MOUSE OU MENOS - por Nonato Albuquerque 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

O CÉREBRO DA POLÍCIA E O CABEÇA DO CRIME

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

18 de Abril de 2012

A Polícia, mais uma vez, mostra eficiência em desvendar um sequestro. No caso, o  da empresária Vanessa Rabelo. Aliás, sempre que ocorre casos dessa natureza tem-se a impressão que o cérebro da nossa Polícia civil é todo ele disponibilizado para dar uma resposta firme e eficaz à sociedade por envolver pessoas de renome.

O mais incrível é saber que o cabeça desse sequestro, o Chico Peba, foi responsável há algum tempo atrás pelo mesmo tipo de crime em relação ao empresário Ricardo Rolim.

Perguntar não ofende: e esse homem não era para estar detrás das grades não? E quando foi mesmo que ele foi solto? E como foi solto? Alguém estar devendo respostas à sociedade.

leia tudo sobre

Publicidade

A REPÚBLICA DOS CORRUPTOS JÁ TEM A SUA MOEDA

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

18 de Abril de 2012

Brasileiro é muito gaiato mesmo. Manga até de si mesmo quando roubado. Como no caso dos crimes de corrupção onde o nosso dinheiro vive sendo surrupiado. Irreverente como todo nós, o Noviski resolveu criar a moeda que deve vigir no país dos Carlinhos Cachoeira.

 

Publicidade

CUIDADO: TEM PIRATA ROUBANDO SENHAS DO TWITTER

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

18 de Abril de 2012

.

Os cibercriminosos estão em ação roubando login e senha do Twitter. Com isso, eles derrubam seu cadastro junto ao microblog. Nas duas últimas semanas, mais de 31 mil usuários em todo o mundo foram vítimas desse tipo de ação que começa com a informação de que a sua conta saiu do ar. Depois, os internautas são induzidos a digitar os dados de acesso para entrar novamente no microblog. É nesse momento que os criminosos conseguem roubar o login e a senha
dos usuários.

Com os dados em mãos, os cibercriminosos podem sequestrar a conta do Twitter e tornar públicas mensagens confidenciais, ter acesso a lista de contatos e deixar mensagens para outros usuários.

Até o momento, apenas tweets em inglês foram encontrados, mas a tendência é que as mensagens sejam postadas em outros idiomas em breve, inclusive o português. Além de manter o antivírus sempre atualizado, é preciso redobrar o cuidado na hora de acessar qualquer link no Twitter que não forem totalmente confiáveis.

Publicidade

E A HISTÓRIA QUE NÃO SE CONTOU

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

17 de Abril de 2012

A família da empresária Vanessa Rabelo, libertada do cativeiro em que esteve detida ao longo de duas semanas, chamou a imprensa para uma coletiva hoje pela manhã. Presentes, o rádio, o jornal e a TV. E o que se viu, além do agradecimento à Polícia e mídia por permanecerem distante do fato, foi a emoção quase incontida do porta-voz da empresa, Evandro Colares, sem contudo adiantar muito a respeito de como tudo se deu.

Acompanhando a entrevista pelo rádio – depois pude ver matéria da TV Jangadeiro – não consegui nada que pudesse esclarecer o caso. Eu sei que era um momento difícil para toda a família e amigos da vítima, mas do ponto de vista jornalístico, os entrevistadores ficaram a dever as informações mais simples capazes de atender a curiosidade de um leitor/ouvinte: como foi a libertação da vítima. E quanto foi pago para resgatá-la.

A impressão que se tinha é que a imprensa estava impressionada com tudo e não contou a história do que realmente aconteceu.

Publicidade

PARA SE PENSAR E FAZER… PRINCIPALMENTE

Por Nonato Albuquerque em Pensamento

17 de Abril de 2012

Estava aqui pensando com os meus teclados e resolví falar sobre a necessidade do ser:

É preciso aprender a ser feliz. E não o sendo, reivindicar do procon de nosso coração, energias suficientes para reorganizar a usina de força que propulsiona a Vida.

