Publicidade

Rede Social CE

por Raquel Souza

Cine Ceará

Cine Ceará realiza com a Cegás oficinas de Cinema de Animação em escolas públicas

Por raquelsouza em Cinema

10 de outubro de 2018

“Meio Ambiente e Gastronomia” foi o tema escolhido para a atividade

Alunos de três escolas públicas participam este mês de um novo projeto de audiovisual realizado pelo Cine Ceará. Trata-se a Oficina de Cinema de Animação Cine Ceará/Cegás, que terá início no próximo dia 22. Este é o primeiro programa na área do cinema de animação da Companhia de Gás do Ceará, empresa que tem como sócios o Governo do Ceará, a Mitsui e a Gaspetro.

São três oficinas, cada uma realizada na própria escola dos participantes, durante três dias, totalizando 9 horas/aula. As atividades acontecerão na Escola de Ensino Médio Liceu de Messejana, na Escola de Ensino Fundamental e Médio Iracema e na E.E.M Professora Tecla Ferreira, localizadas no entorno da sede da Cegás no bairro José de Alencar. No total, 60 jovens, sendo 20 de cada escola, terão pela primeira vez a oportunidade de participar de uma capacitação técnica, artística e profissional, em animação.

As aulas serão conduzidas pelo cineasta Telmo Carvalho, professor do Núcleo de Cinema de Animação (NUCA) da Casa Amarela Eusélio Oliveira, da Universidade Federal do Ceará (UFC).

A primeira aula será introdutória no assunto, abordando o que é animação, como se produz quadro a quadro. “Vamos também falar um pouco do tema ‘Meio Ambiente e Gastronomia’ e os alunos já vão criar as ideias em grupos”, explica Telmo. No segundo dia as ideias vão ser transformadas em roteiro e os alunos vão fazer a animação propriamente dita, ou seja, vão partir para a etapa dos desenhos e da pintura. A terceira aula será dedicada à filmagem dos desenhos. “Para isso, vamos levar o equipamento, que chamamos de truca. É uma câmera ligada ao notebook e tem um programa que faz a captura quadro a quadro”, explica.

Segundo Telmo Carvalho, durante os três dias de atividade em cada oficina, os alunos são distribuídos nas funções conforme a aptidão de cada um. “A gente identifica quem tem mais habilidade para o desenho, para a arte, tem os que são mais técnicos, outros mais ligados à fotografia, então acaba havendo uma divisão entre eles nas funções de animação, arte final e filmagem”.

Encerrada cada oficina, a equipe do NUCA edita o material filmado de cada oficina, insere uma música e finaliza os três filmes, com duração de 15 a 30 segundos cada. Os três serão gravados em DVD.

 

Local e data das oficinas

 E.E.M LICEU DO CEARÁ – De 22 a 24/outubro, das 9h às 12h

E.E.F.M IRACEMA – De 22 a 24/outubro, das 14h às 17h

E.E.M Professora Tecla Ferreira – De 29 a 31/outubro, das 14h às 17h

    

Publicidade

Petra’ é o grande vencedor 28° Cine Ceará

Por raquelsouza em Cinema

12 de agosto de 2018

Cineteatro São Luiz_foto Rogerio Resende 2

A coprodução Espanha-França-Dinamarca levou cinco dos 12 prêmios

O filme Petra foi o grande vencedor do 28º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema, que terminou na noite de sexta-feira, 11, no Cineteatro São Luiz, em Fortaleza. A coprodução Espanha-França-Dinamarca ganhou o Troféu Mucuripe nas categorias de Melhor Longa-metragem, Melhor Direção para Jaime Rosales, Melhor Roteiro para Jaime Rosales, Michel Gaztambide e Clara Roquet, Melhor Ator para Joan Botey.

Foi vencedor também do Prêmio da Crítica, composta pelo Júri da Abraccine formado por João Paulo Barreto, Daniel Oliveira, Marina Rossi, Bruno Carmelo e Jaime E. Manrique, “pela elegância e pela competência técnica no casamento entre câmera e atuações, para subverter a linearidade da narrativa clássica, sem nunca se amparar nas surpresas da trama, nem deixar de seduzir e envolver o público com seus riscos formais”.

