Despreparo força ação atabalhoada de policiais - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

Despreparo força ação atabalhoada de policiais

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

02 de agosto de 2018

Episódios onde é visível o despreparo em abordagens policiais parece algo recorrente no histórico de alguns profissionais da área de segurança pública do Ceará. O mais recente, esse de Campos Sales. Lamentável, em todos os sentidos.
Um veículo é alvo de tiros da polícia. Resultou na morte de um paraibano. Outras duas pessoas, também, foram atingidas. Todos iam da Paraíba ao Maranhão, participar de um campeonato de sinuca.

A confusão toda começou quando pararam num posto de gasolina. O frentista, provavelmente preocupado com a incidência de criminosos que trafegam armados para ataques a bancos, confundiu os tacos de sinuca que estavam dentro do carro com armas. E o que ele fez? Acionou a polícia.

Durante a tentativa de abordagem, a polícia disparou diversas vezes contra o veículo. Policiais dizem que eles é que empreenderam maior velocidade, complicando ainda mais uma situação que poderia ter sido resolvida de outra maneira.

Num Estado onde a nossa Polícia precisa dar exemplos de maior competência, até para fazer frente aos avanços da criminalidade, esse é um episódio lamentável. Preocupa a todos: a população – que anda sofrendo com a violência – e aos bons profissionais da PM, sim. Aqueles que suam a farda para zelar pelo bom nome da corporação, enquanto se torna cada vez mais visível a necessidade de alguns se reciclarem em busca de aperfeiçoamento. Caso venha a ser confirmada a ação atabalhoada desses policiais, não tem outro caminho senão puni-los. Até para que os bons sejam devidamente exaltados e reconhecidos.

Publicidade

leia tudo sobre

Despreparo força ação atabalhoada de policiais

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

02 de agosto de 2018

Episódios onde é visível o despreparo em abordagens policiais parece algo recorrente no histórico de alguns profissionais da área de segurança pública do Ceará. O mais recente, esse de Campos Sales. Lamentável, em todos os sentidos.
Um veículo é alvo de tiros da polícia. Resultou na morte de um paraibano. Outras duas pessoas, também, foram atingidas. Todos iam da Paraíba ao Maranhão, participar de um campeonato de sinuca.

A confusão toda começou quando pararam num posto de gasolina. O frentista, provavelmente preocupado com a incidência de criminosos que trafegam armados para ataques a bancos, confundiu os tacos de sinuca que estavam dentro do carro com armas. E o que ele fez? Acionou a polícia.

Durante a tentativa de abordagem, a polícia disparou diversas vezes contra o veículo. Policiais dizem que eles é que empreenderam maior velocidade, complicando ainda mais uma situação que poderia ter sido resolvida de outra maneira.

Num Estado onde a nossa Polícia precisa dar exemplos de maior competência, até para fazer frente aos avanços da criminalidade, esse é um episódio lamentável. Preocupa a todos: a população – que anda sofrendo com a violência – e aos bons profissionais da PM, sim. Aqueles que suam a farda para zelar pelo bom nome da corporação, enquanto se torna cada vez mais visível a necessidade de alguns se reciclarem em busca de aperfeiçoamento. Caso venha a ser confirmada a ação atabalhoada desses policiais, não tem outro caminho senão puni-los. Até para que os bons sejam devidamente exaltados e reconhecidos.