É preciso ter coragem sempre. E, de vez em quando, sentir-se medroso. Com medo de causar algum dano a quem quer que seja. Infelizes, causam sempre males a outrem sem se importar com o que outros sintam.

É preciso cercar-se de idéias. Novas e, se possíveis, brilhantes. Mas se não as forem, não tem problema; nenhuma idéia será rejeitada por falta de brilho. Basta um apuro na graduação da chama e, logo logo, acertaremos o ponto da luminescência.

É preciso acreditar no futuro. Quem vive o presente, retido tão somente ao passado, esquece que viver incide em ser ágil, atual e super ativo.

É preciso sempre correr riscos. Marinheiro que aprende as técnicas do navegar e não sai do porto, não pode falar dos tombos do navio.

É preciso confiar em todos. Ainda que se desconfie de alguém ou de alguma coisa, necessário é mudar a estratégia do pensar, pois a semeadura do bem estabelece um contato direto com a colheita da paz.

É preciso, finalmente, mostrar-se generoso. Com tudo e com todos. Quem só vê o negativo nas coisas e pessoas, acaba se esquecendo que faz parte do conjunto de coisas e pessoas de que é feito o mundo material. E que a vida da matéria, apenas está em trânsito para a felicidade suprema do ser.

leia tudo sobre

Publicidade

PAPO E POESIA

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

17 de Abril de 2012

eu, peça inacabada

Eu teço o texto de meus textos com paixão…
São linhas filtradas no meu próprio sangue,
que as palavras têm essa propriedade incomum
de injetar líquido na solidez das conversas.

Arremato as pregas de cada frase com fino trato,
e vou alinhavando as sobras com meu jeito de ser:
sou operário de quem pensa seja eu poeta.
Mais vítima do poema que seu próprio executor

Ah! meus tempos de diálogos travados em outras eras
onde o corte deixado pela minha lâmina-língua
fazia calar realmente os que não sabiam falar.

Hoje, distante de tudo rebusco na memória do tempo,
alguma lembrança que me dê tão somente
A certeza de ser eu, essa antiga peça inacabada

por Nonato Albuquerque

leia tudo sobre

Publicidade

Comerciante cria regras para ladrões lhe assaltarem

Por Nonato Albuquerque em Crônica

12 de Abril de 2012

A que ponto chegamos: cansado de ser assaltado, um comerciante em SP criou ‘regras’ para os ladrões. Ele baixou um “decreto” dirigido aos ladrões e o fixou na porta do estabelecimento, dizendo que ‘fica proibido roubar esta loja aos sábados e domingos”. E mais: que os ladrões só terão direito a levar o equivalente a um salário mínimo.

Não é Brincadeira não. O que  mais parece uma irreverência em torno de um problema sério,  na verdade reflete o sentimento sério de angústia e medo que envolve toda a população.

O comerciante é dono de uma joalheria há mais de dez anos. Explicou que o cartaz é uma forma bem humorada de protesto contra a falta de segurança.

Tem comerciante pela periferia de Fortaleza que já perdeu a conta dos assaltos que sofreu. Pequenas mercearias, mercadinhos e as saudáveis bodegas de bairro vivem hoje gradeadas. O cliente é atendido da Porta.

Câmeras de segurança, hoje em dia estão espalhadas em locais mais humildes. Esforço inútil que o cidadão faz para evitar que os seus bens, sejam tomados pela bandidagem.

Ruas de bairros pobres, onde a miséria impera e a presença de políticos só ocorre em épocas eleitoreiras, são esvaziadas a cada início de noite e tomadas de bandidos. Andar por elas é um risco que se corre.

Há casos de gangues que chegam a cobrar pedágio do cidadão para passar de um lado para o outro da comunidade… Tudo isso é resultado da omissão dos governantes que, por muito tempo, deixaram ao léu a segurança do povo, abrindo espaço para a invasão dos traficantes que passaram a dominar áreas da cidade.

Mesmo com a melhoria do aparato policial – através da criação do Ronda, por exemplo – ainda estamos longe de oferecer respostas
eficazes ao povo.

