Publicidade

O Psicólogo

por André Flávio Nepomuceno Barbosa

auto-estima

Entrevista com o terapeuta sexual, Enilson Junior. “Sexo fortalece as defesa imunológicas”

Por andreflavionb em Psicologia, terapia sexual

22 de Fevereiro de 2017

Além de fatores psicológicos, alterações hormonais, uso de medicamentos, abuso de drogas, doenças clínicas ou distúrbios psiquiátricos podem predispor ou manter a Disfunção.

 

Essa semana decidi entrevistar o terapeuta sexual, Enilson Junior, trazendo algumas questões básicas sobre as patologias sexuais e como funciona a terapia sexual.

 

Como você avalia sua vida sexual? A Terapia Sexual pode lhe ajudar a melhorar a qualidade das suas relações sexuais.

 

O que é a sexualidade?

A sexualidade está situada numa dimensão muito íntima do ser humano e não se reduz ao sexo genital, mas engloba elementos somáticos, emocionais, intelectuais e sociais do ser sexual. É no exercício da sexualidade que se estabelece vínculos, firma-se parceria, encontra-se apoio, e uma agradável sensação de completude. Além de ter um papel socializador, o sexo melhora a qualidade de vida, reforça as defesas imunológicas do organismo, queima calorias, fortalece músculos, melhora o sono e combate o estresse.

Quando a sexualidade deixa de ser uma atividade prazerosa e torna-se uma patologia?

Quando certas circunstâncias físicas e emocionais atrapalham e limitam o desempenho da sexualidade por um período de tempo prolongado e recorrente, causando vergonha, culpa e crise no relacionamento. Disfunção sexual refere-se à dificuldade sentida por uma pessoa ou casal durante qualquer estágio da atividade sexual, incluindo desejo, excitação ou orgasmo. As desordens sexuais mais comuns nos homens é a disfunção erétil, conhecida popularmente como “impotência sexual”, ejaculação precoce, retardo ejaculatório e falta de desejo sexual. Nas mulheres os transtornos mais comuns é a falta de desejo sexual, anorgasmia, dores genitais durante as relações sexuais e dificuldades de excitação. O distúrbio sexual pode ser primário ou secundário, cabe ao terapeuta sexual um diagnóstico diferencial do transtorno. Ansiedade de desempenho, baixa auto-estima, dificuldade de comunicação entre os parceiros, tabus, educação sexual repressiva na infância, estresse, traumas e histórico de abuso sexual podem estar relacionados com os transtornos sexuais.

Para complementar a avaliação diagnóstica, deve-se fazer encaminhamento para outros profissionais como endocrinologista, ginecologista, urologista ou psiquiatra.

O que é a Terapia Sexual?

Quando se estabelece um diagnóstico de transtorno sexual o paciente é convidado a fazer terapia sexual. A Terapia Sexual é a psicoterapia focada na sexualidade, costuma ser breve, focal, diretiva e contempla o momento vivencial presente do paciente, o aqui e agora. Costumamos dizer em terapia sexual que o transtorno é do casal, e não apenas do paciente queixoso, a responsabilidade pela qualidade da relação é de ambos, então o casal participa ativamente do processo terapêutico. Utiliza-se técnicas e exercícios para se melhorar a função sexual, esses exercícios são ensinados pelo terapeuta no consultório e praticados pelo casal na sua própria casa em um momento de intimidade, além dos procedimentos de mudanças comportamentais, utiliza-se técnicas de flexibilização de pensamentos e crenças que estejam atrapalhando a vida sexual do casal. O objetivo da Terapia Sexual é proporcionar uma maior assertividade na área da sexualidade e uma melhora significativa na qualidade do relacionamento. Para isso o terapeuta deverá se pautar na ética, bom profissionalismo, domínio teórico, experiência profissional, ser empático, compreensivo e saber lidar bem com sua própria sexualidade.

Uma pessoa solteira também pode fazer Terapia Sexual?

Sim, uma pessoa solteira pode buscar tratamento para sua disfunção sexual e pode se beneficiar muito do terapia sexual, porém as técnicas precisarão ser adaptadas ao paciente solteiro. No caso do paciente ser casado e seu cônjuge não participar das sessões de terapia, o paciente será treinado a praticar com seu parceiro as técnicas aprendidas.

Quais os benefícios da Terapia Sexual?

 

Estudos clínicos vem provando a efetividade do tratamento da Terapia Sexual para os distúrbios de origem psicológica e de combinação mista de fatores emocionais e orgânicos. Muitas pessoas se sentem satisfeitas após realizar terapia sexual, pois experimentam uma mudança duradoura na esfera intima e relacional. Investir em Terapia Sexual é investir na qualidade de vida, eu particularmente acredito que nunca é tarde para procurar ajuda e cuidar da própria saúde sexual.

