PAPO E POESIA - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

PAPO E POESIA

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

17 de Abril de 2012

eu, peça inacabada

Eu teço o texto de meus textos com paixão…
São linhas filtradas no meu próprio sangue,
que as palavras têm essa propriedade incomum
de injetar líquido na solidez das conversas.

Arremato as pregas de cada frase com fino trato,
e vou alinhavando as sobras com meu jeito de ser:
sou operário de quem pensa seja eu poeta.
Mais vítima do poema que seu próprio executor

Ah! meus tempos de diálogos travados em outras eras
onde o corte deixado pela minha lâmina-língua
fazia calar realmente os que não sabiam falar.

Hoje, distante de tudo rebusco na memória do tempo,
alguma lembrança que me dê tão somente
A certeza de ser eu, essa antiga peça inacabada

por Nonato Albuquerque

Publicidade aqui

leia tudo sobre

PAPO E POESIA

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

17 de Abril de 2012

eu, peça inacabada

Eu teço o texto de meus textos com paixão…
São linhas filtradas no meu próprio sangue,
que as palavras têm essa propriedade incomum
de injetar líquido na solidez das conversas.

Arremato as pregas de cada frase com fino trato,
e vou alinhavando as sobras com meu jeito de ser:
sou operário de quem pensa seja eu poeta.
Mais vítima do poema que seu próprio executor

Ah! meus tempos de diálogos travados em outras eras
onde o corte deixado pela minha lâmina-língua
fazia calar realmente os que não sabiam falar.

Hoje, distante de tudo rebusco na memória do tempo,
alguma lembrança que me dê tão somente
A certeza de ser eu, essa antiga peça inacabada

por Nonato Albuquerque