A NOVELA 'POLÍCIA x GOVERNO' TEM NOVO CAPÍTULO - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

A NOVELA ‘POLÍCIA x GOVERNO’ TEM NOVO CAPÍTULO

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

11 de Abril de 2012

Quando se pensava que as relações entre governo e forças de segurança – PM, Polícia Civil e agentes penitenciários – haviam se consolidado, após aquela tormentosa greve de janeiro, têm-se conhecimento de que as coisas não andam tão bem assim não. O presidente da associação que defende a categoria policial militar já acena com a possibilidade de uma nova paralisação.

A categoria agora reinvidica o auxílio alimentação no valor de R$ 220,00, a carga horária de 48 horas semanais, os planos de promoção, um novo Código de Ética e o reajuste salarial referente aos anos de 2013 e 2014.

A impressão que se tinha é que, finalizado o movimento grevista que deixou a cidade num caos, as negociações haviam sido respeitadas. Qual o quê, como diz a música popular do Chico Buarque: o governo simplesmente tergiversou – a palavra é feia, mas quer dizer ‘hesitou em cumprir’, fugiu da raia – e os policiais militares ficaram a ver navios em termos do que havia sido pactuado.

Após adiarem duas vezes as negociações, representantes do governo anunciam para o próximo dia 18 um encontro para debater o problema. Problema que poderá ser bem maior para a população se não chegarem a um acordo. O capitão Wagner Souza já admite a possibilidade de um novo movimento, caso não resolvam o que há devia estar sendo cumprido.

No dia 26 de maio, no colégio Sistema, membros da PM, Polícia Civil e agentes penitenciários vão se reunir em assembleia geral para definir os caminhos dessa novela. Novela, que todos pensávamos, já tivesse tido um final feliz. Pelo visto, vamos para mais um estressante capítulo. Deus nos livre que, em maio, tenhamos a reprise do que desejamos esquecer.

Uma greve. Uma cidade parada. O caos implantado…

Publicidade aqui

leia tudo sobre

A NOVELA ‘POLÍCIA x GOVERNO’ TEM NOVO CAPÍTULO

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

11 de Abril de 2012

Quando se pensava que as relações entre governo e forças de segurança – PM, Polícia Civil e agentes penitenciários – haviam se consolidado, após aquela tormentosa greve de janeiro, têm-se conhecimento de que as coisas não andam tão bem assim não. O presidente da associação que defende a categoria policial militar já acena com a possibilidade de uma nova paralisação.

A categoria agora reinvidica o auxílio alimentação no valor de R$ 220,00, a carga horária de 48 horas semanais, os planos de promoção, um novo Código de Ética e o reajuste salarial referente aos anos de 2013 e 2014.

A impressão que se tinha é que, finalizado o movimento grevista que deixou a cidade num caos, as negociações haviam sido respeitadas. Qual o quê, como diz a música popular do Chico Buarque: o governo simplesmente tergiversou – a palavra é feia, mas quer dizer ‘hesitou em cumprir’, fugiu da raia – e os policiais militares ficaram a ver navios em termos do que havia sido pactuado.

Após adiarem duas vezes as negociações, representantes do governo anunciam para o próximo dia 18 um encontro para debater o problema. Problema que poderá ser bem maior para a população se não chegarem a um acordo. O capitão Wagner Souza já admite a possibilidade de um novo movimento, caso não resolvam o que há devia estar sendo cumprido.

No dia 26 de maio, no colégio Sistema, membros da PM, Polícia Civil e agentes penitenciários vão se reunir em assembleia geral para definir os caminhos dessa novela. Novela, que todos pensávamos, já tivesse tido um final feliz. Pelo visto, vamos para mais um estressante capítulo. Deus nos livre que, em maio, tenhamos a reprise do que desejamos esquecer.

Uma greve. Uma cidade parada. O caos implantado…