Publicidade

Rede Social CE

por Raquel Souza

grupo

Grupo Mulheres do Brasil recebe a educadora Jamile Coelho no evento “Compartilhando Aprendizados” em Fortaleza

Por raquelsouza em Palestras

11 de Março de 2019

O mês da mulher tem programação especial promovida pelo grupo Mulheres do Brasil. Seguindo com o cronograma dos encontros “Compartilhando Aprendizados”, o Núcleo Fortaleza recebe, no dia 18 de março, a educadora Jamile Coelho para uma roda de conversa que acontece na Federação das Indústrias do Estado do Ceará, a partir das 18h. O momento objetiva inspirar e promover trocas de experiências pelas participantes, guiado por uma temática principal, trazendo sempre uma convidada especial para uma fala de abertura, seguindo com uma roda de conversa. No mês de Fevereiro, a convidada especial foi Sônia Hess e versou sobre a temática do empreendedorismo. Já em Março, o foco será Educação.

Conhecida nacionalmente, Jamile Coelho é educadora há mais de 40 anos. Fundadora do Espaço Educacional, a pedagoga sempre acreditou em educação para a vida, autoconhecimento e inovação. Apoiada neste tripé, oferece consultoria sobre educação emocional e autoconhecimento por meio de palestras e projetos personalizados para autodesenvolvimento e organizações. Jamile Coelho é a responsável pelo Perfil Cognitivo, ferramenta de autoconhecimento que oferece um mapa do potencial dos indivíduos. A educadora já atuou em vários projetos de desenvolvimento humano em organizações como Magazine Luiza, Etco Ogylvi, Franqueados da Hering, Rede Caraigá e em projetos na área de educação com o Ismart, Itaú, Editora Saraiva, Escola Concept, Escola Afeto&Cia.

O evento é gratuito, aberto ao público feminino e traz ainda a apresentação dos projetos e resultados recentes do Grupo. Para participar, as interessadas devem efetuar inscrição por meio do site: www.sympla.com.br/mulheresdobrasilfor.

Grupo Mulheres do Brasil

Composto por mulheres voluntárias de todo o País, atuantes em diversos segmentos da sociedade, o Grupo Mulheres do Brasil surgiu há 5 anos com o objetivo de promover ações e discutir temas relacionados à educação, igualdade social, empreendedorismo, combate à violência contra as mulheres, cotas e projetos sociais, a partir da experiência, expertise e networking de suas participantes. Suas trajetórias são utilizadas como exemplos e modelos para a constante melhoria da vida das mulheres brasileiras e como combustível para as transformações sociais do País.

Em mais de 20 núcleos, espalhados por todo País e 9 núcleos no exterior, elas somam mais de 20 mil participantes engajadas em projetos distintos e promovem reuniões mensais para o acompanhamento e execução de uma agenda propositiva, que causem impacto social, em âmbito local e nacional, e na realidade do País.

Serviço:

2º Compartilhando Aprendizados com Jamile Coelho

Data: 18.03.2019

Horário: 18h

Local: FIEC – Avenida Barão de Studart, 1980

Inscrições: www.sympla.com.br/mulheresdobrasilfor

Publicidade

Com show na próxima semana em Fortaleza, Jota Quest lança 3º single de “Acústico” em homenagem a Mário Quintana 

Por raquelsouza em Lançamento

13 de agosto de 2018

 

“Morrer de Amor” foi presente de Alexandre Carlo, da banda Natiruts 

A Banda Jota Quest lançou na última sexta (10), nas rádios e plataformas digitais, “Morrer de Amor”, 3º single tirado de seu aclamado “Acústico Jota Quest – Músicas Para Cantar Junto” (Sony Music), lançado em setembro do ano passado.

Composta por Alexandre Carlo, líder da banda brasiliense Natiruts, nova canção traz homenagem ao saudoso escritor gaúcho Mário Quintana, inspirada pelos versos: “…Tão bom morrer de amor/ E continuar vivendo…”, presenteada ao grupo especialmente para a gravação de “Acústico”, primeiro registro “desplugado” dos mineiros.

Para o lançamento, o novo single ganhou ainda capa exclusiva em arte-colagem assinada pelo designer mineiro Gustavo Gontijo, além de inédito lyric-vídeo dirigido por Mess Santos.

Com dois singles consecutivos no top 10 do pop-rock, “Acústico Jota Quest” já recebeu o “disco de ouro” e se aproxima da marca de 100 Milhões de views e plays no ambiente digital.