 

Para contatos:

Enilson Ferreira da Silva Júnior

Psicólogo e Terapeuta Sexual

CRP – 11/11013

(85) 998057378 / (85)981253510

 

 

 

Publicidade

Entrevista com o terapeuta sexual, Enilson Junior. “Sexo fortalece as defesa imunológicas”

Por andreflavionb em Psicologia, terapia sexual

22 de Fevereiro de 2017

Além de fatores psicológicos, alterações hormonais, uso de medicamentos, abuso de drogas, doenças clínicas ou distúrbios psiquiátricos podem predispor ou manter a Disfunção.

 

Essa semana decidi entrevistar o terapeuta sexual, Enilson Junior, trazendo algumas questões básicas sobre as patologias sexuais e como funciona a terapia sexual.

 

Como você avalia sua vida sexual? A Terapia Sexual pode lhe ajudar a melhorar a qualidade das suas relações sexuais.

 

O que é a sexualidade?

A sexualidade está situada numa dimensão muito íntima do ser humano e não se reduz ao sexo genital, mas engloba elementos somáticos, emocionais, intelectuais e sociais do ser sexual. É no exercício da sexualidade que se estabelece vínculos, firma-se parceria, encontra-se apoio, e uma agradável sensação de completude. Além de ter um papel socializador, o sexo melhora a qualidade de vida, reforça as defesas imunológicas do organismo, queima calorias, fortalece músculos, melhora o sono e combate o estresse.

Quando a sexualidade deixa de ser uma atividade prazerosa e torna-se uma patologia?

Quando certas circunstâncias físicas e emocionais atrapalham e limitam o desempenho da sexualidade por um período de tempo prolongado e recorrente, causando vergonha, culpa e crise no relacionamento. Disfunção sexual refere-se à dificuldade sentida por uma pessoa ou casal durante qualquer estágio da atividade sexual, incluindo desejo, excitação ou orgasmo. As desordens sexuais mais comuns nos homens é a disfunção erétil, conhecida popularmente como “impotência sexual”, ejaculação precoce, retardo ejaculatório e falta de desejo sexual. Nas mulheres os transtornos mais comuns é a falta de desejo sexual, anorgasmia, dores genitais durante as relações sexuais e dificuldades de excitação. O distúrbio sexual pode ser primário ou secundário, cabe ao terapeuta sexual um diagnóstico diferencial do transtorno. Ansiedade de desempenho, baixa auto-estima, dificuldade de comunicação entre os parceiros, tabus, educação sexual repressiva na infância, estresse, traumas e histórico de abuso sexual podem estar relacionados com os transtornos sexuais.

Para complementar a avaliação diagnóstica, deve-se fazer encaminhamento para outros profissionais como endocrinologista, ginecologista, urologista ou psiquiatra.

O que é a Terapia Sexual?

Quando se estabelece um diagnóstico de transtorno sexual o paciente é convidado a fazer terapia sexual. A Terapia Sexual é a psicoterapia focada na sexualidade, costuma ser breve, focal, diretiva e contempla o momento vivencial presente do paciente, o aqui e agora. Costumamos dizer em terapia sexual que o transtorno é do casal, e não apenas do paciente queixoso, a responsabilidade pela qualidade da relação é de ambos, então o casal participa ativamente do processo terapêutico. Utiliza-se técnicas e exercícios para se melhorar a função sexual, esses exercícios são ensinados pelo terapeuta no consultório e praticados pelo casal na sua própria casa em um momento de intimidade, além dos procedimentos de mudanças comportamentais, utiliza-se técnicas de flexibilização de pensamentos e crenças que estejam atrapalhando a vida sexual do casal. O objetivo da Terapia Sexual é proporcionar uma maior assertividade na área da sexualidade e uma melhora significativa na qualidade do relacionamento. Para isso o terapeuta deverá se pautar na ética, bom profissionalismo, domínio teórico, experiência profissional, ser empático, compreensivo e saber lidar bem com sua própria sexualidade.

Uma pessoa solteira também pode fazer Terapia Sexual?

Sim, uma pessoa solteira pode buscar tratamento para sua disfunção sexual e pode se beneficiar muito do terapia sexual, porém as técnicas precisarão ser adaptadas ao paciente solteiro. No caso do paciente ser casado e seu cônjuge não participar das sessões de terapia, o paciente será treinado a praticar com seu parceiro as técnicas aprendidas.

Quais os benefícios da Terapia Sexual?

 

Estudos clínicos vem provando a efetividade do tratamento da Terapia Sexual para os distúrbios de origem psicológica e de combinação mista de fatores emocionais e orgânicos. Muitas pessoas se sentem satisfeitas após realizar terapia sexual, pois experimentam uma mudança duradoura na esfera intima e relacional. Investir em Terapia Sexual é investir na qualidade de vida, eu particularmente acredito que nunca é tarde para procurar ajuda e cuidar da própria saúde sexual.

 

Para contatos:

Enilson Ferreira da Silva Júnior

Psicólogo e Terapeuta Sexual

CRP – 11/11013

(85) 998057378 / (85)981253510