O longa cearense O Barco, de Petrus Cariry foi agraciado com quatro prêmios: Melhor Fotografia para Petrus Cariry, Melhor Trilha Sonora Original para João Victor Barroso, Melhor som para Yures Viana, Erico Paiva e Petrus Cariry, e o prêmio Olhar Universitário.

O chileno Cabras de Merda, de Gonzalo Justiniano, ganhou o Troféu Mucuripe nas categorias de Melhor Direção de Arte para Carlos Garrido, e Melhor Atriz para Natalia Aragonese. O filme Diamantino, uma coprodução Portugal-França-Brasil, de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, foi vencedor na categoria de Melhor Montagem para Raphaelle Martin-Holger.

O júri de Mostra longa foi composto por Belisario Franca (Brasil), Stephen Bocskay (Estados Unidos), Belisa Figueiró (Brasil), Gustavo Salmerón (Espanha) e Emilio Bustamante (Peru).

 

COMPETITIVA BRASILEIRA DE CURTA-METRAGEM

Na Competitiva Brasileira de Curta-metragem o filme Nova Iorque, de Leo Tabosa, de Pernambuco, ganhou o Troféu Mucuripe de Melhor Curta eleito pelo júri oficial da mostra. Foi vencedor também do Prêmio da Crítica, concedido pelo júri da Abraccine “pelo equilíbrio entre a construção lúdica da infância e a aspereza atrelada à perda da inocência, e pela organicidade dos trabalhos de fotografia, som e direção de arte, além da criatividade narrativa de seus quadros”. O melhor curta-metragem escolhido pelo Júri Oficial recebeu ainda o Prêmio Mistika (R$ 14.000, em serviços) e Prêmio Cia Rio (R$ 27.000,00 em locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria da empresa NAYMAR).

 

O júri oficial da mostra concedeu o Troféu Mucuripe de Melhor Direção para Lucas H. Rossi, do Rio de Janeiro, pelo filme O vestido de Myriam. O curta Só Por Hoje, de Sabrina Garcia, também do Rio de Janeiro, foi premiado como Melhor Roteiro e A Canção de Alice, de Barbara Cariry, foi eleita a melhor produção cearense. Compuseram o júri oficial de curtas Cibele Amaral Correia (Brasil), Sylvie Pierre (França), Andréa Cals (Brasil), Camila Vieira (Brasil) e Nirton Venancio (Brasil).

 

Além do Troféu Mucuripe aos eleitos pelo júri oficial, prêmios especiais foram concedidos na Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem. A produção O Vestido de Myriam, de Lucas H. Rossi, ganhou também o Prêmio Olhar Universitário, eleito melhor curta pelo júri formado por alunos da UFC, Unifor e Vila das Artes, e Troféu Samburá, oferecido pela Fundação Demócrito Rocha e Jornal O Povo ao Melhor Filme da competitiva de curta-metragem. Como Melhor Diretor, foi agraciado com o Troféu Samburá o cineasta Guilherme Gehr, do Rio de janeiro, por Plantae.

 

Na solenidade de premiação também foi concedido o Prêmio Aquisição Canal Brasil ao curta O Vestido de Myriam. O vencedor foi agraciado com R$ 15.000,00.

 

OLHAR DO CEARÁ

 

Com 24 produções cearenses de curta-metragem concorreram na Mostra Olhar do Ceará, que teve como vencedor Cartuchos de Super Nintendo em Anéis de Saturno, de Leon Reis. O júri foi composto porFrancisco Carbone, crítico de cinema do site Cineplayers, do RJ, Robledo Milani, crítico de cinema do site Papo de Cinema, do RS, e Rosane Gurgel, jornalista e diretora de cinema, do Ceará.

 

Além do Troféu Mucuripe o vencedor ganhou: Prêmio Cineboutique (R$ 20.000, em serviços), Prêmio Mistika (R$ 14.000, em serviços), Prêmio UNIFOR de Audiovisual (R$ 5.000,00) e Prêmio Cinecolor Brasil (16 horas de Mixagem de Som).