Há 10 meses na estrada, o grupo segue em turnê com sua “Acústico-Tour” que contabiliza 70 apresentações, em 60 cidades, para um público de mais de 250 mil expectadores. Em novembro o grupo embarca para Portugal, para concertos em Lisboa e Cidade do Porto.

Show em Fortaleza

Jota Quest retorna a Fortaleza com sua turnê acústica  no dia 25/08 (sábado), no Espaço Jangada, do Shopping Iguatemi,  com um repertório que contará com os grandes sucessos da carreira da banda.

Os ingressos estão disponíveis na bilheteria do Espaço Jangada, no Shopping Iguatemi (de Terça a Sábado de 13h às 21h e Domingos de 13h às 20h) e online através do site www.bilheteriavirtual.com .

SERVIÇO:

Show: “Acústico Jota Quest – Músicas Para Cantar Junto”

Data:  25 DE AGOSTO

Local: Espaço Jangada

Portas: 21h

Classificação: 16 anos

Setor Único: Inteira R$140,00/Meia R$70,00

Pontos de Venda:

Bilheteria do Espaço Jangada – Ter a Dom de 13h às 21h

Vendas Online:

Bilheteria Virtual: bilheteriavirtual.com

Publicidade

Killer Queen é atração do BNB Rock Clube neste sábado

Por raquelsouza em Eventos

10 de Maio de 2018

Os fãs do Queen em Fortaleza já têm para onde ir no dia 12 (sábado). A banda britânica será a homenageada da edição de maio do BNB Rock Clube. E quem comanda o som, trazendo os sucessos atemporais do grupo de Freddie Mercury, é a banda Killer Queen, que tem mais de dez anos de história cantando e interpretando os ídolos. Antes do grupo, o DJ Carlos Magno agita a festa.

O BNB Rock Clube acontece na sede Aldeota (Av. Santos Dumont, 3646), a partir das 21h, e os ingressos custam R$10 para os sócios do BNB Clube e R$15 para não sócios. A bilheteria abre às 20h e o acesso acontecerá pela Santos Dumont e pela Monsenhor Catão, onde estará disponível estacionamento pago. Mais informações: 4006-7200 ou 4006-7201.

Serviço

BNB Rock Clube – Killer Queen

Sábado (12)

21h (abertura do portão às 20h)

BNB Clube (Av. Santos Dumont, 3646)

Estacionamento: R$5

Ingressos: sócios R$10 | Não sócios: R$ 15

Sobre o BNB Clube

Fundado em 1954 por um grupo de funcionários do Banco do Nordeste, o BNB Clube é hoje uma das agremiações socioesportivas e culturais mais importantes de Fortaleza. É o único clube do Ceará filiado ao Comitê Brasileiro de Clubes – CBC e homenageado pelo segundo ano consecutivo com o Prêmio Top 100 da Federação Nacional de Clubes, figurando entre os 100 clubes mais atuantes no Brasil em desempenho esportivo e cultural. O clube dispõe de duas sedes (Aldeota e Praia do Futuro) e mais de 20 mil m² de estrutura para atividades sociais, esportivas, culturais e de lazer. A instituição conta com mais de três mil associados, entre funcionários e ex-funcionários do Banco e a sociedade em geral, que também é livre para se filiar.

Publicidade

Edisca leva o espetáculo Religare para a Caixa Cultural Fortaleza

Por raquelsouza em Eventos

06 de setembro de 2017

O público terá a chance de refletir sobre temas como espiritualidade, (re)conexões e transformações pessoais e sociais

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 14 a 17 e 20 a 24 de setembro de 2017, o espetáculo Religare, do grupo Edisca. No palco, 39 bailarinos e bailarinas abordam temas sociais, que transitam entre espiritualidade e transitoriedade, além da capacidade que cada um carrega em si para se reinventar. Tudo isso por meio da dança, entre imagens icônicas de peso e leveza, ora na pele de anjos humanizados e divindades estilizadas, ora na condição-limite de inferioridade e apagamento de presidiários aniquilados em rebeliões ou índios massacrados pelas leis do capital.

 

A palavra religare nos remete a uma reconexão com o divino, à reativação dos estados de elevação e purificação do espírito, à recomposição de uma unidade perdida entre matéria e símbolo, razão e sensibilidade, superfície e essência. A partir dessa essência, os coreógrafos Dora e Gilano Andrade reativam a memória ancestral para pensar sob holofotes a depreciação da vida no presente.