O melhor exemplo de como as coisas não funcionam é ver que, depois de roubado, assaltado – se a vítima for registrar um B.O. ( boletim de ocorrência), tem a nítida impressão de que foi tempo perdido ir até à delegacia. a polícia não tem pessoal suficiente para atender a demanda de investigação de cada caso. E as vítimas da violência só tem uma saída: rezar para que os céus nos protejam; já que na Terra, as soluções andam a passos de tartaruga.

leia tudo sobre

Publicidade

A NOVELA ‘POLÍCIA x GOVERNO’ TEM NOVO CAPÍTULO

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

11 de Abril de 2012

Quando se pensava que as relações entre governo e forças de segurança – PM, Polícia Civil e agentes penitenciários – haviam se consolidado, após aquela tormentosa greve de janeiro, têm-se conhecimento de que as coisas não andam tão bem assim não. O presidente da associação que defende a categoria policial militar já acena com a possibilidade de uma nova paralisação.

A categoria agora reinvidica o auxílio alimentação no valor de R$ 220,00, a carga horária de 48 horas semanais, os planos de promoção, um novo Código de Ética e o reajuste salarial referente aos anos de 2013 e 2014.

A impressão que se tinha é que, finalizado o movimento grevista que deixou a cidade num caos, as negociações haviam sido respeitadas. Qual o quê, como diz a música popular do Chico Buarque: o governo simplesmente tergiversou – a palavra é feia, mas quer dizer ‘hesitou em cumprir’, fugiu da raia – e os policiais militares ficaram a ver navios em termos do que havia sido pactuado.

Após adiarem duas vezes as negociações, representantes do governo anunciam para o próximo dia 18 um encontro para debater o problema. Problema que poderá ser bem maior para a população se não chegarem a um acordo. O capitão Wagner Souza já admite a possibilidade de um novo movimento, caso não resolvam o que há devia estar sendo cumprido.

No dia 26 de maio, no colégio Sistema, membros da PM, Polícia Civil e agentes penitenciários vão se reunir em assembleia geral para definir os caminhos dessa novela. Novela, que todos pensávamos, já tivesse tido um final feliz. Pelo visto, vamos para mais um estressante capítulo. Deus nos livre que, em maio, tenhamos a reprise do que desejamos esquecer.

Uma greve. Uma cidade parada. O caos implantado…

leia tudo sobre

Publicidade

O TRÊS NA VIDA DO CRUCIFICADO

Por Nonato Albuquerque em Crônica

09 de Abril de 2012

Diante das últimas 12 (1 + 2) horas da vida do Messias,
Olhos, boca e ouvidos meus – os 3 – se postam atentos,
e, durante quase 3 horas de um impactante realismo,
meus sentimentos giram em torno de 3 perguntas somente.

Quem era ele? De onde viera? E para onde se destinava?

Às 3 da madrugada, ao lado de 3 apóstolos, e aos 33 anos,
espreita a hora 9a.(3+3+3) anunciada aos 12 na santa ceia
enquanto recordava-lhes a objetividade de sua missão:
“Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”, resumira tudo em 3.

Mas quem era ele? De onde viera? E para onde estaria indo?

Nascera sob a égide marcante da visita de 3 magos do Oriente.
Crescera na convicta devoção aos sagrados ritos judaicos:
da apresentação aos 9 na sinagoga. Sumira dos 12 aos 30,
reservando ao direito de pregar aos homens, 3 anos somente.

Quem era ele? De onde viera? E para onde mesmo se destinava?

Aos 30 reaparece e se acerca de 12 homens escolhidos dentre o povo.
e ao lado de 3 deles transfigura-se no Monte Tabor, a ponto
de materializar ao seu lado os dois maiores profetas do evangelho.
Levanta Lázaro morto há 3 dias. Cura uma menina de apenas 9 anos.

Quem era ele? De onde viera? E para onde mesmo se destinava?

Traído por 30 dinheiros, negado 3 vezes pelo apóstolo Pedro,
Ele chega à 6a. feira abominado pela multidão a quem ensinara
“Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”,
a tríplice forma de se resumir os dez mandamentos de Moisés.