 

PRÊMIO CADA GOTA CONTA:

 

O Cine Ceará, em parceria com a Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (COGERH) lançou este ano o Prêmio Cada Gota Conta voltado para filmes captados em aparelhos celulares. Os inscritos produziram curtas de até três minutos com o tema “Preservação dos recursos hídricos: cada gota conta”. O vencedor foiEconomizede Igor Cândido, que ganhou prêmio de R$ 3.000,00. O vencedor foi escolhido pelo Júri Olhar Universitário.

 

O 28º Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura (Lei Estadual Nº 13.811), do Ministério da Cultura, via Secretaria do Audiovisual, da Agência Nacional do Cinema (Ancine), do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e Bucanero Filmes. Patrocínio: SP Combustíveis, M. Dias Branco, Banco do Nordeste, Café Santa Clara e Indaiá. Agradecimentos: Enel e Oi.

 

OS VENCEDORES

 

CADA GOTA CONTA

Economize, de Igor Cândido

 

MOSTRA OLHAR DO CEARÁ

Cartuchos de Super Nintendo em Anéis de Saturno, de Leon Reis

 

MOSTRA COMPETITIVA BRASILEIRA DE CURTA-METRAGEM

JURI OFICIAL

Melhor Produção Cearense: A Canção de Alice, de Barbara Cariry

Melhor Roteiro: Sabrina Garcia, por Só Por Hoje

Melhor Direção: Lucas Rossi, por O vestido de Myriam

Melhor Curta-metragem: Nova Iorque, de Leo Tabosa

PRÊMIOS ESPECIAIS

Prêmio da Crítica (Júri Abraccine): Nova Iorque, de Leo Tabosa  

Olhar Universitário: O Vestido de Myriam, de Lucas Rossi  

Troféu Samburá – Melhor diretor de curta-metragem: GuIlherme Gehr, por Plantae

Troféu Samburá – Melhor Curta-metragem: O Vestido de Myriam, de Lucas Rossi

Prêmio Aquisição Canal Brasil – Melhor Curta-metragem: O Vestido de Myriam, de Lucas Rossi.

MOSTRA COMPETITIVA IBERO-AMERICANA DE LONGA-METRAGEM

JURI OFICIAL  

Melhor Ator: Joan Botey, por Petra

Melhor Atriz: Natalia Aragonese, por Cabras de Merda

Melhor Direção de Arte: Carlos Garrido, por Cabras de Merda

Melhor Trilha sonora original: João Victor Barroso, por O Barco

Melhor Som: Yures Viana, Erico Paiva e Petrus Cariry, por O Barco

Melhor Montagem: Raphaelle Martin-Holger, por Diamantino

Melhor Fotografia: Petrus Cariry, por O Barco

Melhor Roteiro: Jaime Rosales, Michel Gaztambide, Clara Roquet, por Petra

Melhor Direção: Jaime Rosales, por Petra

Melhor Longa-metragem: Petra

PRÊMIOS ESPECIAIS  

Prêmio da Crítica (Júri Abraccine): Petra, de Jaime Rosales

Olhar UniversitárioO Barco, de Petrus Cariry

SERVIÇO

28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema – www.cineceara.com. Email:contatos@cineceara.com. Tel: (85)3055-3465. Grátis.

 

Publicidade

DIVULGADA A PROGRAMAÇÃO DO 28° CINE CEARÁ

Por raquelsouza em Cinema

01 de agosto de 2018

20171124 MR Cine Holliudy – 05.02A – Marylin ( Letícia Colin, Francis (edmilson Filho). Francis está sem dinheiro, mas não cobra ingresso para as pessoa que estão entrando.

Festival ibero-americano de Cinema acontece de 4 a 11 de agosto em Fortaleza

O Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema chega a sua 28ª edição. A programação, que acontece entre 4 e 11 de agosto em Fortaleza, no Ceará, contará com cerca de 100 filmes entre curtas e longas, exibidos nas salas de cinema e projetados na Praça do Ferreira. Dia 4, sábado, os bilhetes começam a ser distribuídos a partir das 19h, na bilheteria do Cineteatro São Luiz.

Nesta edição, oito longas concorrem ao troféu Mucuripe. A ficção “O Barco”, de Petrus Cariry (“Clarisse ou Alguma Coisa Sobre Nós Dois”), será o filme de abertura, fazendo sua estreia nacional. Neste dia também acontece a homenagem ao comediante Renato Aragão e ao prof. Henry Campos, reitor da Universidade Federal do Ceará. No dia 5 será a première nacional do chileno “Cabras de Merda“, de Gonzalo Justiniano; segunda-feira é a vez do espanhol “Petra“, de Jaime Rosales, que estreou mundialmente na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes.

