos fãs pela série esfriado.

A história apresenta Boris, o Animal (o comediante Jemaine Clement), um alienígena que decide voltar no tempo para matar o agente K (Tommy Lee Jones) e desencadeia uma série de acontecimentos que pode levar ao fim do mundo. Seu parceiro J (Will Smith) precisa, então, ir atrás de Boris para salvar seu companheiro e o destino da humanidade. Para isso, ele viaja no tempo, encontra a versão jovem de K (vivida por Josh Brolin) e descobre segredos que nunca imaginou.

Leia mais

Publicidade

Homens de Preto 3 e Los Hermanos são destaques da semana no cinema

Por Thiago Sampaio em Cinema

25 de Maio de 2012

Josh Brolin, Will Smith e Tommy Lee Jones estrelam MIB 3 – Foto: Divulgação

A grande estreia nos cinemas de Fortaleza do dia 25 de maio é “MIB – Homens de Preto 3“, terceira parte da franquia estrelada por Will Smith e Tommy Lee Jones, cujo primeiro filme foi um grande sucesso de bilheteria no ano de 1997. Agora, os protagonistas ganham o reforço de Josh Brolin (“Onde os Fracos Não Têm Vez”).

Novamente sob direção de Barry Sonnenfeld, a trama traz um alienígena que decide voltar no tempo para matar K (Tommy Lee Jones) e desencadeia uma série de acontecimentos que pode levar ao fim do mundo. J (Will Smith) precisa, então, ir atrás do monstro para salvar seu companheiro e o destino da humanidade. Para isso, ele viaja no tempo, encontra o jovem K (vivido por Josh Brolin) e descobre segredos que nunca imaginou.

Comentário: MIB 3 tem o maior orçamento da temporada. São US$ 375 milhões (US$ 250 milhões da produção, mais US$ 125 milhões de publicidade e distribuição), mais até do que “Os Vingadores”. Muito para uma franquia que saiu de moda e o impacto perante o público dez após o lançamento do segundo filme, lançado em 2002, é uma incógnita.

Leia mais

Publicidade

Cinco filmes de ação essenciais para quem aprecia cinema

Por Thiago Sampaio em Cinema

24 de Maio de 2012

Todo mundo conhece algum amigo metido a cult que adora bater no peito e falar que só gosta de filmes “de arte” ou com roteiro complexo, cheio de lições de vida ou reflexões filosóficas. Mas uma verdade nua e crua da humanidade é que não exista alguém que não aprecie, mesmo que esporadicamente, um bom filme de ação.

Em meio a estresses da rotina diária, é simplesmente impossível não relaxar e esvaziar a cabeça ao entrar em mundo repleto de cenas que fogem os padrões da realidade, com tiros, explosões, perseguições. Trago aqui uma seleção de cinco longas metragens de ação essenciais para qualquer um que se considera apreciador do cinema.

Como se trata de um gênero bastante amplo, optei por deixar de fora clássicos enraizados na ficção científica, como “O Exterminador do Futuro 2” e a franquia “Matrix” (esses ficam para uma próxima lista). Aqui, o foco são aventuras cujos protagonistas são policias onipresentes lidando, na maioria dos casos, com vilões igualmente calculistas.

Confira:

Leia mais

Publicidade

Plano de Fuga e O Corvo são estreias do cinema de 18 de maio

Por Thiago Sampaio em Cinema

18 de Maio de 2012

Aproveitando que as salas de cinema começam a desafogar após o “boom” de “Os Vingadores”, duas boas opções estreiam nesta sexta-feira (18): o thriller de ação “Plano de Fuga“, estrelado por Mel Gibson, e o suspense “O Corvo“, com John Cusack.

No primeiro, Gibson interpreta Driver, um homem que é capturado pela polícia do México quando fugia da polícia americana na fronteira. Ele é jogado em uma das prisões mais violentas do mundo. Lá, ele recebe a ajuda de um garoto de nove anos que lhe passará informações vitais para a sua sobrevivência. Confira os horários.