Quem era ele? De onde viera? E para onde mesmo se destinava?

A caminho do calvário, onde 3 cruzes estão erguidas, sofre 3 quedas;
Vê sua mãe Maria ao lado de Madalena e João – os 3 juntos à cruz
E na hora nona – 3 da tarde – dá o último suspiro, para 3 dias depois
Levantar-se do túmulo vencendo a morte aos 33 anos de idade.

Quem era ele mesmo? De onde veio? Para onde mesmo se destinou?

leia tudo sobre

Publicidade

FELIZ PÁSCOA

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

08 de Abril de 2012

A Páscoa, como a vemos atualmente, assemelha-se a qualquer um feriado, onde a maioria das pessoas alimenta o ócio e o consumo de bebidas. Foge-se dos centros urbanos em busca de tranqüilidade e, muitos, nem sequer chegam ao seu destin. Nela, assim como no Natal, trocamos o verdadeiro símbolo do Amor, pela identidade consumista do coelho.

Época de jejum, nos dias atuais a Semana Santa acaba se constituindo num pantagruélico banquete onde se come além da conta e se enche a cara sem o menor respeito.

No sábado de Aleluia, como hoje, busca-se animadamente a malhação do Judas, numa tradição violenta que em nada contribui para a afirmação dos conceitos de amor difundidos pelo mestre Jesus.

Poucos sabem que os apóstolos de Cristo representam, também, arquétipos da alma humana enclausurada em sua missão terrena. Carregamos os mesmos defeitos de um Pedro, de um Judas ou de um Tomé, respectivamente humanos seres que se debilitaram na hora da prática do bem.

Por isso, preferível à queimar Judas, que deletemos em nós os miasmas da traição com que conjungamos o verbo ao longo do ano. Que abonominemos a tibieza de Pedro, identificando-se com os valores éticos e morais do Cristo, sem temor de anunciar-se seus seguidores. Muito menos, de revelarmos céticos às forças do invisível, que ressurrecto, Jesus quis provar que a porta do túmulo não é o fim da história humana que começa no berço.

É a Páscoa, significativa promessa de passagem de um mundo em transição para a dimensão da Luz, onde imperam as celestiais virtudes que se deseja promover na alma humana.

 

Publicidade

FELIZ PÁSCOA

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

08 de Abril de 2012

A Páscoa, como a vemos atualmente, assemelha-se a qualquer um feriado, onde a maioria das pessoas alimenta o ócio e o consumo de bebidas. Foge-se dos centros urbanos em busca de tranqüilidade e, muitos, nem sequer chegam ao seu destin. Nela, assim como no Natal, trocamos o verdadeiro símbolo do Amor, pela identidade consumista do coelho.

Época de jejum, nos dias atuais a Semana Santa acaba se constituindo num pantagruélico banquete onde se come além da conta e se enche a cara sem o menor respeito.

No sábado de Aleluia, como hoje, busca-se animadamente a malhação do Judas, numa tradição violenta que em nada contribui para a afirmação dos conceitos de amor difundidos pelo mestre Jesus.

Poucos sabem que os apóstolos de Cristo representam, também, arquétipos da alma humana enclausurada em sua missão terrena. Carregamos os mesmos defeitos de um Pedro, de um Judas ou de um Tomé, respectivamente humanos seres que se debilitaram na hora da prática do bem.

Por isso, preferível à queimar Judas, que deletemos em nós os miasmas da traição com que conjungamos o verbo ao longo do ano. Que abonominemos a tibieza de Pedro, identificando-se com os valores éticos e morais do Cristo, sem temor de anunciar-se seus seguidores. Muito menos, de revelarmos céticos às forças do invisível, que ressurrecto, Jesus quis provar que a porta do túmulo não é o fim da história humana que começa no berço.

É a Páscoa, significativa promessa de passagem de um mundo em transição para a dimensão da Luz, onde imperam as celestiais virtudes que se deseja promover na alma humana.