 

Já na terça-feira, dia 7, dois longas serão exibidos, o brasileiro “Eduardo Galeano Vagamundo”, de Felipe Nepomuceno, que estreia mundialmente no festival, e o colombiano “Amália, a secretária”, de Andrés Burgos, fazendo sua première no Brasil. A quarta-feira contará com a exibição especial fora de competição do documentário “Che, Memórias de um ano secreto“, de Margarita Hernández.

 

Quinta-feira, o ator Antônio Pitanga será o homenageado. Na competição de longas serão exibidos “Anjos de Ipanema”, de Conceição Senna, fazendo sua estreia mundial, e o documentário “Senhorita Maria, a saia da montanha“, de Rubén Mendoza, premiado nos festivais de Cartagena, Locarno e Amiens. Sexta-feira, “Diamantino” (Brasil, Portugal e França), de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, vencedor do Grande Prêmio da Semana da Crítica no Festival de Cannes, terá sua primeira exibição no Brasil, encerrando a Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem do Cine Ceará.

Sábado, dia 11, será realizada a premiação e cerimônia de encerramento do festival. Paulo Mendonça, diretor do Canal Brasil, emissora que em 2018 completa 20 anos, será homenageado. Também acontece a pré-estreia do primeiro capítulo da série da Globo “Cine Holliúdy: Francisgleydisson encara novos desafios“, com a presença do diretor Halder Gomes e do protagonista Edmilson Filho.

Os curtas-metragens também vão marcar presença no Cine Ceará. Na Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem, estão 13 produções, incluindo o pernambucano “Nova Iorque”, de Leo Tabosa, os cearenses “A Canção de Alice”, de Bárbara Cariry e “Capitais”, de Kamilla Medeiros e Arthur Gadelha, dentre outros.

Os vencedores das duas mostras competitivas serão agraciados com o troféu Mucuripe. Os longas serão premiados nas categorias Melhor Filme, Direção, Fotografia, Montagem, Roteiro, Som, Trilha Sonora Original, Direção de Arte, Ator e Atriz. Concorrem ao troféu Mucuripe na competitiva de curtas os eleitos pelo júri nas categorias de Melhor Curta-metragem, Direção, Roteiro e Produção Cearense.

A programação conta também com o II Seminário Descentralização da Produção Audiovisual no Centro-Oeste, Norte e Nordeste – Conne, além de oficina de roteiro, cursos de produções para séries de TVs e projetos incentivados e master class sobre melodrama. O público também poderá conferir a Mostra Olhar do Ceará, com mais de 20 curtas cearenses, as mostras sociais Melhor Idade, Acessibilidade e O Primeiro Filme a Gente Nunca Esquece, além de Exibições Especiais e Cinema na Praça, com a exibição de episódios de Os Trapalhões. Este ano o Peru é o país homenageado com a Mostra de Cinema Peruano, que apresenta 16 filmes, de 31 de julho a 5 de agosto, na CAIXA Cultural Fortaleza, antecedendo o início do festival.

O 28º Cine Ceará acontecerá de 04 a 11 de agosto, numa promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura (Lei Estadual Nº 13.811), do Ministério da Cultura, via Secretaria do Audiovisual, da Agência Nacional do Cinema (Ancine), do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e Bucanero Filmes. Patrocínio: SP Combustíveis, M. Dias Branco, Banco do Nordeste e Café Santa Clara. Agradecimentos: Enel e Oi.

 

SERVIÇO

28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema – De 4 a 11 de agosto de 2018 em Fortaleza. Informações: www.cineceara.com. E-mail: contatos@cineceara.com. Tel: (85) 3055-3465. Grátis.

Cineteatro São Luiz (Praça do Ferreira, s/n – Centro); Cinema do Dragão (R. Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema); CAIXA Cultural Fortaleza (Av. Pessoa Anta, 287 – Praia de Iracema); Hotel Oásis Atlântico (Av. Beira Mar, 2500 – Meireles), Acesso gratuito mediante ingressos com distribuição no local. Mais informações:www.cineceara.com. Email: contatos@cineceara.com. Tel: (85)3055-3465.