Dirigido pelo estreante Steven Rosenblum, trata-se de uma obra curiosa por conferir o astro, beirando os anos 60, e continuando a investir em filmes de ação. Após estrelar longas icônicos do gênero, como a franquia “Máquina Mortífera” e “Mad Max”, durante anos passou a trabalhar em obras mais sérias e como diretor, como “Coração Valente”, “Apocalypto” e “Paixão de Cristo”. Essa nova empreitada claramente é uma diversão para Mel Gibson, vertente que deve ser transposta ao espectador.

Leia mais

Publicidade

“Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge” promete fechar com maestria saga bem sucedida

Por Thiago Sampaio em Cinema

08 de Maio de 2012

Bane e Batman – Foto: Divulgação

Enquanto “Os Vingadores” quebra recordes de bilheterias pelo mundo (nos EUA, já bateu a marca de estreia de “Harry Potter – As Reliquias da Morte Parte II”), uma produção com outro herói chegas aos cinemas brasileiros no dia 27 de julho prometendo uma forte concorrência: o Homem Morcego. A diferença é que o visual colorido e a diversão despretensiosa do supergrupo da Marvel dará vez ao clima sombrio e um roteiro focando a angústia de personagens da DC Comics, em um episódio chave que irá definir seus destinos. “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge” tem tudo para fechar com maestria a bem sucedida saga dirigida por Christopher Nolan.

Depois que as adaptações de Batman para o cinema foram “assassinadas” pelo diretor Joel Schumacher em dois filmes, adotando um visual para lá de carnavalesco (com direito a armadura com mamilos…), piadas constrangedoras (Bat Cartão de Crédito…) e vilões bregas (pobre Arnold Schwarzengger de pantufas…), o estúdio acertou na decisão de enterrar a franquia e reiniciar a saga do personagem do zero, sob uma nova visão. Sob o comando do eficiente Nolan (“Amnésia”, “O Grande Truque”, “A Origem”), as cores deram vez ao preto, refletindo a osburidade do anti-herói (sim, isso que ele é), as pirotecnias deram vez ao roteiro, e “Batman Begins” foi lançando em 2005 dando início a uma nova era de adaptações, adotando um estilo mais realista.

Leia mais

Publicidade

Crítica: “Os Vingadores” tem todos os elementos para levar a êxtase os fãs do estilo

Por Thiago Sampaio em Crítica

01 de Maio de 2012

Heróis reunidos: um presente aos nerds de plantão – Foto: Divulgação

Depois de a Marvel Studios vir alimentando nos últimos anos as expectativas dos fãs de quadrinhos e filmes de super heróis através de “avisos” que as produções individuais de seus personagens (Homem de Ferro, Hulk, Thor e Capitão América) eram apenas partes de um projeto maior, reunindo todos eles, “Os Vingadores” chega às telas cumprindo o que prometia. Trata-se de um blockbuster completo, com muita ação, efeitos especiais eficientes e boas doses de humor.

A trama em geral não é nada criativa: um vilão de outro mundo (Loki, irmão de Thor) tenta se apoderar de um poderoso artefato alienígena para dominar um planeta subdesenvolvido (a Terra, óbvio) e os conhecidos heróis precisam se juntar para impedi-lo. Ainda assim, há uma bem aplicada crítica ao sistema em geral em tempos de guerra, de modo que nenhuma das figuras autoritárias, seja Nick Fury (Samuel L.Jackson), diretor da S.H.I.E.L.D., ou o governo dos Estados Unidos possuem razão em algo e não poupam mentiras (mesmo entre seus aliados) para garantirem seus interesses.

Leia mais

Publicidade

Crítica: “American Pie: O Reencontro” é divertido como uma reunião de velhos amigos

Por Thiago Sampaio em Crítica

25 de Abril de 2012

Pôster de “American Pie: O Reencontro” – Foto: Divulgação

Em 1999, “American Pie – A Primeira Vez é Inesquecível” fez sucesso nas bilheterias trazendo piadas grosseiras envolvendo sexo com uma torta e ejaculação precoce com transmissão via webcam. Acontece que nem tudo ali era apelação. A história trazia toda uma áurea que marcou comédias oitentistas, como as franquias “Porky’s” e “A Vingança dos Nerds”, abordando a insegurança dos personagens adolescentes, cujos estilos destoavam dos estereótipos sensuais, em lidar com suas vidas sexuais.