 

Lado a lado, criam-se coreografias entrelaçadas e complementares: se vem dele a dança cáustica e crítica frente ao esgotamento dos modelos civilizatórios que, em escala planetária, dão a ver paisagens de abandono, desolação, miséria e sofrimento, vem dela o sentido de redenção e o acento de esperança colados a cada giro, cada gesto, cada salto que se anunciam como promessas para a conquista individual e coletiva de planos existenciais mais intuitivos, fluidos, porosos, translúcidos, iluminados.

 

A Edisca foi buscar ainda no sujeito ancestral e primitivo a retomada desses valores e de uma lógica inteiramente distinta daquela que a subjetividade moderna nos propõe. Daí o foco nas matrizes e culturas étnicas, em suas simbologias, em seus códigos ritualísticos, nos fazeres e saberes que perpassam gerações e se propagam ao longo dos tempos. Índia, África, Oriente Médio. Anjos, santos, alegorias. A etnicidade e a diversidade cultural abrindo passagem para a percepção sensível do mundo, para o universo paralelo da imaginação. Imaginação que é política quando capaz de instituir novos sentidos para a vida à revelia do visível, da ordem estabelecida, do que parece imutável, natural, impossível de mudar.  também está

 

Com 45 minutos de duração, Religare concentra na musicalidade sua potência de revisão e reconexão com os estados de alma fundamentais. Coube a Manassés de Sousa o trecho autoral que casa o erudito à música oriental e enseja toda a montagem combinatória de timbres étnicos responsáveis pela atmosfera imemorial e o sabor arcaico do balé. Para a afinadora do espetáculo, Claudia Andrade, tempo, movimento, música, figurino, cenário, corpos, tudo isso junto e harmonizado, diz sobre a capacidade e a necessidade que cada um tem de eleger e reativar o seu ‘religare’, aquele dispositivo pessoal e intransferível de superação e aperfeiçoamento de si, que tanto pode estar na religião ou na filosofia, assim como no livre pensar e na invenção cotidiana e sem cálculo do porvir.

 

Oficina

 

No dia 16 de setembro, das 14h30 às 15h30, os bailarinos Paulo Wesley e Eliovaldo Ananias ministrarão uma oficina sobre Dança Contemporânea. O objetivo é abordar sistemas e métodos desenvolvidos a partir da dança moderna e pós-moderna, mostrando que é possível desenvolver a autonomia para construir experimentos coreográficos de forma mais livre e inovadora. Destinada para bailarinos com idade a partir de 14 anos, a oficina recebe as inscrições de 05 a 14 de setembro, pelo email gentearteira.ce@caixa.gov.br. Número de vagas: 20.

 

 

Serviço:

 

Dança: Religare – Edisca

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

Data: 14 a 17 e 20 a 24 de setembro de 2017

Horários: Quinta a sábado, às 20h, e domingo, às 19h

Duração: 45 minutos

Ingresso: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

Classificação indicativa: Livre

Vendas a partir do dia 13/09, para sessões de 14 a 17/09, e a partir do dia 19/09, para sessões de 20 a 24/09, das 10h às 20h, na bilheteria da CAIXA Cultural Fortaleza

Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais
Serviço de manobrista gratuito no local

Paraciclo disponível no pátio interno

 

Oficina: Dança Contemporânea

Local: Sala de Ensaio da CAIXA Cultural Fortaleza

Data: 16 de setembro de 2017
Horário: 14h30 às 15h30

Inscrições gratuitas: gentearteira.ce@caixa.gov.br de 05 a 14 de setembro

Número de vagas: 20

Destinada para bailarinos a partir de 14 anos

 

 

Informações gerais | CAIXA Cultural Fortaleza:

(85) 3453-2770

 

Publicidade

Edisca leva o espetáculo Religare para a Caixa Cultural Fortaleza

Por raquelsouza em Eventos

06 de setembro de 2017

O público terá a chance de refletir sobre temas como espiritualidade, (re)conexões e transformações pessoais e sociais

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 14 a 17 e 20 a 24 de setembro de 2017, o espetáculo Religare, do grupo Edisca. No palco, 39 bailarinos e bailarinas abordam temas sociais, que transitam entre espiritualidade e transitoriedade, além da capacidade que cada um carrega em si para se reinventar. Tudo isso por meio da dança, entre imagens icônicas de peso e leveza, ora na pele de anjos humanizados e divindades estilizadas, ora na condição-limite de inferioridade e apagamento de presidiários aniquilados em rebeliões ou índios massacrados pelas leis do capital.