Distribuição de ingressos:

Abertura: Dia 4 a partir das 19h, na bilheteria do Cineteatro São Luiz.

Encerramento: Dia 11 a partir das 19h, na bilheteria do Cineteatro São Luiz.

Mostras: CAIXA Cultural Fortaleza e Cineteatro São Luiz: Uma hora antes do início da sessão, nas bilheterias; Cinema do Dragão: a partir das 14h, na bilheteria.

Publicidade

28° CINE CEARÁ REALIZA MOSTRA OS TRAPALHÕES

Por raquelsouza em Cinema

09 de julho de 2018

 Iniciada no dia 04 de julho, a mostra acontece até o dia 27 deste mês no Cineteatro São Luiz, antecedendo a programação oficial do Cine Ceará

 A abertura oficial é no dia 04 de agosto, mas o 28º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema já deu início à programação com a Mostra Os Trapalhões, que realiza no Cineteatro São Luiz, em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult). Com acesso gratuito, a mostra começou no dia 04 de julho e se estende até o dia 27, com exibições de filmes que marcaram a trajetória do quarteto Didi, Dedé, Mussum e Zacarias, responsável por algumas das maiores bilheterias da história do cinema brasileiro.

O sobralense Renato Aragão, que se consagrou nacionalmente como o personagem Didi, será homenageado pelo Cine Ceará e a Secult na solenidade de abertura oficial do Festival, no palco do São Luiz, que nas décadas de 1970 a 1990 atraiu gerações de cearenses, lotando a plateia para assistir aos filmes da trupe.

Com a curadoria do jornalista Rodrigo Fonseca, autor da biografia “Renato Aragão – Do Ceará para o coração do Brasil”, e de Duarte Dias, curador e programador do Cineteatro São Luiz, a Mostra Os Trapalhões exibe 20 longas-metragens, entre títulos mais consagrados pelo público de várias gerações e outros que marcam a própria trajetória fílmica d’Os Trapalhões.

“Dessa forma, abrimos a mostra com o documentário ‘O Mundo Mágico dos Trapalhões’, de Silvio Tendler, que situa o grupo, de forma inequívoca, no panteão dos grandes mitos do cinema nacional. Na sequência contemplamos o primeiro filme a fazer uso do termo ‘Trapalhão’, no caso, ‘Adorável Trapalhão’, obra de 1967 que destaca o gênio criativo de Renato Aragão”, explica Duarte Dias. “Em seguida elencamos uma série de títulos consagrados por Didi, Dedé, Mussum e Zacarias, fechando a mostra com uma sessão dupla que engloba o clássico ‘Os Saltimbancos Trapalhões’ e a mais recente produção de Renato Aragão ao lado de Dedé Santana, ‘Os Saltimbancos Trapalhões – Rumo a Hollywood’, o que configura, no nosso entendimento, uma bela oportunidade para que o público em geral possa apreciar, na tela do São Luiz, um dos ciclos mais bem sucedidos no campo da criação e da produção cinematográfica brasileira, resgatando, dessa maneira, parte da memória afetiva, histórica e cultural do nosso povo”, completa.

Os filmes da Mostra Os Trapalhões

“Adorável Trapalhão” (1967), “Bonga, O Vagabundo” (1971), “Ali Babá e os 40 Ladrões” (1972), “Simbad, O marujo Trapalhão” (1976), “O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão” (1977), “O Cinderelo Trapalhão” (1979),  “Os Três Mosqueteiros Trapalhões” (1980), “O Mundo Mágico dos Trapalhões” (1981), “O Incrível Monstro Trapalhão” (1981), “Os Saltimbancos Trapalhões (1981), “Os Vagabundos Trapalhões” (1982), “Os Trapalhões na Serra Pelada” (1982), “O Cangaceiro Trapalhão” (1983), “Os Trapalhões e o Mágico de Oroz” (1984), “Os Fantasmas Trapalhões” (1987),  “O Casamento dos Trapalhões” (1988), “Os Heróis Trapalhões – Uma Aventura na Selva” (1988), “Os Trapalhões na Terra dos Monstros” (1989), “O Mistério de Robin Hood” (1990) e “Os Saltimbancos Trapalhões – Rumo a Hollywood” (2017).