Depois de duas boas continuações e quatro produções lançadas diretamente no mercado home vídeo com a marca “American Pie Apresenta” (cujos filmes eram praticamente pornôs e ofensivos aos originais), todo o elenco do primeiro se reúne neste reencontro. E é agradável ver que o espírito da franquia original foi mantido, garantindo uma boa diversão, além de um ar de nostalgia.

O principal acerto do roteiro escrito pelos também diretores Jon Hurwitz e Hayden Schlossberg é saber trabalhar o paralelo entre a juventude da turma nos primeiros filmes e os dias atuais, quando estão bem mais velhos e precisam lidar com diferentes tipos de dilemas. Assim, ver que aqueles jovens desajeitados estão crescidos, mas ainda sem a maturidade suficiente e com problemas mal resolvidos facilita a identificação do espectador (cujo público majoritário é aquele com idade semelhante a dos personagens).

Leia mais

Publicidade

Músico do Men at Work é encontrado morto na Austrália

Por Thiago Sampaio em Música

19 de Abril de 2012

Greg Ham faleceu aos 58 anos

A banda australiana Men at Work, uma das principais referências do pop rock/surf music dos anos 80, perdeu nesta quinta-feira (19) um dos músicos que ajudou a construir a História do grupo. Greg Ham, que tocava flauta, saxofone e teclado, foi encontrado morto por um grupo de amigos em uma casa no subúrbio de Melbourne. Ele tinha 58 anos e deixou duas filhas.

A Polícia australiana indicou à imprensa que a causa da morte está sendo investigada e que, por enquanto, há alguns “aspectos inexplicáveis”. Segundo informações de vizinhos divulgadas em portais internacionais, ele morava sozinho e costumava se isolar por durante muitos dias.

Em 2010, o Men at Work teve problemas envolvendo os direitos autorais do hit “Down Under”, quando um compositor os acusou de ter copiado a melodia e os integrantes precisaram abrir mão dos royalties. Na ocasião, Ham chegou a dizer que temia pelo seu futuro financeiro e que essa seria a forma de como iria se lembrar do single para o resto da vida.

Leia mais

Publicidade

‘Os Mercenários 2’ promete muito mais testosterona

Por Thiago Sampaio em Cinema

19 de Abril de 2012

Todo bom fã de filmes ação que cresceu durante as décadas de 80-90, certamente sonhou em assistir algum dia a um longa que reunisse em cena astros como Sylvester Stallone, Arnold Scharzenegger, Bruce Willis e Jean Claude Van Damme. Mesmo um tanto tarde, quando todos esses atores já passaram a barreira dos 50, o encontro irá acontecer: em “Os Mercenários 2”, que com estreia prevista para 31 de agosto.

Tudo bem, é fato que no primeiro “Os Mercenários”, de 2010, Stallone reuniu um elenco de peso que incluía Jason Statham, Jet Li, Dolph Lundgreen, Mickey Rourke, Terry Crews e o lutador Randy Couture. Mas Arnold e Bruce, os reais ícones do gênero durante quase duas décadas, apareciam  apenas em participações especiais, fora de combate.

Leia mais

Publicidade

‘Os Mercenários 2’ promete muito mais testosterona

Por Thiago Sampaio em Cinema

19 de Abril de 2012

Todo bom fã de filmes ação que cresceu durante as décadas de 80-90, certamente sonhou em assistir algum dia a um longa que reunisse em cena astros como Sylvester Stallone, Arnold Scharzenegger, Bruce Willis e Jean Claude Van Damme. Mesmo um tanto tarde, quando todos esses atores já passaram a barreira dos 50, o encontro irá acontecer: em “Os Mercenários 2”, que com estreia prevista para 31 de agosto.

Tudo bem, é fato que no primeiro “Os Mercenários”, de 2010, Stallone reuniu um elenco de peso que incluía Jason Statham, Jet Li, Dolph Lundgreen, Mickey Rourke, Terry Crews e o lutador Randy Couture. Mas Arnold e Bruce, os reais ícones do gênero durante quase duas décadas, apareciam  apenas em participações especiais, fora de combate.

(mais…)