 

A palavra religare nos remete a uma reconexão com o divino, à reativação dos estados de elevação e purificação do espírito, à recomposição de uma unidade perdida entre matéria e símbolo, razão e sensibilidade, superfície e essência. A partir dessa essência, os coreógrafos Dora e Gilano Andrade reativam a memória ancestral para pensar sob holofotes a depreciação da vida no presente.

 

Lado a lado, criam-se coreografias entrelaçadas e complementares: se vem dele a dança cáustica e crítica frente ao esgotamento dos modelos civilizatórios que, em escala planetária, dão a ver paisagens de abandono, desolação, miséria e sofrimento, vem dela o sentido de redenção e o acento de esperança colados a cada giro, cada gesto, cada salto que se anunciam como promessas para a conquista individual e coletiva de planos existenciais mais intuitivos, fluidos, porosos, translúcidos, iluminados.

 

A Edisca foi buscar ainda no sujeito ancestral e primitivo a retomada desses valores e de uma lógica inteiramente distinta daquela que a subjetividade moderna nos propõe. Daí o foco nas matrizes e culturas étnicas, em suas simbologias, em seus códigos ritualísticos, nos fazeres e saberes que perpassam gerações e se propagam ao longo dos tempos. Índia, África, Oriente Médio. Anjos, santos, alegorias. A etnicidade e a diversidade cultural abrindo passagem para a percepção sensível do mundo, para o universo paralelo da imaginação. Imaginação que é política quando capaz de instituir novos sentidos para a vida à revelia do visível, da ordem estabelecida, do que parece imutável, natural, impossível de mudar.  também está

 

Com 45 minutos de duração, Religare concentra na musicalidade sua potência de revisão e reconexão com os estados de alma fundamentais. Coube a Manassés de Sousa o trecho autoral que casa o erudito à música oriental e enseja toda a montagem combinatória de timbres étnicos responsáveis pela atmosfera imemorial e o sabor arcaico do balé. Para a afinadora do espetáculo, Claudia Andrade, tempo, movimento, música, figurino, cenário, corpos, tudo isso junto e harmonizado, diz sobre a capacidade e a necessidade que cada um tem de eleger e reativar o seu ‘religare’, aquele dispositivo pessoal e intransferível de superação e aperfeiçoamento de si, que tanto pode estar na religião ou na filosofia, assim como no livre pensar e na invenção cotidiana e sem cálculo do porvir.

 

Oficina

 

No dia 16 de setembro, das 14h30 às 15h30, os bailarinos Paulo Wesley e Eliovaldo Ananias ministrarão uma oficina sobre Dança Contemporânea. O objetivo é abordar sistemas e métodos desenvolvidos a partir da dança moderna e pós-moderna, mostrando que é possível desenvolver a autonomia para construir experimentos coreográficos de forma mais livre e inovadora. Destinada para bailarinos com idade a partir de 14 anos, a oficina recebe as inscrições de 05 a 14 de setembro, pelo email gentearteira.ce@caixa.gov.br. Número de vagas: 20.

 

 

Serviço:

 

Dança: Religare – Edisca

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

Data: 14 a 17 e 20 a 24 de setembro de 2017

Horários: Quinta a sábado, às 20h, e domingo, às 19h

Duração: 45 minutos

Ingresso: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

Classificação indicativa: Livre

Vendas a partir do dia 13/09, para sessões de 14 a 17/09, e a partir do dia 19/09, para sessões de 20 a 24/09, das 10h às 20h, na bilheteria da CAIXA Cultural Fortaleza

Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais
Serviço de manobrista gratuito no local

Paraciclo disponível no pátio interno

 

Oficina: Dança Contemporânea

Local: Sala de Ensaio da CAIXA Cultural Fortaleza

Data: 16 de setembro de 2017
Horário: 14h30 às 15h30

Inscrições gratuitas: gentearteira.ce@caixa.gov.br de 05 a 14 de setembro

Número de vagas: 20

Destinada para bailarinos a partir de 14 anos

 

 

Informações gerais | CAIXA Cultural Fortaleza:

(85) 3453-2770