O 28º Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura, do Ministério da Cultura, via Secretaria do Audiovisual, e Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e Bucanero Filmes. Patrocínio: M. Dias Branco, Banco do Nordeste e Café Santa Clara.

 

SERVIÇO

28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema – Mostra Os Trapalhões – Até 27 de julho no Cineteatro São Luiz, em Fortaleza. Informações: www.cineceara.com. E-mail: contatos@cineceara.com. Tel: (85) 3055-3465. Grátis.

Publicidade

Cine Ceará bate novo recorde de inscritos

Por raquelsouza em Cinema

28 de Maio de 2018

 

 

 O festival chega à 28ª edição de 04 a 10 de agosto em Fortaleza, com mostras competitivas de curtas e longas-metragens, exibições especiais e debates

 Pelo terceiro ano seguido o Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema bate recorde de inscritos para as duas mostras competitivas. São produções em longa e curta-metragem enviadas para a 28ª edição, que acontecerá de 04 a 10 de agosto no Cineteatro São Luiz, em Fortaleza.

 Para a seleção de 2018, o Festival recebeu 1.222 filmes de 18 países, dos quais, 286 inscritos para a Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem e 936 para a Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem. Os números anteriores: Em 2017 foram 1.113 filmes de 17 países, sendo 260 longas e 853 curtas. Em 2016 o festival recebeu 966 inscrições de 16 países, dos quais, 254 longas e 712 curtas. O número de curtas cearenses inscritos também foi recorde. Foram 116 para a 28ª edição, 19 a mais do que os inscritos na edição do ano passado.
 Além das mostras competitivas, o festival traz debates e mostras paralelas, promovendo divulgação de novos talentos na área audiovisual. O 28º Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura, do Ministério da Cultura, via Secretaria do Audiovisual, e Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor.
A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e Bucanero Filmes. Patrocínio: M. Dias Branco.

SERVIÇO

 28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema – Inscrições abertas até o dia 23 de maio para as mostras competitivas Ibero-americana de Longa-metragem e Brasileira de Curta-metragem desta edição, que acontecerá de 04 a 10 de agosto de 2018 em Fortaleza, Ceará. Informações:www.cineceara.com. E-mail: contatos@cineceara.com. Tel: (85)3055-3465.
Publicidade

Cine Ceará bate novo recorde de inscritos

Por raquelsouza em Cinema

28 de Maio de 2018

 

 

 O festival chega à 28ª edição de 04 a 10 de agosto em Fortaleza, com mostras competitivas de curtas e longas-metragens, exibições especiais e debates

 Pelo terceiro ano seguido o Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema bate recorde de inscritos para as duas mostras competitivas. São produções em longa e curta-metragem enviadas para a 28ª edição, que acontecerá de 04 a 10 de agosto no Cineteatro São Luiz, em Fortaleza.

 Para a seleção de 2018, o Festival recebeu 1.222 filmes de 18 países, dos quais, 286 inscritos para a Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem e 936 para a Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem. Os números anteriores: Em 2017 foram 1.113 filmes de 17 países, sendo 260 longas e 853 curtas. Em 2016 o festival recebeu 966 inscrições de 16 países, dos quais, 254 longas e 712 curtas. O número de curtas cearenses inscritos também foi recorde. Foram 116 para a 28ª edição, 19 a mais do que os inscritos na edição do ano passado.
 Além das mostras competitivas, o festival traz debates e mostras paralelas, promovendo divulgação de novos talentos na área audiovisual. O 28º Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura, do Ministério da Cultura, via Secretaria do Audiovisual, e Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor.
A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e Bucanero Filmes. Patrocínio: M. Dias Branco.

SERVIÇO

 28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema – Inscrições abertas até o dia 23 de maio para as mostras competitivas Ibero-americana de Longa-metragem e Brasileira de Curta-metragem desta edição, que acontecerá de 04 a 10 de agosto de 2018 em Fortaleza, Ceará. Informações:www.cineceara.com. E-mail: contatos@cineceara.com. Tel: (85)3055-3465.